Eu Recomendo #09 – Espadas, lâminas e animes de samurais!

Desembainhar a espada é preciso.

E o Eu Recomendo está de volta! E dessa vez com um dos temas mais pedidos pela galera. Sim, samurais!! Essa com certeza é uma das listas mais difíceis de se fazer. Isso porque muitos dos animes de samurais feitos são realmente bons, com um ou outro deslize. Porém essa lista não impede de indicarmos posteriormente novas séries, dependendo da aprovação e do pedido de vocês. Mesmo que a maioria tenha o mesmo “período” ou até mesmo a mesma “motivação”, cada série consegue se destacar por algo único conquistar aqueles que as assistem. Pensando nisso, essa seleção contém 6 animes que podem ser considerados “indispensáveis” se você gosta do gênero.

Então deixa de papo, preparem suas espadas, escolha seu estilo favorito e vamos com tudo na nona edição da sua coluna mais acessada do Chuva de Nanquim!

Afro Samurai

Estúdio: Gonzo

Ano de Produção: 2007

Episódios: 5 episódios + 1 especial

Sinopse: Em um Japão feudal futurístico e pós-apolítico existe uma regra que aquele que conseguir a bandana de “Número Um”, se torna o homem mais forte do mundo e comandará o mundo, como uma espécie de “Deus”. Para conseguir fazer isso você precisa matar o atual “Número Um” e pegar sua bandana, mas apenas a pessoa com a bandana de “Número Dois” tem o direito de desafiá-lo, e essa pessoa somente pode ser desafiada pelo portador da bandana de “Número Três” e assim vai indo. Afro era o filho de um antigo “Número Um” que foi assassinado na sua frente pelo pistoleiro “Justice” e que atualmente se tornou o “Número Dois”. E nada pode impedi-lo de buscar sua vingança contra o homem que matou seu pai.

Comentários: Se você procura muito sangue, muita ação, um enredo bem fechadinho e algo curto pra assistir durante a semana, então Afro Samurai é a série perfeita pra você. Tudo aqui é feito pra te entreter, e o envolvimento do fantástico Gonzo (e uma animação igualmente espetacular) com a co-produção de uma das maiores lendas do cinema – Samuel L. Jackson – é a prova disso (além dos roteiros de Tomohiro Yamashita, o mesmo do elogiado Red Garden). A série chegou a ser exibida no Brasil pela MTV e acabou conquistando certa notoriedade por isso, rendendo bons fãs por essas bandas e ainda fazendo com que a Panini trouxesse o mangá pra cá. Como disse, apesar de ser bem curtinho, o anime consegue te envolver muito bem. Seria digno de um bom filme de Hollywood para os fãs dos guerreiros com lâminas.

Shigurui

Estúdio: MadHouse

Ano de Produção: 2007

Episódios: 12 episódios

Sinopse: A história se passa em um torneio no Japão de 1629, no governo do Shogun Tokugawa. Nele os espadachins usam espadas tradicionais nas batalhas, diferente de tempos antigos em que eram usadas espadas de madeira. A luta principal se desenrola entre Fujiki Gennosuke, um homem que não possui um braço, e Irako Seigen, que é cego. Ambos eram discípulos de Iwamoto Kogan e possuem um passado sombrio, com conflitos pela melhor posição dentro do clã e traições. A partir daí, diversas batalhas pelo simples prazer se saber quem é o mais poderoso começam a se desencadear. E um banho de sangue acompanhará o período…

Comentários: Shigurui é considerado por muitos como o mangá mais violento de todos os tempos. É sangue jorrando pra todo lado, é corpo decepado sem dó nem piedade e principalmente um desenvolvimento extremamente pesado. Foi assim que surgiu a adaptação da série pela MadHouse, em 2007, e justamente por todo o clima “pesado” o anime acabou passando despercebido por muitos. Dirigido por Hiroshi Hamasaki (o mesmo de Tehxnolyze e Steins;Gate) e mesmo não contendo o mesmo nível de violência do mangá, a série consegue passar muito bem a história e toda a sensação que Shigurui precisa. Já aviso que esse anime não é recomendado para todos. Não espere finais felizes e muito menos um desenvolvimento repleto de sentimentos e emoções. Se busca algo assim, com certeza Shigurui é o tipo de coisa que você deve passar bem longe.

Sengoku Basara

Estúdio: Production I.G.

Ano de Produção: 2009

Episódios: 2 temporadas de 12 episódios + 1 filme

Sinopse: Sengoku Basara se passa no Japão na Era Sengoku, onde o Japão se dividiu em várias unidades menores sob o domínio de um senhor feudal (Ou Daimyo), que se enfrentam para conseguir ainda mais territórios, em uma eterna luta por poder.  A guerra se espalha por todo o país e o controle dos territórios sempre mudava rapidamente, até que um dia um homem fica a um passo do controle total do país. Ele é o lorde de Owari, seu nome é Oda Nobunaga. Sanada Yukimura e Date Masamune acabam começando a formar uma aliança improvável entre os outros generais para derrotar Oda Nobunaga, e a partir daí… bem, só assistindo.

Comentários: Se nas duas dicas anteriores tivemos exemplos de animes cheios de sanguinolência e tramas mais “adultas”, vamos agora para um daqueles que vai te prender no sofá (ou na cadeira) de tão divertido e empolgante que é. Estamos falando de Sengoku Basara, anime baseado em uma das mais famosas frânquias de games hack’n’slash do Japão (e do mundo). Aqui a regra é: vamos bater em todo mundo e nos tornarmos os mais poderosos. Sim, a trama de Sengoku Basara é bem simples e boba, mas te diverte como poucos. Acompanhado por uma trilha sonora espetacular e comandada pelo abingdon boys school, pode ter certeza que assistir essa série vai ser um dos seus melhores passatempos. Ah, e por curiosidade: o roteirista de Sengoku Basara esteve envolvido em, nada mais e nada menos, que Bible Black, o “endeusado” do mundo dos hentais.

