Primeiras Impressões – ‘Aku no Hana’ ou ‘Flower of Evil’

headerA internet é a verdadeira flor do mal.

Antes de começar, há de se falar que já tive contato com o mangá antes da animação de Aku no Hana. Devo dizer que esse primeiro episódio de ‘Flower of Evil’ foi no mínimo curioso. Mas mais curiosa ainda foi à reação da internet com relação ao mesmo. Não importa o local onde eu vá, a quantidade de pessoas “metendo o pau” no primeiro episódio da série chega a me impressionar. E o mais engraçado é que muitas dessas pessoas são aquelas que dizem que não devemos julgar nada pelo primeiro episódio. Bem, não sei. Talvez por não concordar com a reação exagerada vista até agora, acredito que Aku no Hana acabou sendo destacado mais pela técnica excêntrica do que pela execução em si. Convenhamos que ele fugiu de tudo do tradicional e claramente isso é proposital. O que também não isenta a animação fraca e ao mesmo tempo experimental da série.

1

“A história de Aku no Hana é aquilo que podemos chamar definitivamente de “no mínimo estranha”. Tudo gira em torno de um garoto chamado Takao Kasuga, um cara que é totalmente apaixonado pela bela colega de classe Nanako Saeki. Só que tudo se complica no dia que ele meio “sem querer querendo” acaba roubando as roupas de ginástica da garota (que lá no Japão parecem ter tanta importância quanto as roupas íntimas). Até aí tudo bem, já que bastava apenas ele entregar… Mas acontece que ele foi surpreendido pela “estranha” Sawa Nakamura, uma garota que faz com que ele vire seu “servo” em troca de não espalhar para todos sobre o segredo. E não é que isso vai gerar um triângulo amoroso totalmente diferente?”

Em primeiro lugar é necessário destacar o uso da técnica de rotoscopia (basicamente um processo que você utiliza uma pessoa “de verdade” como modelo para a animação) em uma série televisiva. A rotoscopia não é um processo simples e muito menos barato, mas é usado em alguns filmes bem conhecidos e que souberam se prevalecer desse efeito. Além dos clássicos da Disney como Bela Adormecida, Branca de Neve e filmes de outras proporções como Titan A.E., esse tipo de animação ainda é usada em alguns longas para causarem certo impacto no expectador.

3Aku no Hana surpreende em tentar usar essa técnica na série, e a meu ver tudo tem a ver com a escolha do público alvo da animação. A ideia não é alcançar aquele que vê um Naruto ou One Piece (não desmerecendo as obras, claro). Com uma animação peculiar e com um character design extremamente diferente e “rústico” (por que não, feio?), a impressão que temos é que o diretor não procura se apegar a elementos específicos dentro da obra e sim na execução da mesma. Há tensão causada pelas cenas longas e aleatórias, contrastadas por uma trilha sonora afiada e de certa forma assustadora, em conjunto com expressões e movimentos muito mais “humanos” do que estamos acostumados em qualquer anime comum – e cenários lindos, que não perdem em nada para qualquer um representado no mangá da obra. Não há como deixar de lado, por exemplo, a incrível cena final do episódio, deixando o grande clímax para o próximo e ainda assim causar uma sensação de suspense, de medo, de “que porra vai acontecer daqui pra frente?”. Talvez o ritmo consideravelmente lento tenha sido o grande ponto negativo.

12O grande erro de Flowers of Evil é não conseguir atingir o expectador. O ‘Frankenstein’ acabou não tendo o resultado esperado e ao invés de atiçar a curiosidade acabou causando medo. Tudo que é diferente de início causa espanto, repulsa, aversão. Com essa série não foi diferente. A expectativa em cima da adaptação de um mangá tão diferente já era um grande mistério desde seu anúncio. Guardar toda a apreensão para o momento do lançamento foi ainda pior, mais arriscado. E os resultados estão sendo colhidos agora. Queda de encomendas na Amazon.Jp, pedras atiradas pelos 4 cantos da internet. Isso mostra que além das falhas de animação e da possível verba abaixo do orçamento necessário para um bom projeto, o maior inimigo de Aku no Hana foi o público, que parece não estar preparado para uma mudança tão brusca em suas séries, que ainda quer viver do clássico e que assim como demorou a se acostumar com a intervenção do 3D direto, dificilmente vai se acostumar com um processo ainda mais artisticamente “duvidoso” quanto à rotoscopia.

10Como pessoa que já leu o mangá posso dizer que como adaptação a obra deixa a desejar, mas como obra única ela me deixou satisfeito. Senti-me preso naquela atmosfera diferente e intrigante, que me passou outra sensação da leitura. Apesar da maior parte das opiniões serem contrárias, acho que esse é mais um daqueles casos que só a sua própria opinião poderá te dizer se deve continuar ou não. Eu continuo, por enquanto.

9Ah, e aquele encerramento… Tentem tirar das suas mentes logo. Aquilo é perturbador.

14

13

11

7

6

5

4

2

Dih

Dih

Paulistano, 27 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Hoje é editor assistente da Panini Mangás e colecionador compulsivo de quadrinhos em geral.

Related Post

  • Infelizmente minha net só me deixou ver metade do Episódio, mas eu gostei do que to vendo (:

    • Hund

      Felizmente meu bom senso não me deixou ver nem metade do episódio.
      De quem foi a ideia genial de fazer uma animação assim?

      • neri

        “Bom senso”??

      • Bawler

        “””bom””” “””””””senso”””””””

      • Sixmeister

        Aposto que seu bom senso adora Naruto.

      • Gafanhoto

        Esse teu “bom senso” tá mais pra preconceito.

