L&PM anuncia entrada no mercado de mangás

Estréia com estilo, onde Solanin e obra de Adachi chegam ao Brasil… Será que agora Panini e JBC terão uma concorrente realmente de peso?

E olha só que notícia bonita eu escolhi pra reinaugurar o blog. Uma editora grande finalmente entrando na briga das publicações no Brasil! Sim, uma editora GRANDE, pois pra quem não sabe a L&PM é uma.

“Ahh Dih, mas nós temos a NewPop que tem títulos legais”. E eu concordo. A NewPop tem títulos muito bacanas e realmente merece seu devido valor. Mas ela não tem peito ainda (se é que um dia vai ter) para ficar de igual com Panini e JBC por aqui. Seus materiais alternativos, de poucos volumes, edições de luxo (Metropolis, Dororo e Speed Racer são um colírio para os olhos) e com um recém sucesso (Hetalia) são recomendáveis, de ótimo bom gosto da editora, mas ainda não a torna uma concorrente de Naruto ou de Fairy Tail. Passa longe.

Mas enfim, o post não é para falar de outras editoras, e sim da própria L&PM e seus títulos escolhidos. Como já disse, a editora é experiente e merece todo respeito. Além de seu catálogo de livros com obras de Machado de Assis, livros de Agatha Christie, Pablo Neruda, Shakespeare e outros, ela também possui um catálogo LINDO de quadrinhos. Desde Crumb em seus primórdios até Peanuts, nos dias atuais. Passando por Garfield, Dilbert, Turma da Mônica e outros. Se fossemos falar de todas as suas públicações famosas, ficaríamos aqui um dia inteiro comentando.

A editora conseguiu uma notoriedade popular ainda maior com sua linha L&PM Pocket, que com valores baixos, se tornou acessível a diversas pessoas. Facilmente você encontra stands da editora espalhados com suas pequenas publicações por aí.

Justamente nessa linha Pocket que entrará a publicação dos mangás da editora. Dois títulos maravilhosos por sinal. Tive a oportunidade de ler os dois diretamente do scanlator baixado da internet japonês. Vou aqui comentar um pouco sobre as duas obras para conhecerem um pouco mais:

Solanin é de autoria de Asano Inio, possui 2 volumes e foi muito elogiado pela crítica de todos os lugares onde foi publicado. A trama retrata a vida de dois jovens namorados que passam pela dificuldade da idade em buscar uma forma de sobreviver através de seus próprios esforços, sair de casa, arranjar emprego, problemas financeiros e “apanhar na vida”. A forma como o mangá retrata essa questão da vida que grande parte dos jovens passa hoje em dia é de se tirar o chapéu. A história te envolve com o drama, com as pitadas de humor, com a maneira de repassar a imagem dos jovens em tentar entrar na sociedade, serem aceitos e tomarem a decisão de seguir em frente com seus sonhos e desejos, ou não. E mesmo em 2 volumes, a história não é corrida. Bem desenvolvida, com um bom traço que ajuda na narrativa. Particularmente, achei um dos melhores anúncios brasileiros para esse ano até agora. Vale a pena conferir. O mangá também ganhou uma adaptação em live-action.

O outro lançamento é Boken Shonen. Vale ressaltar que o mangá chega aqui credenciado mais pelo nome do autor Mitsuru Adachi. Autor de obras como H2, Touch e o seu mais recente sucesso Cross Game, Adachi é uma das lendas vivas dos mangás. Seus títulos sempre foram sinônimos de sucesso, mesclando drama, aventura e lições de vida.

Boken Shonen é mais um desses casos. O mangá é composto por 4 histórias diferentes desenhadas entre 1998 e 2006 e em todas o foco é questão do jovem enfrentar o seu “amadurecimento”. Lindas histórias, diga-se de passagem.

Vale a conferida pelo autor e pra conhecer mais de sua forma de narrativa peculiar. O traço pode parecer “datado”, mas garanto que nada disso prejudica na qualidade da obra.

Com isso, temos dois ótimos títulos da editora para começar. Perguntei a eles sobre preços e eles disseram que ainda não tem nada definido. Como estímulo, eles já confirmaram que o mangá será com leitura oriental e com tradução direta do japonês, além de terem confirmado que isso faz parte de um contrato com a editora Shogakukan e que pode trazer bons frutos para todos.

Agora é espera o lançamento (que está previsto para Outubro ou Novembro), comprar com gosto e colocar na prateleira. Conseguirá ela bater de frente com Panini e JBC? Talvez, quem sabe. Tudo ao seu tempo. Pra quem “começa” agora, a L&PM já sai na frente de outras editoras que tentaram e tentam a sorte no ramo dos mangás. Ou você prefere os mangás da TokyoPop da OnLine Editora?

por Dih

Dih

Dih

Criador do Chuva de Nanquim. Paulista, 30 anos, editor de mangás da Panini Planet/Manga, designer gráfico e apaixonado por futebol e NBA.

Related Post