Confira detalhes de Lúcifer e o Martelo, novo mangá da editora JBC

Hoshi no SamidareHoshi no Samidare sai em Junho no Brasil.

A editora JBC divulgou nessa segunda feira mais um Henshin On-line com novidades sobre seu lançamento de Junho – Lúcifer e o Martelo.

Hoshi no Samidare é um mangá seinen de Mizukami Satoshi publicado em 2005 na revista Young King Ours da Shounen Gahosha. A série possui 10 volumes completosMisturando ação, drama, fantasia e até comédia, Hoshi no Samidare é uma aposta da JBC de um mangá seinen com diversos elementos que atraem também os fãs de shounen. No Brasil, o título será Lúcifer e o Martelo e chegará às bancas em junho no formato 13,5 x 20,5, com uma média de 200 páginas em papel bright 52g, lançamento mensal e ao valor de R$ 13,90. A primeira edição terá 224 páginas, sendo que 8 delas serão coloridas. Tradução de Luiz Kobayashi. Abaixo você confere a capa do lançamento.

Samidare 01 Capa.indd

A história de Hoshi no Samidare se passa em um mundo que corre um perigo mortal. Sir Noi Crezant, o “Cavaleiro Lagarto”, foi enviado para ganhar a ajuda do grande guerreiro Amamiya Yuuhi na esperança de encontrar a princesa Samidare e proteger o planeta do incrível ‘Biscuit Hammer’, uma arma pronta para dividir o planeta Terra em dois. O problema é que o caminho que ligará Yuuhi e a princesa não é algo assim tão fácil quanto parece e ambos terão que provar muitas coisas para conquistarem seus objetivos.

Dih

Dih

Paulistano, 27 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Hoje é editor assistente da Panini Mangás e colecionador compulsivo de quadrinhos em geral.

Related Post

  • Sennaffogo

    Fala sério, a JBC é imbecil ou o quê? O_O
    Não falo nem do título ter ficado enorme e colorido demais sem necessidade, mas puerra!!!, vivemos no país mais católico do mundo, ainda cheio de palhaçada e fanatismo com relação a certas coisas, especialmente o religioso… Quem foi o idiota que teve a “BELÍSSIMA” ideia de colocar ‘Lúcifer’, em letras garrafais, como título de um mangá?? O.o
    Já não basta todo preconceito que nós otakus sofremos naturalmente neste país de merda, ainda precisamos que alguém de dentro faça uma presepada desta??
    Go to hell JBC! U_U. E olha que eu pensava que não poderia existir nada pior este ano do que o simples fato do lançamento de Corpse pela NewPOP. Editoras brasileiras sempre concorrendo pelo título de pior cagada do ano…….¬¬

    • Mike Cross

      Neem tanto assim talvez. Aliás, seria uma ótima oportunidade de, durante a minha viagem casa-´trabalho, eu sacar o mangá para lê-lo, esperando algum pobre coitado perceber o título e eu simular um olhar psicótico só pela zuera! XD

    • Eu gostei, inclusive eu só comecei a ler a série porque achava o nome “The Lucifer and the Biscuit Hammer” muito bizarro, acredito que assim chama atenção, hehe.

    • Brunno

      Contenha os ânimos Sennaffogo, o que vale é o conteúdo.

    • Dih

      Lembrando que a gente já tem Beelzebub no Brasil. Não entendi esse alarde todo…

      • Sennaffogo

        O título brasileiro de Beel está como “O Bebê Diabo” ou algo que faça menção em PORTUGUÊS-BR ao capeta, demônio, ou algum outro sinônimo?? Não! Portanto não é mesma coisa @Dih.

        @Brunno, sim, o que vale é o conteúdo… pra NÓS! Para quem é fanático isto não importa, mas nem de longe, se você quer saber. u_u

        A maioria das pessoas aqui é nova demais para ter visto como algo deste tipo pode ser prejudicial. Alguém aqui do sensacionalismo que fizeram com Yu-Gi-Oh! tempos atrás??
        É claro que tinha um outro componente por trás da história, mas ainda assim, aquilo ali em menor escala é visto e vivido por muitos de nós cotidianamente. Quando eu falo que é melhor deixar os títulos originais, SEMPRE, nêgo fala que não, reclama, argumenta e blábláblá.

        Para mim, ou melhor, para nós, não há problema algum, a maioria dos otakus é bem esclarecida ou nem religião tem…. isto passa por outras questões. Bem, minha opinião. Fizeram uma bela d’uma merda e ponto.

