Semanada – Bleach #514: Nascido nas Trevas

Parece que antes de ir pra Disney, Darth Vader deixou um discípulo por aí…

E não, o Ichigo não nasceu num blecaute, que coisa.

Bleach 514

Nascido nas Trevas

Você sente que o capítulo já começa com uma armação do Kubo quando o título não aparece nas primeiras páginas. Provavelmente vai aparecer só na última, o que significa ou uma trollagem épica ou uma bomba… ou ainda, as duas juntas, é o Kubo, enfim.

Por enquanto, tudo dentro da normalidade (?): Ichigo soltando uma reiatsu negra poderosíssima e Juhabach desviando, enquanto parece testar Ichigo. Aos poucos, vemos que os pontos onde ele ataca o shinigami aparecem a tal da Blut Vene, a veia “exclusiva” dos quincy. E é quando Juha percebe que deveria ter mandado um Arrancar qualquer para deter Ichigo à caminho da Soul Society, assim evitando que as memórias de sua reiatsu despertassem.

Juhabach explica que Ichigo, ao entrar em contato com a reiatsu do Stern Ritter (Kirge) que tentou pará-lo, acabou ativando memórias que estavam adormecidas bem no fundo da sua pressão espiritual. Além disso, ele diz que aquela gaiola das loucas aprisiona inimigos… mas não consegue aprisionar quincies.

Para Ichigo, isso é informação demais e ele não alcança a relação entre esses fatos (e ainda por cima ele tem um quê de corno que é o último a saber de tudo); mas não é só isso: a cereja do bolo é Juhabach falar que o shinigami não sabe nem sobre a sua própria mãe. É claro que Ichigo fica possesso, querendo maiores explicações, enquanto Juhabach diz, em outras palavras, que já que ele não quis ir por bem, vai ter que ir para o Vandereich por mal.

O chefe quincy está prestes a acertar Ichigo com todo seu poder, mas de repente uma espécie de sombra o impede; isso significa que Juhabach precisa voltar ao Domíno das Sombras (Schatten Berich) no Vandereich e de acordo com suas palavras, entende-se que ele perde força ao ficar muito tempo fora de lá. Além disso, parece que o tempo que ele tinha disponível foi mal calculado e Juha dá a entender que foi por influência de Aizen quando eles conversaram. Ou seja, mesmo acorrentado, amordaçado e ferrado, Aizen tem como sacanear alguém.

Juha, conformado, dá meia-volta, mas é óbvio que Ichigo não vai deixá-lo ir embora assim tão fácil. E parte para cima dele novamente com sua zampakutou… que é cortada como manteiga por Haschwald. Mas isso nem é o mais chocante do capítulo. Eis que Juhabach se despede de Ichigo como quem se despede de um vizinho… ou filho. Afinal, ele pede para Ichigo esperar e se recuperar, porque Juha virá ao seu encontro novamente – ao encontro de seu filho, nascido nas trevas.

Gente, juro que eu tava brincando semana passada quando eu disse que ia acabar o Ichigo sendo filho do Aizen. Errei por pouco, já que ele é filho do Juhabach… WAIT WAT?

Mas calma que isso não faz da Masaki, aquela mamãe adorável, uma adúltera que pulou a cerca com o chefe quincy. Como alguns alertaram, chamar de “filho” não necessariamente significaria um descendente direto nesse contexto. Pode ser que Juha tenha se referido à Ichigo como filho por ele fazer parte da mesma linhagem. Ou por ser algum parente, por exemplo, avô.

Voltemos à semana passada quando eu disse sobre Ichigo ser apenas filho adotivo de Isshin e Masaki. Mas parece que ele é filho da Masaki mesmo… o problema seria o pai então? Talvez não. Digamos que a Masaki seja realmente uma quincy (como ficou subtendido no capítulo). Ela teria se relacionado com um shinigami (Isshin), o que foi rejeitado pela família dela. Já grávida e querendo se redimir com os quincy, ela pode ter aceitado participar de uma experiência conduzida por Aizen, que faria seu filho nascer como um híbrido de todos os poderes do mundo espiritual. Mas um dia, Isshin se cansa de tudo isso, pega Masaki e foge com ela para o mundo humano, onde eles poderiam criar seu filho “híbrido” em paz.

Certo, é só uma ideia que passou pela minha cabeça. Mas eu gostei tanto dela que quis compartilhar, poxa. XD

Óbvio que esse capítulo gerou ainda mais piadas com as mil facetas e poderes de Ichigo. Porém, devemos admitir que toda a polêmica gerada com essas revelações tem feito o fandom de Bleach ferver como há um bom tempo não se via – e subir posições na TOC no Japão. E mesmo que pareça que não – provavelmente devido ao ritmo lento do mangá, o que não é de hoje – a história está caminhando para preencher lacunas importantes, como por exemplo, o porque de Masaki ter sido morta e Isshin ter vindo para o mundo humano para viver como uma pessoa normal. Além é claro, dos variados poderes de Ichigo e de uma provável grande importância de Ishida nessa fase; e também deveremos ter melhor explicado o porquê dessa cisma dos quincy com os shinigamis (eu continuo com a minha teoria Romeu e Julieta, e vocês? XD)

Até a próxima!

por Raquel

Asevedo

Formado em design editorial e assistente editorial da Panini Mangás. Leio mangás e história em quadrinhos de diversos países. Assisto animes de forma esporádica. Sempre estou no Twitter.

Related Post