Guia de Impressões da Temporada de Outubro/2017

Vocês pediram! Nós atendemos!

Há muito tempo nossos leitores nos pedem uma coisa: nossas primeiras impressões. Com o passar do tempo, o modelo de primeiras impressões soltas por episódios acabou ficando batido e muitas pessoas passaram a perder o costume de acompanharem este tipo de post. Por isso, preparamos um novo modelo: O Guia de Primeiras Impressões.

Aqui teremos os comentários de nossas equipe sobre os animes da temporada, organizados em ordem alfabética, e cada um dos integrantes falando de um anime específico e do que achou. Nada de nota ou classificação, apenas comentários rápidos que podem te ajuda a escolher aquilo que ainda lhe será útil no decorrer da temporada. Hoje, quatro membros ajudaram para esta postagem e cada um será identificado em seus respectivos comentários. Fiquem de olho e conheçam um pouco mais sobre nossos redatores também.

Está em dúvida ainda do que ver? Não deixem de conferir o nosso Super Guia da Temporada de Outubro, que esteve mais completo do que nunca e até hoje vem batendo recordes de acessos e compartilhamentos por aí. No mais, sigam com a leitura e não deixem de comentar o que vocês também andam assistindo. Vai que no final das contas a gente tome alguma ideia de vocês também para os próximos guias?


BLACK CLOVER

(ブラッククローバー)
Total de Episódios: 12 episódios
Estúdio: Pierrot
Direção: Tatsuya Yoshihara
Origem da obra: Mangá
Gênero: Ação, Comédia, Magia
Episódios vistos: 1 episódio


Comentários: Estava escrito nas estrelas: depois de Boku no Hero Academia, a Jump tentaria emplacar o outro battle shounen de sucesso da revista atualmente: Black Clover. Vindo das mãos de um promissor artista – que teve em sua primeira obra o péssimo e mal-aproveitado Hungry Joker, o mangá acabou conseguindo algo na mesma velocidade que os fãs: haters. Mas isso faz parte. Não impediu da série ganhar seu espaço na revista, conseguir desbancar outros mais velhos de casa e ser apontado como o “novo Naruto”, como tentam fazer com qualquer novo mangá do gênero que surja. Estando mais para um “novo Fairy Tail”, o anime estreou com muitos comentários mundo afora. Confira agora as nossas opiniões sobre a série que pode ser um novo hit da Shueisha.

Confira mais desta postagem, com os comentários da Miyuki, clicando AQUI.


DIES IRAE

(ディエス イレ)
Total de Episódios: 18 episódios
Estúdio: A.C.G.T.
Direção: Susumu Kudou
Origem da obra: Visual Novel
Gênero: Ação
Episódios vistos: 3 episódios


Comentários por ViniciusDies Irae tem uma premissa muito interessante pela sinopse e realmente chamou a atenção em todos os vídeos promocionais divulgados, até foi por isso que decidi ver, mas ao assistir os primeiros episódios o que tive foi decepção. O episódio 0 apresenta todo o ambiente da segunda guerra mundial, só que de uma forma muito lenta e, quando começa o episódio 1, estamos no Japão com estudantes colegiais e… não ficou algo legal.

Visualmente não tem algo que chame grande atenção, achei bem comum e até incômodo em diversas situações com imagens estáticas. Sei que há todo um hype por causa do jogo, mas pelos episódios exibidos até agora não ficou interessante para quem não acompanha a visual novel. Devo persistir em assistir para ver até onde vai essa história, só que não é uma série desta temporada que recomendaria.


EVIL OR LIVE

(Evil or Live)
Total de Episódios: Indefinido
Estúdio: Haoliners Animation
Direção:
Origem da obra: Manhua
Gênero: Horror
Episódios vistos: 3 episódios


Comentários por Gabriel SauPor onde devo começar com essa bomba? Acho que o melhor a se dizer é que o estúdio chinês Haoliners continua insistindo em erros básicos quando tentam atingir um patamar mais alto de qualidade. Temporada passada eles fizeram Centaur no Nayami, um dos melhores, que conseguiu se sobressair graças ao enredo e a interação dos personagens e, como não tentaram dar um salto maior que as pernas, a animação ficou razoável.

