Review – Kare Kano: as razões dele, os motivos dela.

O que acontece quando uma pessoa decide tirar sua “máscara” e começar a viver sendo ela mesma?

Alguns talvez podem dizer que estou uns 5 anos atrasado para essa review, mas eu respondo: antes tarde do que nunca! Kare Kano é um shoujo de autoria da Masami Tsuda e foi publicado no Brasil em 2006 pela editora Panini, possuindo um total de 21 volumes. Na época de seu lançamento eu ainda estava na escola e uma amiga começou a comprar o mangá, acho que cheguei a ler alguns volumes mas ficou por aquilo mesmo. Tempos depois eu já tinha vontade de ter o mangá, então vieram algumas pessoas me falando bem dele e surgiu uma oportunidade de comprá-lo completo, assim o fiz. Não me arrependi!
Estou atualmente no volume 7 do mangá, vou fazer o review com base na leitura desses volumes e não vou dar  spoilers importantes, então não precisam de preocupar muito.

A história

Kare Kano – as razões dele, os motivos dela – conta a história de Yukino Miyazawa, uma garota que é a típica estudante modelo: ótimas notas, boa nos esportes, bonita e elegante. Sempre disposta a ajudar os outros, Yukino é admirada por todos os seus colegas. Porém, isso tudo é apenas uma fachada, porque na verdade ela é considerada a Rainha da Vaidade! Isso mesmo, essa não é a verdadeira personalidade da garota, ela apenas gosta de ser elogiada e contemplada pelas outras pessoas, um egocentrismo sem tamanho. Assim, desde pequena ela vem guardando esse segredo dos outros, exceto de sua família, claro, pois quando está em casa ela é desleixada e fica o tempo todo estudando para poder sustentar suas boas notas. Mas tudo isso muda quando ela entra no ensino médio e conhece seu novo “rival”: Sôichiro Arima. Ele, assim como a Yukino, tem notas altas, é bom nos esportes e bonito A diferença é que o Arima não faz isso para chamar a atenção das pessoas, ele é perfeito naturalmente e isso enfurece a protagonista  que começa a tratá-lo como um inimigo. Tudo ia bem até que acontece algo que vai mudar completamente o rumo da vida dos dois estudantes perfeitos: Arima descobre o segredo de Yukino e passa a chantageá-la, pedindo para a garota fazer suas tarefas escolares enquanto ele fica no bem bom descansando. Mas rapidamente descobrimos que isso era somente uma brincadeira do Arima, e os dois então decidem parar de se esforçar para serem perfeitos e agradar os outros e começam a ser quem realmente são, assim eles se tornam amigos e em pouco tempo passam a namorar. Então a história começa a se desenvolver.
O ponto onde estou no mangá agora é mais ou menos onde acaba o anime, e está ficando muito interessante. Percebemos que está acontecendo uma grande confusão dentro da mente do Arima e mesmo que ele tente esconder dá pra notar que algo o está chateando. Estou bastante curioso para saber as razões por trás do comportamento dele.

Opinião geral

Bem, eu estava um pouco desapontado com shoujos (por causa de Black Bird, é) mas ao começar a ler Kare Kano esqueci disso completamente, nem sei dizer exatamente o que me fez gostar desse mangá… Se é a sensibilidade da Masami Tsuda, o modo como ela conta a história que faz com que você possa olhar para o personagem e se ver ali, naquela situação. Também algo que eu gosto muito em mangás é quando o autor consegue transpor todo o sentimento do personagem somente numa imagem, sem precisar utilizar textos, acho esse artifício muito legal e sempre costumo reparar. Ou o fato da série se manter com o pé no chão, ou seja, sem utilizar de coisas absurdas que nunca aconteceriam só para chamar atenção, ou ainda o carisma presente em praticamente todos os personagens. E esse é outro assunto interessante: Kare Kano possui vários personagens e todos eles têm seu papel lá dentro, todos têm suas vidas, sentimentos, e estão lá por algum motivo. Não fica parecendo que os coadjuvantes estão ali só para cumprir cota (Talvez exceto a pobre Tsubasa, que depois de se acertar acaba virando mais um “cachorrinho” do que qualquer outra coisa. xD). Além da Yukino, que está sempre ativa e sorridente, disposta a enfrentar qualquer problema que apareça, e do Arima que é sempre gentil com todos, temos a família da Yukino. Eles são figuras à parte presentes em diversos momentos cômicos da série – e também momentos sérios. Foi emocionante a lição que o pai dela deu para o professor que queria o fim do namoro do Arima e da Yukino. Outros personagens que posso citar são o Asaba, mulherengo folgado e melhor amigo do Arima, o trio de garotas que acabou ficando amigo da Yukino quando ela estava enfrentando problemas com a sua turma por causa do plano da Maho de acabar com a reputação da garota, e a própria Maho que foi perdoada pelo que fez e passou a andar com o grupo.

Mais personagens ainda vão surgindo, e é interessante como aos poucos a autora vai se aprofundando neles fazendo com que a história nunca fique cansativa, nos apresentando sempre situações novas.
Vi que algumas pessoas ainda falam que o traço dela não é muito bom… Eu não concordo, acho o traço dela muito bonito, agradável eu diria. Ela consegue passar mensagens somente através do olhar do personagem, como já comentei mais acima. E também um destaque são os personagens chibi nas cenas cômicas, que não tem como não rir.

Considerações finais

Bom, quem gosta de mangás que falem do cotidiano, acontecimentos do dia a dia, não de modo simplório, mas natural, com certeza recomendo Kare Kano. Os problemas que vão surgindo são interessantes e não há enrolação para serem resolvidos. A comédia é leve e de fato engraçada. Outro ponto legal é que junto com o mangá tem alguns one shots (histórias curtas de somente um capítulo) da autora, e valem muito a pena serem lidos. O primeiro deles lida sobre insegurança e falta de autoconfiança, o segundo sobre o preconceito. É incrível a capacidade da autora de te emocionar sem precisar dar muitas voltas e, como eu disse, quem passou por coisas parecidas consegue facilmente se enxergar nos personagens e compreendê-los.
Sobre a edição da Panini, o mangá é de 2006 e desde essa época já percebemos o tratamento um pouco mais diferenciado que ela dá aos mangás, comparando com as demais editoras. As contracapas ainda não eram coloridas mas já possuiam desenhos, e quando tinha espaço colocavam uma galeria ou preview da próxima edição. Sem contar a sessão de cartas que eu gosto bastante (Apesar de já ter visto gente reclamar… Mas sou da opinião de que se não gosta, basta não ler). Ainda também sempre presente o glossário, os sufixos e o aviso de que você abriu o mangá pelo lado errado personalizado.
Finalizando, quem quiser correr atrás do mangá vale a pena, talvez seja difícil achar alguns volumes, mas acho que ainda se encontra em sebos ou de pessoas que querem se desfazer da coleção.

por Trunks

Asevedo

Formado em design editorial e assistente editorial da Panini Mangás. Leio mangás e história em quadrinhos de diversos países. Assisto animes de forma esporádica. Sempre estou no Twitter.

Related Post