      • “Bom senso”? Você ao menos assistiu um episódio pra falar qualquer merda.
        Eu por exemplo, amo animes de horror psicológico e, como fã do gênero eu gostei sim do efeito de rotoscopia que Aku no Hana passou, acho que deixou um clima mais “pesado” e “tenso” no anime, o que na minha opinião é um dos pontos fortes do anime e algo INSUBSTITUÍVEL para animes Psicológicos. Devo admitir que, até mesmo eu estranhei o traço no começo, pois foi algo inovador e surpreendente, mas por outro lado é incrível, pois eles conseguiram preservar o terror psicológico do anime e aumentá-lo consideravelmente.
        A ending então, sem comentários… Me viciei nela, não paro de ouvir e ela não sai da minha cabeça, daqui a pouco estou cantando ela na escola e vendo todos ao meu redor se afastarem de medo, por que cai entre nós, a musica é realmente macabra.
        Quanto ao seu “bom senso”, acho que estou um pouco decepcionada. Você deve ser mais um desses posers que se auto-instituam OTAKUS, quando passam o dia todo assistindo anime ecchi e hentai com o p… duro, e não sabe apreciar uma boa obra, só por que assistiu Naruto e o traço é “bonitinho”, ah vai se f….
        PORRA vei, assiste primeiro e DEPOIS venha falar sobre “BOM SENSO”.
        Então, se eu estou certa e você é apenas um pervertido inútil, passe longe desse anime. Por que pessoas como você cagariam e mijariam nas calças assim que assistisse o primeiro ep. -.-‘
        Se você não gostou do que eu disse, ótimo. Por que escrevi isso justamente para não gostar. E da próxima vez “não julgue o livro pela capa”, ou melhor: “não julgue um anime pelo traço”, você vai se arrepender muito, seu merdinha. ¬¬

      • Esse seu ”bom senso” foi pela animação e não pelo enredo ou como a obra estrá progredindo? Aposto que seu bom senso deve gostar muito de Naruto e Dragon Ball. Nada contra, mas têm hora que devemos assistir aos animês de lutinha (Shounen), e têm hora que devemos nos focar ou então simplesmente assistir algo pacífico, calmo ou sereno, com o enredo que promete boas surpresas ou mistério, suspense, terror e etc. (Vida cotidiana, Seinen, Sci-Fi, CyberPunk). Então acho melhor que você aprenda a definir o seu ”bom senso”, e aprender a diversificar os animês que você assiste, ou os mangás que você lê, ou as obras/séries que você avalia. Abraço.

      • Sina

        Seu “bom senso” se perdeu em konoha, jovem.

      • KATAYOSE

        Parece bom mas eu realmente num curto esse traço,mas é provável que eu assista!!

  • Fábio [Portuga]

    Na boa, ficou uma MERDA.

    • Nishi
    • Acho que ninguém iria querer uma mudança tão drástica do mangá para o anime, mas não ficou uma “MERDA”.

      • Dk

        concordo com vc, não ficou uma merda, pq pra isso falta melhorar muito!!!! Era pra ser um anime muito bom, pois o é um bom mangá!!! E infelizmente por causa dessa mudança, muitos que não conhecem a história acabaram por nem se interessar, o que dificulta ver esse mangá sendo lançado por aki!!!!

      • Também achei, mudou muito

    • concordo ficou uma merda

  • HUM…KATSU!!

    Bom… Não se é por que não li o mangá, mas não vi tanto problema tanto no ritmo da narrativa ou na técnica de animação. Muito pelo contrário até gostei bastante, Achei muito diferente do convencional, e já estou muito ansioso pelo próximo episodio.
    O pessoal ta muito revoltado só por causa dos traços… Acho muito nada ver isso viu… Fazer o que né? O que importa é que eu curti! =)

    • Acho que o ritmo do primeiro episodio foi lento assim pra nos acostumarmos pois realmente foi um choque esse tipo de animação,eu pensei que esse era um daqueles animes de ecchi/harém,quebrei a cara.

    • O problema não foi de fato a abordagem de um novo estilo de traçado, mas sim, mudar completamente o estilo, sem aviso prévio aos fans, e mudando “drasticamente” em relação ao mangá que deu origem a série.

      Bem, eu li o mangá, e por ele mesmo não gostei muito da história, não é uma anime que fosse assistir de qualquer forma. Mas se você curtiu fico feliz por você.

      O que eu achei estranho, é que o anime ficou bem mais “aterrorizante” do que o mangá. Parece de fato até mais “adulto”

  • Vitor

    Eu gostei desse anime justamente por fugir do convencional…

  • Pingback: Quando estragam completamente um anime promissor | AniTuga!()

  • eduardo

    o problema e quem ja leu o manga , por exemplo eu estava muito ancioso pela animçao e ai vem essa animaçao que nao tem nada a ver com o manga ,o manga tem os traços bem bonitos por que nao fazer igual

  • Vou ser honesto, não sou muito fã de rotoscopia, mas eu entendi que quiseram passar um clima mais real ao “anime”, vendo a interação entre os personagens, eu realmente consegui notar uma certa naturalidade (com exceção do gordinho retarda e o que deveria ser a Nakamura XD) em que eles vivem seu cotidiano sem nada novo acontecendo, até que chega o final do episódio onde a “flor do mal floresce” e começa a tocar aquela ed pertubadora que parece falar com o protagonista.
    Enfim, apesar de ainda não gostar de rotoscopia (acho que sou um pouco purista XD), a historia ainda conseguiu me prender assim como o mangá conseguiu, então continuarei acompanhando…

    • Sim, concordo com você.
      Eu também não sou “fã” de rotoscopia, mas mesmo assim o anime me prendeu, e eu estou sempre curiosa para ver o próximo episódio.
      Eu não li o mangá, pretendo ler assim que o anime terminar, assim posso ter uma boa conclusão do anime e comparar ambos, mas… Eu estou curtindo muito o anime até agora.
      No começo, foi um choque aquele traço, TOTALMENTE diferente dos animes que já assisti, mas aos poucos fui me acostumando, e agora nem me importo com o traço, ele já passou a ser “natural”.
      Eu também acho a ending perturbadora, mas eu amei ela… Deu um clima mais pesado para o anime, transformando ele em um verdadeiro “Horror psicológico”.
      De qualquer jeito, estou ansiosa pelo próximo episódio. ^^
      E quanto a rotoscopia, acho que se a história for interessante, os fãs superam isso.

  • Caras, realmente a animação tem problemas inevitáveis por causa do baixo orçamento, tempo limitado e mão de obra não especializada na técnica, porém vamos para para pensar: um anime com animação ruim é novidade?
    Toda temporada temos animes com visual bem ordinário, arte aleatória e inconsistente, falta de movimentos, repetição, deformações e mais. Aqui o estranhamento pode ser maior porque os personagens são mais parecidos com humanos, mas não está nem melhor nem pior que outros animes medianos.