Foram várias tentativas de fazer algo diferente, mas acabaram fracassando por: misturar cenas live-action que não se misturam bem com o “pacote”, cortes confusos e mal encaixados para dar um tom de “suspense” e textos que somem da tela em um piscar de olhos. Nada conversa bem com o roteiro. Sabe o que é ainda pior? Quando a parte sonora não condiz com o que está sendo transmitido, e isso fica mais evidente quando tentam forçar comédia, quebrando o clima de toda a cena. A dublagem dos personagens é aceitável, mas a do personagem principal é irritante e, em certas ocasiões, amadora.

No fim, a ideia da série é muito boa, mas ela falha em praticamente tudo, tanto na animação de baixa qualidade que tenta contornar junto às ideias que não parecem estar em harmonia com o resto, e o roteiro, que é bobo e tenta se levar a sério, mas parece uma grande piada graças aos plots sem inovação e riscos. Sem esquecer as faixas pretas em cima e embaixo durante todo episódio.


GARO -VANISHING LINE-

(牙狼<GARO>-VANISHING LINE-)
Total de Episódios: Indefinido
Estúdio: MAPPA
Direção:  Seong Ho Park
Origem da obra: Original
Gênero: Ação, Mistério
Episódios vistos: 3 episódios


Comentários por ViniciusO que posso dizer sobre essa nova série da franquia Garo é que foi uma boa surpresa. As duas séries em anime anteriores foram mais históricas, em um passado distante, já esse se passa em um futuro mais próximo, embora com elementos fantásticos e mais próximos das produções do tokusatsu, que também me lembrou o clima de Kekkai Sensen. Sword é um bom protagonista e, embora a busca por El Dorad seja o cerne da história, ela não é totalmente dependente disto.

A trama está se construindo continuamente, embora os episódios tenham desenvolvimento de casos contidos em si mesmos. Visualmente a série não é extremamente inovadora, mas as sequências de moto de Sword e Zaruba são excelentes e lindas de se ver, a transformação de Sword ao final é uma ótima conclusão. Para quem não conhece a franquia Garo é um anime muito bom para se começar.


GINTAMA

(銀魂)
Total de Episódios: Indefinido
Estúdio: Sunrise
Direção:
Origem da obra: Mangá
Gênero: Ação, Comédia, Aventura
Episódios vistos: 4 episódios


Comentários por Gabriel SauImpressionante como Hideaki Sorachi, autor do mangá, é um incrível roteirista. Não no primeiro “mini-arco” dessa nova temporada, mas no que se passa no terceiro e quarto episódio, podemos ver que o mangaká tem plena noção da sua obra e que, durante a caminhada para o arco final, foi costurando e conectando os personagens dentro desse incrível universo chamado “Gintama”.

Para aqueles que não sabem, ou talvez não acompanhem o anime, essa nova temporada se passa antes dos acontecimentos do arco “Assassinato do Xogum”. Mas por quê? Gintama sendo Gintama. O objetivo aqui é contar e adaptar capítulos do mangá que ainda não foram animados, que foram deixados para trás. Por mais que desde que a Sunrise parou de trabalhar com a série e passou a animação para a Bandai Namco Pictures, a qualidade não esteja mais tão elevada, o estúdio consegue manter uma boa qualidade em todos os quesitos, dando uma deslizada apenas na polidez da animação.

Para quem sentia falta da comédia escrachada e as milhões de referências, Gintama é o mesmo de sempre e está de volta com tudo, já temos até ótimos episódios. Agora é esperar animarem bastante conteúdo até que o mangá termine e o sinal verde para o derradeiro final seja dado.


HOUSEKI NO KUNI

(宝石の国)
Total de Episódios: Indefinido
Estúdio: Orange
Direção:  Takahiro Kyougoku
Origem da obra: Mangá
Gênero: Fantasia
Episódios vistos: 3 episódios


Comentários por DihO que eu posso falar desta série? Eu simplesmente amo o mangá, acho uma das coisas mais incríveis que tenho lido ultimamente e quando a adaptação foi anunciada eu simplesmente não pude me conter de felicidade em saber que poderia ver todas aquelas cores e brilhos surgindo na tela em minha direção. Porém, ao anunciarem que o mesmo teria a utilização de CGs, uma ponta de dúvida surgiu em mim; não por ter qualquer tipo de preconceito com a técnica, muito pelo contrário (adoro Ajin, por exemplo), e sim por encontrarem uma maneira correta de se utilizar tal técnica.