      • Mike Cross

        @Sennaffogo Uma regra da vida: se uma pessoa tem um preconceito explicito, não importa contra quem seja, não passa de um babaca.
        Então, relaxe, pegue uma cerveja e aprecie o mangá! 😉

      • Sennaffogo

        @Mike Cross, concordo, realmente eu poderia relaxar e deixar todo o resto para lá, mas me preocupo com o mercado e com o descaso que as editoras têm em relação aos nossos queridos mangás…..
        Mas além destes componentes já falados, eu detestei esta capa, ficou feia demais, e o título mais uma vez não me agradou mesmo, o original é quase sempre melhor. E título por título, ainda acho que ficou pessimamente adaptado.

      • Dih o problema é o título. Beelzebub, colocando o “B” no final muda um pouco, mas colocar o “Lúcifer” e ainda assim grande…
        Aliás, outro dia eu tava lendo Beelzebub e uma velhinha viu o título e disse: “Pare de ler essas coisas, os demônios vão te levar pro inferno!”
        Ela me seguiu por uns minutos, té cansar, dizendo que aquilo iria me levar pro inferno, justamente por causa do título…
        Eita, é por isso que sou ateu.

      • Sennaffogo

        @Mi Ka DXD, exatamente. Primeiro: ‘Beel’ tem duas letras “E” e depois ainda tem o B lá no final. Segundo: “Belzebu” nunca foi uma palavra de forte infiltração no cotidiano de povo. É uma palavra mais difícil de ser usada, por isto nem vi nada no título em questão. Eu mesmo não estranhei nada em ‘Beel’ mesmo antes dele vir para o Brasil, nunca nem havia feito tal ligação… Diferentemente de ‘Lúcifer’, ou alguma outra que tenha maior penetração no cotidiano/na cabeça das pessoas. E como eu disse desde o começo, em letras garrafais ficou pior ainda. Enfim, a capa foi desastrosa…..¬¬

      • csj

        Eu também não entendi o porque do espanto do nome Lucifer… até parece que não sabe que Lucifer era o anjo mais proximo de deus que foi exilado por amar deus demais.

    • Sinceramente, não tem problema nenhum.
      O que não gostei é que achei um pouco “infantilizado” o tiitulo. Talvez pelas fontes usadas ou por ficar simples demais: “Lucifer e o Martelo”.
      O titulo “The Lucifer and the Biscuit Hammer” ficaria mais legal. Lembro que a mesmo questão rolou quando Mirai Nikki veio com o nome de Diario do Futuro.

      • Sennaffogo

        @haag2, será que fizeram isto para tirar um pouco o peso da palavra demoníaca?? O.o kkkkkk

    • Como diria um grande pensador brasileiro: “Sabe de nada inocente.”
      E tem mais uma! “Não gostou. NÃO COMPRE.”

      Para de reclamar… Otakinho BR é sempre assim se traz tal título reclama… Se não traz o título reclama igual. Para de chorar e de graças de trazerem um mangá bom como esses para cá.

      ESPERO só pelo hu3 que o nome de Magi fique como: “O Labirinto Infinito e mágico do Kpetinha.”

      • milenart

        O cara ñ reclamou da vinda do título pra cá, e ñ é como se alguém fosse deixar d comprar o mangá q gosta só por causa do título. Acho q ele só tava preocupado cm a repercussão q teria ou algo assim. Tipo, se minha mãe visse eu chegando em casa cm o mangá cm Lúcifer grandão escrito na capa, ela já cairia matando pra cima d mim XD(o mesmo cm Beelzebub). Isso já aconteceu aki em casa =/(jogando Persona).

      • Marina

        Kkkkkkkkk
        To começando a ficar com medo das adaptações dos títulos que saem pela JBc, não que as outras não aprontem também!

        Ps: do tipo que sim, deixa de comprar se não gosta da qualidade/adaptação da edição, dane-se o comércio das editoras nacionais, a internet e o book depository estão aí pra isso.

      • Rafs o cara não reclamou sem motivo, mas ele está demonstrando preocupações pelo mangá que ele gosta e sobre a rejeição que ele pode receber pelos religiosos. Ou ainda se vc comprar esse mangá, vai saber se nenhuma velhinha louca religiosa vai querer te apredejar na rua?
        Fora que, de fato, a capa não está bonita.
        Eu preferiria que viesse com o nome original, mas… Pelo menos veio. E pelo menos deviam deixar o título em inglês.

