Review – O mundo do subconsciente de Astral Project

Corpos astrais, conspirações e ideologias um tanto quanto inusitadas.

Astral Project é um mangá seinen, publicado pela revista Comic Beam, que totaliza quatro volumes. O desenho é feito por Syuji Takeya, sendo o próprio Astral sua obra mais conhecida, enquanto o roteiro é assinado por “Marginal”, que é um pseudônimo de Garon Tsuchiya, famoso pelo mangá Oldboy.

Havia lido a sinopse de Astral Project quando a Panini o lançou, mas não havia me interessado muito pela história, embora tenha gostado de sua capa. Então, em certa ocasião minha namorada viu o mangá, também se interessou pela capa, o comprou, e, após lê-lo começou a falar muito bem, até que eu também tive vontade de ler.

Já adianto que a história me agradou muito (mais adiante explicarei os motivos), principalmente devido ao seu teor sobrenatural, gênero sem muitos precedentes antes no Brasil, mas numa situação que poderia se encaixar na realidade, dependendo das experiências e crenças de cada um.

A História

Masahiko vive afastado de sua família devido a problemas de relacionamento com seu pai. Trabalha em Tóquio como motorista para prostitutas de luxo agenciadas pela Yakuza. Sua vida não tem muitas emoções, não acha que seu trabalho seja bom ou ruim, apenas o necessário para sobreviver.

Certo dia recebe o telefonema de uma amiga de sua irmã, dizendo que esta havia falecido. Mesmo que tenha se afastado da família, Masahiko recebe a notícia com choque, e concorda em ir sua cidade natal, Chitose, para o funeral de sua irmã, Asami, pois ainda nutria muito carinho por ela, sendo a pessoa a quem fora mais apegado, pois era a única por quem nutria algum sentimento e que o fizera sorrir. Chegando a casa onde sua irmã morava com seus pais, vai ao quarto dela, e resolve pegar como recordação o último CD que sua irmã ouvira antes de morrer.

Ao voltar para casa, Masahiko ouve o CD, e ao escutá-lo tem sua primeira experiência extra-corpórea – podendo ver seu corpo enquanto sua alma flutua por seu apartamento. Seu primeiro pensamento é de medo, pois não sabia como isso podia acontecer, mas depois disso começa a fazer experiências, indo cada vez mais longe em suas projeções astrais, chegando ao ponto de conseguir ter certeza de que isso era real, embora outras pessoas normais não pudessem vê-lo. Entretanto, após diversas projeções, acaba conhecendo outros que conseguem “ir lá pra cima” assim como ele, e resolve querer descobrir mais sobre o motivo disso acontecer. O primeiro ponto a se averiguar foi o tipo de música. O CD era de jazz, uma composição inédita de Albert Ayler. Após isso, suas principais dúvidas são: por que não são todos que conseguem fazer isso ao ouvir o mesmo CD? Será que havia acontecido o mesmo com sua irmã e esta não havia conseguido retornar ao corpo?

Considerações Técnicas

De certo modo, posso dizer que o desenvolvimento do mangá é lento, porém é de rápida leitura. Digo que é lento pois, principalmente no começo, existem muitas divagações de Masahiko sobre sua irmã e sobre os corpos astrais. Entretanto, a história é do tipo que deixa na expectativa de saber o que vai acontecer a seguir, sendo difícil para eu parar de ler até acabar os quatro volumes.

Outro ponto que tem que ser analisado é sobre o jazz. Se você gosta e conhece esse tipo de música, provavelmente apreciará MUITO a história, pois existem inúmeras referências ao tema, desde o já citado Albert Ayler, chegando em nomes mais recentes do gênero musical. Embora eu não seja apreciador do gênero, não me senti perdido em meio a essa musicalidade, já que o autor não coloca referências sobre o jazz que não sejam explicadas posteriormente e necessárias para a história.

Quanto a arte de Syuji Takeya, tem aquela atmosfera de suspense, características em mangás do gênero, que eu associo à MPD Psycho ou Monster, embora não seja uma história sobre assassinatos como estes. Apreciei o traço dos personagens, assim como o cenário, que ajudam muito na sensação que teria se tivesse uma projeção astral e visse o mundo todo pelo alto. E, principalmente pelo fato de quase toda a história se desenvolver durante a noite, propicia a ideia de que se passa num mundo de sonhos, e que durante esse período do dia tudo é possível.