Tá aí. Conseguiram. Houseki no Kuni entrega um anime tão bem feito que encanta cada um dos telespectadores. Cada detalhe, movimento e gesto singelo que o anime representa com o CG é de te deixar feliz em acompanhar. A história é ótima, te deixando realmente intrigado em como um visual tão enigmático pode ser tão tenso ao mesmo tempo em que cada ação vai se desdobrando na tela. E isso só te encoraja e te dá mais e mais vontade de continuar acompanhando, semana pós semana.

Se você tem qualquer tipo de dúvidas, justamente por causa do CG, deixe isso de lado. O anime vai te impressionar de uma forma maravilhosa e você não vai se arrepender.


INUYASHIKI

(いぬやしき)
Total de Episódios: 11 episódios
Estúdio: MAPPA
Direção:  Shuhei Yabuta
Origem da obra: Mangá
Gênero: Ação, Sci-Fi, Suspense
Episódios vistos: 2 episódios


Comentários por Gabriel SauUma das adaptações que eu mais esperava finalmente chegou! Primeiramente, com o objetivo de adaptar o mangá inteiro, muitas cenas estão sendo alteradas ou até tiradas do anime para economizar tempo, já que serão 11 episódios para 10 volumes. Conhecendo os trabalhos de Hiroya Oku (Gantz), pode-se ver que a narrativa é muito mais visual, com poucas falas e muitas cenas de ação, o que acaba reduzindo tempo para adaptar, já que diálogos ocupam muita tela. Até aqui, por mais que se retire e altere acontecimentos, o anime está muito bom nesse quesito.

Desde as primeiras imagens estranhava o design dos personagens, e isso não mudou. Parece que alteraram muitas coisas em suas aparências para que ficasse mais fácil animar. E isso continua me incomodando, ainda mais quando comparo o Inuyashiki do mangá e da animação. E dentro disso vem a modelagem 3D utilizada nas “transformações” dos protagonistas, que apesar de eficiente, faz com que eles pareçam bonecos de plástico às vezes. No geral, a animação está boa, com excelentes momentos de boas ideias e ângulos de câmera, mas inconstante como a maioria dos animes do estúdio MAPPA (Yuri!!! on Ice, Days).

Para a minha alegria e dos fãs, Inuyashiki tem se mostrado uma boa adaptação passando o mesmo sentimento do original com ótimas sequências e transições de cenas, sem censura, trilha sonora e efeitos de som bem administrados e, uma das melhores coisas, o suspense inquietante, mesmo para aqueles que já sabem o que está por vir.


JUST BECAUSE!

(Just Because!)
Total de Episódios: Indefinido
Estúdio: PINE JAM
Direção:  Atsushi Kobayashi
Origem da obra: Original
Gênero: Romance
Episódios vistos: 4 episódios


Comentários por Gabriel SauQuem gosta de “Ano Hana”, “Toradora” e animes escolares com romance no geral, provavelmente vai gostar de “Just Because!”. Talvez mais próximo de “Tsuki ga Kirei”, a série se mostra pé no chão ao tratar o ambiente, personagens e toda a situação do protagonista retornando à sua antiga cidade, de maneira simples e eficaz. A trama não parece muito ousada, porém é muito bem contada e administrada. O que mais impressiona é a maneira com que o anime utiliza e expõe a conversa dos personagens que são feitas pelo celular, pois sobrepõem o que está acontecendo, fazendo com que as cenas e diálogos sejam mais competentes.

Logo após “Gamers!”, o novíssimo estúdio Pine Jam, com apenas quatro séries para televisão, três se não contarmos uma segunda temporada, mostra amadurecimento. Apesar da animação não ser excelente, é boa e convincente, tendo bons momentos quando o foco é o drama. Expressões faciais que convencem, movimentação fluida, belos cenários e boa fotografia demostram o seu bom trabalho com uma nova propriedade intelectual.