      • Sennaffogo

        @Rafs, como bem disseram a @milenart e o @Mi Ka DXD, eu não reclamei do mangá especificamente, reclamei do título que a nossa editora resolveu usar, se você não entendeu isto, paciência.
        Até penso em comprar o mangá porque ele é finalizado e tem poucos volumes, mas enfim…. se você não sabe da missa a metade, não saia soltando besteiras aos 4 ventos.

        Outra coisa, assim como a @milenart, sofro com minha mãe com relação a mangás e animes há muito, muito tempo. Desde que voltei a este mundo(em 2004), de vez e de cabeça, ela enche meu saco com isto. E olha que eu nem compro tanto mangá quanto algumas pessoas daqui compram, e raramente compro a preço de capa, imagina se comprasse como a maioria das pessoas daqui?? Estaria fud***! E depois que a mãe de um amigo que inseri neste mundo, fez a cabeça dela com N histórias, minha mãe ficou pior ainda. Ela odeia tudo que tem relação com isto. Portanto, quando eu falei de preconceito e fanatismo, falei com conhecimento de causa, tenho argumentos, casos alheios para exemplificar e, principalmente, vivência/experiência própria com a coisa toda de modo profundo (e não só dentro de casa).

        Só para vossos conhecimentos, uma das balelas que a mãe do amigo em questão citado acima chegou a falar para minha mãe, e depois tentou me persuadir, era a de que o símbolo de Konoha (na época meu amigo estava no vício Narutístico…xD) era coisa do demônio! O.O Até aí nenhuma novidade…kkkkk. Disse também que o autor da série fez um pacto com o dono do ‘terra ardente’ para fazer tal sucesso e ganhar muito dinheiro…..LOOOL. E ainda me deu um papel com alguns dos símbolos que representam coisas do cara lá de baixo, como a estrela de 5 pontas virada de cabeça para baixo http://2.bp.blogspot.com/-eFwn734NEL8/TrKt9POR2nI/AAAAAAAABf4/Z0ZNd8EWIio/s1600/baphomet.jpg , a Cruz de Nero e o ‘Yin e Yang’. Ela era (muito) fanática, mais do que a minha mão jamais tinha sido; depois que minha mãe passou a dar ouvidos a ela, ficou MUITO pior com relação a mim e a este mundo dos animes/mangás, entrando para o grupo dos fanáticos, estando lá até o presente momento.

      • Sennafogo…
        Cara… vc está surtando demais por pouca coisa cara… No mangá tá escrito “Lúcifer”… e não capeta; demônio, satã ou coisa parecida. Acredito que Beelzebub chega a ser até um pouco mais polêmico. Deixa de pessimismo e até um pouco de “religiosidade fanática”. O mercado editorial brasileiro está cheio de coisas do tipo como a capa do livro: “Condenada” de Chuck Palaniuk (o mesmo autor de “Clube da Luta”. Nas lojas se vê jogos como “Diablo”, “Resident Evil” e a mídia nunca caiu matando. Se vê filmes como: “A Morte do Diabo”, “Reencarnação do Mal”, “Do Inferno” e outros muito mais bizarros…

        Você com certeza é daqueles que acreditam que as músicas da Xuxa contém letras em louvor ao tinhoso…??

        Na sua casa se alguém escutar Highway to Hell… sua vovozinha já vem kerendo te da um esporro???

        Esses otakus de hoje em dia tem o prazer de reclamar e botar defeito em tudo (na maioria das vezes em algo que nem em mãos vio)

      • Sennafogo…
        Cara… vc está surtando demais por pouca coisa cara… No mangá tá escrito “Lúcifer”… e não capeta; demônio, satã ou coisa parecida. Acredito que Beelzebub chega a ser até um pouco mais polêmico. Deixa de pessimismo e até um pouco de “religiosidade fanática”. O mercado editorial brasileiro está cheio de coisas do tipo como a capa do livro: “Condenada” de Chuck Palaniuk (o mesmo autor de “Clube da Luta”. Nas lojas se vê jogos como “Diablo”, “Resident Evil” e a mídia nunca caiu matando. Se vê filmes como: “A Morte do Diabo”, “Reencarnação do Mal”, “Do Inferno” e outros muito mais bizarros…

        Você com certeza é daqueles que acreditam que as músicas da Xuxa contém letras em louvor ao tinhoso…??

        Na sua casa se alguém escutar Highway to Hell… sua vovozinha já vem kerendo te da um esporro???

