Eu Recomendo #15 – Mangás Shoujo

RecomendoShoujoSe você é daqueles que adora um romance, esse post é pra você.

Quem acompanha o Chuva de Nanquim a um tempo já deve ter percebido o meu amor por shoujos. Sim, eu amo essas histórias clichêzentas, cheias de romance e casais bonitos, fofinhos e que fazem meus dias um misto de alegria, tristeza, felicidade e indignação com seus capítulos. Já comentei inclusive sobre um de meus favoritos aqui, Sukitte Ii Na Yo, e sempre deixava escapar em meio a outras postagens outros títulos. Também sempre prometi que um dia faria uma listinha com alguns dos títulos que acompanho e que recomendaria, mas nunca fazia. Eis que chegou a oportunidade e vamos aqui para o primeiro Eu Recomendo voltado somente para mangás shoujos!Aliás, a minha maior motivação para esse post foi um grupo criado no Facebook que tenta reunir uma boa quantidade de pessoas que realmente gostam de shoujos e que gostariam de ver mais títulos no país. Dê uma passadinha por lá: Campanha Shoujos no Brasil.

Nessa postagem deixei muitas obras conhecidas de fora (principalmente os que tiveram anime) para dar a oportunidade para outros. Alguns mais conhecidos, outros nem tanto. A minha ideia é fazer outro post desse, portanto não fiquem bravos se eu não coloquei o título X ou Y, pelo contrário. Utilizem os comentários para darem suas sugestões também! Ao todo são 10 títulos nessa postagem que espero que seja do agrado desse fandom que vem se tornando órfão no Brasil com a escassez de publicações voltadas pra gente.

Ao Haru RideAO HARU RIDE
De Sakisaka Io
Publicado na revista Betsuma
13 volumes – Completo

Yoshioka Futaba tem algumas razões pelas quais ela quer “reiniciar” sua imagem e sua vida como uma nova estudante de ensino médio. Ela é bonita, mas tinha uma personalidade recatada que diversas vezes a deixou com uma imagem negativa com amigas do mesmo sexo, principalmente quando o assunto eram garotos, já que ela manteve um passado atrás de um garoto que ela sempre gostou, Tanaka Kou, mas que a “deixou” traumatizada. Ela decide que está pronta para viver sua vida sem ressentimentos do passado, mas inesperadamente ela reencontra Tanaka-kun, mas agora com um novo nome: Mabuchi Kou. Porém não só seu nome muda, e Kou tem sua personalidade totalmente diferente das lembranças de Futaba, que descobrirá aos poucos os dias difíceis de seu amor de infância. Será que esse reencontro fará com que esse amor mais uma vez venha à tona?

Sem dúvidas nenhuma Ao Haru Ride (Blue Spring Ride ou Aoharaido, como também é conhecido) é o melhor shoujo ou um dos melhores da atualidade. Não que ele fuja muito do clichê de romance, mas porque em Aoharaido as coisas acontecem como realmente deveriam acontecer – o que até te deixa com raiva por isso. Os protagonistas, Kou e Futaba, são dois personagens que se destacam justamente por não serem perfeitos e por deixarem passar muitas coisas que você consegue se imaginar no lugar deles. O grande diferencial de Aoharaido é justamente esse: deixar claro que não existe nenhum personagem perfeito, que apesar de se tratar de um mangá shoujo as coisas não acontecem todas bonitinhas e como a gente espera. Aoharaido também conta com um “elenco” de apoio muito bom, com personagens secundários que constantemente têm seus temas explorados pela autora em eventuais capítulos, mesmo que seja apenas uma quebra de roteiro quando necessário. A autora se aproveitou muito de tudo que aprendeu em seu trabalho anterior (Strobe Edge) e soube melhorar muito em Aoharaido, dando muito mais  consistência para as personagens e para a história em si. Isso sem falar no traço maravilhoso da série que é impossível de não se encantar. No Brasil, está sendo publicado pela editora Panini.