Estava com o pé atrás sobre como o anime se comportaria e se ele trataria os relacionamentos e interações com seriedade, mas, para minha felicidade, se mostrou bem direto. Os personagens são legais e podem ser bem desenvolvidos no decorrer da história. O que mais me chamou atenção foi a maneira com que decidiram colocar na tela suas conversas através do LINE (aplicativo de mensagens instantâneas e chamadas de voz estilo “Whatsapp”), o que acaba economizando bastante tempo, acarretando na diminuição de diálogos desnecessários e fazendo com que as expressões físicas sejam ainda mais importantes.  Até aqui, ainda mais depois do plot no quarto episódio, “Just Because” se mostra uma das maiores surpresas da temporada.


JUUNI TAISEN

(十二大戦)
Total de Episódios: 12 episódios
Estúdio: Graphinica
Direção: Naoto Hosoda
Origem da obra: Light Novel
Gênero: Ação
Episódios vistos: 2 episódios


Comentários por DihOlha, eu tô tentando achar uma forma de contar isso para vocês, mas tá difícil. Primeiramente, vamos dizer aqui que não achei Juuni Taisen ruim. Aliás, no meio de tanto anime desse estilo, esse é até um dos que consegue se destacar. O problema é a expectativa. Quando você sabe que isso vem das mãos de Nisio Isin, o mesmo que projetou aquele mundo incrível de Monogatari e Medaka Box, automaticamente a expectativa se torna maior e muito mais densa. Mas não senti que isso é entregue. Como eu disse, não acho a série ruim, mas fica aquele gostinho de… “é só isso”?

Ao menos a animação compensa bastante, e todo fã de um bom gore e boas doses de porrada vão acabar curtindo de qualquer maneira. Os personagens tem visuais bem legais e isso te motiva a torcer para um, inevitavelmente. Aliás, é nisso que a série se apoia na maior parte do tempo: fazer você se apegar a alguém e acabar com seus sonhos. É uma versão mais violenta e menos “cabeça” que um Fate, por exemplo, o que não é demérito nenhum também.

Confesso que gostei, ainda assim não é a primeira das minhas opções. Mas fica a dica pra quem quer desligar um pouquinho e ter uma boa dose de adrenalina toda semana.


KINO NO TABI

(キノの旅-the Beautiful World-)
Total de Episódios: Indefinido
Estúdio: Lerche
Direção:  Tomohisa Taguchi
Origem da obra: Light Novel
Gênero:  Aventura, Drama, Fantasia
Episódios vistos: 3 episódios


Comentários por ViniciusSe tem uma série que poderia ver por horas e não me cansar é Kino no Tabi. Não vi a série anterior, mas a premissa da história chamou muita a atenção e Kino apresenta o ritmo da série de uma forma muito boa junto de Hermes.

Visualmente é muito bem executada, são cenas em que a animação mistura o tradicional com o 3D de uma forma muito bonita. É até uma pena que a série tenha tão poucos episódios, no fundo pode ser até bom para não estragar a qualidade excelente da animação e transmita as mensagens que os diversos países têm e como um estranho nele a vê. Se você não conhece Kino no Tabi veja, se você conhece veja. De longe é o melhor anime que vi nesta temporada e já estou com saudades de quando ela acabar.


MAHOU TSUKAI NO YOME

(魔法使いの嫁)
Total de Episódios: 24 episódios
Estúdio:  Wit Studio
Direção:  Norihiro Naganuma
Origem da obra: Mangá
Gênero: Fantasia
Episódios vistos: 3 episódios


Comentários por DihMaravilhoso! Divino! Soberbo! De longe, a melhor estreia da temporada que acompanhei e sem pestanejar muito. Se você já tinha assistido os OVAs que antecederam esta série, ou mesmo lido o mangá, provavelmente sua opinião não vai ser muito diferente da minha. Mahou Tsukai promete… e entrega. Entrega muito mais. É o tipo de anime que você poderia assistir sem parar durante horas e nem perceber o tempo passar nessa brincadeira. Acho isso algo incrível em pleno 2017. O Wit Studio encontrou o tom ideal, a forma certa de transmitir todo o sentimento que esta série é capaz de te passar. Emoção, alegria, tristeza, diversão. São tantos sentimento que fica até difícil descrever para vocês o quanto é incrível todo o desenvolvimento desse anime.