    O que causa toda a polêmica é que essa escolha artística foi escondida, as pessoas só descobriram quando assistiram. Se já pegou de surpresa os fãs do mangá, imagine quem não conhece? E esperava algo comum? Normal, quem admira o visual padrão dos animes como se fosse uma religião não vai aceitar mesmo, então vamos ignorar essas pessoas.
    O que a maioria reclamou de verdade e muitos acabaram interpretando mal e colocando no mesmo saco dos otakus extremistas foi a inconsistência da animação. Vai ser algo pela metade, nem um filme, nem um anime. A falta de sombra prejudica mesmo, metade das pessoas na tela congeladas com uma expressão estranha distrai…
    Mas por outro lado… já deu para ver que em cenas mais baratas fica lindo, e sim, combina com o clima de história comum, lugar comum, pessoas comuns, situação banal que por um evento aleatório desencadeia consequências extremistas e violentas. Ver aquela merda toda que vai acontecer interpretadas por humanos será uma experiência única.

    É importante informar e ressaltar aqui que a adaptação não é de forma nenhuma ruim, pelo contrário, é uma versão 2.0 da história.
    O diretor havia recusado o convite para dirigir a série porque ele leu o mangá, entendeu a proposta do autor e chegou a conclusão de que não valia a pena ele levar para a TV uma versão pobre do mangá. O autor insistiu e em um segundo convite eles chegaram em um acordo de fazer algo diferente que pudesse acrescentar na obra, o autor aprovou a ideia da rotoscópia e pegou a oportunidade de refazer muitas cenas como ele havia imaginado na cabeça dele.
    Aku no Hana anime é diferente do Aku no Hana mangá, e isso é intencional. O autor também já está acostumado com leitores rejeitando seus mangás, e as vezes voltando atrás em uma segunda leitura. Ele sabe que sua obra não é para todos os públicos e não deixar fazê-la no anime, pegou a oportunidade de alienar alguns e dar a eles a oportunidade de rever sua decisão no futuro.

    É uma aposta arriscada, como eu falei, uma aposta, mas extremamente corajosa e isso é ótimo. Tranquilizador ver que ainda tem gente com coragem de fazer coisas novas nessa indústria da forma como acreditam ser a melhor.
    E ainda vejo junto com Shingeki, um shounen puro e diretor roteirizado de forma exemplar.

    • Daniel

      Sensacional seu review, como alguem acustumado ao padrão gráfico e desconhecendo a obra, a tentativa de fazer coisas novas é o que me empolga nessa série.

    • Marco

      Nada justifica deixarem todas as mulheres(inclusive a que era pra ser a mais bonita da escola) com caras de travecos obesos(note que as mulheres parecem homens otaku acima do peso se você tirar a peruca delas). Não to nem ai pro character design moe, nem gosto muito pra falar a verdade, dou preferência a traços mais envelhecidos como o de Steins Gate, Jormungand, ect.
      Se os animes normais são irreais porque todas as mulheres são bonitas esse é o outro lado da moeda, é irreal porque todas são feias. Tirando isso a execução do anime em si é chata de doer, não entendi como alguém ficou tenso com aquilo.
      E desde quando é criativo mostrar uma vida cotidiana chata? se for assim vamos começar a fazer animes aonde o protagonista fica 25 mins de cada episódio indo pro colégio(dorme durante a aula),vai pra casa, passa o resto do dia mexendo no PC, dorme…. 25 episódios disso. Nada mais normal que isso não acha?
      Se a ideia é ser criativo simplesmente por ser, sem haver uma análise se aquilo vai ser bem sucedido ou não, vamos fazer um anime sobre excrementos, aonde eles são os protagonistas e batem papos super cabeças.
      De criatividade o mundo ta cheio, só que você só vai ver 5% dela, usualmente a que se destaca e tem aceitação média/boa e não os outros 95% que são ou ideias idiotas(anime sobre excrementos) ou que quase ninguém vai gostar(Ruim no Hana).

      • “E desde quando é criativo mostrar uma vida cotidiana chata?”

        A critividade está em como se desenvolve isso, então terá que pagar para ver.

        Sobre a garota que era para ser bonita ser feia… isso não é bem verdade.
        Alguns não sabem, mas os adolescentes japoneses não são lá muito bonitos não. No caso da Saeki a modelo é essa, sem maquiagem, de cabelo grande- http://marticleimage.nicoblomaga.jp/image/34/2013/5/3/5379104486c2d71534fd1cab3df997b7c628074f1365170878.jpg
        Exemplo da cena de referência e estilizada – http://25.media.tumblr.com/5d0d2f37c4a38992703d4426267b9009/tumblr_mku2chUlp91r2egbno1_1280.jpg

      • Marco

        Tá, é igualzinha a do anime mesmo, mas a modelo é feia( e tem um rosto enorme de grande) então eles fizeram de propósito….porque pegaram uma modelo feia e com as bochechas maiores que a do Quico pra fazer a garota mais bonita da classe deus meu??!!….modelo bonita era caro?

        Adolescente bonita tem sim no japão, não se comparam a beleza ocidental na minha opinião mas estão bem longe dessa que colocaram no anime pra representar, repito, era pra ser a garota mais bonita da classe, agora ela é no máximo a “menos feia”.

      • Mas cara, o autor tem um traço bem sóbrio, ele não cria modelos não. A Saeki pode até ser bonitinha, mas é apenas uma adolescente bonitinha. Eles não tem nenhum interesse em pegar gente muito bonita com perfil de modelo de capa de revista e arrumar para colocar ali na cena, nem teriam dinheiro para isso.

        Realmente você pode olhar para cada personagem e pensar, “acho ela feia”, mas outra pessoa pode achar bonita, e no fim isso não importa muito dentro do anime. Você pode ver que a atriz da Saeki é uma das melhorzinhas ali, só que não dá para escapar do rosto redondo, as bochechas fofas, os dentes tortos, as coxas grossas e falta de bunda… os asiáticos são assim mesmo.

