Review – O significado do nonsense com ‘Quem é Sakamoto?’

Cool, cooler, coolest!

Mangás non-sense parecem, aos poucos, estarem ganhando seu espaço por aqui. Tivemos Azumanga Daioh da NewPOP, Arakawa Under the Bridge da Panini e a grande revelação de 2016 sendo lançada neste mês de março: Sakamoto Desu Ga?, ou como ficou a edição brasileira, Quem é Sakamoto?.

É difícil dizer se esse tipo de material tem público suficiente para se sustentar no país, mas comédias sempre foram um gênero que conquistaram pessoas em séries, filmes e até nas tirinhas dominicais dos grandes jornais. É algo a ser explorado, com títulos certos e pontuais. Com certeza, Sakamoto pode se fazer valer de sua “fabulosidade” para colaborar ainda mais com o crescimento desse mercado. Será que ele é capaz de mais essa façanha?

A HISTÓRIA

A história gira em torno do cotidiano do “charmoso” estudante de ensino médio, Sakamoto. Conforme ele se transfere para uma nova escola, ele atrai a atenção não só de seus colegas de classe, mas também de todos os estudantes, fazendo com que pessoas invejosas comecem a praticar bullying com ele repetidas vezes para que o protagonista pareça tudo, menos agradável.

CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS

Sakamoto Desu ga?, no original, é um mangá seinen de Sano Nami que começou a ser publicado na revista Fellows!, da Enterbrain, no ano de 2012, sendo finalizado no ano de 2014 com quatro volumes. A obra de comédia foi nomeada ao prêmio anual Manga Taishou Award em sua sétima edição. A série ainda recebeu uma adaptação em anime no ano de 2016 pelo Studio Deen, com um total de 12 episódios, cobrindo a história de todo o mangá.

É engraçado como One Punch-Man e Quem é Sakamoto? trabalham com a mesma fórmula. Não estou dizendo que ambos são iguais – afinal de contas, o primeiro é o título que até mesmo pessoas de fora do nicho otaku conhecem – O que quero dizer é que ambos não se importam de serem escrachados, são mangás que ultrapassam o nível de nonsense até para aqueles que se encontram na mesma categoria. A graça está no fato de que, assim como OPM, Sakamoto constrói seu humor através das mais improváveis e impossíveis situações, se tornando um grande diferencial entre obras que focam na comédia. Algo imperdível para aqueles que procuram dar boas risadas.

Se por algum motivo alguém ainda não viu o anime de Sakamoto, mas pretende, recomendaria ler a versão em quadrinhos primeiro. Algo que senti desde a primeira página foi o modo como a autora introduz as piadas que, mesmo sendo fiéis as que aparecem na adaptação, em certos momentos não soam tão fluídas. Acredito que seja por causa do modo como as cenas são desenhadas, mas as vezes parece faltar um detalhe ou outro, fazendo com que quem lê tenha que rever os quadrantes para entender o momento cômico. Obviamente quando se trata de animes tudo fica mais espontâneo, porém não muda o fato de há autores que conseguem passar toda sua ideia somente com papel e nanquim.

Sakamoto é um personagem incrível. Tudo conspira para que ele seja incrível. E fim, isso é tudo o que se sabe a respeito dele. Ainda que todos os holofotes sejam apontados para o herói, é difícil descobrir o que realmente ele é, o que ele pensa e o que torna tão diferente de todos os outros. Tudo o que o leitor sabe é a partir da visão dos colegas de Sakamoto, fazendo com que ele basicamente seja intocável. A partir daí se cria uma barreira entre quem acompanha o mangá e o próprio protagonista. De fato, não é ruim, mas também não cria elo nenhum. É uma obra em que pode até criar alguma familiaridade, mas que nunca será com o próprio Sakamoto.

Apesar da obra entregar uma proposta absurda afim de entreter quem lê, ela ainda traz algo a mais, sendo percebida até o final do primeiro volume. Não importa com quem, quando e onde, Sakamoto é um personagem que está presente para mudar a vida das pessoas a sua volta mesmo que elas nunca tenham pedido por sua ajuda. Conforme os capítulos desenrolam, a autora vai colocando “morais de história” para cada situação em que o herói tem participação, desde ajudando um colega que sofre bullying até aquele que comete o bullying. O seinen pode ser focado na diversão, mas, com certeza, tem um objetivo maior por traz de cada momento coolest.

Se tratando da arte, posso dizer que Nami Sano não faz nenhum milagre aos olhos. Porém, é o suficiente para saber que a mesma se esforça e muito para fazer de Sakamoto de um personagem fabulous. Dou destaque para os momentos clímax dos capítulos, onde a autora retrata sua criação como se fosse um modelo de comercial para shampoo, onde dá até para ouvir um jazz sedutor tocando ao fundo só para destacar mais a beleza do personagem (ou algo assim).

