Review – O ABC do Baseball em Major!

Aprendi a gostar de Baseball com animes.

Baseball é um esporte em que pouca gente entende o que está acontecendo no meio do jogo. Ao menos no Brasil, que não temos tradição no esporte e nem ao menos sabemos ao certo se existem times por aqui. Quem está atacando? Quando rebato e quando eu não rebato? Zona de Strike? O que é isso? Confesso que eu só sabia o básico das regras por causa do “futebaseball” que minha professora de Educação Física fazia (nem vou tentar explicar). O esporte é um dos mais populares no Japão e com isso uma grande quantidade de autores se inspiram nele e acabam gerando diferentes mangás e animes baseados, abordando diferentes aspectos como a estratégia em One Outs, a vida dos jogadores em Cross Game ou o relacionamento de uma equipe em Ookiku Furikabutte. Mas um dele consegue reunir um pouco de cada e mesmo assim se focar mais nas partidas em si. Trata-se de Major, o anime escolhido que irei falar nesse post.

A história

Major conta a história da vida de Honda Goro, um garoto talentoso que deseja se tornar um arremessador profissional de um grande time de baseball como o seu pai Honda Shigeharu. Só que esse desejo acaba tomando todo o tempo do garoto, ainda mais que seu pai sempre fica longe de casa e sua mãe acabou morrendo enquanto ele era muito pequeno. A professora do jardim de infância acaba cuidando dele quando Shigeharu está fora, o que acaba “incentivando” ela e o pai a manterem um relacionamento muito afetivo. Porém um acontecimento acaba mudando a vida dos três para sempre.

Após alguns anos vemos o garoto entrar finalmente no time da baseball do bairro e começar a seguir em frente na busca do seu sonho. O problema é que ele precisa erguer o time, que agora não tem condições de competir em campeonatos, reunir integrantes e acabar superando as grandes dificuldades que vão surgir.

Considerações Técnicas

Você que nunca viu nenhuma partida de Baseball pode ficar tranquilo pois a história tem a preocupação de ensinar as regras do esporte logo no começo, com toda a primeira temporada na infância de Goro. Depois na segunda temporada eles já começam a tratar do assunto de uma maneira mais séria, mostrando todo o duro caminho para ser um profissional. O anime também possui uma ação emocionante, deixando as partidas frenéticas e divertidas, uma das características necessárias para uma ótima história com esportes. E não se preocupe quanto a bolas brilhando, pegando fogo ou pessoas pulando a 2 metros de altura. Isso não é “Capitão Tsubasa”. Levam a sério e tentam buscar o máximo de realismo possível. Claro que nem sempre é possível.

E não pense que Major é apenas um anime de esporte que só mostra milhões de partidas e mais nada. O autor se preocupa em lançar pequenos plots e até mesmo uma carga dramática para o crescimento dos personagens, ainda mais de seu protagonista. Porém algo me incomoda quanto a repetição de alguns temas durante as seis temporadas, como por exemplo o fato do time que ele participa ser sempre o azarão. Ele acaba pegando um time fraco e sempre consegue jogar contra a equipe mais forte de igual para igual, uma coisa que quase nunca aconteceria na vida real. (Seria a mesma coisa que 5 cavaleiros de bronze vencerem 12 cavaleiros de ouro… Oh wait.)

Um dos grandes pontos positivos é em relação aos seus personagens. A grande maioria dos protagonistas de Major são bem desenvolvidos e você se apega muito a alguns deles. Goro é um ótimo exemplo: ele começa como um garotinho solitário e com o passar das temporadas ele se torna um homem forte, com muito carisma e na sexta temporada ainda podemos ver algumas características daquela criancinha dos primeiros episódios. Major mostra com qualidade o relacionamento dos jogadores, seja amizade ou rivalidade, você se importa que o time vença, quer que eles sejam felizes e torce para que o rival tenha uma derrota esmagadora. Boa parte dos personagens secundários somem com o decorrer do tempo, mas o autor tem a preocupação de mostrar eles aos poucos, mesmo que por pouco tempo e sem nenhuma fala.

A animação não tem lá muita coisa especial, mas é competente em relação a partidas e para um anime de esporte esse é o mínimo que esperamos. A trilha sonora é uma das minhas preferidas, todas as aberturas são excelentes no quesito música, ainda mais a da primeira temporada “Kokoro e” da banda ROAD OF MAJOR, responsável pela composição de 3 das 6 aberturas da série. É tão marcante que acaba sendo repetida várias vezes na série para representar cenas memoráveis.

Comentários Gerais

Major é um prato cheio para os fanáticos por esportes como eu. Mesmo as pessoas que não entendem de Baseball podem conferir o anime sem medo e depois até começar a acompanhar os jogos da MLB sabendo de todas as regras ou maior parte delas. Você vai perceber como o Goro cresce como personagem e como pessoa, seus relacionamentos, sua família e sua profissão vão moldando cada vez mais seu caráter.

No total são seis temporadas, duas com 25 episódios e as outras quatro com 26, um filme e um ova. Um segundo ova foi anunciado e deve sair em dezembro. Não fique desanimado com a quantidade de episódios que você vai assistir, vale a pena e vai acabar indo rapidinho. Quem já assistiu todos os episódios pode dar uma conferida nos spoiler que eu vou dar logo abaixo, com minha opinião sobre cada temporada.

