Light novel de brasileiro, ‘No Game, No Life’, ganhará anime no Japão

nogameYuu Kamiya terá sua obra adaptada para as telas em breve.

Quem foi que disse que brasileiro não consegue chegar lá? Yuu Kamiya provou que a história não é bem essa. Character design das novels de Itsuka Tenma no Kuro-Usagi (que ganhou um anime em 2011), agora chega a hora de Yuu ter sua obra solo adaptada. No Game, No Life é uma obra escrita e desenhada por ele e teve seu anime confirmado no Media Factory’s Summer School Festival 2013. O título da MG Bunko J faz parte de um projeto da editora japonesa de animar 5 de suas séries. No Game, No Life começou a ser publicado em 2012 e atualmente conta com 4 volumes lançados. Ainda não foram divulgadas maiores informações sobre a adaptação mas em breve deveremos ter mais resultados. Veja a seguir o vídeo confirmando o projeto de No Game, No Life.

A história gira em torno do garoto Sora e da garota Shiro, dois irmãos que carregam a reputação de serem NEETs brilhantes (ou seja, dois garotos que não estudam, não trabalham, não fazem nada da vida, só ficam na frente do computador). Os dois hikikomoris são gamers conhecidos por toda a internet pelos seus feitos brilhantes, enquanto encaram a vida real apenas como um jogo chato, defeituoso… Bem, um dia eles são “convidados” por um garoto chamado de Deus para uma espécie de mundo alternativo onde tudo é decidido na base dos jogos: aqueles que vencem recebem a propriedade de tudo e com isso a humanidade estará livre de guerras mas próxima do colapso. Agora resta saber se Sora e Shiro serão capazes de  “vencer” esse jogo também para evitar que o mundo acaba. O desafio está aceito.

ngnl1

ngnl2

via Anime News Network

Dih

Dih

Criador do Chuva de Nanquim. Paulista, 30 anos, editor de mangás da Panini Planet/Manga, designer gráfico e apaixonado por futebol e NBA.

Related Post

Há 58 comentários

  1. Avatar

    Só um detalhe…

    A novel não é brasileira… só o artista… não tem porque dar enfase a nacionalidade… por isso que brasileiro não pode ter nada.

    Responder
      1. Avatar

        Pra uma notícia dessa é claro que precisa dar ênfase, o cara pode ser só o artista mas não deixa de fazer parte, e me diga qual outro brasileiro teria uma chance de ter um anime, mesmo sendo o ilustrador de uma light novel ou assistente de algum mangaká? Nunca.

        Responder
      2. Avatar

        Afinal, o roteiro é dele ou não? Desconheço tudo que foi falado aqui, e o que a noticia deu a entender é que ele participou com o character design da primeira serie citada, e na segunda a serie é inteiramente dele.

        Responder
    1. Avatar

      Deram ênfase para provar que no Japão é possível um brasileiro conquistar o mercado editorial japonês e fazer sucesso a ponto de receber um anime, pense nisso.

      Responder
  2. Avatar

    As capas mais bonitas de Ligh Novel que já vi na minha vida… A arte dele é IMPECÁVEL, mas agora nos resta saber como a história é. A premissa parece ser boa, mas teremos que ver como que a história se desenrolará…

    Responder
  3. Avatar

    Só a titulo de informação, Yuu Kamiya é um pseudônimo, o nome dele é Thiago Lucas Furukawa. Ele é brasileiro mas hoje mora em Tokyo se não me engano e começou a trabalhar como ilustrador digital para o site de uma editora, logo em seguida ele conseguiu entrar com tudo com a light novel dele. Me lembro de ter lido sobre uma visita dele ao Brasil ano passado e a light novel já tinha 500mil exemplares vendidos.