        Só fico imaginando como será as cenas de nudez nesse estilo que eles escolheram fazer, imagina só, o cara lá peladão com as duas garotas. Imperdível.

      • Pegasus

        kkkk desde quando fazer uma anime sobre excremento tendo papo cabeças seria criativo kkkkk @marco vc deve ta zuando só pode ser, do que ja tem em animação de todo tipo de pessoas e objetos fora do padrão comum, conversando coisas que quebrão o clima em relação ao que sua imagem remete não tá escrito, opa lembrei o nome desse tipo de desenvolvimento de roteiro é comeda kkk

      • KATAYOSE

        eu achei o traço bizarro!!

    • Diego

      Isso mesmo, Panino. Acho que o Diretor acertou pelo menos no quesito que, daqui a uns 2 anos, quando várias pessoas tiverem revisto já com outra expectativas sobre a animação, já sabendo o que vão esperar, elas irão gostar bastante. Eu tive sorte pois não vi o mangá e já vi sabendo dessa polêmica, ou seja, não me surpreendi e já sabia o que esperar. Para quem vê já nesse vibe, é bem mais fácil gostar do episódio, que teve muitos pontos positivos.

  • Daniel

    Parabéns ao Chunan pela análise imparcial, como uma pessoa que deconhecia a série me vi muito assustado pelo incrivel montante de ódio.
    Por mais que a narrativa seja algo totalmente diferente, continuarei a assistir pela tentativa de inovação e originalidade.

    • Acho que não foi bem ótimo o que aconteceu, apenas rejeição e ironia.
      Quem gosta de animação comum realmente iria rejeitar, quem é avesso a tecnicas menos comuns também, os fãs que só queriam uma adaptação também… foi uma bola de neve.
      Acabou que a polêmica se juntou e acabou levando para outras situações excepcionais, como as pessoas que nem assistiram dando nota baixa afundando o anime para a nota mais baixa no banco de dados no MAL e todos querendo dar sua opinião resultando em DOIS tópicos batendo recorde de respostas no fórum de lá. Com tanta discussão fica difícil de entender o que está acontecendo. Na verdade muitas pessoas estava é apenas tendo um debate acalorado ao invés de fazer piti, e as montagens foram mais em nome do humor do que para hatear.

      A longo prazo acredito que o saldo vai ser positivo, tem algumas discussões muito boas acontecendo e dá até para cobrar agora daquelas pessoas que tanto falavam do tal do Moe. “Não era isso que queriam? Ai está”.

      Ema nos passados eu falei que Hanasuka Iroha poderia ser feito em live action, pela dinâmica da série e proposta. Vai ser interessante assistir Aku no Hana semi-live.

  • Encerramento feito no google tradutor.

    • Geovana

      KKKKKKK Pensei a mesma coisa, juro!

    • Exato, e não ficou legal? Bizarríssimo, não esperava que a Flor do Mal fosse falar.

      • Na minha opinião, o ponto alto do anime foi o encerramento. Vou colocar como toque de celular, só pra lembrar da flor do mal me chamando.

    • kkkkkkkkkkk, medo do encerramento.

  • Jota

    Achei massa demais, acho que dá um passo além do mangá e causa uma estranheza logo de cara. No mangá isso demora um tempo, você ainda idealiza um triângulo amoroso e tal e a coisa vai ficando feia. Os cortes mal feitos, a fala de abertura,a repetição dos planos,a animação com uma estética estranha, um live action censurado, o plot inicial que não é entregado ao público, achei tudo coerente além das expectativas. Talvez para você nos altos dos seus 15 anos não seja bom mesmo assistir algo assim, e não que você não vá entender, afinal é isso que acontece com o garoto na história mas talvez seja uma sensação aproximada do que seja abrir o flores do mal e começar a ler aquilo. É pertubador. E que final de episódio, o olhar da flor, a música toda desconstruída e que tenta se ajeitar. Talvez nem possa mais ser enquadrado como anime mesmo, feche enquanto é tempo seu merda.

  • achei uma merda

  • italo

    com relação a tecnica de animação, eu gostei, passa a sensação de ser algo mais real, já com relação a história pelo menos até agora parece que existe muito suspense para nada, assim eu não li o manga, até agora estou achando o anime aceitavel, mas vamos ver os proximos episodios para saber se realmente é bom ou não.

  • Allison

    O que mais me deixou decepcionado da animação, foi que os personagens tão muito diferente do mangá, chega a ser gritante a diferença isso estrago o anime

  • Geovana

    Sinceramente, eu gostei e irei continuar.
    No começo eu pensei: QUE PORRA É ESSA?! Mas aí eu me acustumei.
    Só não gostei muito da dublagem do protagonista…
    “Ah, e aquele encerramento… Tentem tirar das suas mentes logo. Aquilo é perturbador.”
    Muuuito!!!!

    • Geovana

      corrigindo: acostumei

  • Dan

    Gostei bastante, quero ver o próximo episódio e tenho dito!

  • ficou uma tremenda bosta vei 🙁
    eu nunca vou conseguir me acostumar com esse tipo de técnica, ficou longe de ser perfeito…se for comparar com os trabalhos de rotoscopia da Disney…tipo o filme do senhor dos Anéis antigão…eu tenho ele em fita cacete ainda…aquele foi bom mas meio difícil de se acostumar ainda sim…eu vou continuar lendo o mangá que é mais vantagem…eu sinceramente to torcendo para que o publico continue apedrejando até chegar a um possível cancelamento…prefiro que seja cancelado e um estúdio mais digamos assim ”Formidável”, conhecido e respeitado pegue e faça uma animação descente.
    mas respeito quem gostou e quem quer que continue, mas desejo boa sorte do fundo do coração.