Comentários Gerais

Achei Astral Project uma série muito empolgante. Como disse no início desse post, a temática sobrenatural sempre me atraiu, e o tema abordado, de projeções astrais, é algo que não está muito presente na grande massa, mas que suscitam tantas dúvidas, se não mais, quantas as quais apresentadas no mangá. O autor abordou um assunto muito complexo e trouxe ao cotidiano, criando conspirações e utilizando elementos fantásticos mais próximos da realidade, de modo que, de acordo com as premissas apresentadas no mangá, qualquer um estaria suscetível à uma experiência dessas.

Astral Project tem muitas referências a otakus, e muitos podem se encontrar em algumas passagens da história. Vale ressaltar ainda que o mangá apresenta uma crítica social feroz ao estilo de vida japonês e ao imperialismo estadunidense, e, por esse mesmo motivo, é algo que não agradará a muitos, pois evidencia a forte opinião dos autores sobre esses e outros temas.

por César

Asevedo

Designer de formação, atualmente sou Assistente editorial da Panini Mangá. Acumulo mangás e HQ's, que espero conseguir ler um dia. Assisto animes de vez em nunca.

Related Post

  • Rayovac

    Ainda não li esse manga, mas parece uma boa opção vou levar em consideração com certeza!! (sempre quis ler um manga polemico contra os E.U.A. hsuahusahu)

    Rayovac!

    • é muito bom, já to no último manga, é realmente interessante.

  • Hashimoto

    Eu estou lendo! Tô no segundo volume e estou gostando bastante. É um mangá diferente que vale a pena ser lido justamente por fugir dos temas que vemos com mais frequência. E toda vez que o carinha coloca o disco pra se projetar, eu não sei, mas por mais que não seja possível ouvir o som dá pra sentir o clima que o artista propõe através dos quadros e das imagens do céu. XD

    Bem bacana mesmo! Recomendo tbm! o/

  • Nossa esse mangá é muito bom mesmo, eu o comprei assim q foi lançado, talvez até sem querer, ou então por causa da capa que era muito diferente e belissima, ou por que na banca nao tinha quase nenhum mangá e eu tava com vontade de ler. Mais a leitura do primeiro volume foi sensacional, me levou completamente aquele mundo, as viagens astrais que ele fazia, eu praticamente viajava junto, mim bateu até uma vontade de poder sair do meu corpo e sair vagando pelos seus a noite sem ninguém poder min ver. Em um serto ponto a história da a perceber que vai ser uma história longa, que o principal é um escolhido que vai salvar o mundo e tal. Ai eu pergunto, será que esse titulo foi encurtado por falta de popularidade?
    Realmente esse mangá superou minhas espectativas, eu recomendo a leitura!
    Chuva de nanquim me surpriendeu com esse poste. Paranéns, otimo Blog mesmo!

  • Não achei o mangá ruim, mas achei confuso. Não no sentido de não ter entendido, mas no sentido do autor ficar filosofando sobre o estilo de vida otaku, sobre a sociedade, sobre conspirações, pra depois não aproveitar isso, parecendo tudo aquilo muito vago.

    O final foi corrido se compararmos com o desenvolvimento lento que tem a história. Me pareceu feito as pressas mesmo o final. Um bom mangá, mas não é algo excepcional.

    Isso é um problema que noto em muitos “seinens”, que tentam parecer ser algo maior do que realmente são e acabam se perdendo no fim das contas.

    Que venham mais seinens…e melhores!

    • Também concordo com vc cara! Os seinens costuman ter muito disso mesmo que vc falou. Mesmo assim não deixam de ser um dos estilos de mangá favorito meu.

      Que venham mais seinens…e melhores! ²

      • Concordo com esse ponto. O final pareceu ser feito às pressas. Embora tenha sanado todas as dúvidas mais importantes, ficou com a impressão de que ainda poderia desenvolver mais a ideia.

        E que venham mais seinens…e melhores!³

      • Gostei muito desse manga, apesar de o final não ser lá essas coisas, mas quando o desenvolvimento é muito bom, muitas vezes o final não é tanto, pois vai ficando tão complexo que é difícil dar um final fodastico.
        Aliás, a forte impressão que tenho é que o cara que escreveu esse manga viveu tudo que está retratado ali, pelo nível de detalhamento, e pelo final (não vou dar spoiler), que não foi fantasioso demais…no geral, foi um manga muito bom, e espero ver mais deste gênero.

        PS: Eu fui o único a ir correndo procurar Albert Ayler no google e baixar todas as música?

