Confira os vencedores do 21º Prêmio Cultural Osamu Tezuka’

Josei lançado em 2009 é o grande vencedor da noite.

O jornal Asahi Shimbun anunciou os vencedores do prêmio Annual Tezuka Osamu Cultural Prize 2017 nesta terça-feira.  O prêmio é entregue ao autor do melhor mangá publicado no último ano. O nome do prêmio é uma homenagem a Osamu Tezuka, conhecido como o deus do mangá.

GRAND PRIZE

Hana ni Somu
de Fusako Kuramochi
Shueisha

A história gira em torno de Kano Sogabe, uma garota que, através do tiro com arco conheceu Haruta, seu melhor amigo. Quando Haruta perde sua família em um trágico acidente e que também reivindica do templo pelo qual ele chamou de casa por anos, ele é levado para Kansai para buscar tratamento psiquiátrico. Kano não o vê desde então. A garota tem uma queda tiro com arco e se afasta temporariamente, até entrar para o ensino médio. Haruta retorna, mas ambos mantém distância um do outro.


NEW CREATOR PRIZE

Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu
de Haruko Kumota
Kodansha

Em 1970 um prisioneiro foi libertado por bom comportamento, ele é chamado pelos outros de Yotarou, um termo que significa “anti-herói” ou “homem estúpido”. Ao sair da prisão ele sabe exatamente onde irá em primeiro lugar, ele vai atrás do mestre Yakumo, um contador de histórias em quadrinhos tradicional que realizou um show filantrópico quando Youtarou estava na prisão. Fascinado pela perfomance da história chamada “Shinigami”, ele está determinado a se tornar aprendiz de Yakumo que, para surpresa de muitos, aceita-o como seu aprendiz.

O mangá terminou em junho do ano passado e inspirou duas temporadas em anime, assim como lançamentos de anime vídeos originais.


SHORT WORK PRIZE

Yomawari Neko
de Kahoru Fukaya
Kodansha

Fukaya começou a desenhar o mangá e a postá-lo no Twitter em 2015. A história gira em torno de um gato que é atraído pelo cheiro de lágrimas e acaba seguindo os rastros de quem estava chorando, a fim de confortar e encorajar.


O comitê concedeu o Prêmio Especial para Osamu Akimoto, para sua obra Kochikame, mangá que terminou em setembro do ano passado após quatro décadas de publicação.

O comitê desse ano – composto pela atriz Anne Watanabe, a autora Kazuki Sakuraba, os mangakás Machiko Satonaka e Tarou Minamoto, o professor Shouhei Chuujou, o editor de mangás Haruyuki Nakano, o crítico de mangás Nobunaga Shinbo e a autora e pesquisadora de mangás Tomoko Yamada – selecionaram oito indicados a partir de títulos recomendados por especialistas e funcionários de livrarias. Para ser válido, o mangá deveria ter um volume compilatório lançado em 2016. Essa é a segunda vez que Shouwa Genroku Rakugo Shinjuu, de Kumota, é nomeado, após a edição de 2013.

No ano passado, a bancada indicou sete títulos, sendo o mangá Hanagami Sharaku, de Kei Ichinoseki, a ganhar na categoria Grand Prize. Machida-kun no Sekai, de Yuki Andou, venceu na categoria New Creator. Jihimen, de Tatsuya Nakazaki, venceu o prêmio de Short Work.

O prêmio rende 2 milhões de ienes (cerca de R$62.000) assim como uma estatueta do personagem Astro Boy, de Tezuka, para o vencedor do Grand Prize. Assim como, 1 milhão de ienes (cerca de R$31.000) para cada vencedor nas categorias New Creator Prize, Short Work Prize e Special Prize todo ano. A cerimônia de premiação ocorrerá em Tóquio no dia 31 de março.

Miyuki

Tão normal, nem parece otaku. A louca das webcomics. Segue o mantra de ler e assistir de tudo um pouco (menos o que for terror, por favor). Tem um vício novo a cada mês e surta horrores na conta pessoal no Twitter.

Related Post

  • Estava de olho nesse Grand Prize, agora vc me deu motivos!