Hall da Fama #13: O carismático casal Isaac & Miria

O casal mais simpático da história dos animes, no Hall da Fama!

É isso aí, o Hall da Fama voltou! Peço desculpas pelo imenso hiato que a coluna passou; grande parte dos motivos envolvia o meu complicado semestre final no curso técnico. Mas aqui estou, pronta para continuar a coluna.

Desta vez quero experimentar escrever não sobre um personagem… Mas sobre dois: o casal mais querido dos animes quer dizer, isso é o que suponho, Isaac e Miria de Baccano!. E sim, de quebra será um post sequência à review da Larissa sobre o anime. [Seguem-se spoilers no texto.]

Quem assistiu Baccano! sabe que presenciou uma das maiores produções da animação japonesa. Sabe aquele tipo de obra que, por mais que pessoalmente você não goste tanto, precisa reconhecer que é algo completamente inovador e produzido com qualidade de ponta? É exatamente o que temos aqui. Baccano! é puro entretenimento cuja qualidade de roteiro não depende de ideias complexas mas sim de uma narrativa cheia de acontecimento e super criativa. Mas enfim, isso é assunto da review da Laris. Meu ponto aqui é falar sobre Isaac e Miria e sua função como alívio cômico do anime – que a princípio pode parecer pouco para a história mas não é.

Basicamente, Isaac e Miria são um casal de ladrões na Nova Iorque da década de 1930 – e por curiosidade, eles lembram um casal de ladrões que realmente existiu no mesmo período, Bonnie e Clyde. Mas as semelhanças com a realidade não vão longe: Isaac e Miria são ladrões do tipo bem inusitado, digamos: o casal é conhecido por cometer seus roubos de forma completamente estranha envolvendo uso de fantasias ridículas, (combinando um com o outro, claro), ou por cometer roubos sem qualquer sentido, como… Roubar a porta de um museu para que ninguém mais possa roubá-lo.

Isaac: “Uma vez nós tentamos roubar um museu inteiro.”

Miria: “Mas isso se mostrou impossível.”

Isaac: “Sim! Então ao menos, para impedir que as pessoas entrassem, nós roubamos a [porta da] entrada!”

Miria: “E ela com certeza estava pesada!”

(Obs: Citação ilustrativa livremente traduzida por mim.)

Idiota, não? E tem mais, bem mais.

Sim, é isso mesmo. Isaac e Miria são duas figuras caricatas e completamente… Retardadas. Em uma trama como Baccano, cheia de mafiosos, psicopatas e gangsters, eles praticamente caem na história “de para-quedas”, e sem ter a menor noção dos esquemas e perigos em que se envolvem com suas ações aleatórias. Um fórum pelo qual passei há pouco tempo mencionou que os dois “representam a descrição médica do retardamento”; é, acho que é verdade. Completamente diferentes dos tipos de personagens que costumam aparecer aqui na minha coluna.

Mas é justamente esse o encanto de Isaac e Miria, completamente capazes de deixar o público entretido com suas ideias malucas, seu clima espirituoso e sua sorte impressionante em passar ilesos (ia dizer vivos, mas bem, eles são imortais também) por todos os acontecimentos mortais com os quais se envolvem. E claro, provavelmente esses dois sequer entendem a dimensão desses acontecimentos. Afinal, eles só notaram que haviam tornado-se imortais após beber o elixir dos alquimistas (que confundiram com bebida alcoólica comum) em 2001!

Sobre Isaac, ele é o sujeito que tenta sempre parecer sagaz e esperto perante Miria, cheio de confiança de que planos como minerar ouro na Califórnia como se fosse um roubo (porque ninguém nunca pensou em “roubar o ouro da terra” e fazendo isso os dois podem entrar para a história!) ou “assaltar mafiosos que só fazem coisas ruins” vestidos de jogadores de beisebol para conseguir dinheiro por uma lembrança e uma visita a Ennis são ideias completamente fantásticas. Já Miria é pura ingenuidade e empolgação, admirando as ideias de Isaac e procurando colaborar com as próprias também – que, bem, não são nada diferentes das do parceiro. E quem consegue esquecer seus clássicos “SUGOOOII AISAKU!”? (Confesso que no começo do anime não gostava muito, mas conforme me apeguei a esses dois simplesmente me deixei levar. E sim, a dublagem, como a Larissa comentou no review, é excelente.)

Combinados, esses dois conseguem transmitir uma energia única ao anime. A própria Ennis menciona, eles “espalham felicidade sem perceber”. Como mencionei antes, eles são o alívio cômico do anime, mas de uma forma que não é um simples alívio cômico. Cada cena deles é tremendamente hilária, e de uma forma que contrabalanceiam momentos mais sérios do anime (que algumas vezes incluem até cenas gore) sem parecerem “fora do lugar”. Baccano é pura diversão, e essa dupla de ladrões contribui de uma forma em que a série seria muito diferente sem eles.

Para finalizar, deixo a vocês um bônus: um pequeno vídeo com cenas marcantes das duplas e suas confusões, achado no Youtube. Certeza de umas boas risadas e talvez alguma nostalgia.

(Não sei qual das cenas gosto mais. Provavelmente é de quando os dois lembram que esqueceram de comprar um souvenir para a Ennis. xD)

E encerro por aqui meu texto sobre uma das duplas de personagens mais divertidas da história dos animes. Espero que gostem do retorno da coluna; provavelmente postarei mensalmente de agora em diante.

(P.s.: Sim, resolvi experimentar usar um pouco mais de citação e vídeo neste post; já que estamos falando de personagens simples e cômicos, achei que demonstração funcionasse um pouco melhor aqui. Posso voltar a experimentar a ideia no futuro, digam o que acham se quiserem. :D)

por Mary

Asevedo

Formado em design editorial e assistente editorial da Panini Mangás. Leio mangás e história em quadrinhos de diversos países. Assisto animes de forma esporádica. Sempre estou no Twitter.

Related Post