Foram apenas 3 episódios, mas facilmente Mahou Tsukai no Yome já concorre como um dos principais animes do ano. A animação segue impecável, a adaptação vem em um ritmo ótimo e tudo parece se encaixar com perfeição – desde as vozes dos personagens até a escolha da paleta de cores que é usada durante os episódios. Fico realmente feliz de estar testemunhando um anime que tem tudo para marcar história por muito e muito tempo. Uma pena que vá durar tão pouco, mas não duvido que novas temporadas surjam no futuro. Não deixe pra depois e acompanhe. Você não vai se arrepender nem mesmo por um segundo desta escolha, pode ter certeza.


NETOJUU NO SUSUME

(ネト充のススメ)
Total de Episódios: 10 episódios
Estúdio:  Signal.MD
Direção: –
Origem da obra: Mangá
Gênero: Comédia
Episódios vistos: 3 episódios


Comentários por DihEis aqui provavelmente a minha maior surpresa da temporada. Eu simplesmente não dava nada para essa série e me encantei com a forma como são contadas as interações entre os personagens. Tudo aqui parece tão real, a ideia de como uma pessoa acaba vivendo em outro mundo para esconder algo que não é na realidade (inclusive quando tratamos de gênero) e as interações sendo reflexo das personalidades delas. Chega a ser engraçado quando você joga um jogo online e se enxerga dentro de um anime assim. Não há o que reclamar dos episódios iniciais. Todos são gostosos e bem rápidos de se assistir. Você fica ansioso para os próximos e acredito que isso conte muito hoje em dia para prosseguir ou não acompanhando algo.


SHOKUGEKI NO SOMA

(食戟のソーマ 餐ノ皿)
Total de Episódios: Indefinido
Estúdio:  J.C. Staff
Direção:  Shun Saeki
Origem da obra: Mangá
Gênero: Aventura, Comédia, Ecchi
Episódios vistos: 3 episódios


Comentários por Gabriel SauConvenhamos que o início dessa temporada foi bem estranho. Para quem se perdeu, a ligação entre a segunda e a terceira temporada aconteceu no segundo OVA da segunda temporada, que saiu junto com o volume 25 do mangá. Gostaria de saber de quem foi a ideia de lançar esse episódio tão importante e que serve de ponte para tudo que vai acontecer, dessa maneira. Muitos ficaram confusos, poucos correram atrás desse tal episódio, mas aqui estamos, em mais uma temporada de um dos principais sucessos da “Jump” atual.

O que podemos ver são todos os erros e acertos das primeiras temporadas se repetindo: animação às vezes pouco polida, quebra de ritmo com alguns cortes e piadas, excelentes dublagens (a expectativa para ver Shō Hayami, dublador do Aizen em Bleach, fazendo Azami Nagiri tá lá no alto), a belíssima animação dos pratos sendo preparados, o bom ritmo e transições, aberturas e encerramentos sem impacto; resumindo, tudo que você viu nas temporadas anteriores se repete aqui.

Esse arco começa morno, construindo a “imagem” da Elite dos Dez, principalmente a do personagem Kuga. Para vocês que se desanimaram com esse início, se preparem, pois temos logo à frente uma das principais reviravoltas da série e um dos personagens mais icônicos e interessantes de Shokugeki no Souma.


SHOUJO SHUUMATSU RYOKOU

(少女終末旅行)
Total de Episódios: Indefinido
Estúdio: White Fox
Direção:  Takaharu Ozaki
Origem da obra: Mangá
Gênero: Ação
Episódios vistos: 3 episódios


Comentários por ViniciusNo início a série me incomodou com o desenho de personagens, mas com o tempo me acostumei e achei realmente bonitinho e que ficou legal com todo o ambiente. Gosto muito da combinação que a série faz entre a animação tradicional com o 3D, é essa interação das duas técnicas que deve estar presente na indústria dos animes.

Embora seja um mundo pós-guerra muito triste, ainda mais pelas situações que duas menininhas tem que passar para sobreviver, desperta a atenção de que mais situações elas vão passar e como vão resolver os problemas que se apresentarem. O que é mais importante na série é a mensagem nas entrelinhas, e que faz valer muito a pena assistir a série.

