Eu Recomendo Especial Parte 1 – Os melhores de 2011: Inverno e Primavera

Conheça agora a primeira postagem dos melhores animes de 2011. Uma retrospectiva diferente do Chuva de Nanquim.

O ano de 2011 nos presenteou com muitos animes de qualidade, podendo até dizer que novos clássicos nasceram e alguns ótimos animes acabaram ficando esquecidos. Para fugir da votação de sempre dos melhores do ano resolvemos fazer algo diferente, afinal de contas, vocês sabem qual é o nosso anime preferido do ano (precisamos mesmo falar que é Madoka?) e vamos deixar essa tarefa para o Terceiro Prêmio Ichiban Brasil. O ChuNan vai fazer um listão sobre quais animes vocês podem assistir tranquilamente nessas férias! Assim não deixamos de falar de ótimos animes que por falta de tempo (e preguiça) não apareceram em um review aqui no blog. Essa é uma ótima oportunidade para isso.

Separamos as quatro temporadas do ano em dois posts, começando com as duas primeiras (Inverno e Primavera). Também vale dizer que estamos contando com as continuações, afinal de contas você tem que saber o que está perdendo se não viu as primeiras temporadas. Pronto para saber quais 10 animes você deveria ter visto? Os animes não estão em ordem de preferência e sim por ordem alfabética! E claro que queremos a participação dos nossos leitores nos comentários. Acha que um anime merecia ter sido citado aqui? Então coloque lá e boa leitura!

Inverno

A primeira temporada do ano começou sem hype nenhum por minha parte. Estava curioso com um certo Mahou Shoujo, mas fora isso só esperava as continuações de animes queridos por mim. E para minha surpresa eu acompanhei 10 animes dessa temporada. Alguns eu não revelaria que assisti inteiro, mas foi uma temporada bem divertida e diversificada, conseguindo separar 5 em especial para vocês.

Gosick

Gênero: Mistério, Romance e Drama.

Estúdio: Bones.

Review: Across the Star Light

É meio complicado eu gostar de animes de detetive, ainda mais quando você tem um protagonista irritante que fica gritando “VICTORIKAAA” o tempo todo. Apesar de tudo Gosick é um ótimo anime, com mistérios bem legais de serem assistidos e com uma protagonista loli, tsundere e moe ao extremo. A trama vai se estreitando com o passar dos episódios e as aparições de alguns personagens importantes, até algumas coisas “bobas” (como o cabelo bizarro do irmão da Victorique) são explicadas muito bem. A animação do Bones é um show a parte e a trilha sonora ajuda a compor o clima retrô da série.

Kore Wa Zombie

Gênero: Ação, Comédia,Ecchi, Garotas Mágicas(?).

Estúdio: Studio Deen

Review: Chuva de Nanquim

O ano começou já com a comédia mais nonsense que eu já assisti em todos esses anos de otaku, afinal de contas, já no primeiro episódio conhecemos a primeira mahou shoujo (ou masou shoujo) homem da história e se não bastasse ele ainda é um… zumbi! O anime possui em um dos episódios a cena final mais vergonha alheia ever por causa dessa situação. Com uma história bem divertida, a animação é muito competente (ainda mais nos episódios voltados para a ação) e os personagens são muito bons. Um ótimo anime para você assistir nessas férias, o qual você pode ver sem preocupação nenhuma (pelo amor de Deus tem uma ninja vampira vendedora de Lamen). Um bom exemplo da loucura que só os japoneses podem produzir.

Kimi ni Todoke 2

Gênero: Comédia, Romance, Escolar.