SEÇÃO SPOILER – Cuidado ao ler os comentários!

Primeira Temporada

A primeira temporada é a minha segunda preferida apesar do começo lento. Um dos motivos seria que é nela em que conhecemos a base que vai definir toda a personalidade do protagonista. Vemos a relação que ele tem com o pai e como ela infelizmente a cortada por sua morte. Essa cena me causa arrepios até hoje, eu fiquei extremamente chocado com o episódio inteiro e possivelmente foi ali que o anime me capturou.

Dizem que os amigos que temos para sempre são aqueles que conhecemos na infância e isso acontece também em Major. Komori, Shimizu e Sato são figurinhas carimbadas na maioria das temporadas. O meu episódio favorito dessa temporada é quando Goro e a Shimizu vão ver o jogo do Gibson na partida das estrelas onde o astro fica apenas arremessando bolas rápidas e fazendo uma homenagem ao pai do garoto, mostrando o quanto o cara era realmente bom.

Segunda Temporada

A minha temporada preferida, basicamente porque finalmente Goro e Sato estão jogando juntos e mostrando um pouco mais do lado profissional do Baseball. Não temos mais meia temporada sem nada relacionado ao esporte, a partir de agora tudo está focado nele. Muito legal que começa com aquela tensão: o Goro diz não querer mais jogar baseball e você quer saber por que raios ele diz isso. Descobrimos que ele acabou estourando o ombro direito e só pode usar o esquerdo, mostrando toda a superação que o protagonista precisou passar para virar canhoto. Ainda tem o drama que aconteceu com o amigo, que acabou sendo abandonado pelos pais e quase perdendo todo o futuro por esse ato egoísta.

A única coisa que volta a me deixar desconfortável  é o fato de um time claramente mais fraco vencer o time mais forte e é ai que tomamos um tapa na cara com o meu episódio favorito da temporada! Goro promete a Sato que ele iria destruir o colégio Kaido, só que não é bem assim que acontece e o time dele acaba sendo humilhado por terríveis 19-0. É pessoal, na realidade isso aconteceria mesmo e não uma vitória apertada ou algo do tipo.

Terceira Temporada

A terceira temporada é a que mais me incomodou e ao mesmo tempo uma das mais empolgantes. Goro está um monstro, arremessando bolas extremamente rápidas que não dão chance nenhuma aos rebatedores. Só que o grande problema é que o time que ele está não vale nada e que apenas um jogador é acima da média. Isso que me irrita com Major! Ele precisa ir para um time fraco que não tem comparação com o rival da temporada e mesmo assim conseguem jogar de igual para igual!

O melhor episódio da temporada vem a ser um dos últimos. Após várias entradas, Goro está exausto e acaba desmaiando faltando apenas uma bola para eles vencerem o poderoso Kaido. A animação mostrando a bola saindo da mão dele e indo até a luva do receptor foi marcante, ainda mais com o som do impacto.

Quarta Temporada

E finalmente vamos para o Baseball profissional nos EUA, conhecemos como são os tryouts para entrar nos times e que não é tão fácil quanto a gente pensa. Goro chega a impressionar com as bolas rápidas, mas mesmo assim acaba se tornando inútil contra os rebatedores por ter apenas um tipo de arremesso. E ai voltamos infelizmente para aquele tema do time “fraco” que precisa enfrentar os melhores. Coloquei as aspas no fraco porque os Memphis Bats não eram um time tão ruim, apenas não tinham tanta motivação para vencer o campeonato.

A rivalidade entre ele e o Gibson Jr. é marcada pelo primeiro encontro dos dois, onde o rival destrói o pai do protagonista, causando a fúria do Goro e a minha. A partir daí não consegui ter nenhuma simpatia com o personagem, um dos mais odiáveis que eu já vi. (NINGUÉM FALA MAL DO SHIGEHARU!)

Quinta Temporada

Começa finalmente o relacionamento entre Goro e Shimizu, apesar que não é lááá um relacionamento de verdade. O cara só pensa em baseball e os dois acabam ficando separados por quase meio mundo. A Copa do Mundo tem os seus momentos: o jogo contra os EUA é muito bom, ainda mais quando temos a possível batalha entre Gibson e Goro. A única coisa cansativa foi o draminha entre Sato e a irmã onde eu realmente não me importava com ela e queria mesmo é que ele encontrasse os pais. No mais, não tenho muito o que falar dessa temporada.

Sexta Temporada

A mais cansativa, a pior e a mais insuportável temporada de major. Digo isso porque bem… ele já tinha atingido quase todos os objetivos e precisavam de um plot para mais 25 episódios. Então resolveram colocar um trauma no Goro, deixando ele irreconhecível e até mesmo chato, apesar de ser um pouco “real”. Ainda assim não consigo vê-lo assim depois de perder o campeonato. Ainda temos um destaque que é o jogo Gibson VS Goro, que temos uma cena parecida com aquele homerun do pai. O OAD finaliza a história do anime de uma maneira que eu gostei, mas ainda assim não foi tirada do mangá. É por um episódio com o final verdadeiro que eu espero e estamos a espera do novo OAD que sairá em dezembro. Dedos cruzados!

Por Luk.

Luk

Luk

Eu juro que gosto de animes, apesar de todo o meu haterismo.

Related Post