EDIÇÃO NACIONAL

Com relação a edição nacional, esteticamente falando, ela recebeu diversas críticas negativas por conta da capa do mangá. Entendo o lado da editora de ter acrescentado toda a poluição visual por fidelidade a edição japonesa, mas ainda assim não foi a melhor escolha. Sakamoto Desu ga? pode ter uma temática sem noção, mas tudo na capa é berrante demais e mesmo a frase em letras cursivas é ainda maior que o original. Ao contrário de Sakamoto, a escolha da Panini não foi tão incrível.

Apesar da gafe com a capa, a edição se encontra em perfeito estado. Além disso, o mangá traz o alívio para os bolsos dos consumidores com o preço de R$13,90 – o que considero ótimo, já que as bancas estão abarrotadas de formatos de luxo e com uma vasta gama de títulos –, sendo bimestral, no formato 13,7×20 cm, com o famoso papel jornal e concluído com apenas quatro volumes! Uma coleção que farei sem dúvida, principalmente pelo custo-benefício.

COMENTÁRIOS FINAIS

Se você está procurando por uma boa comédia, leia ‘Quem é Sakamoto?’. O mangá ultrapassa o nível de nonsense, tem diversas situações bizarras, mas tudo isso em prol das boas risadas – risadas verdadeiras! Além de ser divertido, a leitura da obra é rápida e leve, contando com o bônus de fazer o leitor refletir sobre as inusitadas aventuras que o protagonista passa. Quatro volumes imperdíveis.


FICHA TÉCNICA

Título: Quem é Sakamoto?
Autor:  Nami Sano
Editora: Panini
Total de volumes: 4
Periodicidade: Bimestral
Valor: R$ 13,90
COMPRE NA AMAZON

Nota Volume 1: ★★★★

Miyuki

Tão normal, nem parece otaku. A louca das webcomics. Segue o mantra de ler e assistir de tudo um pouco (menos o que for terror, por favor). Tem um vício novo a cada mês e surta horrores na conta pessoal no Twitter.

Related Post

  • Kurosaki225

    Há um rumor de que Sakamoto tem uma doença incurável e irá morrer em breve, por isso ajuda todos a sua volta.

    O enredo da história se passa pela visão de terceiros exatamente para não demonstrar o que ele suporta na realidade.

    Mas isso foi só baseado no episódio 12 do anime. O mangá pode trazer uma outra proposta, então só acompanhando par saber.

  • Flávio

    Há algum contrasenso. Sem spoiler, mas, mais velho, ele parece mais incisivo contra o bullying. Num retrospecto, ao final do primeiro volume, percebe-se que mais jovem, ele era mais “tangente”, digamos assim. Talvez inexperiência estratégica, suponho. Entretanto, a “força tangente” parece permear toda a obra.
    O traço puxa muito pro Norihiro Yagi. Cheguei a procurar no Google pra ter certeza de não ser pseudônimo.
    Concordo plenamente ser excelente custo-benefício. Compra certa.

  • Este é um mangá bom para EU comprar, ler e logo depois vender. Papel jornal sucks!… Só devo comprar mesmo por ser 4 volumes…
    Mas 13,90 está caro, logo, procurar promos interessantes para tentar comprar.

  • Lourival Bogéa

    Eu comprei, eu gostei. Ri muito de algumas situações e outras achei meio forçadas mas vá lá! Não achei os traços essas maravilhas toda mas também não faz feio. Só estranhei o titulo do mangá e a capa realmente podia ter ficado uma coisa mais clean… no mais pretendo comprar toda a coleção.

  • Ligeiro

    Sakamoto me lembra GTO (Great Teacher Onizuka) (mais que OPM), devido ao protagonista sempre fazer algo “over” e também com isso mandar alguma mensagem positiva. É bem interessante. Saitama é um cara “overpower” e “underdog”. Onizuka é um cara “overpower” e “overman”.

  • Rafael Sol

    (Contém Spoilers Leves)

    No fim ninguém sabe quase nada sobre o próprio Sakamoto, mas apenas que ele criou uma simpatia pelo pessoal da escola.

    Pontos a comentar? Primeiro que nem sabemos se Sakamoto é um humano ou alien (não fui eu quem inventou essa teoria, haha), mas que realmente é um personagem fascinante mas ainda assim difícil de se conectar com ele, por nunca saber o que se passa na cabeça dele, ou pelo fato dele ser perfeito demais e não demonstrar fraqueza.

    Depois que, excetuando-se a parte cômica, o final foi realmente chocante (em parte) e bem trabalhado, e o vilão do Saka ser realmente um dos caras mais sombrios e assustadores dos animes que já vi, pois ele naquela aparência de calmo esconde um poder de manipulação fora do comum, fazendo tudo sem nunca sujar as mãos. Pra mim bota mais medo que muito neguinho cometendo atrocidades.

    Bom, já vi o anime pela Crunchyroll (aflição esperar cada semana para ver o episódio seguinte), agora vou tentar colecionar o mangá também. A arte do mangá é até bem bonita e detalhada, e ter uma história tão legal em 4 volumes mais que compensa.

  • Abra Mello

    Uma vez li uma teoria que ele era saiu da escola porque ele tava morrendo…e queria tentar ser o mais perfeito possivel(ou e isso que entendi)…nao sei se faz sentido mais eu gosto dessa ideia :v