Estúdio: Production I.G

Review: Nahel Argama

Eu já falei com o Dih desde o primeiro episódio, da primeira temporada de Kimi ni Todoke que ele poderia ser resumido com “Awwwwwnnn”. Não é só um anime de romance muito bonito, ele também é uma ótima história de amizade. Eu considero Toradora e Lovely Complex os melhores romances escolares e Kimi ni todoke vem em um estilo de narrativa mais diferente. Ele é mais puxado para o romance em si, enquanto os outros dois são mais uma comédia romântica. A grande responsável por isso é a protagonista Sawako, que no começo é uma garota totalmente excluída pela classe por puro preconceito e aos poucos consegue lentamente se enturmar e fazer  você ficar feliz por ver o crescimento como pessoa da garota. Talvez a única critica seja a lentidão para acontecer algo entre os dois protagonistas. É realmente um pouco irritante e dá vontade de dar uns tapas em um dos dois, mas mesmo assim não atrapalha tanto. Uma ótima pedida para os fãs do gênero, com uma segunda temporada que continuou com a qualidade da primeira.

Level E

Gênero: Comédia.

Estúdio: Studio Pierrot

Review: –

Level E foi adaptado de um mangá escrito por Yoshihiro Togashi, autor de Hunter x Hunter e Yu Yu Hakusho, o quea acabou se tornando obrigatório eu assistir pelo menos o primeiro episódio. E nossa… que anime engraçado! Na verdade acho que deveria ser chamado de Level T, porque basicamente conhecemos o personagem mais TROLL do universo e você percebe isso depois do maravilhoso episódio 3. E depois disso assistimos mais trolladas do Baka Ki El Dogra, como um arco onde ele leva colegiais para um mundo que é uma espécie de RPG clássico do super Nintendo. Esse anime merece um review mais detalhado aqui no blog, um dos meus preferidos do ano e deve estar no meu top 5 de 2011 e que possui o melhor final de todos! (Chupa Madoka!)

Mahou Shoujo Madoka Magica

Gênero: Garotas Mágicas, Drama.

Estúdio: Shaft

Review: Chuva de Nanquim / Video Quest / Gyabbo!

Acho que nem preciso gastar minha língua falando sobre o quanto Madoka é bom, todos os leitores mais antigos sabem que o consideramos como o melhor anime de 2011. Esse texto serve para tirar um pouco do preconceito do coração de quem não assistiu nem 1 episódio e já diz que é uma merda, que odeia e tudo mais. Você precisa crescer um pouco se acha que algo vai mudar em sua personalidade por assistir um anime de “mahou shoujo”. A maioria das pessoas que assistiram o anime só conseguiram elogiar a história e você realmente está perdendo muita coisa. Assista pelo menos 3 episódios. Só isso que estou pedindo! Depois disso eu aceito você dizer que Madoka é uma bosta, por que é ali que você basicamente vai saber o clima de verdade da trama.

Primavera

Eu considero a melhor temporada do ano e também marca a minha estréia no blog! E com isso eu tive que assistir pelo menos o primeiro da grande maioria, confesso que foi cansativo, hoje em dia eu nunca mais faria aquilo. Alguns vão perguntar por que Nichijou não entrou na lista e a explicação é bem simples: Nem eu e nem o Dih conseguimos gostar ou achar graça do anime. Também não assistimos ainda as segundas temporadas de Gintama e Kaiji, mas sabemos da qualidade dos dois e merecem pelo menos ser citados aqui. São ótimos animes e merecem sua atenção. Agora fiquem com mais 5 escolhidos.

Ano Hana

Gênero: Drama, Slice of Life.

Estúdio: A-1 Pictures.

Review: Nahel Argama / Gyabbo!

Um dos motivos que esse post está sendo feito, é para não deixar de falar desse maravilhoso anime que pode ficar de lado por causa da concorrência. Ano Hana é um anime que fez muito marmanjo chorar (lembra do vídeo que eu postei no Cenas Marcantes?), que possui uma linda história de amizade e como um acontecimento pode marcar e mudar para sempre a vida das pessoas. Confesso que eu tive um pouco de preconceito com a fantasminha chata, mas depois de alguns episódios eu comecei a entender um pouco mais a mentalidade dela. Apesar de tudo Menma ainda é uma criança e esse lado infantil foi muito bem representado. Em apenas 11 episódios o anime me fez ficar ligado a todos os personagens, a história e claro me fez chorar como um bebê. Ele pode não te fazer chorar, mas certeza que vai te fazer sorrir e é obrigatório assistir! Destaque para as músicas de abertura e encerramento que me deixavam deprimido só de saber que era mais um episódio se passando.

