Entrevista com Eiichiro Oda feita por uma criança fã de One Piece

Que inveja desse moleque.

O que você faria se tivesse o privilégio de entrevistar pessoalmente um mangaká que é um dos seus maiores ídolos? Com certeza seria uma experiência incrível, não acham? Pois esse garotinho japonês teve esse privilégio através do jornal Asahi e uma das suas “versões” infantis. E nada mais, nada menos, do que justo com Eiichiro Oda, o autor de One Piece. O jornal promoveu o encontro entre o garoto e o autor, que saiu com um sorriso de ponta a ponta com a homenagem de Oda, que lhe entregou um desenho de seu personagem favorito (Trafalgar Law) assinado e tudo mais. Imagina você em uma cena dessas? Graças ao APForums tivemos acesso a entrevista e agora traduzimos ela para que vocês sintam só uma pontinha de inveja da criança.

Por que fez do Luffy um homem borracha?

Porque ele é o personagem que mais brinca e faz piadas de todos. Não gosto de personagens sérios. Mesmo que as batalhas sejam sérias, quero continuar colocando ele se divertindo. A cena de seus braços e pernas esticando pra todo lado é divertida de se ver, não é? Então, é por isso.

Como você teve a ideia de criar os poderes das Frutas do Diabo?

Pensei nas coisas que os leitores gostariam de fazer e tentei ao máximo colocar isso na história.

Qual a Fruta do Diabo que você gostaria de comer?

A fruta Hana Hana! Se eu tivesse muitas mãos, poderia desenhar muito!

Sua história como mangaká.

Quando eu tinha 4 anos, fiquei sabendo que existia uma profissão de mangaká e isso foi o que me fez querer me tornar um desses. Durante o colégio eu tive a ideia de escrever um mangá sobre piratas. Eu escrevi meu mangá em um caderninho, mas na hora de preparar para enviar para um concurso de mangás, existia um limite de 31 páginas e acabei não conseguindo. Se nem hoje em dia, com 68 volumes eu consegui terminar ainda, até parece que um limite de 31 páginas seria o suficiente pra mim (risos).

É engraçado como no mangá você responde os fãs que te fazem perguntas e pedidos estranhos. Quem são eles para você?

São meus amigos! Eles até podem parecer impertinentes quando você os lê no mangá, mas os cartões postais que eles me enviam são realmente adoráveis, agradáveis e me animam muito. Se eu não recebesse tantas cartas assim, provavelmente já teria desistido da minha vida como mangaká. Jogado a toalha. Sério, continuem a me apoiar assim! 

O que pensa sobre ser um mangaká?

Eu quero fazer os leitores se sentirem bem, é o meu maior desejo. Quando eu estava no colégio, eu imediatamente fiz amigos falando sobre mangás. Se alguém ler o mesmo mangá que você, ele vai se tornar seu amigo. Acho que essa é a coisa mais maravilhosa desse trabalho. Quero ser o assunto que todo mundo tem em comum.

Logo após o fim da entrevista o garoto recebeu o presente de seu autor favorito. Ele disse “O momento mais feliz da minha vida”.  Afinal, como poderia não ser? Será que esse garoto será o Luffy do “Shanx” Oda? Provavelmente não (ou sim, vai saber). Mas que ele terá uma história pra contar o resto da vida, isso com certeza terá.

via Deculture e APForums

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post