Hirunaka no RyuuseiHIRUNAKA NO RYUUSEI
De Yamamori Mika
Publicado na revista Margaret
12 + 1 volumes – Completo

Uma garota de 15 anos chamada Suzume Yosano, tem de ir para Tóquio para morar com seu tio devido à transferência de trabalho de seu pai. Ela esbarra em um homem misterioso que acaba levando-a para a casa de seu tio depois que ela se perde. Acontece que Suzume irá vê-lo com muito mais frequência, uma vez que ela começa a escola, porque… ele é seu professor! É no mesmo instante que ela faz a sua primeira amizade em seu novo colégio. Um garoto tímido, que não fala com garotas, mas que aos poucos será conquistado pelo carisma da garota do campo. A vida de Suzume será diretamente influenciada por esses dois, e ela enfrentará uma situação totalmente diferente de tudo que já viveu.

Hirunaka no Ryuusei é o que eu definitivamente posso chamar de “meu xodó”. Apesar de não ser nada de realmente extraordinário, o mangá tem um carisma próprio que o faz manter um fandom muito apegado a todos os seus personagens. E são esses personagens que realmente fazem toda a diferença na história. Isso porque o triângulo amoroso principal se desenvolve em torno de Shishio (o professor), Mamura (o aluno) e Suzume (a garota que se muda pra cidade). E todos os três são personagens maravilhosos! Não só pelo visual lindo criado pela autora (tanto que eles ganharam linhas de roupas no Japão) como pela personalidade de cada um. Mesmo com as burradas que acontecem você simplesmente não consegue deixar de gostar de alguém, e mesmo torcendo para que um casal termine no final, você fica a todo instante torcendo para que todos terminem bem de alguma forma. É de apertar o coração. Temos também alguns personagens secundários que passam a ser menos explorados com o tempo (e você sente muita falta de alguns, principalmente o relacionamento de Yuyuka e Togyuu) e talvez esse seja um ponto fraco da história. No mais, Hirunaka é extremamente viciante e com certeza vai te deixar em um conflito interno sobre qual casal é o seu preferido.


Taiyou no IeTAIYOU NO IE
De Taamo
Publicado na revista Dessert
13 volumes – Completo

Mao é uma garota que tem dificuldades e problemas com sua família, sempre ausentes na infância da menina, fazendo-a viver muito mais tempo na casa de seus amigos de infância. Seus amigos são na verdade os irmãos Hiro e Daiki , e a irmã mais nova, Hina. Mao passa a frequentar sempre a casa dos  Nakamura como se fosse parte da família. No entanto, um incidente trágico ocorre com os pais dos irmãos, causando uma extrema dor no lugar de toda a alegria que existia no lar. Hiro, o irmão mais velho, tenta proteger a casa desejando que eles possam rir juntos mais uma vez em algum dia. Algum tempo depois do incidente, ele se reencontra com Mao, agora com os pais divorciados e com diversos problemas em sua casa. Até que uma decisão inesperada acontece: os amigos decidem morar juntos. Até que ponto chegará esse relacionamento?

Esse é um mangá que também merece sua atenção. Mais um dos que não escapa dos clichês de triângulos amorosos, mas que tem uma história extremamente envolvente por trás. Isso porque Taiyou no Ie ao mesmo tempo que trata da relação amorosa de seus personagens, envolve também a trama de cada um deles com seu passado, e temas muito corriqueiros no dia a dia de muitas pessoas que provavelmente acompanham a série. Brigas dentro de casa, separação, morte de entes queridos, relação conturbada entre irmãos devido a algum fato do passado e amigos de infância. Em algum momento você provavelmente vai encontrar no mangá alguma situação que já tenha visto em algum momento da sua vida. Mas claro que isso é apenas um ingrediente no mangá que é ótimo. A protagonista ao mesmo tempo que mantém uma personalidade meio “tsundere” consegue ser fofinha e meiga, além de frágil quando precisa lidar com seus problemas. O protagonista tenta sempre estar ao lado de sua amiga de infância por quem se apaixona e acaba tendo que “lutar”, ao mesmo tempo em que se preocupa em arrumar os buracos que os traumas do passado causaram em sua vida e de seus irmãos. Não é a toa que o mangá vem constantemente sendo elogiado no Japão e ganhando prêmios e reconhecimentos.