  • Felipe

    Já está completo pela Panini?

    • Já está completo sim

  • Como são poucos volumes, talvez ainda consiga achar completo por aí. Gostei da proposta do mangá, e fiquei bem curioso já que é um tema que não se vê muito hoje em dia.

  • Roger

    Eis aí um mangá que realmente me surpreendeu, realmente é muito bom. Quem ainda não leu, de uma chance que não irá se arrempender. Certamente vale o investimento.

  • samuel

    mto bom gostei mto tbm quando li e recomendo um dos melhores lançamentos ano passado concerteza

  • To procurando que nem loka desde que perdi o primeiro volume na banca. Acho q vou comprar pela net mesmo :[

  • Cadmus-Senpai

    Um ótimo mangá! Li todos os quatro volumes lançados pela Panini. A história é muito interessante. O que mais gostei foi a crítica feita pelos autores. Recomendo. Acho que esse foi um dos mangás do que eu chamo de “Início do Movimento Seinen liderado pela Panini” (estou levando em conta os lançamentos que estão por vir… (a estreia de 20th Century Boys, relançamento de Monster e provavelmente outros títulos…) )

  • De fato este é um ótimo mangá..não é para todos, pq nem todo mundo curto o gênero…mas realmente se vc der uma chance vai ver como é … nossa o clima de suspense perdura por toda a trama, e claro quem curto os mangás do gênero seinen devem adorar.
    O vol.4 realmente é maior das supresas, não só pq é o último mas quando vc acha uma coisa acaba de outra forma…
    De fato ele é divido entre a experiência que o portagonista passa e compartilha e toda a parte da crítica aos EUA( não quero falar muito disso para não sair spoiler para quem quer ler), tudo muito bem tratado.Recomendo mesmo.

  • Mioto

    nossa peguei o primeiro volume para ler e gostei demais, é bem no nível de devaneios e coisas sobrenaturais, gosto bastante, muito bom o review me chamou bastante atenção quando eu li a sinopse =D

  • Ricks

    Comprei sem nenhuma pretensão e não me arrependi. O mangá é bom , apesar de ter achado o final muito corrido. Mas sei lá, parece que o autor está desabafando com toda essa crítica aos otakus e ao imperialismo norte-americano. Mas, enfim, recomendo a leitura!

  • Depois de ler este post e todos esses coments, assim que tiver uma oportunidade irei ler essa série.

  • Eu li os 4 volumes em dois dias. É realmente muito interessante e as personagens me pareceram muito reais. É bem bacana também você ficar imaginando se projeção astral pode ser real ou não. Será que já rolou comigo e eu nunca soube? rsrsrs. Astral project foi uma ótima surpresa. Que venham mais títulos assim pras nossas bancas!

  • fausto

    Os dois primeiros volumes, eu concordo, são empolgantes; já os dois últimos eu achei que foram pretensiosos, em parte devido à maneira como foram feitas as críticas citadas na análise; a arte está sempre ótima. No geral, eu gostei e acho que vale a leitura.

  • Eu tenho Astral project,admito que quando comprei foi só pela capa,no começo nao gostei da historia,mas depois me prendeu de um jeito absurdo e gostei mto!a arte é incrivel e a historia também é interessante.

  • Na minha opinião é de uma modernidade e sofisticação impressionantes! Um tema super interessante, que foi explorado em vários aspectos e desenvolvido de um jeito surpreendente. Tem referencias clássicas tipicas de mangás muito queridos pelo publico em geral, e embora eu não seja um amante tão conhecedor de generos e caracteristicas assim, é notável a qualidade de várias caracteristicas classicas.
    Eu realmente gostei muito do desfecho. Conforme eu me aproximava do fim, eu temia um clichê. E para o bem, me surpreendeu com um final absolutamente aceitável e inteligente. Até concordo que poderia ter sido melhor desenvolvido, mas neste caso, isso provavelmente significaria um quinto volume, ou até mais, dado o próprio desenvolvimento da trama.
    Como citado no post, a história é muito proxima a realidade, de acordo com o que cada um acredita…E essa é uma determinante de peso! A critica social, a proximidade ao mundo real, e ao mesmo tempo, o surrealismo singelo, porém deslumbrante…
    Sem dúvida um dos meus mangás favoritos. (Mesmo que eu não tenha lido tantos assim até hoje hahaha)
    Não sei de nenhuma esperança sobre se tornar um anime, mas seria muito legal também.
    Parabéns pelo blog!