Primeiras impressões – Persona 4 The Animation: Adaptando o game para TV

Um dos candidatos a melhor do ano finalmente estréia.

Persona 4 é considerado um dos melhores jogos de RPG da época do PS2 (embora eu tenha gostado mais de FFX) e sua popularidade foi tanta que ele recebeu uma adaptação para animes. O trailer do anúncio foi incrível e deixou a expectativa lá em cima para um dos melhores animes do ano. Eu não cheguei a zerar o jogo de PS2 e tinha ficado super animado para saber algumas informações da trama através desse sem precisar jogar 70 horas. Porém, infelizmente um desgraçado me contou o final (espero que você vá para o inferno no tobogã do Silvio Santos).

De qualquer maneira, isso não tira o hype sobre o anime, e ele ainda promete chegar pesado para ser um dos melhores da temporada e até mesmo do ano. Terá o estúdio AIC dado conta de segurar a pressão que girava os fãs da série? Será que todas as expectativa foram completamente satisfeitas ou será que foi um fracasso total?

A História

Narukami Yu vive um grande problema: seus pais acabaram de conseguir um trabalho no exterior e tiveram que deixar o garoto por um ano aos cuidados do seu tio policial de uma cidade pequena chamada Inaba. Yu parece estar acostumado com esse tipo de mudança, que é frequente em sua vida, mas mesmo assim sua adaptação nessa nova cidade não parece que será das mais fáceis para quem sempre esteve acostumado com lugares mais “agitados”. Ele se sente um pouco deslocado no seu primeiro dia no colégio, mas graças a Satonaka Chie consegue até se enturmar com alguns colegas rapidamente, entre eles a reservada Amagi Yukiko e o atrapalhado Hanamura Yosuke.

Enquanto eles estão no colégio o corpo uma apresentadora da TV local é encontrado pendurado em uma antena, uma cena tão grotesca que acaba sendo até um pouco forte e presenciada por uma estudante que passava pelo local. Um crime que talvez tenha relação com uma lenda chamada Mayonaka TV que tem sido muito comentada na cidade: segundo ela, você pode ver a imagem da sua alma gêmea se assistir uma TV a meia noite em um dia chuvoso. Narukami resolve fazer o teste e acaba tendo um resultado muito estranho, que vai mudar sua vida definitivamente e a de seus amigos. Agora eles conhecerão o universo dos Personas e os mistérios que rondam o outro mundo.

Considerações Técnicas

Persona começou muito bem para mim. Tudo que eu me lembro do começo do jogo está presente, bem adaptado e animado. Bem animado não quer dizer que é algo excepcional e não chega, por exemplo, no nível de animação de Fate Zero (que de qualquer maneira, ainda gera controversas principalmente no fandom gringo). Destaque para a trilha sonora: as músicas que tocam em certos momentos no anime são as mesmas que tocam no jogo – pena que a maioria delas não me agrada e ficaram um tanto estranhas em alguns momentos, mas isso faz parte e necessário principalmente para manter a animação lembrando o lado “game” da série.

Inclusive esse é um dos grandes pontos que vale comentar: a série a todo momento remete à um jogo, tanto no visual, nas tomadas, caracterização dos personagens (como aquelas “gotinhas” típicas dos RPG’s) e na forma como os personagens conversam entre si. A cena inicial do anime, por exemplo, remete muito à uma apresentação de um game, tudo para manter os fãs se sentirem bem próximos da realidade que já conheciam. Os personagens ficaram bem caracterizados. Chie, a minha favorita, roubou esse primeiro episódio! Ela é uma garota energética, carismática, atlética e adora filmes de Kung Fu. Yosuke é aquele velho personagem melhor amigo, que é atrapalhado e serve mais como uma ponte para o protagonista.

Aliás, falando dele que vem o maior problema. No jogo o protagonista tem poucas falas, é daquele tipo que fica calado para você se identificar melhor com o personagem. Nesse começo de anime deixaram essa questão bem em foco, e faz até um pouco de sentido ele ficar mais quieto por estar em uma cidade desconhecida. Parte da caracterização do jogo, como já foi salientado antes. Porém seria interessante e espero que o personagem seja melhor desenvolvido, não ficando tão de lado quanto foi nesse primeiro episódio que Chie e Yosuke dominavam os bate papos.

A parte final do episódio deu uma pitada do que veremos referente à parte de ação. Também notamos que a animação dá um pulo de qualidade e que provavelmente sentiremos mais essa transição para diferenciar os momentos de “conversa” com os mais agitados e referentes às lutas. Esse “upgrade” visto faz com que você fique na expectativa para o episódio 2. Outra coisa que chama a atenção é que não tivemos a abertura da série nesse primeiro capítulo. Bem que a abertura do anime poderia ser a mesma do jogo, que eu adorava…

Quanto à adaptação do game no sentido de correria e adaptação do roteiro, o resultado foi satisfatório. Embora esse primeiro episódio tenha coberto mais ou menos 2 horas de jogo em 20 minutos, eu não senti que perdeu partes importantes da história e espero que continue assim. Tudo fluiu naturalmente e mesmo quem nunca jogou o RPG consegue se situar sem problemas na série. Pegando por base a história que o jogo deu, torço muito para que continue assim bem adaptado. Daqui a pelo menos 2 ou 3 episódios o plot principal vai ser mostrado e vamos seguindo o clima de suspense até a revelação final. Ainda fica a dúvida: como farão a parte onde era mais RPG, com batalhas randômicas contra os Shadows e contra os “chefões”? Confesso que é a parte que eu estou mais curioso.

Comentários Gerais

Persona 4 para muitos é candidato para melhor anime do ano e foram 20 minutos divertidos. Porém o anime não preencheu com esse primeiro episódio todas as minhas expectativas que eu tive com o trailer. Ainda continuo com Madoka como melhor, tanto em história quanto pela tal mudança de gênero realizada na série. É a minha opinião, vi que muita gente não gostou tanto de Madoka (que teve um review publicado pelo Dih aqui) e preferiu séries como Steins;Gate (que também já foi comentado por mim aqui), por exemplo.

Por enquanto dos que eu assisti dessa temporada, Persona 4 foi o melhor, já que a falta do Kaito me incomodou muito com o novo anime de Hunter x Hunter e ainda não assisti Fate Zero. Como disse, foi divertido e por esse motivo recomendo a todos que assistam, até mesmo quem já pegou o jogo. Só faço um apelo: pelo amor de Deus, sem spoiler da história nos comentários! Sei que é divertido conversar sobre algo que você gosta, mas não vamos estragar a diversão dos outros. Caso aconteça algo assim, os comentários serão moderados, infelizmente. Bom senso pessoal!

Quem quiser saber outra opinião sobre a estréia de Persona, confiram o post da Roberta lá no Elfen Lied Brasil clicando aqui.

por Luk

Luk

Luk

Eu juro que gosto de animes, apesar de todo o meu haterismo.

Related Post