Especial – Uma introdução à venda de BDs/DVDs de animes no Japão

Introdução BDTudo o que você precisa saber sobre o mundo da venda de animes no Japão.

Olá, me chamo Adramalesh (pessoal costuma me chamar de Adra), sou o mais novo integrante do ChuNan e irei fazer mensalmente um post com todas as vendas de BDs/DVDs dos animes lançados no respectivo mês anterior.  Mas espera, vendas de BD e DVD? O que tem isso de relevante?

POR QUE SE INFORMAR SOBRE VENDAS DE BD/DVD?

Kyoukai Senjou no Horizon
Alguns BDs vêm com brindes como artbooks, posters e capas personalizadas.

O número de vendas desses discos hoje é o mais utilizado para, por exemplo, saber se aquele seu anime predileto da temporada pode ter a chance de ganhar uma segunda temporada ou se está dando lucro. Mesmo sendo o utilizado, ainda existe uma grande variedade de possíveis outras fontes de renda ligadas aos animes, como:

Mangás e Light Novels – Animes adaptados dessas mídias tem como principal objetivo trazer um boost nas vendas de suas obras originais;

Figures e brinquedos – Sim, figures podem ser uma fonte de renda e no caso de alguns animes como Hanagai são uma das principais. Brinquedos entram principalmente na área de animes voltados para o público infantil como Bakuten ou Bakugan;

CDs singles ou CD dramas – Aquela opening cantada por uma banda/cantor famoso tem como principal objetivo vender os CDs singles com essa faixa (normalmente vem de 2 a 3 músicas contando com a abertura ou encerramento), um bom exemplo é Symphogear, que apesar de ter vendido uma quantidade mediana de BDs em sua primeira temporada, em contra partida vendeu bastante CDs singles;

Visual Novels e outros jogos – Segue o mesmo caso dos mangás e light novels. O anime tem o objetivo principal trazer um boost para as vendas das mídias originais;

Licenciamento internacional – ainda é uma área que não dá tanto lucro, mas já mostra seu potencial (retiro aqui os casos dos grandes títulos da Jump como Naruto e One Piece que tem uma distribuição muito grande comparado aos animes normalmente lançados por temporada);

Audiência – Isso mesmo, até a audiência pode ser a fonte de lucros de um anime. Esses casos vão depender da produtora envolvida, algo que falarei com mais detalhes mais a frente.

Symphogear: Sucesso nas vendas de singles.
Symphogear: Sucesso nas vendas de singles.

Os que citei acima são apenas para dar uma ideia do movimento de dinheiro que um anime pode trazer – e olha que ainda existem vários outros fatores que não mencionei. Ainda assim, como escrevi no inicio desse tópico, a venda de BDs e DVDs é o indicador mais usado para saber se um anime trouxe algum lucro ou não. Quero apenas lembrar que vendas de BDs não indicam sempre que um anime fez sucesso ou não (como mencionei mais acima, ele pode ter vários focos de vendas) e muito menos indicar a qualidade da obra. É comum ver animes consagrados pela crítica ou que até mesmo que você adorou venderem pouco. Também não se diz que tal anime vai vender/vendeu porque, por exemplo, tem fanservice ou lolis. Não existem formulas para uma produção vender, se existisse todos os animes iriam lucrar.

Como pode-se notar, vendas de BDs nem sempre dão uma ideia precisa da situação econômica de determinado anime e é exatamente por isso que tentarei trazer informações de outros tipos vendas quando relevantes no post.

COMO SABER SE UM ANIME ESTÁ VENDENDO MUITOS BDs?

Essa tabela resume bem:

Situação Número de vendas
Hit de vendas Mais de 20k
Sucesso de vendas Mais de 10k
Lucrou muito Mais de 6k
Se pagou Mais de 3k
Fracasso de vendas Abaixo dos 3k

Deve-se levar ao analisar esses números algumas considerações: 

Primeiro: normalmente para afirmar se um anime, por exemplo, se pagou ou foi um fracasso de vendas é preciso saber a média final. Um único volume não irá necessariamente ditar que um anime foi um sucesso de vendas como, por exemplo, Magi que vendeu impressionantes 13k em seu primeiro volume, mas acabou tendo uma média final de 7k, ou seja, de um aparente sucesso de vendas para no fim ter dado apenas um bom lucro. Ainda assim, os números dos primeiros 3 volumes ditam bastante se um anime irá vender, e por isso é interessante acompanhar.

Segundo: em vendas de BDs há alguns comportamentos que já são ditos como regra. Por exemplo: o primeiro volume de um anime quase sempre será o que mais irá vender dentre todos os volumes. Isso porque muitas pessoas compram o BD por recomendação ou por simplesmente quererem conhecer a obra (animes passam normalmente de madrugada no Japão e não são todos que podem acompanhar). No segundo volume já é comum se ter um drop (queda) nas vendas, obviamente que nem todos gostam da obra o suficiente para continuar comprando. Esse drop costuma ser de até 20%. A partir do 3º volume o drop costuma ser de apenas 5% e se mantem estável assim até o último volume. Mas é claro que como toda regra, sempre se tem exceções e um drop de um volume para o outro pode ser maior ou menor.

Terceiro: dificilmente um anime vende mais BDs em volumes posteriores ao primeiro. Esses casos são a exceções e podem acabar ocorrendo por alguns fatores. Por exemplo: tickets de eventos ou brindes que acompanham os discos ou em casos ainda mais raros, quando algum evento futuro no anime fizer com que mais pessoas se interessem em comprar. O normal é que até o episódio 5 ou 6, os eventos na história afetem nas vendas, seja interessando mais pessoas a comprar ou até mesmo a desistir de investir. Ou seja, aquele plot twist que ocorreu no episódio 13 ou no 17 raramente irá afetar.