Ao no Exorcist

Gênero: Ação, Comédia, Fantasia.

Estúdio: A-1 Pictures.

Review: Nahel Argama

Olha, é complicado deixar Ao no Exorcist de fora dessa lista, mesmo sabendo que muitos não gostaram do final da série. No geral, ele foi uma das melhores animações do ano. As lutas eram muito boas, os personagens eram em sua maioria carismáticos, a trilha sonora foi muito bem escolhida e o anime diverte! Pode não te prender tanto quanto um Ano Hana ou um Madoka, mas você sabe que se quiser um anime para ver uma boca cena de porrada, esse anime é Ao no Exorcist. Muitas pessoas criticaram a série pois ela acabou tomando um rumo totalmente diferente do mangá. Mas vale lembrar que não é a primeira vez que isso acontece, já que outros ótimos animes como Soul Eater também tiveram seu rumo alterado.

Sket Dance

Gênero: Comédia, Escolar.

Estúdio: Tatsunoko Productions.

Review: Gyabbo!

Se eu tivesse que escolher uma surpresa do ano, provavelmente essa seria Sket Dance. Quer dizer, surpresa entre aspas. Já conhecia o sucesso do mangá na Shonen Jump e da qualidade do mesmo, e o anime só veio para exemplificar melhor isso. Personagens ótimos, tramas que se misturam entre drama, comédia e lições de amizade. Isso é Sket Dance. O anime parece ter conseguido passar de uma maneira ainda melhor todo o sentimento que é tentado passar no mangá, se igualando com Gintama, para mim, nesse gênero de série. Não tem como deixar de dizer que esse foi um dos animes mais inteligentes do ano, não por tratar de ficção como Steins;Gate ou por ter uma mensagem profunda como Madoka, mas sim por conseguir trabalhar tudo de uma maneira bem feita e honesta. Sket Dance é mais que recomendável.

Steins; Gate

Gênero: Sci-Fi

Estúdio: White Fox

Review: Chuva de Nanquim / Radix / Subete Animes / Elfen Lied Brasil

Se houve um anime que realmente me fez surtar, esse foi Steins;Gate. Cada episódio, por mais parado que fosse, me fazia ficar louco para o próximo. Apesar do começo morno, a teoria que vai se formando no decorrer da série é de fazer você roer as unhas para saber o que vai acontecer. Além disso, não tem como não se envolver com os personagens e com o desespero e história que gira em torno de cada um deles. Personagens esses que foram muito bem utilizados: todos tiveram de alguma forma uma história contada e esclarecida para as pessoas. De longe, Steins;Gate foi um dos melhores animes do ano. Top 3.

Tiger & Bunny

Gênero: Ação, Aventura, Sci-Fi

Estúdio: Sunrise

Review: Video Quest / Subete Animes / Nahel Argama

Tiger & Bunny foi aquele anime que todos olharam com olhos tortos devido ao fato de se tratar de um tema que não é lá muito apreciado pelos fãs de animes e mangás: Super heróis. Principalmente depois de um fraco (para alguns) Heroman, que não desenvolveu muito bem a ideia de unificar esses dois “universos”. No entendo Tiger & Bunny surpreendeu: Não foi o melhor do ano, mas de longe foi meu anime favorito. Me envolveu como nenhum outro e literalmente soube ser coerente com sua proposta. Foi extremamente comercial e nem por isso perdeu seu charme. Animação fantástica, trilha sonora ótima e enredo amarrado ao extremo. Sim, Tiger & Bunny é uma das obrigações de 2012 pra você que não assistiu ainda.

por Luk e Dih

Luk

Luk

Eu juro que gosto de animes, apesar de todo o meu haterismo.

Related Post