  • Lorena Carvalho

    Bom,
    Primeiramente, gostaria de dizer que gostei muito do seu primeiro cometário sobre a série. Concordei contigo em quase tudo.
    Realmente, o publico não está preparado para receber uma adaptação dessas, principalmente o público brasileiro. Posso parecer meio hipócrita falando de arte, mas acho que ela consiste nisso, em experimentação e nessas tentativas de causar impressões diferentes no público. O que me impressiona muito no conceito de ‘arte’ asiático é que os diretores conseguem fugir do foco de somente mostrar os fatos. Essa técnica usada focou muito mais nas sensações, no suspense, e eu acho que conseguiu alcançar seu objetivo. O público está muito acostumado com os conceitos ocidentais, de só mostrar o necessário de forma rápida e objetiva, por isso talvez não teve uma boa reação para este primeiro episodio.
    Eu, como fã dessa arte oriental, gosto desses estilos, conceitos e sensações intrigantes que ela transmite e fiquei bastante curiosa com o episodio. Vou continuar assistindo.
    Quero te parabenizar novamente, pois você conseguir manter uma objetividade ao analisar o episodio e se manteve de mente aberta com a animação. Outros bloggers que postaram sobre o mesmo assunto, não pensaram duas vezes antes de rechaçar o episodio. Essa é uma atitude que eu chamo de intolerância e que repudio. É o grande erro do ser humano.
    (desculpa se soei meio hipócrita…)

    Ps.: quando falo em publico brasileiro, não me excluo. A diferença é que não tinha nenhuma expectativa quanto à animação. Se acompanhasse o mangá, talvez ficasse decepcionada. :/

    • Concordo com essa sua observação. Eu também gosto um bocado de obras asiáticas por causa disso, costuma ser mais sutil. O local onde isso fica mais claro são nas obras de terror e suspense, elas privilegiam mais as sensações que o personagem experimenta do que o destino dele.

      • Gabriel Lino

        Um mangá que explora isso é Soul Eater. Eu não acho o estilo dos personagens bonitos, embora tenham melhorado muito eles no anime, mas algumas cenas do mangá nem foram colocadas no anime, de tão fodas que eram.

  • Hund

    A animação tosca não me deixou nem prestar atenção na história.
    Vou tentar ler o mangá pra ver se assim funciona.

  • Me surpreendi com a técnica ao assistir o anime. Até já tinha lido o mangá e talz. E até que não achei ruim, estranhei , mas não achei ruim, pelo contrário, achei interessante. Tinha vezes que quando eu lia mangá, eu pensava: “nossa que doentio” e achei que a animação (dependendo de como for o decorrer do anime) pode ser um catalizador pra deixar bem mais doentio e mostrar de um jeito mais “realista” a depravação dos personagens. Por isso continuarei a assistir pra ver no que vai dar.

  • Eu não gosto muito do resultado das animações feitas em rotoscope, mas não posso deixar de dizer que me surpreendi ao ver um anime dessa forma. O problema está em outros quesitos, como alguns momentos em que dá pra contar a taxa de quadros na tela…
    Achei o episódio bem vazio em conteúdo, com aquela sensação de quase nada aconteceu, apesar de ter voltado várias vezes à cena em que a garota desafia o professor. Foi hilário!
    Mas se teve algo que eu realmente gostei foi a representação do ambiente: as ruas, as casas, todo o cenário não parecem de uma cidade utópica e perfeita em seus mínimos detalhes, tudo é extremamente real (mesmo que a qualidade das imagens de fundo seja de algo de uns seis anos atrás)

  • Um gif para quem não quiser baixar – http://25.media.tumblr.com/cf8086daeaaeee835e55cc39a8d760d2/tumblr_mkst52dJUG1rqyzc2o1_400.gif

    A tremedeira é culpa de não poderem passar tudo a limpo, mas tirando isso, é uma animação muito natural.

  • jadergn

    Um cenário lindo, com personagens horríveis. Uma pena.
    Fora isso, eu não gosto mesmo de drama pesado, mesmo se a animação fosse boa, não iria continuar. Assisti o primeiro episódio pelo hype.

  • Gabriel Lino

    Essa técnica de rotoscopia seria boa pra ser usada em mangás que já tenham um traço mais “real”. Eu colocaria em uma obra tipo Onani Master Kurosawa, q tem um traço mais simples. Só q o mangá de Aku no Hana tem traços muito bonitos, achei muito arriscado da parte deles.

  • Alexandre

    so acho que teria sido 1000 vezes melhor seguindo os traços do manga…

  • Achei a animação feia pra caramba mas por outro lado muito mais humanizada, alem do belissimo cenario … ja quanto ao episodio foi bem lento não foi daqueles que prendeu minha atenção do inicio ao fim dei algumas pausas para acabar… e quanto a ending aquilo e altamente tenso, vozinha do capeta muito macabra

  • Kaminii-Sama

    poha, esse ending n sai da minha cabeça O.O

  • Acho que a reação que Aku no Hana causou tem tudo a ver com a obra em si: estranheza.

    Aku no Hana vai ser cult daqui uns tempos. Teve a ousadia de arriscar com um público que espera sempre mais do mesmo.

    Pra encerrar deixo aqui um tweet da Tokyo Scum Brigade (@TokyoScum) com o qual compactuo:

    “Lots of criticism on 2chan for Flowers of Evil’s accurate portrayal of high school girls as anything but moe-blobs. No escapism here, sorry.”

  • Kyeron

    Sinceramente ainda nao tenho uma opinião sobre Aku no Hana, achei estranho, achei feio, me deu medo e principalmente me deixou extremamente desconfortável …
    Porém a curiosidade me fez aguentar a tortura, acho q um episodio é pouco tempo para julgar um anime q me causou tantas sensações estranhas. Enfim seguirei assistindo para ver o q acontece, e espero nao acabar enlouquecendo ou me desapontar ao longo do anime

    • Essas afirmações de como se sentiu são sérias?
      Pois é esse mesmo o objetivo da obra, a antagonista vai explorar exatamente isso no protagonista. Dá para dizer que a série atingiu o objetivo então.

      • jadergn

        A questão é gostar ou não.
        Há quem goste de sentir medo e desconforto. Eu não.

  • Franco_Kurosaki

    Achei o anime sonolento.Tava quase dormindo e só acordei quando o professor se irritou com aquela aluna.Se o primeiro episódio já é destejeito imagine os outros 12?Já o estilo de arte éfeioedá um aspecto visual pobre.Muito diferente de um CelShading estilo que adoro.Não me interessou

  • Kamui Magami

    Exceto pela animação, que tecnicamente pode ser algo “inovador” ou “curioso” para alguns mas que eu particularmente acho uma porcaria, a história de Aku no Hana é bem interessante, não chega a ser ótima.