    Responder
  4. Avatar

    Isso me dá esperanças. Quero virar escritor e desenhista, e se um brasileiro consegue uma adaptação para anime, já é um fio de esperança para aqueles otakus que gostariam de ter uma obra sua transformada em anime (tipo eu)

    Responder
  5. Avatar
    Guilherme Euripedes |

    Poxa! Ai sim hein!!

    Gostei de ver! Um grande passo para este brasileiro! E um maior ainda para o Brasil!

    HUE Power! =D

    Gostei do plot 🙂

    Responder
  6. Avatar

    Não me animei com a sinopse, não parece ter nada de especial na história… Mas se os protagonistas são dois hikikomoris, certamente checarei o anime quando sair! Espero que o anime seja tão bom quanto o vídeo do anúncio. (2)

    Responder
  7. Avatar

    Quando fiquei sabendo desse brasileiro um tempo atrás também fiquei feliz por isso, depois descobri que o cara mora desde pequeno no Japão(de brasileiro mesmo tem o local de nascimento, ele mesmo dizia que não se recordava de nada daqui). Basicamente ele teve as mesmas oportunidades que um japonês tem por lá, uns tentam e consegue e outros não. Naturalmente ele deve ter passado por outras barreiras por causa da nacionalidade, mas não é a mesma coisa de alguém que vive aqui tentar o mesmo, como o pessoal que tá lendo está achando. Infelizmente, isso ainda parece estar distante para os brasileiros.

    Responder
    1. Avatar

      Exato. Ja ia dizer o mesmo. 😛
      Menos, povo… nao se trata de um heroi brasileiro. O cara eh excelente desenhista, mas quem quiser seguir os mesmos passos, que comece pouco a pouco. Conquiste o Brasil primeiro.

      Responder
  8. Avatar

    Hum parece muito boa a história. Vou acompanhar.

    Só queria ressaltar um mal entendido quanto aos termos “técnicos”: tipo, nem todo NEET é um Hikikomori. Os Hikikomori são os caras que tem aversão ao contato social e não saem de casa. Os NEET são como um “grupo maior” que engloba os Hikis e pessoas que vivem socialmente de modo normal, mesmo não trabalhando, estudando ou em treinamento.

    A notícia dá a entender que as duas palavras são sinônimas. Desculpa se ficou meio “agressivo” ou se eu entendi errado, mas melhorar o conteúdo sempre é bom. ^^

    Responder
  9. Avatar

    Ninguém está tendo fé no cara, para conseguir ter uma light novel publica já é complicado,manter boas vendas também é difícil e agora vai ter um anime, sem mencionar o aspecto da xenofobia.
    A história deve ser realmente boa para fazer esse feito, só espero que ele tenha controle de como sairá o anime já que deixar na mão das produtoras sempre causa estrago nas obras.

    Responder
  10. Avatar

    Não entendo o reboliço todo… o cara é brasileiro só pelo fato de ter nascido no brasil, pelo que vi na reportagem e na entrevista com ele, ele mora no Japão desde muito pivetinho… Se formou em escola japa, aprendeu a desenhar mangá lá mesmo e tal… Não é como se fosse alguém daqui de fato!
    Na realidade na entrevista que eu assisti com ele, deu pra perceber que ele está no nihon a tanto tempo que praticamente não consegue mais falar português… o PT dele é todo enrolado e tal… ‘-‘

    Mas enfim, eu pessoalmente indiferente do autor ser Brazuca ou não, espero que a história seja tão boa quanto as ilustrações! =]

    Responder
    1. Avatar

      Eu não entendo é isso de ter que ficar lembrando que o cara tá no japão desde pequeno e teve as mesmas oportunidades que um japônes. -_-

      Isso não muda o fato de que ele é brasileiro, nasceu no brasil, fala português, visita aqui de vez em quando e até torce pro brasil nos jogos.