Hibi ChouchouHIBI CHOUCHOU
De Morishita Suu
Publicado na revista Margaret
12 volumes – Completo

Ao entrar no ensino médio, a muito tranquila, mas extremamente bonita Suiren se torna o centro das atenções imediatas entre os meninos… Mas um menino em especial parece não olhar em sua direção, evitando-a constantemente. A história de uma menina quieta e um menino quieto. Uma verdadeira pura história de amor.

Se você é daqueles que gosta de amores puros (definitivamente) em que os personagens têm até medo de cumprimentar um ao outro (algo bem Kimi ni Todoke), esse é o mangá pra você. Hibi Chouchou segue quase a mesma fórmula do bem sucedido KnT, com a diferença que nesse caso a protagonista não tem nada de estranha. Pelo contrário, ela é a mais bonita garota do colégio, a que os garotos mais admiram (e as garotas também) e coisas do tipo. Com a diferença que ela é extremamente tímida. Muito. Tanto que você não sabe se fica com raiva ou com vontade de apertar de tanta fofura. E o protagonista é exatamente a mesma coisa. Agora imaginem esses dois juntos. Isso mesmo. Nada acontece. Mas tudo acontece. É um mangá extremamente meigo e cativante, mas que você corre o risco de pegar diabetes ou de enjoar antes disso. Como falei, os fãs de Kimi ni Todoke provavelmente amarão a forma como as coisas vão acontecendo a passos lentos. Vale uma conferida pela curiosidade e pelo traço que já te faz vomitar arco íris só de ver.


OrangeORANGE
De Takano Ichigo
Publicado na revista Manga Action
5 volumes – Completo

No dia em que faz 16 anos, Takamiya Naho recebe uma carta estranha, mas com o remetente vindo de si mesma, de dez anos no futuro. No início, ela acha que a carta é uma brincadeira, mas depois as coisas escritas na carta realmente passam a acontecer, incluindo o novo aluno transferido que se senta ao lado dela em sala de aula, Naruse Kakeru.  A carta diz é como seu diário, e narra tudo com perfeição, até os mesmos personagens – que são seus amigos. Naho então decide ler a carta até o fim. Na carta, ela de 27 anos de idade, diz a ela de 16 anos de idade, que seu maior arrependimento é que Kakeru já não está com eles no futuro, e pede a ela para vigiá-lo de perto.

Assim que surgiu, Orange rapidamente foi aos céus. O mangá começou a ser publicado na revista Betsuma (a mesma de Kimi ni Todoke, Aoharaido, etc) e a editora claramente apostou na obra, lhe dando capas, páginas coloridas e um marketing muito bacana. Mas em menos de um ano, a série literalmente foi do céu ao inferno. Isso porque sem nenhum motivo aparente ela foi removida da grade da revista, removida de todo o site da Shueisha e a autora simplesmente desapareceu. Autora que já havia dito que estava infeliz como mangaká devido ao stress da profissão. Mas para a nossa felicidade, o mangá acabou voltando por uma outra revista, de outra editora e o drama de Takano Ichigo continua como um sólido candidato a “must read” dos shoujos. Envolvendo um triângulo amoroso bem diferente – que ao invés de briga, se ajuda – e uma temática de “viagens temporais” (se é que podemos chamar assim) Orange acabou se tornando uma leitura inesperada para muitos que viam em shoujos somente algo voltado para o puro e bobo romance. A autora já divulgou que a série não será tão longa, e apesar da dor de espera por capítulos novos (surgem a cada dois meses) vale a pena a leitura desse ótimo mangá.


Dengeki DaisyDENGEKI DAISY
De Motome Kyousuke
Publicado na revista Betsucomi
16 volumes – Completo

Após a órfã Teru Kurebayashi perder seu amado irmão mais velho, ela encontra consolo nas mensagens ela troca com Daisy, uma figura enigmática que só pode ser encontrado através do telefone celular de seu irmão deixou. Enquanto isso, Teru acaba fazendo uma estranha amizade com o misterioso Tasuku Kurosaki, zelador de sua escola. Por alguma razão, Kurosaki sempre parece estar por perto quando Teru precisa de ajuda. Isso leva a garota a se perguntar: Poderia Daisy estar muito mais perto do que ela pensa? Com essa dúvida em mente, Teru também descobre que pode ter muito mais sobre irmão do que ela sempre sonhou.. E que o misterioso Daisy, que ela pensava ser apenas seu amigo, pode ter todas as respostas.

Dengeki Daisy tem uma fanbase muito grande no Ocidente, mas nunca foi unanimidade no Japão – tanto que o mangá não tinha marcas expressivas de vendas e nunca ganhou adaptação para nenhum tipo de mídia. Mesmo assim a série tem um tema diferente com a questão do celular. Também temos como ponto positivo a velocidade com que as coisas acontecem (o protagonista não é um lerdo e isso já ganha muitos pontos comigo). Mas o grande diferencial da história é a forma como ela muda em sua segunda metade (até de forma abrupta, se pararmos para pensar). Se em um momento você espera uma dose de felicidade e comédia, no outro você se sente na lama pois o mangá vira um verdadeiro poço de tristeza, depressão, feels. É demais pra suportar. E acho que isso ajuda a entender o sucesso do mangá no Ocidente. Parece que o povo aqui adora ver os outros sofrerem. É um mangá finalizado, bom, agradável e que segue o roteiro básico. Sucesso em muitos países, é uma recomendação que dificilmente erra para os amantes de shoujo.


Ookami Shoujo Kuro OujiOOKAMI SHOUJO TO KURO OUJI
De Hatta Ayuko
Publicado na revista Betsuma
16 volumes – Completo

Erika mente para seus amigos sobre ter um namorado, mostrando uma imagem de um cara anônimo que acabou por ser um colega de escola dela e que logo foi reconhecido por seus amigos. O problema é que o tal aluno acaba ouvindo toda a história. Ele se chama Sata Kyouya e Erika tenta explicar a situação e propôs sua ideia de fingir que fossem namorados. No entanto, Kyouya, que exalava o bom-moço acaba por ser um príncipe negro (Kuro Ouji) e que decide usar a tal situação de Erika para tirar vantagem e chantagear a garota até o seu limite.

Esse é daqueles que dá pra indicar para os órfãos de um Maid-Sama da vida. Pense em um protagonista folgado, grosso e até mal educado – mas ainda assim o grande galã. Em compensação, imagine uma garota que sonha com o romance perfeito e com o melhor namorado do mundo. Junte esses dois e teremos uma história não muito original, mas que mesmo assim continua fazendo sucesso em diversas obras. No caso de Ookami Shoujo to Kuro Ouji, não é diferente. No começo da série eu até diria que você sente muita raiva do Kyouya. Ele é arrogante, trata Erika como sua “escrava” (calma, não chega a ser um smut da vida) por descobrir seu segredo e abusa disso e dos sentimentos puros da garota. O problema é que Kyouya tem um motivo pra ser assim, e Erika começa a se encantar por pequenos detalhes que ninguém gosta no garoto, e ele pela personalidade pura dela. O romance se desenvolve nas “brechas” em que ambos acabam dando em seu “relacionamento”. Como eu disse antes, é um mangá clichê sim, mas que tem seus ápices. A autora sabe dosar bem a comédia, com o romance e o desenvolvimento do plot – talvez o timing seja seu grande trunfo aqui. Mais um da Betsuma que vai ganhar anime e que deve ganhar muita atenção.


Last GameLAST GAME
De Amano Shinobu
Publicado na revista LaLa
11 volumes – Completo

Ele é rico, ele é inteligente, é bonito e as meninas se reúnem em torno dele o tempo todo. E sempre tem obtido o primeiro lugar em qualquer tipo de prova. Pelo menos até Yanagi ser transferido para uma nova sala em seu novo colégio. Surge então uma garota quieta, simples, e pobre. Mas que começa a causar a decepção de Yanagi ao perceber que está falhando em qualquer tipo de atividade, até mesmo esportiva, ficando para trás dela. Seu nome é Kujou, e derrotá-la se tornou o objetivo de vida do jovem. Ao longo de dez anos, Yanagi a seguiu do ensino fundamental, para o médio, para a faculdade… Somente com a intenção de derrotá-la. Ele então decide apelar. Ele decide jogar um “último jogo”, mas ele decide mudar as regras para que ele possa finalmente ganhar. Será que conseguirá?

Eu acho a premissa de Last Game algo muito original e muito legal. Um cara rico e uma garota pobre, que fica perseguindo sua rival no que quer que seja com a única intenção de derrotá-la de alguma forma. Lembra um pouquinho de Karekano, mas nesse caso de Last Game os protagonistas são o que eles realmente são. Ao mesmo tempo que são rivais, sua amizade também se torna parte importante. É curioso ver como essa rivalidade é desenvolvida no meio da história e como o sentimento entre eles vai surgindo aos poucos e de uma forma realmente engraçada e bem bolada. O romance não é forçado, o triângulo amoroso que surge é bem feito, os personagens secundários são participativos e o mangá não deixa de ser bonito e de te arrancar risadas ao mesmo tempo. Vale conferir também, ainda mais se tratando de um título que está “no começo”.


Love So LifeLOVE SO LIFE
De Kouchi Kaede
Publicado na revista Hana to Yume
17 volumes – Completo

Shiharu é uma estudante de ensino médio que ama crianças, vive em um orfanato, e trabalha em uma creche. Um dia, um rapaz muito bonito, tio de gêmeos de dois anos de idade, oferece-lhe um aumento para que ela seja a babá particular de seus sobrinhos. Shiharu acaba aceitando a proposta e passando a fazer parte do dia-a-dia da nova família, se apegando cada vez mais nas duas pequenas crianças e também no tio. Ao mesmo tempo que ela parece ter encontrado o melhor trabalho do mundo, Shiharu também vai precisar perceber que pode ter encontrado o seu primeiro amor.

Esse mangá é a coisa mais fofa do universo!!!!!!! Esses bebês fazem seu dia se transformar em um mar de sorrisos só de ler um capítulo. Love So Life é exatamente isso: um mangá feito para você relaxar em todos os sentidos. É tão bonitinho, fofinho, divertido e simpático que você não consegue deixar de sorrir após ler um capítulo. Desde que havia lido Aishiteruze Baby (já publicado no Brasil pela Panini e mais que recomendado também) não encontrava algo desse gênero e me vi encantado por esse título. Como já deu pra perceber, o grande foco do mangá é a babá, o tio e os dois bebês que dão vontade de apertar. Isso é ao mesmo tempo o maior ponto positivo e também o negativo da obra. Em muitos momentos a autora simplesmente esquece de desenvolver o plot de romance do mangá, o que acaba sendo um pouco frustrante. Mas aí você volta para os bebês e até esquece disso (brincadeira, mas eles são realmente uma graça). Se quer algo realmente despretensioso, Love so Life é uma ótima opção.


CoelacanthCOELACANTH
De Shimotsuki Kayoko
Publicado na revista Bessatsu Friend
2 volumes – Completo

Dez anos atrás, houve uma explosão no prédio em que morava Hisano. Ela deveria estar lá no momento da explosão, mas ela tinha sido atingida por uma bicicleta de um menino com roupas manchadas de sangue, fazendo com que ela escapasse de sua morte. O garoto antes de fugir deixou cair uma joia falsa, que para Hisano passa a ser seu amuleto de boa sorte desde então. Agora Hisano está no colégio e um de seus professores foi assassinado e a polícia está investigando. Um misterioso jovem de repente aparece carregando algo que estava diretamente conectado à joia de Hisano, que começa a se perguntar se ele era o garoto de seu passado. Além disso, ele também pode ver as alucinações que andam atormentando a garota. Quem será esse jovem? Qual sua relação com o passado e com a explosão?

Muita gente gosta de mangás mais curtos e gostosos de ler. Coelacanth é uma boa opção para os que buscam isso. Se você gosta de mangás com histórias mais “densas” como Yakumo, por exemplo, é uma boa opção. Isso porque a história desse shoujo é uma daquelas que envolvem mistérios e algo mais “sombrio”. A principal temática da obra é a vingança. Vingança que se desenvolve de uma forma que você não espera. Isso sem falar no universo de imaginação que é criado na mente da nossa protagonista. É uma leitura rápida, mas que vai te deixar bem ligado até o final (que diverge opiniões não por ser ruim, mas pela forma que se concluiu). Algo que ajuda muito para a experiência é o traço maravilhoso de sua autora. E quando digo maravilhoso é porque é realmente maravilhoso. Outro recomendado, já que uma leitura curtinha não faz mal pra ninguém.

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post