    É uma pena que a apresentação de uma história como essa se dê de forma tão precária. O pior é um estúdio de animação oriental se render ao modelo americano para experiementar novas técnicas.

  • Denniel-Sama

    Eu curti bastante, já estava na hora de alguém inovar e mudar um pouco as coisas, só achei que essa das roupas foi muito fodido, se fosse algo como as roupas intimas teria sido muito mais maneiro mas opiniões aparte, achei bastante criativo e quero ver como vai ser mais pra frente.

  • Sinceramente eu acho que se fosse para fazer desse jeito que eles fizessem logo um drama (dorama) eu gosto de animes pela arte e não por querer representar a realidade igual essa coisa bizarra que foi o primeiro episódio.

  • Eu achei estranho a caracterização dos personagens, pq ficou bem diferente do manga e como eu não tinha visto nenhum anime com essa tecnologia eu estranhei, mais ficou bonito na relação ai cenario bem realista. eu ainda vou da uma chance porque eu li o manga até o capitulo 6 e a historia é boa, tensa mais boa. e aquele encerramento é de da medo, muito medo, aquela florzinha do mal.

  • Luara

    Adorei o anime e tô lendo o mangá, sobre a técnica que estão usando para a animação achei bem interessante e diferente e realmente adorei e bem mais realista na minha opinião e, como o próprio anime ou mangá (pra quem já leu) causa um efeito bem forte na pessoa. O encerramento é super perturbador e super perfeito (na minha opinião) adoro animes e mangás assim com a aura mais obscura ^^

  • Eu realmente não gostei. Eu estava ansiosa por esse anime mais do que estava por qualquer outro da temporada. Eu achei o cenário perfeito, o enredo perfeito, mas eu desanimei muito com os personagens. Eles me davam sono por algum motivo. Eu ficava abrindo a boca a cada dois minutos do anime e a menina que brigou com o professor ficou estranha demais. Um homem de peruca, talvez…

    De qualquer forma, ele não é ruim. Minha visão que não gostou nem um pouco dele. Vou acompanhar o mangá porque quero muito mesmo ver como vai ser essa história, mas não vou mais ver o anime. Talvez em um futuro eu possa mudar de ideia e ir assistir Aku no Hana, mas no momento não.

  • O encerramento é muito… Bom. Diferente de TUDO o que eu já vi em um anime. Gostei do modo como ousaram, sendo que ao mesmo tempo não gostei nenhum pouco.

    Depois que eu vi o primeiro episódio, li os primeiros 25 capítulos de Aku no Hana e, apesar do traço “tradicional” dos mangás de hoje, era bem feito. Admito que não gostei do que fizeram no anime, mas é tarde para dar um reboot nesse anime. E se preparem, pois acho que os próximos animes do estúdio serão para vender – e não os culpo.

    Mas… Continuarei acompanhando. O anime ainda é válido. AINDA.

  • RIP rotoscopia

    Ainda não vi o primeiro episódio, entretanto, li várias análises sobre, de vários pseudo-otakus-intelectuais-undergrounds, e me deparo com um hype intelectual dessa obra que me dá vontade de nem ver, um porque eu sempre acabo me decepcionando com essas obras hypadas intelectualmente, e dois porque esse lance de rotoscópia não me agradou.

    Ok, pode ter sido intencional pra criar um clima mais “suave” (pff kkkk) a uma obra que muitos classificam como sádica, e quando eu penso nisso, eu percebo que é justamente isso, sadismo. Não é por falta de verba que eu faço rotoscopia, como o tio falou ai, rotoscopia não é tão barata assim… O diretor, editor, equipe tecnica (o que seja) querem ver mais é isso, o pessoal caindo em cima e metendo o pau, e ao meu ver, tão é rindo da cara de quem se revolta com essa tecnica, mesmo que saiam perdendo ou não lucrando, vale tudo pela piada.

    Eu acho que o estúdio perfeito pra essa obra seria a SHAFT, que apesar da animação muitas vezes colorida e vibrante, tem obras com um forte ponto sádico e com muita coisa subjetiva (que eu não sei se é o caso de Aku no Hana) , mas só por curiosidade, fui da uma olhada no mangá, ver o traço mais precisamente, e sinceramente, parece que o cara pegou a rotoscopia e decalcou.

    Tá bom, não é tão feio quanto, mas o traço não é bonito, tão pouco agradável… eu considero suportável (porque tem coisa bem pior), mas obviamente isso é questão de gosto.

    Sobre o conteúdo intelectual da obra, como eu já disse, nem assisti ainda, estou num dilema. Não vou ser hipocrita ao ponto de dizer que não vou assistir porque a temática não me agradou, mas é pela animação mesmo. Não é porque você quer atingir um publico underground que você precisa fazer merda (e desculpa, mas essa tecnica, do jeito que eles fizeram, é uma merda), até uma animação parecida com a de Madoka serviria ai, ou talvez mais como Mushishi…

    Entretanto, o que mais me incomodou não foi a rotoscopia, e sim a falta de sombras, isso me faz querer quebrar a tela do pc, porque em pleno século XXI, era do 3D, o pessoal pega e não coloca um sombreado decente no anime, ah não.

    Pode até parecer frescura, mas aconteceu o mesmo com aquele filme Ookami alguma coisa, fizeram rotoscopia ali também, e esqueceram das sombras tudo, ainda não vi o resto do filme mais por causa das sombras do que da rotoscopia

    maldita tecnica, tem que mandar matar.

    • HUM…KATSU!!

