Hall da Fama #12 – Shizuo Heiwajima

shizuo header“IIIIZAAAAAYAAAA-KUNNNN!!”

É hora de completar o “casal” LOL com o Izaya de Durarara!!, falando um pouco sobre Heiwajima Shizuo, o homem mais forte de Ikebukuro – e também o mais querido pelos fãs e pelas fangirls – eu já disse que acho ele muito divo.

shizuo1Imagine-se em um grande centro urbano, cheio de movimento de pessoas, carros, prédios e entretenimento. Aí de repente, você vê um sinal de trânsito voando pelos ares. Ou talvez um poste. Ou talvez uma daquelas máquinas automáticas, talvez seja até mesmo uma pessoa voando pelos ares; e quando ela acertar alguma superfície sólida, provavelmente quebrará algum osso do corpo.

Pois bem, em Ikebukuro esta visão é comum aos moradores, que preferem evitar confusões com Heiwajima Shizuo, o violento guarda-costas em roupas de barman que odeia violência – mas não consegue evitar ser violento ao menor sinal de irritação. E no caso dele, ser violento significa devastar propriedade pública e privada a cada acesso de fúria. Legal, né?

Antes de tudo, preciso dizer que o potencial do Shizuo como personagem está não no fato de ele ser complexo (isso é bem óbvio) – diferente de várias figuras de animes que já passaram por esta coluna – , mas pelo fato de ser extremamente simpatizável. Afinal, como não se divertir com o sujeito que literalmente joga tudo pelos ares quando fica nervoso?

shizuo2Mas ora, esse não é o único motivo para que o guarda-costas vestido de barman tenha ficado tão marcado no fandom – afinal, um pouco de passado dramático, um pouco mais de um lado afável e a própria importância peculiar no quadro doido de personagens que é Durarara cumprem bem seu papel.

Afinal, não é como se Shizuo entendesse sua própria condição; desde criança, ele possui uma força sobrehumana e perde o total controle dela quando se irrita, algumas vezes ferindo até pessoas próximas. Por não encontrar uma forma de controlar seus impulsos acaba deixando-se levar, pouco importando-se com o que pode acontecer com seu corpo, além de temer a si mesmo.

Ainda assim, há em Shizuo algo como um lado mais gentil; ele importa-se genuinamente com as pessoas a seu redor e possui relações de forte valor: com seu irmão Kasuka, uma das primeiras pessoas a afirmar que não sente medo dele, durante suas conturbadas infâncias, e que procurava apoiar emocionalmente o irmão que era constantemente demitido de diversos empregos; com a motoqueira sem cabeça Celty, aquela com quem tem maior facilidade em se abrir e ser ele mesmo; e até mesmo com Tom Tanaka, o cobrador que ainda consegue controlar seus impulsos de raiva.

shizuo3Mas até agora tudo são flores – e como falar sobre Shizuo sem mencionar seu nêmesis, Izaya Orihara? Os dois se odeiam desde os tempos de colégio – e bem, não dá para culpar o Shizuo por isso. Izaya sempre viu um incômodo na violência ilógica de Shizuo, e passou boa parte do colegial e mesmo após este período arranjando-lhe encrencas.

E é aí que entra uma das graças do jogo de personagens do autor Ryohgo Narita; Izaya é o grande responsável por manipular todos os elementos em conflito em Ikebukuro, fazendo uma excepcional previsão de suas reações a partir de observação psicológica. Porém, Shizuo, que odeia sua postura manipulativa com outras pessoas, é o único personagem com qual suas previsões falham, e acaba tornando-se um elemento “Deus Ex-Machina” em momentos mais importantes. Pode parecer nonsense mal-construído à primeira vista, mas é a graça de combinar as traquinações elaboradas do Izaya e a atitude explosiva do Shizuo, que só quer viver em paz no seu canto.

Por fim, Durarara é uma coletânea de personagens carismáticos e excêntricos que ganham um valor tremendo conforme suas interações na teia de acontecimentos em Ikebukuro tornam-se cada vez mais importantes; Shizuo é o personagem que mais marca nesse sentido, sabendo cativar o público com suas explosões em especial, com um certo arremesso de lixeira no Izaya que é puro Epic Win xD e seu lado que simplesmente quer viver uma vida normal e se importa com as pessoas a seu redor é muito simpatizável.

por Mary

Asevedo

Formado em design editorial e assistente editorial da Panini Mangás. Leio mangás e história em quadrinhos de diversos países. Assisto animes de forma esporádica. Sempre estou no Twitter.

Related Post