Dih

Dih

Paulistano, 27 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Hoje é editor assistente da Panini Mangás e colecionador compulsivo de quadrinhos em geral.

Related Post

  • awesome

    Black Cover é mto ruim!!! Como eles consegueram fazer algo tão generico??

    O Diareia achei mto chato o primeiro episodio..

    A do Magnus Bride eu to curtindo basntante

    Inu Yashiki é bom…Eu senti saudade do ponto de vista pessimista do Gantz…mas a animação deicha a desejar

    Um dos animes mais interessantes que eu vi nos ultimos anos é Juuni Taisen…Quem tiver lendo esse comentario, e não tenha problema com violencia em anime…Eu recomendo que de uma chance!!!

    • Snow

      Black Clover pelo menos consegue passar aquela emoção do sohunen. Mas o problema é ser muito genérico mesmo. Se o autor pelo menos se esforçasse pra fazer algo um pouco mais diferente. Estou lendo e tem algumas partes que fica interessante, mas tudo acaba indo por água abaixo por causa do clichê.

  • Zerefe

    Minha sugestão pra qualquer tipo de post de impressão, é adotar o uso de notas, seja o 0 a 5 ou as estrelinhas.

    Meus animes favoritos dessa temporada até então são: Mahou Tsukai, Gintama, Net-Susume e Just Because.

  • Max James

    Estou adorando a nova temporada de Gintama (como sempre), Juuni Taisen e Inuyashiki. Black Clover estou vendo, mas com vontade de dropar – sorte que esse último episódio foi melhorzinho – A voz do Asta me irrita, mas vejo potencial no anime, dizem até que a história melhora bastante depois, tendo informações na net que ele terá 51 episódios (de agonia). Achei muito legal a metalinguagem que o autor de Inuyashiki fez ao contestar as críticas da qualidade de Gantz, fazendo um personagem criticar essas críticas em Inuyashiki(Mind Blown!). Juuni Taisen tá legal, pena que o meu signo era meio idiota e morreu. Até por sinal parece que todo episódio será um monólogo do passado do personagem até a sua morte, o que transforma as mortes em coisas previsíveis, uma pena – espero que o final seja recompensador. Finalmente, com relação a Gintama, não dá para esperar que aniem muitos capítulos, pois os arcos pulados só cobrem 1 cour, então a próxima temporada já será direto o derradeiro final. Ainda verei Mahou Tsukai no Yome, Kino no Tabi e Shuumatsu Ryokou, que me parecem bastante promissores. Abraços!

  • Miguel Fara

    Vlw pelas dicas!! Pela análise, fui ver o Juuni Taisen , e ñ é q é interessante msm!! To acompanhando tb o Inuyashiki. Vlw👍

  • Juliana Sales

    Eu super super super recomendo: Mahoutsukai (sinto borboletas no estômago só de lembrar), Just Because (romance), Juuni Taisen (porrada e personagens fod#), shoujo shuumatsu (superação e amizade), Netoju no Susume (se você é nerd ou tem um amigo assim, é impossível não de identificar com a fofa da protagonista) e Inuyashiki (um bom scifi cujo herói é totalmente fora do clichê que estamos acostumados).

  • Vitória Dias

    Mahou ñ ia ter 24 episódios? ;-;

  • Daniel Ricardo Cadore

    Gintama é rei meu fio! esse arco filler (ou semi-filler) dá uma “descansada” e nos prepara pras emoções do arco final que está INSANO!

    MAHOU TSUKAI NO YOME, o que dizer além de perfeito? o melhor do ano, e se não for, ficará no topo da lista de qualquer pessoa.

    Black Cover (lá vem textão kkk): tirando a voz do asta, o anime é muito bom! a pierot gerou muita desconfiança no começo, mas devo admitir que eles fizeram o certo, eles estão adaptando o mangá num ritmo mais lento, e colocando bastante conteúdo adicional em forma de fillers, e isso tem explicação, o mangá de black cover tem um ritmo muito rápido, e quase sem rodeios, então usar o anime pra inserir detalhes em formato de filler ajuda e muito a encaixar a história, se na 2 temp eles trocarem o dublador do asta, tem tudo pra eliminar o hate da galera.