      Cara seu texto inteito estava muito bom, infelizmente perdeu a linha em alguns momentos quando foi fazer questionamentos a rotoscopia e a falta de uso de sombra, dropar um anime por causa disso não me parece algo lá muito inteligente… Ookami é uma bélissima obra a rotoscopia é praticada mas seguindo um traço de mangá (se não me engano o designer de evangelion) mas mesmo assim com todo o realismo nos cenários e na movimentação.
      Certo, em aku no hana poderiam mesmo ter deixado o traço diferente ou até mesmo colocado as sombras como você mesmo citou (vish, se tivesse sombra nesse anime ia ficar ainda mais obscuro não consigo nem imaginar) mas isso é lá motivo para não checar uma bela obra que trata sobre o psicológico dos seres humanos.
      Não sei se isso vai te ajudar a sair do seu dilema mas eu realmente recomendo aku no hana, claro que não é para todos os públicos (principalmente os amantes de moe e ecchi) mas tenta ai que é show cara! =D

  • Dani Milky

    Eu tmbm não gostei da animação que é realmente estranha e feia….Mas eu acho q eu entendo pq eles fizeram isso – levando em conta q eu não sei como é o traço do manga – mas, como vc mesmo disse, o público alvo é diferente e, talvez, por essa razão, os produtores quiseram tentar inovar. Eu até concordo que um terror psicológico como esse mereça uma arte mais séria, mas eles exageraram…De qualquer forma, o anime conseguiu me prender e me deu realmente medo no final. Aquele encerramento é, de verdade, perturbador e eu não sei se vou aguentar ouvir ele uma segunda vez, acho que vou pular todos os encerramentos dessa série, a partir de agora xD

  • Não, eu não quero tirar aquele final da minha mente, foi lindo. ;-;

  • Luriii

    Gostei da hora que aquela guria maluca falou pro professor “Cala boca, seu pedaço de merda” -q

  • Tatsuhiro Satou

    muito bom gostei muito do anime fantástico.

  • fernando

    Cara, amei o anime, fantastico, adorei a animacao tb, n sei pq tao criticando tanto. Tem seus defeitos , de longe n aparece o rostos dos personagens, mais porra. Ja humilha qualquer anime semanal de hoje em dia. A gente ta mto mal acostumado com essas animacoes lixosas que existem hj em dia. Pq n saem mais animacoes do nivel de cowboy bebop ou ghost in the shell ? td animacao robotica, 2 horas de personagens parados pra n gastar.

  • fernando

    fui ver o traço do manga, nem se compara, o do anime ta mto mais bonito e maduro. no manga mto cara de criança digimon iuahiuhaiua

  • Só eu que vi mimimi demais nesses “fãs”?

    Na boa, a série me passou (tanto no primeiro quanto no segundo episódio) algo que anime nenhum passou nos últimos anos. Eu me “choquei” com a animação nos primeiros minutos, e só. Depois disso a trama simples “slice of life” mas ao mesmo tempo profunda e de uma complexidade psicológica foi de admirar. Talvez seja cedo pra falar isso, mas esse anime em breve pode ser considerado “cult” e um “must watch”.

    Enfim, é isso aí. xD

  • O desenho animado em questão é bem massa e já no primeiro episódio a vontade de saber o que vai acontecer já se fez presente. A maioria dos comentários aqui são bobos, e o review é cheio de ressalvas do tipo assiste aí, mas sei lá, mas vê aí, mas também não sei, mas vê aí. O grande público seja de qualquer mídia tem sempre dificuldades em assimilar algo que as tira do conforto e o fazem sentir algo guardado, uma série perturbada dessa não deixa ninguém em pune ainda mais com a música de encerramento já que ela arrepia mesmo. Animação é arte da enganação tal qual o cinema é, o real intuito é fazer com que desenhos estáticos gerem uma enganação que cria um movimento, a forma não importa o que importa é se engana ou não, um exemplo de rotoscopia que te força ao limite pra assistir é Waking life, já no Scanner darkly funcionou um pouco melhor, mas ainda oscila bastante. Essa até é simpática, e a intenção não é outra se não a de aproveitar o clichê de animes, poucos traços para definir e aproveitar isso para conseguir fazer uma série de tv com rotoscopia, isso dá trabalho demais. Tal qual Capitu e Hoje é dia de maria essa série é para ganhar prestígio e prêmios, os cenários estão muito bem feitos até me lembraram Mushishi pelo quesito técnico. Assisti sem saber o que era, e fiquei surpreso, para quem gosta de animação em geral e de histórias de terror é uma boa, realmente é um desenho para perturbar.

  • Gabriel Lino

    Como se nao bastasse a animação horrível, o anime é parado demais.

    • Gabriel Lino

      Mas ainda vou acompanhar. vamos ver oq vai acontecer

  • Lucas Lee

    Eu gostei muito do anime, curto essas histórias meio estranhas e a animação pra mim está boa, gostei do final do 2 episódio, essa Nakamura é muito estranha

  • Bawler

    Sobre o encerramento: Isso é instrumental! Seus sem cultura.
    Quem gostou, compre (é pra você ler BAIXE) o álbum da música, o nome é “Jun Ray Song Chang”… Eu baixei e adorei a maioria das tracks (PS: a maioria tem teor instrumental gigantesco). Tem o Tsu Gi Ne Pu também, é um outro ótimo álbum bem “reviewzado” pela BBC.

    • Bawler

      Quanto ao gênero: Experimental.
      Eu confundo, mas que merlin. ._.
      E sobre o ”Seus sem cultura”, foi uma brincadeira.

  • pablo

    Eu só não entendo de onde sairam tantas pessoas para defender ou atacar este anime. Bem, eu dropei ele, realmente não gostei.

  • Acho que muita gente deixa de ver determinado anime pelo traçado ou estilo do mesmo te deixa desconfortável. (Eu sou uma com relação a one piece). Mas resolvi dar uma chance a Aku no Hana! 🙂 Vamos ver no q vai dar o/

  • Lolita

    Sinceramente, se eu quisesse ver gente de verdade e feia esperaria adaptarem em live action…
    Não importa o quão criativo, inovador ou artístico seja esse desing, a verdade é que ficou medonho ( mesmo os atores “base” sendo até bem simpáticos) e visualmente desagradável demais pra ficar olhando por vinte minutos.O plot é interessante, mas a execução torna impossível de ver.

