Primeiras Impressões – ‘Ginga Kikoutai Majestic Prince’

header“You can’t become a hero if you don’t believe in the impossible.”

Apontado como o menor dos hypes entre os animes do gênero da temporada, Majestic Prince estreou sem alarde e assim permaneceu. Porém a série é mais uma daquelas que pode render bons frutos dependendo do rumo tomado na história, que em um primeiro momento se demonstrou apenas uma série que busca manter-se em uma zona de conforto. Resta saber se essa cautela continua daqui pra frente.

11

“A história mostra o momento que a humanidade deixou a Terra e começou a viver no espaço. “Príncipes” são crianças modificadas geneticamente que são criadas e treinadas para serem pilotos de robôs armados e assim a população consegue se adaptar e se proteger dos ataques de aliens hostis vindos de Júpiter. Nós acompanhamos a vida de Izuru, um desses príncipes e que estuda na cidade academia Grandzehle. O fato é que ele não é um príncipe qualquer.”

Já vamos dizer que em uma observação inicial o primeiro episódio não deu muito que “trabalhar”. Uma base militar começa a ser atacada pelos inimigos da série, Wulgaru. Base essa onde somos apresentados aos integrantes de uma organização para treinar jovens combatentes para poderem usar os Advanced High Standard Multipurpose Battle Devices (AHSMB) para combater o inimigo. Como dito anteriormente o primeiro núcleo do episódio fica com o ataque a base militar por os Wulgaru. Isso mostra como eles são superiores a qualquer coisa que a “federação” tenha no momento, sendo apenas massacrados e obrigados a ter que abandonar a base.

1O segundo núcleo foca em mostrar quem são as personagens principais, mostrando relações, e pequenos traços de cada uma delas. E nisso que esse episódio brilhou mais, principalmente nas feições exageradas, que parecem ter vindo dos anos 90, isso dito no bom sentido. Voltando para a ação, temos uma cena de preparação para o contra ataque, onde cada um dos protagonistas ganha seu AHSMB, tomando a tomar um rumo interessante. Cada um deles tem uma função própria (suporte, sniper, líder etc) fazendo o time ficar balanceado e não ter 5 mechas pulando direto na ação. O episódio acaba com o contra-ataque, mostrando o poder das novas máquinas, com cenas de ação bem sangue-quente, reminiscente daquelas de Gundam Seed.

A produção de Majestic Prince fica com o estúdio Doga Kobo (que colaborou em obras como Tengen Toppa Guren Lagann e nos novos longas de Evangelion, mas que tem maior pratica em animes de slice of life, como por exemplo, a série ‘GjBU’ da temporada passada). Aqui eles estão em parceria com o estúdio de computação gráfica Orange, e isso fica bem aparente com um dos melhores CG em anime, o que não quer dizer que ainda não possa incomodar para os não adeptos dessa técnica em animes do gênero.

3A composição de série ficou a cargo de Yoshida Reiko (K-on!!, Girls und Panzer, Kimi to Boku), a direção com Motonaga Keitarou (Katanagatari, Jormungand) e é claro o design de personagens ficou na mão de Hirai Hisashi (Gundam Seed, Scryed, Fafner). Pode-se ver que o time de produção está bem solido. A dúvida é: mesmo um time desses poderá fazer algo bom?

‘Ginga Kikoutai Majestic Prince’ é algo que parece ter saído dos anos 90 e colocado uma pele de um anime moderno, e como dito, isso no lado positivo. Desde o design diferenciado dos mechas, até as frases de efeito vindas diretamente do passado e cheias de “doses” da família Gundam de outrora. Ele tem cenas de ação bem empolgantes, mas também sabe quando relaxar e focar nas personagens. Com um bom balanço entre comédia e a seriedade da guerra, esse primeiro episódio acertou onde tinha que acertar.

12O grande ponto fraco do primeiro episódio foi a direção e a forma como as cenas foram introduzidas com o decorrer do mesmo. Em alguns momentos temos a impressão que muitas informações são jogadas ao expectador e a série não sabe muito bem como trabalhar com elas. O lado positivo é que isso não atrapalha a trama principal, que ainda necessita ser desenvolvida de uma forma melhor durante os próximos 3 episódios no mínimo.

4O que se tem da história até agora é bem simples: “Aliens atacam! Matem os aliens!” Se isso vai ser desenvolvido em algo mais ou vai continuar simples, só o tempo dirá. No geral, uma boa estreia para quem busca uma alternativa mais “despreocupada” em comparação com Gargantia, por exemplo.

9

8

7

6

5

10

2Impressões por Rubio do Omnia Undique

Dih

Dih

Paulistano, 27 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Hoje é editor assistente da Panini Mangás e colecionador compulsivo de quadrinhos em geral.

Related Post

  • eu gostei bastante do anime…mas achei o visual de alguns personagens exagerados e feios…tipo puxando pro lado feminino pra eles ficarem(nhá que coisa kawaii) :/
    fora isto é bom! mas por enquanto o gargantia é o melhor mecha da temp pra mim, porém veremos como valvrave deve se sair… 🙂

  • Não curti o character design e quase dormi em alguns momentos, mas as animações dos mechas é impressionante.

  • Diego Guzzi Felix da Silva

    Não achei ruim, gostei bastante do primeiro episodio e vou ver a série que promete.

  • Anna

    Achei que ia curtir mais, mas até que me entreteve.