Quarto: A tabela acima nem sempre é válida para determinado titulo. Obras que tiveram um investimento alto na sua produção (seja de animação ou até mesmo marketing) tendem a precisar de um número maior de vendas para cobrir os gastos. É o caso de Guilty Crow que mesmo vendendo 7k, não foi o suficiente para dar um bom lucro e no máximo se pagou.

Guilty Crown: Vendeu bem, mas não tem bem assim pelo que foi investido no projeto.
Guilty Crown: Vendeu bem, mas não tão bem assim pelo que foi investido no projeto.

Animes de apenas um cour (10 a 13 episódios) costumam ter até 7 volumes, enquanto animes de 2 cour ( 22 a 26 episódios) lançam até 9 volumes. Ainda se tem os BOXs onde vários discos são vendidos de uma vez. A empresa que divulga os números de vendas de BDs é a mesma que informa o de mangas, a Oricon. Ela solta uma lista prévia dos 10 títulos mais vendidos toda terça-feira e uma lista dos 100 mais vendidos na quinta-feira.

Existe também a stalker, um site no qual por meio de cálculos se presume quantos BDs um anime irá vender. Ele nem sempre é preciso, mas é possível sim se saber por meio dele se um anime irá vender bem ou não.  Sempre que for interessante irei colocar os valores dos animes da pre-order no post (costuma chamar de pre-order porque a base dos cálculos da stalker são feitos por meio da pré-venda dos BDs na internet. Aliás, boa parte da vendas de BDs é feita online, por isso que é fácil conseguir os números).

Pode parecer algo um pouco complicado de entender a primeira vista, pois se tem alguns detalhes para se levar em conta, mas o comportamento nas vendas fica mais fácil de entender acompanhando e outros detalhes sempre estarão presentes no post da maneira mais simplificada possível.

Bem, agora vamos para a parte final: as produtoras.

PRODUTORAS E COMITÊS: QUE IMPORTÂNCIA ELAS TEM?

Muita. Diria que são as mais importantes na área das vendas e dependendo do caso, até mais importante que a staff de um anime. Mas o que são produtoras? Elas são as que contratam determinado estúdio para adaptar o seu manga preferido e são elas quem decidem que staff irá trabalhar nessa adaptação. Os comitês são justamente um conjunto de produtoras e investidores que unidos criam a verba para a produção do anime.

Logo da Kadokawa Shoten. Boa parte das adaptações de Light Novel são produzidas por ela.
Logo da Kadokawa Shoten. Boa parte das adaptações de Light Novel são produzidas por ela.

Existem vários tipos de produtoras e boa parte delas esta interessada em vender determinado produto com a vinda do anime. Lembra das várias fontes de vendas que citei no inicio do post? Então, cada uma daquelas fontes é interessante para uma produtora diferente:

Mangás e Light Novels – Produtoras como Kadokawa e até mesmo a Jump estão interessadas nas vendas das light novels e mangas que podem aumentar a venda com a vinda do anime.

CDs singles ou CD dramas – A King Records é uma das empresas mais conhecidas que almejam vender os CDs das aberturas e encerramentos dos animes;

Visual Novels e outros jogos – A Key é o melhor exemplo. Animes como Clannad e Little Buster são originalmente VNs dessa empresa;

Audiência – Canais de televisão também investem em animes. Animes “infinitos” da Jump são bons exemplos de séries que se mantém principalmente por causa de sua audiência. Um canal que costuma patrocinar animes é a NHK.

BDs e DVDs – Naturalmente que também se tem empresas que focam em vender os discos. A Aniplex é a mais conhecida.

Se você quer que seu anime ganhe uma segunda temporada, é bom que alguma das produtoras acima receba um lucro suficiente para pensar em investir de novo. Normalmente, as produtoras que se interessam em fazer uma continuação são as de mangas, light novels e com uma frequência menor a de audiência, CDs single e VNs. Mas o fator que mais irá indicar se um anime pode ganhar uma sequência é a venda de BDs, as chances de um hit de vendas ter uma segunda temporada são praticamente certas.

Diferente do que muitos acreditam o estúdio poucas vezes investe na produção de um anime (a Gonzo quase faliu por causa disso) e são normalmente apenas funcionários, simples contratados pelas produtoras para fazer a animação. Por isso, é extremamente errado dizer que um estúdio X irá falir porque boa parte de seus animes não vendeu, eles já receberam antes mesmo do anime estreia. Algumas vezes, quando o anime vende muito bem, elas até podem ganhar uma cota parte. Outra questão muito discutida é o estúdio não ter identidade por adaptar de tudo. Tem que se levar em conta as circunstâncias atuais, pois são pouquíssimos estúdios hoje que podem selecionar o seu material de produção (Kyoto Animation é a que tem maior liberdade atualmente), a maioria irá fazer o que a demanda pedir. Então, se atualmente a Madhouse “faz animes medianos” é porque ela é contratada para adaptar eles e não esta no luxo de negar serviço.

K-On!, uma das minas de dinheiro do Kyoto Animation.

Bem, é isso. Aqui estão todas as informações para se ter uma base e serão bem úteis quando forem ler o post de vendas. Quaisquer dúvidas deixem nos comentários e vejo vocês no post mensal.

Related Post