  • lucas

    nunca tinha visto o manga nem o anime da série mais os sceen shots me mostraram uma coisa:podem gastar um cú inteiro de dinheiro pra tal rondoscopia(tá certo?) mas mesmo assim ficou MUITO feio……

  • lucas

    fora que esses enredos colegiais com fetiches de meninas com roupas de ginastica ou colegial já encheu o saco…..todo anime colegial acaba apelando pra isso uma hora até persona 4……

  • Luuh

    Não assisti ainda. Mas quando falaram ali de que a ending deu medo me lembrei da de Dantalian no Shoka que na minha opinião foi a ending mais pertubadora que já vi, tirando isso, gostei muito do anime. Quem não assistiu , eu recomendo.

  • Cheshire

    Não sei exatamente o que pensar desse anime. Estou acompanhando ainda por pura curiosidade. Por ele ser tão bizarro e fugir dos padrões, me motivo a continuar vendo. Não considero terror nem um gênero mais ordinário, é simplesmente “bizarro”. E realmente acho que a produção da animação teve a intenção de apresentar esse conceito mesmo.

  • Aku no Hana ! O Manga é + forte! + o Anime esta Aconpanhando MUITO BEM! o Manga ! se esse appo de ”rosto copia” ! q galera não gostou eu achei legal.

  • Agatha

    Deixando todos os comentários negativos de lado esse anime é ótimo eu estou adorando a historia, muito interessante e no final de cada episodio me sinto mais tentada a continuar assistindo. A animação é diferente sim, mas gostei é bem interessante, é bonita parece mais real, é encantador apesar da historia diferente. Assistirei ate o final.

  • Edu

    assim, eu já li o mangá e to curioso sobre o anime, mas agora, que tanto o traço do mangá quanto o do anime são medonhos são, quer dizer, olha pra isso http://rebmanga.com/wp-content/manga/1732/1/0304.jpg?314eb4

  • Gostei do anime e do efeito de rotoscopia, acho que é algo que se encaixa bem nesse estilo de anime mais psicológico, vou continuar assistindo são 13 episódios.

  • Rrick

    HANA GA SAITA YO!

    Coitados dos fãzinhos de shonens que só se prendem a esse gênero. Aku no Hana é muuuito bom, a animação só me deixou mais interessado com a realidade e proporcionalidade nos traços.As flores na animação, a história simples e “reta”. Estou adorando ver até agora. Só amanda, na verdade! 😀

  • Nyanko

    Aku no Hana não foi legal… Muito menos seus “fãs”. E, antes que me joguem pedras (como foi o caso de uma pessoa lá em cima nos comentários), assisti mais de um episódio. lol

  • Leandro

    Estou curtindo de montão o anime. Não li o mangá, então não estou “contaminado” pelo rage de “ter um mangá estragado”, como tive no Gantz. Gostei muito da animação e também da estória até aqui (estou no quarto episódio). A estória um pouco perturbadora e as ações de Nakamura são muito legais, deixa bem imprevisível o andamento. Assim como School Days (que tb muita gente meteu o pau), adoro um triângulo amoroso com uma dose de psicose embutido. Apesar de entender que cada pessoa tem sua opinião, fiquei surpreso em ver esse artigo dizendo que muitas pessoas não estão gostando do anime. Uma pena, infelizmente, estouachando ótimo. 4/5 pra mim. E obrigado pelas opiniões Dih, só conheci esse anime graças a esse site!

  • Márcio

    Cara a técnica no anime é feia, mas a história do mangá é bem feita mas não tem o que discutir não tem como o povo se acostumar a rotoscopia por mais que a história vinda do mangá seja boa, e aqueles que curtem esse tipo de técnica e vierem falar merdinha do tipo “A ideia não é alcançar aquele que vê um Naruto ou One Piece” na boa não sabe de nada, por exemplo eu curto a história mais não a animação, e só por isso só vejo shonen? Ninguém disse que a história é ruim mais sim a técnica de rotoscopia nos personagens que é muito feia. Então sem blá blá blá porque aposto que todos que viram o primeiro episódio pensaram em como se acostumar com essa técnica ignora-lá e assistir apenas pela história.

    • Leandro

      Do mesmo jeito que “falar merdinha” pra vc é indicar que o público alvo não é o mesmo de Naruto e Bleach, pra mim falar merda é dizer que essa técnica de animação é feia. “Aposto que todos que viram o primeiro episódio pensaram em como se costumar…” é outro comentário sem fundamento de quem acha que sua opinião é verdade absoluta. Eu, do momento que vi a primeira cena, achei a técnica de animação MUITO ANIMAL. Fale por vc, vc não me representa!

  • Leandro

    Que fim de episódio 07 foi esse???? Muito animal!!

  • Leandro

    “O grande erro de Flowers of Evil é não conseguir atingir o expectador.”? Não sei qual é exatamente o público, mas me atingiu! espero ansiosamente a Parte 2!

  • nao gostei do anime

  • Luna

    Po, to curtindo d+ esse mangá saudhuashda, muito louco

  • Dym

    Adorei o anime! Apesar de nunca ter lido o mangá, achei a técnica utilizada nesse anime muito boa e a história idem. Nada mais é do que a desconstrução do anime “clássico” estudantil que vemos aos montes por aí. Ele tem uma pegada mais adulta,os movimentos dos corpos dos personagens são verdadeiramente reais, a expressão em seus rostos são bem humanos, Talvez seja considerado um anime um tanto sombrio por conseguir transparecer o medo, a incerteza e a vergonha de um modo bem próximo e íntimo e acho que por isso mesmo atinge em cheio o telespectador.E quero dizer muito obrigada! para o autor! Pq ele conseguiu finalmente quebrar essas historias mais do que previsíveis que a maioria dos animes vem mostrando. A cada episódio vc ñ sabe o que a louca vai fazer , você fica com pena do personagem principal e ao mesmo tempo quer ver até onde ele vai aguentar. Tô doidinha pra ver a próxima leva! o final deixa qualquer um de queixo caído.

  • Um lixo esse anime!!!!!

  • Eruru

    Gostei muito do anime. Jamais teria assistido se não fosse a recomendação de outro blog. Agora, confesso isto: só ouvi a Ending uma única vez no 1º episódio. Fiquei assustado e fugi dela até o final!

    É tão assustadora que fiquei pensando devia ser a música de ninar o Belzebu!

    Os corajosos podiam fazer algum review ou análise dessa música.

  • juuuuhh

    qual o nome do encerramento ?