  • tiago

    Esse primeiro episódio foi foda… Assisti a primeira vez dei nota 8, mais revi e fui aumentando a nota dele… Depois de reprisar 5 vezes, nota 10 absoluta…

    Esse está do nível fodástico de Kira de Gundam Seed… Se manter o nível, será o melhor anime da temporada na minha opinião, e olha que essa temporada está foda demais… 🙂

    Eu anime tem que se ligar bastante nos detalhes apresentados e lembra muito gundam seed, mais com suas características próprias.

    Ansioso demais pro 2 episódio…

  • tiago

    “design de personagens ficou na mão de Hirai Hisashi (Gundam Seed, Scryed, Fafner)”
    Só agora estou lendo a matéria. rs

    Por isso falei que teve o ar de Gundam Seed, está ai um dos motivos…
    A equipe coelho vai ser foda… Cada mech foi muito bem feito, cada 1 tendo sua função… Izuru deve ser que nem o Kira, o especial da sua raça, que em combate bota pra quebrar…

    Achei ele melhor que gargantia (ótimo também), sem dúvidas… Quero vê os próximos episódios e como focará no inimigo…

    🙂

  • Não foi bom, mas também não foi ruim. Conseguiu manter a margem do mediano, se fosse pra dar uma nota daria 6.5, mas como foi escrito no post, dependendo do rumo da história, ele pode tanto melhorar (um pouco pelo menos), como afundar de vez.

    • eu daria nota 3.5! só não achei pior que o anime de aku no hana!

  • Amuro

    kkkkkkk, que nóia, há 1-2 semanas achava que não haveria nenhum anime nesta temporada que eu iria acompanhar, agora com este já é 3º. Curti este anime, agora que a história permanecer neste ritimo e não virar aquela zona como é trabalhar 5 personagens vai ser legal. Agora só falta de mecha da Sunrise, mais este depois que vi os previews realmente não me chamou a atenção. Me pareceu um Aura Battle Dunbine, anime que realmente não gostei. + vamos ver o premeiro pra depois descer o cacete hehehe

  • Dani Milky

    Me pareceu muito exagerado. Como e pq enviar 5 novatos com notas baixas em trabalho de equipe e sem experiencias em combates reais, para o campo de batalha? Ainda mais um local que ta sendo evacuado? Só pensei em 2 possibilidades: Ou eles vão servir de bode expiatório e ninguém ta nem aí se estes 5 piores, se sacrificarem pelo bem de outros; Ou estes 5 tem alguma habilidade especial adormecida e precisam desperta-las urgentemente. Aí, sem mais nem menos, o vermelho, sozinho, faz toda a frota inimiga recuar? Não faz sentido… E é extremamente clichê.
    Se não melhorar até o episódio 3, com certeza não vou acompanhar.

    • Fernanda

      kkkkkkkkkkkk pensei a mesma coisa que vc!!!
      Bem, achei legalzinho, não sou chegada no gênero ‘mecha’ mas vou dar um chance pra esse aí. Gostei muito mais de Gargantia.

    • Lucas Brandão

      Clichê por clichê a Shonen Jump ta cheia. Eu achei totalmente forçado o fato deles correrem aquela frota enorme sozinhos (ou sozinho, porque o vermelho tava on drugs). Mas, né, de repente eles explicam que o carinha de vermelho lá tem alguma skill especial. Ou se não, paciência, vai ser só um clichê de primeiro episódio que os estúdios ou o mankagá querem causar uma boa impressão logo de cara e deixar o pessoal pilhado pra assistir.

    • tiago

      A resposta pra sua pergunta é fácil… Essas crianças foram criadas em laboratório e melhoradas geneticamente. Os mechas “coelhos”, foram criados contendo o dna de cada 1, e usando o sistema juria, ao qual serve pra acionar suas habilidades. Tudo vai do desejo da pessoa, o juria pode ficar no modo defesa (o mecha sente as emoções da pessoa e faz de tudo pra fugir do local, salvando-a), ou o modo lutar, ao qual traz as verdades habilidades do usuário. O mecha fica como se fosse no modo berserk indo com tudo pra cima dos inimigos. Na cena final do primeiro episódio Izuru não fugiu, pois as pessoas morreriam. Desse modo o juria ficou no limite de suas habilidades, acionando automaticamente a arma que estava na nave. Ele partindo pra cima dos inimigos foi muito foda a cena, melhor estilo Kira matador que existe… (gundam seed, para os leigos, uhahhahhahah).

      No episódio 2, já mostrou o lado humano dos personagens… A garota que apareceu no episódio deve fazer parte da mesma raça que deseja a destruição dos humanos. Deve ser contado mais pra frente…

      Nesse episódio, o juria estava no modo defesa… Pois estava incompleto.

      🙂

  • Bom, só sei que mandar as “crianças ineficientes” não fez sentido algum…ainda. Tenho esperanças de que fará nos próximos episódios. Se não fizer, até consigo relevar, pois adorei o clima descontraído do anime e os aliens caricatos.

  • Junior Dias

    achei uma merda, e ja dropei..

    e esse character design é muito feio serio

    • Ninja voador das galaxias

      Quando vi o enredo .. eu senti uma onde de clichê atomico na minha cara, mas eu pensei : ”Como disse o mr miyagi : não desista do peixe com cara de vesgo ” Assisti e .. caguei de rir, puts so podia ser o ranger vermelho pra ter poderzin fods e ecchi e robozinhos overpower pra kct .. enfim esse anime é uma bosta e merece 1.0 porque tem mechas :/

  • Design feio, personagens estereotipados demais, diálogos maçantes… nem as cenas de luta salvam. Continuo com Gargantia e Valvrave que já tá muito bom.

  • Esse anime é muito bom um dos melhores que já vi. É empolgante, ao contrário do que a beatriz falou, as cenas de ação são de tirar o fôlego