Samurai Champloo

Estúdio: Manglobe

Ano de Produção: 2004

Episódios: 26 episódios

Sinopse: Samurai Champloo mostra uma época em que a era dos samurais vai se apagando pouco a pouco e caminhando para sua decadência. Acompanhamos a jovem Fuu em sua jornada para encontrar um samurai com “cheiro de girassol”, e que acaba sendo acompanhada (por acaso) por Mugen e Jun, dois homens habilidosos que a protegem para pagar uma dívida de honra após a garota ter salvado os dois de serem executados após uma violenta luta com espadas. Agora o caminho dos três continuará seguindo em busca do tal samurai, que provavelmente estará mais próximo do que imaginam.

Comentários: Samurai Champloo tem o dedo mágico de Shinichiro Watanabe. Tudo que esse tio toca, vira ouro. Vide Cowboy Bebop, Sakamichi no Apollon e outros. Samurai Champloo passa despecebido por você da primeira vez que você assiste, mas logo no primeiro episódio você percebe: “Isso aqui não pode ser normal!”. O que parece uma trama vazia, se torna em um dos melhores animes do gênero produzidos e conquista com cada personagem, com cada passagem da história e com uma produção de te fazer encher os olhos. A série também foi exibida no Brasil pelo Cartoon Network e acabou ganhando muitos adeptos. Se você ainda não a viu, relaxa que ainda tá em tempo. Só não perca mais tempo, pois com certeza você também vai ser envolvido com as aventuras desses 3 amigos que não tem quase nada em comum.

Samurai 7

Estúdio: Gonzo

Ano de Produção: 2004

Episódios: 26 episódios

Sinopse: Em um futuro distante, a vila de Kana está sofrendo com constantes ataques de bandidos mecanizados que roubam a produção anual de arroz, além de mulheres e crianças da vila. O ancião da vila, cansado de todos esses ataques, resolve enviar algumas pessoas para a cidade em busca de um samurai que estivesse disposta a ajudar a vila em troca de apenas arroz. Claro que os poucos samurais existentes ali acabam recusando a oferta de trabalhar por apenas aquele pagamento, até que Kirara, a sacerdotisa da água de Kana, percebe que um tumulto foi desfeito por um samurai de vestes brancas e cabelos compridos e decide que ele é quem vai ajudar a todos. Após alguns encontros e perseguições o homem resolve ajudá-la, mas já avisa que sozinho não iria conseguir derrotar os bandidos. Para isso seriam necessários mais seis samurais, que juntos descobrirão que o problema é muito maior do que apenas um simples “roubo”.

Comentários: Samurai 7 é um dos meus animes favoritos. Com certeza entra no meu Top 5 pessoal e dificilmente vai sair dessa posição um dia. Mais uma vez trabalho do estúdio Gonzo, com direção de Tashifumi Takizawa (o mesmo do clássico Dirty Pair) e com roteiros de Atsuhiro Tomioka (o mesmo de, pasmém, Pokémon Best Wishes 2) a série é daquelas que com certeza vai te marcar de um jeito ou de outro. Pode ter certeza que um dos protagonistas vai te cativar e causar algum impacto, de alguma forma. Isso sem falar que a série é “baseada” no famoso filme “Os Sete Samurais”, mas claro que com uma ambientação totalmente diferente do clássico. Uma dica ao assistir a série: não se apegue a ninguém. Se você for daqueles que se emociona fácil como eu, pode preparar alguns lencinhos de papel.

Rurouni Kenshin (Samurai X)

Estúdio: Gallop / Deen

Ano de Produção: 1996

Episódios: 94 episódios + 8 OVAs + 1 filme

Sinopse: No passado havia um espadachim extremamente poderoso e temido chamado de Battousai, o retalhador. Com sua espada ele assassinou incontáveis samurais e pessoas para abrir um caminho para o fim da revolução. Após o final do conflito ele sumiu e virou uma lenda. Muitos anos depois um andarilho que carregava uma espada de lâmina invertida chega em Tóquio e resolve ajudar a jovem mestra do estilo Kamiya Kashin e derrotar a pessoa que está profanando o nome Kamiya Kashin e que muitos dizem ser o terrível Battousai. A partir desse encontro, começamos a acompanhar a vida de Kenshin Himura, Kaoru Kamiya, Sanosuke Sagara, Yahiko Tenshirou e muitos outros personagens que mesmo em um período onde as espadas são “banidas”, enfrentarão muitas batalhas e encontrarão inimigos realmente poderosos e inteligentes.

Comentários: Bem, vou confessar que Samurai X tem um mangá que me deixa muito mais empolgado que o anime. Mas não tem como deixar de lado uma das séries que fizeram parte da minha infância e que me proporcionou combates épicos e que poucos conseguem repetir. Mesmo que para alguns a série tenha se tornado “datada”, podemos dizer que Samurai X ainda move uma legião de fãs que não tiveram acesso ao mangá e que assim como eu não conseguem deixar de lado a experiência com a série. Mesmo que seja longa, vale a pena reservar um tempinho semanal para conferir alguns episódios, ou pelo menos os OVAs de Kenshin e companhia. A série, que é dirigida por Kazuhiro Furuhashi (o mesmo de Getbackers e do fantástico Gundam Unicorn) pode ser definida em 3 palavras: Essencial. Divertida. Samurai X.

por Dih

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post