Comentando sobre a Coletiva da JBC

Um pouquinho mais do que rolou na noite do dia 12 na FNAC sobre o futuro da editora.

É isso aí galera. Ontem rolou a tão aguardada coletiva de imprensa da editora JBC lá na FNAC da Avenida Paulista, em São Paulo (não me diga?). Tudo que vocês gostariam de saber já foi feito ontem aqui no nosso post de Live Blogging que pode ser conferido clicando AQUI. Claro que como toda cobertura ao vivo, prejudicada por N fatores (internet precária é um deles), acontecem algumas imprecisões nas informações (gente, era em tempo real, a gente não tem tempo de ir na Wikipedia buscar o que não sabe) e coisas do tipo, e é para isso que servirá essa postagem. Vamos tentar falar mais especificamente de alguns pontos da coletiva, os mais questionados por vocês. Não vamos repetir tudo de novo pois seria totalmente non-sense, mas vamos deixar tudo bonitinho pra quem quer saber mais sobre o que rolou. Preparados?

1 – Edição Especial de Card Captor Sakura

Em primeiro lugar, vamos deixar claro o que a JBC nos deixou claro também: Não é uma edição definitiva, é apenas uma edição especial. Porém diferente do que aconteceu em Evangelion, que de especial não tinha nada, Sakura será bem diferente. O papel será offset (para quem não conhece, é uma espécie de primo rico do famoso papel sulfite, utilizado por exemplo nos mangás da L&PM do ano passado ou nos primeiros títulos da Conrad) e o mangá terá páginas coloridas. Serão 16 páginas assim na primeira edição – não sei se nas outras essa quantia se repete, então se alguém tiver essa informação, pode postar nos comentários. A capa também será feita com uma gramatura um pouco maior do papel cartão que conhecemos, para quem pegou o Guia de Fullmetal Alchemist, será naquele padrão, aproximadamente. Em relação à tradução, o título passou – e está passando – por uma revisão da tradução original. Não é uma nova tradução, mas aparentemente teremos termos revistos, falas mudadas entre outras coisinhas. O mangá terá assinatura e em breve a editora deve disponibilizar mais informações.

Na minha sincera opinião, a JBC me convenceu a comprar o mangá. Se vier como se passa “em minha mente”, o título será um belo atrativo para os fãs. Também vale dizer novamente sobre a escolha do logotipo: ele não foi opção da JBC, foi uma “ordem”. As velhinhas do CLAMP quiseram que o logotipo fosse esse e simplesmente foi, sem mais e nem menos. Já havia dito anteriormente que a JBC deveria ser inocentada desse tipo de culpa, mas agora fica a resposta “definitiva” pela editora. No mais, que venha Sakura. Com certeza um dos mais aguardados lançamentos da editora no ano.

2 – Preço e qualidade dos mangás

Esse talvez tenha sido o ponto que mais tenha motivado o interesse do pessoal nessa coletiva. Em primeiro lugar, nós da “imprensa” tivemos acesso a um volume de Freezing e posso garantir à vocês: o material ficou muito bem feito e as páginas coloridas são todas impressas em uma espécie de papel couché (seria um papel brilhoso, algo no estilo de Basilisk ou Air Gear da Panini, por exemplo). Falaremos mais de Freezing em outro post, então aguardem.

Além disso, a JBC disse que a partir de agora passará a usar um novo papel que não é tão novo para os compradores. Ele será o mesmo pisa brite que já era usado anteriormente, mas agora com 52 gramas, qualidade superior ao atual da Panini que utiliza um papel jornal de 49 gramas. Esse é um dos motivos para o aumento de preço da JBC. O outro é a tão aguardada presença de páginas coloridas nos mangás, assim como aconteceu em Freezing. Segundo a editora, todos os mangás daqui pra frente que tiverem páginas coloridas no original, também terão por aqui. Isso se aplica aos próximos lançamentos, claro. Também teremos as ilustrações nas contra-capas, como acontece na dona concorrente – mais um atrativo para os fãs.

Vale citar, que muitas pessoas dizem que a JBC está cobrando “mais caro” pela mesma coisa que a Panini oferece, mas precisamos lembrar que a Panini é uma editora infinitamente maior que a JBC, tendo muito mais verba e recursos para que seus preços sejam mais baratos. Também devemos ressaltar que o preço dos mangás “convencionais” continuará sendo de R$11,90 e o papel será trocado, inclusive, nos mangás já em andamento (Fairy Tail, Bakuman e etc). Portanto, na minha opinião o aumento da JBC está justificado. Não me importaria e nem me importarei de pagar os R$12,90 em mangás com essa qualidade de Freezing. Espero que todos os próximos lançamentos sejam tão animadores quanto esse.

3 – Soul Eater

O mangá de Soul Eater terá algumas novidades. O primeiro será um novo formato, menor do que os tankos que a editora publica. Será algo próximo a Negima (só no tamanho gente, não no número de páginas), me fazendo ficar em dúvidas se será em um tamanho semelhante de Deadman Wonderland. O valor do mangá será de R$10,90 (isso mesmo, não é 11) e o título terá páginas coloridas somente quando houver no Japão, claro. Também já teremos a capa interna colorida, nova gramatura do papel e tudo mais. O lançamento está programado para Julho, mês de Anime Friends / Festival do Japão.

4 – RG Veda e outros lançamentos

O grande anúncio da noite ficou lá pro final. A JBC anunciou que publicará RG Veda, um dos mangás mais pedidos pelos fãs do grupo CLAMP no país. Quem quiser saber um pouco mais, leia o post AQUI. Isso já serviu para deixar claro que não existe exclusividade de JBC ou NewPop para publicar materiais do CLAMP no Brasil (ou seja, é corrida galera, se vira e pega primeiro). Ainda não existe data para o lançamento, mas está programado ainda para 2012.

