Semanada – Naruto #605: Inferno

Um capítulo que Edward Cullen adoraria. Ou não.

A semana dessa pessoa que vos escreve começou e terminou meio tensa. E pra arrematar, o meio da semana trouxe esse capítulo de Naruto pra não deixar a minha cabeça em paz… Tá, talvez alguns me chamarão de louca por se deixar levar por um capítulo de mangá, mas não consigo ficar incólume a isso! E acho que alguns de vocês me entendem, né?

Naruto #605

Inferno

A Rin nunca foi uma das minhas personagens preferidas, sempre gostei mais do Obito (quando ele era normal). Mas não dá pra ficar insensível à cena dela atravessada pelo chidori/raikiri (e não briguem pela nomenclatura, rs), sangrando pela boca e caindo desfalecida no chão.

Sensação aliás, compartilhada por Obito, claro que em níveis muito maiores. O único olho do jovem Uchiha, arregalado, me passou tanta dor e desespero que vocês nem imaginam. E logo depois disso, ele parece entrar num transe profundo, enquanto Kakashi – não se sabe se arrependido ou “apenas” triste com o que fez – se aproxima do corpo de Rin.

É neste momento que Kakashi e Obito despertam, juntos, o Mangekyou Sharingan. Não fica claro quem despertou primeiro e influenciou o outro – afinal, seus olhos estão ligados, como foi mostrado no capítulo anterior. Kakashi não suporta o novo poder e cai desmaiado perto de Rin, enquanto Obito surta, se fazendo várias perguntas e se recusando a aceitar o que viu diante de seus olhos. Ele libera o poder do mokuton do seu corpo implantado e ataca os ninjas da Névoa, que acham que ele é apenas um suicida que quer enfrentá-los sozinho.

Mas Obito não é um simples ninja solitário e está totalmente fora de si. Ele usa o mokuton, com galhos saindo do seu corpo e perfura os Anbu da Névoa de modo cruel. Quanto mais o atacam, mais ele se enfurece e mata, desenvolvendo juntamente as habilidades do mokuton e do Mangekyou Sharingan.

De repente, a atenção dos ninjas da Névoa se volta para o corpo da Rin, dizendo que precisam recuperá-lo. Obito então parte ele mesmo para pegar o corpo da ex-companheira de time; os ninjas da Névoa não estão dispostos a facilitar, mas cada ninja que tenta se aproximar do corpo de Rin é brutalmente morto por Obito. E quando parece que ele está se acalmando, um grito desesperador corta o ar e o Mangekyou Sharingan sangra…

A cena seguinte, chocante como eu jamais havia visto em Naruto, é de um massacre à luz do luar. O mokuton, saindo da terra como troncos retorcidos, eleva para os céus pedaços dos corpos dos Anbu da Névoa, esmagados e misturados com o seu sangue que pinga no chão, formando uma poça em torno de Obito.

E como se essa cena não fosse impactante o suficiente, ainda temos Obito se perguntando onde está, com uma visão do corpo de Rin inerte no chão e o rosto do Uchiha com o sharingan sangrando, enquanto o outro olho chora… para Obito, este lugar é o inferno.

Algumas pessoas reclamaram pelo capítulo não ter texto e novamente não ter respondido perguntas. Mas para quê texto com essas cenas? Não havia melhor modo de mostrar o desespero de Obito ao ver a pessoa que ele mais amava ser morta pelo seu melhor amigo. Outros questionaram que isso não era motivo para Obito surtar do modo que aconteceu, que ele é apenas um jovenzinho…

Mas compartilho aqui uns pensamentos que li em fóruns: não podemos comparar a vida deles com a vida de um jovem “normal”. Ninjas (ao menos na história), são treinados para matar aos 12 anos. Voltando à época do time Minato, eles com a idade que o time 7 se formou, já estavam no meio de uma guerra e Kakashi já havia sido promovido à jounin. Obito provavelmente era cobrado e até mal visto no clã Uchiha, por não ser um exemplo de ninja forte. Por isso, talvez Kakashi e Rin fossem as pessoas mais importantes para ele e é visível que além do amor por Rin, ele desenvolveu uma certa obsessão pela menina. A motivação de viver embaixo da terra, convivendo com Madara e suas bizarrices, era reencontrar os dois. E chegar à superfície e ver quem ele amava ser morto por quem ele confiou à proteção me parece motivo suficiente para perder o controle. O amor que se transformou em ódio, lembram-se do que eu disse no Semana passado?

O que não me impede de continuar pensando que tem dedo do Madara nessa história, não adianta! Voltando ao que eu disse semana passada, é tudo acontecendo de modo muito conveniente para que Obito desenvolva o Mangekyou e o mokuton, como foi observado pelo Zetsu-armadura – que inclusive disse que entendia porque Madara havia escolhido o jovem Uchiha.

E a outra coisa que chamou a atenção no capítulo foi o interesse no corpo da Rin (sem maldade por favor :P). Logo de cara, os Anbu da Névoa falam do Kakashi a ter acertado, logo agora que eles quase haviam conseguido colocar as mãos nele… e depois se preocupam em recuperar o corpo, que o inimigo não poderia pegá-lo. O que será que esse corpo esconde? Rin seria mesmo uma espiã? Ou como alguns teorizaram, seria ela uma Senju, ou quem sabe, uma Uzumaki? Ou teria algum outro poder importante?

Finalizando, vocês já devem ter percebido que gosto de responder a alguns comentários do post do Semanada. Mas mesmo que não responda, eu leio todos e fico muito feliz com o apoio, as sugestões, críticas, etc de vocês. Muito obrigada por darem essa importância ao Semanada, são vocês que mantém a coluna viva!

Asevedo

Formado em design editorial e assistente editorial da Panini Mangás. Leio mangás e história em quadrinhos de diversos países. Assisto animes de forma esporádica. Sempre estou no Twitter.

Related Post