Novo longa de Mamoru Hosoda, ‘Mirai’ será lançado em 2018 no Japão

Diretor de Summer Wars e outros sucessos volta para a indústria.

A revista de notícias de entretenimento Variety anunciou nesta terça que o próximo filme de Mamoru Hosoda se chamará Mirai – que “espera-se que esteja concluído” até maio de 2018. Hosoda dirigiu animações de grande crítica e de sucesso de bilheteria, sendo alguns deles ‘Toki wo Kakeru Shoujo’, ‘Summer Wars’ e ‘Ookami Kodomo no Ame to Yuki’.

A Variety descreve o novo filme:

Um menino de quatro anos está lutando para lidar com a chegada de uma irmãzinha na família, até que as coisas se tornarem mágicas. Um jardim misterioso no quintal da casa do menino se torna um portal que permite que a criança viaje de volta no tempo e encontre sua mãe como uma menina e seu bisavô como um jovem. Essas aventuras cheias de fantasia permitem que a criança mude sua perspectiva e o ajude a se tornar o grande irmão que ele deveria ser.

Hosoda está dirigindo o filme junto ao Studio Chizu – ele inaugurou esse estúdio em 2011 para produzir Ookami Kodomo no Ame to Yuki e Bakemono no Ko. ‘Mirai’ estará sendo representado em Cannes pelo ‘Charades’, empresa que será a responsável pela distribuição do longa na França.

Em uma entrevista separada com a Variety, Hosoda discutiu sobre o tema da nova obra. A trama falará de “irmãos”, continuando a partir de assuntos como “juventude” presente em ‘A Garota que Saltava no Tempo’, “família” em ‘Summer Wars’, “maternidade” em ‘Wolf Children’ e “paternidade” em ‘The Boy and the Beast’.

Ele ainda declarou que foi inspirado pela sua própria experiência como pai, note que “Mirai” (no qual pode ser traduzido como “futuro”) é o nome da irmã na obra, assim como também é o nome de sua filha. Ele diz que o conflito no filme também foi reflexo do que vivenciou com sua filha mais velha, que ao ganhar uma irmã teve a impressão de “ter tido seus pais roubados, o que a faz extremamente ciumenta”. Hosoda reconhece que o filme está mais próximo de um drama humano do que suas obras anteriores.

Hosoda escreveu o roteiro sozinho, mas ouviu as “opiniões e experiências dos produtores”.

The Boy and The Beast estreou em #1 na bilheteria japonesa em julho de 2015 e faturou 667.035.100 ienes (cerca de R$20 milhões) nos dois primeiros dias. Ele ultrapassou o total de ganhos da bilheteria do filme anterior de Hosoda, Wolf Children. O filme foi a segunda maior bilheteria doméstica no Japão em 2015. Em 2015, o Festival Internacional de Cinema de Tóquio concedeu a Hosoda um prêmio “Arigatou” (Obrigado) por contribuições para a indústria cinematográfica japonesa. No ano passado, o festival realizou uma retrospectiva de seu trabalho dos primeiros episódios de televisão que ele dirigiu até chegar a The Boy and The Beast.

Miyuki

Tão normal, nem parece otaku. A louca das webcomics. Segue o mantra de ler e assistir de tudo um pouco (menos o que for terror, por favor). Tem um vício novo a cada mês e surta horrores na conta pessoal no Twitter.

Related Post

  • Só dirige filmão! ♥

    Mas todo aquele lance de declarar que a relação entre Taichi e Hikari (Digimon Adventure) é incestuosa me fez ficar com o pé atrás em relação ao diretor.

    • Rafael Machado Motta

      Eu achei a declaração bem irônica , ainda mais que ele inclui o Koromon dentro de um triangulo amoroso, mas é estranho de qualquer forma

  • Jaque.

    Ansiosa por este filme ♥

  • Marcos Correia

    Putz! Estou muito atrasado. Dele eu só vi mesmo “Toki wo Kakeru Shoujo”.
    Pelo menos tem “The Boy and The Beast” no Netflix.