A editora também disse que no segundo semestre haverá mais lançamentos, algum (ou alguns) provavelmente sendo anunciados em Julho, mês de muitos eventos e repercussão do meio. Acredito que aqui teremos um duelo interessante, já que a Panini já possui um pacote interessante pra ser anunciado no segundo semestre. Vamos ver pra que lado vai a preferência do pessoal.

5 – Crunchyroll Brasil

Esse aqui talvez tenha sido a minha grande decepção da noite. A JBC se pronunciou em relação ao Crunchyroll e disse que o processo para o produto chegar ao país está em passos lentos e não existe previsão para isso. Aparentemente, os americanos estão emperrando a negociação devido alguns detalhes que envolvem até mesmo a recente versão espanhola dessa brincadeira. Então para quem estava esperando por um stream oficial de animes por aqui, terá que ficar com a opção de assinar o produto americano por enquanto, ou ocorrer para os métodos alternativos, que vocês sabem o que eu quero dizer. Voltamos para a estaca 0 – isso falando como consumidor, claro, já que as negociações continuam por parte dos envolvidos no projeto. Teremos que aguardar.

6 – Relançamento de Yu Yu e Samurai X

É, um dos temas que mais eram esperados acabou também não tendo muitas novidades. O relançamento de Samurai X e Yu Yu Hakusho que foram divulgados ainda não tem nenhum tipo de previsão. Nada. E eu digo nada mesmo. Não tem data, muito menos formato e muito menos… nada. Vamos ter que esperar mais um pouquinho pra ver esses títulos novamente por aqui.

7 – O selo Graphic Novel acabou?

Não. Segundo a JBC o selo Graphic Novel não acabou, mas ainda não existem previsões de títulos para serem aplicados nesse gênero. Além disso, a editora deixou bem claro que pode a qualquer momento investir em qualquer outro tipo de mangá, seja ela shoujo, josei, shounen, seinen e outra demografia que você queira aplicar. Tudo depende do momento e dos títulos disponíveis no mercado. Só não sei se eu colocaria yaois e yuris nessa brincadeira, mas mesmo assim é uma nova esperança para os fãs dos gêneros. Também foram questionados sobre a publicação de mangás nacionais, mas não deixaram muito claro se seriam ou não a favor de tais materiais no futuro. Não foi descartado, mas também não senti muita firmeza no assunto.

8 – A entrada de Cassius Medauar na JBC

Bem, não vou me alongar muito em relação a isso. Só posso dizer que tive o prazer de conversar rapidamente com o Cassius (de camisa social na foto) e espero a melhor sorte possível para ele e para a equipe da JBC nessa nova fase. Ele tem muita experiência de mercado e com certeza agregará muito para ambas as partes. Quero lembrar os leitores, que não adianta querer mudanças “agora”. Um processo assim você sentirá com tempo e com muito trabalho, algo que a JBC conseguiu me passar bem na coletiva (que eu estava com sono, mas é porque eu durmo em qualquer tipo de palestra, então não conta). Boa sorte Cassius, que você não precise do trevo de 4 folhas que lhe foi dado e que os leitores possam curtir seu trabalho como curtiram na sua passagem por outras editoras.

9 – Conclusões e comentários finais

Também não pretendo me alongar muito por aqui. A coletiva foi ministrada por Edi Carlos, Léo Lopes e o Cassius (da esquerda para a direita na imagem) e posso dizer que saí satisfeito com o que vi. Muitas das respostas e pronunciamentos não foram nenhuma “novidade” e até mesmo “padrão”, mas o importante é que na maior parte do tempo a JBC conseguiu me convencer que está fazendo tudo para que um bom trabalho seja feito daqui por diante. E não digo somente na qualidade dos mangás, mas essa aproximação com o público já foi algo muito bacana de ser feito e de se elogiar. Espero ver mais coletivas como essa não só da JBC, como para a Panini e até a NewPop (se bem que essa). Agora nos resta ter paciência e esperar os resultados nos próximos 3, 4 meses em diante. Fica aqui a boa sorte desejada pela  galera do Chuva de Nanquim, que claro, continuará a criticar quando for necessário, não deixará as piadinhas de lado e tudo mais que os leitores já estão acostumados. Vamos ver o que nos espera da JBC depois desses 11 anos de mangá. Ah, e também rolou um videozinho bacana sobre esse tempo da editora, basta clicar AQUI para ver.

E um adendo: o Facebook da editora continuará a ser usado como canal de complemento da JBC. Vocês continuarão a ver imagens da redação e coisas do tipo. Porém, o portal Henshin passará por uma reformulação em breve e os anúncios e relacionados serão feitos com maior efetividade por lá – que passará a ser algo mais como “blog da JBC”. São mudanças que só veremos com o decorrer do tempo, como disse anteriormente.

10 – Chuva de Nanquim compra ações da JBC

Tá, isso é brincadeira. Mas como eu não achei outra oportunidade de colocar a foto, vai ficar isso aí mesmo. Da esquerda pra direita: Edi Carlos, eu (não sou fotogênico quando as minhas fotos não são tiradas por mim), Cassius Medauar, Léo Lopes e meu amigo intruso na foto (brincadeira Toshio, eu sei que você tá lendo isso).

10,5 – Cobertura do Video Quest

Para quem quiser conferir como foi a coletiva no formato vídeo, segue o trabalho dos nossos amigos do Video Quest!

por Dih

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post