      Responder
  11. Avatar

    Nem mora aq e dizem q e Brasileiro quero ver ele ter orgulho desse pais, esse deve ser mais um japa q nasceu aq, mas nunca honrou o pais e sim tratou de se mandar logo pra sua terra, obra dele e Fantastica, mas enaltece-lo de ser Brasileiro, me desculpe estamos longe de chegar la, tanto é q ate o nome ele mudou nas obras so pra pensarem q ele e japones mesmo

    Responder
    1. Avatar

      Concordo em partes.
      Concordo que eh exagerada toda a veneracao em cima dele. Tambem acho que ele pode ate se achar brasileiro, porem nunca vai fazer nada pra divulgar seu trabalho no Brasil (mas espero que algum dia eu engula essas palavras). Ate porque nem precisa, ja tendo sua carreira no Japao. Alem disso, acho muito comodo dar uma de nacionalista morando longe do pais e nao tendo de conviver diariamente com os problemas no Brasil. Claro, nao falo especificamente dele, mas sim de todos os brasileiros morando no exterior. Eu mesmo sou um deles.

      Agora as partes que discordo da sua opiniao.
      Ele mudou pro Japao quando era crianca, logo nao foi ele quem tomou a decisao. E mudar o nome pode (ou nao, nao da pra ter certeza) ter sido ideia da editora ou dos superiores dele.

      E outra, o que seria “honrar o pais”? Votar conscientemente, cobrar mudancas no governo, trabalhar pra mudar a situacao do pais, respeitar o idioma Portugues? Enfim, o que afinal seria?
      Nao acho que simplesmente viver no pais em que nasceu faria alguem honrar o pais. Isso significa que nao podemos deixar a nossa terra natal para tentarmos mudar as nossas vidas? Serio que voce pensa assim?

      Responder
  12. Avatar

    Mesmo se não for do meu agrado dá vontade de ver só por ser trabalho de um Brazuca e deixar isso registrado.É um marco pros Brasileiros fãs de animes e mangás!

    Responder
  13. Avatar

    A história dele é parecida com o brasileiro diretor da Nissan-Renaut: É brasileiro, mas só nasceu aqui, foi criado em outros países (No caso dele, no Japão, desde novo).

    PORÉM, o plot me interessou. Pode ser mais do mesmo, como N pessoas estão dizendo aqui. Porém, acho a ideia boa. Pode ter um hype gigante, como todos os animes que envolveram jogos eletrônicos nos últimos tempos.

    É aguardar para ver se será bom ou não.

    Responder
  14. Avatar

    Adorei o vídeo! Mas ainda estou indecisa quanto a arte, no geral achei bonita mas algo me incomodou… não sei dizer o quê. É o tipo de história que, se não apelar pra clichês, tem tudo pra ser bacana!

    E é aquela coisa: quem nunca sonhou em fazer parte de algo assim?

    Responder
    1. Avatar

      HEY THIAGOOOOOOOOOOOO

      Sabe onde tem a Light Novel de Itsuka Tenma no kuro Usagi?!?!?!
      Cara to procurando q nem louco….. Nem no Baka Tsuki tem ele completo

      Se souber, reponde ae fazendo favor!

      Abraço.

      Responder
  15. Avatar

    Não acho que o cara “chegou lá”. Uma vez que ele, diferente de muitos brasileiros, foi morar no japão ainda criança (e ele mal vem visitar o próprio país). Uma coisa é “o brasileiro que se esforçou e conseguiu realizar o que parece impossível para muitos de nós”, outra é “ele foi morar lá quando era criança, cresceu naquele universo e teve as oportunidades mais próximas a ele”. Considero esse cara um “magaká japonês como tantos outros, só que ele tem descendência brasileira” – e isso não deveria ser motivo de inspiração para nós que não tivemos a mesma oportunidade que ele (de ir morar no japão ainda garoto).

    Responder
  16. Avatar

    Lembrei da história de Mirai Nikki e da
    abertura de Btooom! —- “No pain, no game”

    hahaha ou vai ser uma coisa mt boa, ou vai ser mt clichê
    esperemos que seja bom…

    Responder

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *