Review – Strobe Edge, de Sakisaka Io

Strobe Edge MangaO mangá dos amores unilaterais.

Depois de algum tempo sem maratonar mangás ou ler shoujos, resolvi aparecer com mais um review. Esse vai especialmente para um amigo que acabou perguntando minha opinião sobre Strobe Edge. Ele estava em dúvida se deveria ler já que o mangá é da mesma autora de Aoharaido (aquele mangá que vai sair pela Panini e leitores fãs de shoujo deveriam comprar) e, por gostar do mesmo, acabou se perguntando se seria tão bom quanto, ou inferior. Então, talvez existam algumas comparações entre ambos nessa resenha. Bom, sem mais delongas, vamos conhecer um pouco mais sobre Strobe Edge.

Strobe Edge (7)A HISTÓRIA

Mesmo não tendo experiência no quesito romance, a vibrante Ninako acaba curiosamente explorando o significado real do “amor”, e fica surpresa ao sentir tantas emoções coloridas ao ficar mais próxima de seu colega conquistador de corações, o quieto e ao mesmo tempo gentil, Ren, que parece estar envolvido em um relacionamento de longa duração. Com a intenção de manter a cabeça erguida, Ninako se prepara para enfrentar a dor desse amor unilateral que ela permitiu enraizar, lutando com uma série de desafios que podem contribuir para o seu amadurecimento, ou fazendo com que ela acabe como as outras garotas que também foram rejeitadas. Entretanto, esse é mesmo um amor unilateral? Ou há algo crescendo silenciosamente em uma parte escondida no coração de Ren?

Strobe Edge (5)CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS

Strobe Edge (ストロボエッジ) é o primeiro mangá de longa duração de autoria de Sakisaka Io, a mesma de Aoharaido. O título foi publicado em 2007 nas páginas da revista shoujo Betsuma e concluiu-se com 10 volumes encadernados no total. Na época, Strobe Edge conseguiu números razoáveis de venda, o que garantiu para a autora o seu retorno para a revista shoujo mais popular do Japão – e que lhe rendeu o posto de mangá shoujo mais vendido de 2014 com Aoharaido. Curiosamente, com o sucesso de seu sucessor, Strobe Edge passou a ser uma série mais conhecida dentro do fandom, lhe rendendo diversas publicações pelo mundo, inclusive pela VIZ nos Estados Unidos. De quebra, um filme live action também lhe foi “brindado”.

Começando por falar um pouco sobre os personagens principais, Ninako é a típica protagonista boazinha que tem amigas que a apoiam e gostam dela; tem uma personalidade bem calma e age de forma racional (mesmo que em certo momento quase quis matar ela). Ren é o protagonista masculino principal, reservado e certinho, que chama a atenção das meninas por ser bonito, mas que é fiel a sua namorada. Andou, mesmo aparecendo um pouco depois, acaba sendo o segundo macho desse triângulo amoroso (?), e o oposto de Ren; aquele cara bonito que sempre está com uma garota diferente. Além disso, ainda há os amigos de Ninako e Ren, que ganham destaque quando o assunto é “relacionamentos amorosos”. 

Strobe Edge (3)Um dos pontos que mais me cativou no mangá foi o fato dos personagens, mesmo secundários, amadurecerem diante de situações onde tudo estava dando errado. Tanto é que a “bitch” da história nem pode ser denominada assim, na verdade. Ela foi uma das que mais me surpreendeu, apesar de não aparecer tanto. Acredito que é a primeira vez que vejo a rival da protagonista agindo de forma tão sensata e ganhando espaço no conceito de quem lê. Todos tinham algo a aprender e passar isso para outros personagens, e no fim, para a própria protagonista.

Acreditei que Strobe Edge em si me deixaria com raiva, que iria querer bater em cada personagem; na protagonista, na bitch, no macho secundário, no macho principal mas… Não. O mangá em si é bem calmo, e na reta final acabei interpretando a história como um desafio entre a personagem principal e si mesma.

Strobe Edge (9)Apesar de ter gostado bastante de Ninako, sua personalidade deixou um pouco a desejar. Comparando Strobe Edge com Aoharaido, uma é mais “dócil” e “inofensiva”, a outra já tem uma personalidade mais forte, mais marcante. Acredito que em um shoujo a protagonista deve ser destacar da melhor forma possível, e se deve conseguir isso através da personalidade dela, das atitudes. Houve momentos em que só queria falar para a Ninako: “Você precisa fazer tal coisa! Para de ficar pensando besteira!”.

Sendo sincera, não sou fã dos capítulos extras – algo que Strobe Edge está recheado. Por ser ansiosa, às vezes acabo pulando eles dependendo do mangá. Mas nesse caso, a maioria fala do passado dos personagens (uma das razões para não odiar a “bitch” é por causa do primeiro extra). Eles são importantes para quem deseja entender mais a fundo sobre as relações dos personagens e ter uma nova visão da história.

Strobe Edge (2)COMENTÁRIOS FINAIS

Ao ler Strobe Edge você perceberá como a autora enriqueceu seu repertório no intervalo de suas obras. Muitos até julgam que Strobe Edge é uma espécie de “protótipo” para Aoharaido, mesmo com uma história totalmente diferente. Mas desde a forma como os personagens se desenvolvem e o traço, tudo é aperfeiçoado posteriormente.

Para finalizar, Strobe Edge tem suas partes mais cômicas, mas seu foco é mesmo voltado para o romance e os desafios do amor. Se você espera por aquele shoujo em que o casal enfrenta os problemas juntos, pode esquecer. Esse é um mangá onde a protagonista percorre “sozinha” seu caminho até conseguir o que quer, até amadurecer.

Strobe Edge (4)

Miyuki

Tão normal, nem parece otaku. A louca das webcomics. Segue o mantra de ler e assistir de tudo um pouco (menos o que for terror, por favor). Tem um vício novo a cada mês e surta horrores na conta pessoal no Twitter.

Related Post