        Esses otakus de hoje em dia tem o prazer de reclamar e botar defeito em tudo (na maioria das vezes em algo que nem em mãos vio)

    • Victor

      Também não entendi a razão dessa indignação toda.
      O que é que tem ter “Lúcifer” no título? Vai mudar a história por acaso?
      Achei a escolha do nome do título aqui no Brasil aceitável, se quiser ficar de mimimi por causa do nome, você ou qualquer outra pessoa pode simplesmente não comprar, certo?
      Você não consegue aceitar gêneros ou ideias diferentes do seu gosto, como dá pra perceber pela revoltazinha pelo lançamento de Corpse Party Musume.
      Só consigo perceber um/uma hater que reclama de tudo e nunca está satisfeito.

      • Victor Beleza, o mangá é bom isso eu sei, mas vá sair na rua com um título desses, e vá pra frente da igreja. Se sua mãe ou o padre verem, vão querer te exorcizar!
        A falta de tolerância religiosa deste país e em outras partes do mundo pode levar a brigas sem motivo, a pessoas te apredejando ou dizendo que tu é um seguidor do demo. Fora que isso pode levar muitos reforçarem que mangá é coisa do demo (coisa que, claro, NÃO É).
        Resumindo: Só vai fortalecer o preconceito e o número de pessoas que vão se incomodar se o verem lendo um mangá com esse título.

        • milenart

          se minha me for inventar d qeimar meus mangás q nem foi cm as cartas d yugioh alegando q é do demo….ai ai…nem sei viu

      • milenart

        *mãe

      • Sennaffogo

        @Victor, a resposta que dei para o @Rafs, serve um pouco para você também……u_u
        Mas vou complementar algo para ti. “O que é que tem ter “Lúcifer” no título?”. Além das coisas já ditas, me responde então uma coisa: o título original tem algo a ver com Lúcifer? Se sim, a gente então pode começar a discutir…

        “Você não consegue aceitar gêneros ou ideias diferentes do seu gosto, como dá pra perceber pela revoltazinha pelo lançamento de Corpse Party Musume.” -> hahahaha, uma grande asneira tu disseste. Primeiro, eu posso ser julgado só porque não aceito o lançamento de um mangá que na minha opinião é ridículo e fraco? É o que parece que você, como se fosse um ser superior, está fazendo. Eu posso sim não aceitar, afinal, a discordância é minha, é a minha opinião, e assim como discordo e respeito a de outrem, podem discordar da minha, e respeitá-la também.

        “Só consigo perceber um/uma hater que reclama de tudo e nunca está satisfeito.” -> me diga por que eu deveria estar satisfeito com um mercado de mangás que parece ainda não ter saído das fraldas (mesmo após 15 anos do boom), está pior a cada dia em se tratando de preço, tem uma qualidade de merda, lança trocentos títulos de uma vez sem ter mercado para isto, não tem pesquisa, não divulga vendas e não tem um planejamento minimamente razoável para coisas simples como esta da capa de HOSHI NO SAMIDARE? Por quê?? Eu realmente deveria estar satisfeito com isto? Se você está e discorda da minha opinião com relação ao mercado, o problema é seu e somente seu, eu não estou satisfeito e ponto final, ora bolas… Discorde de mim, mas respeite minha opinião, assim como eu respeito a de todos aqui, valeu?

        Como bem disse o @Mi Ka DXD, a intolerância religiosa deste país e em outras partes do mundo pode levar a brigas sem motivo, a pessoas te apedrejando ou dizendo que tu és um seguidor do demo. Podem achar isto um exagero, mas não, não é. Do jeito que as pessoas andam intolerantes umas com as outras, isto é realmente capaz de acontecer. Eu particularmente não duvido. Esta capa tende a reforçar preconceitos e fanatismos sem sentido. É uma coisa tão óbvia que dá até vontade de rir da idiotice de quem teve tal ideia. Um profissional tem que estar atento a estas coisas, nota zero para a JBC neste caso.

        @milenart, minha mãe já falou várias vezes que queria ver o que eu iria fazer se os meus mangás pegassem fogo. Implicitamente, qual foi o recado que você acha que ela me deixou nesta frase, talvez, dúbia??

      • Kamuiih

        Na boa Mi Ka DXD, dsd quando preconceito e intolerância foi motivo pras pessoas deixarem de fazer algo q gostam, da msm forma q aki os religiosos hipócritas n respeitam os otakus, em lugares do oriente cristãos são queimados vivos por pregar o q acreditam, então vamos parar de cuspir no prato q comemos e agradecer pelo fato de termos mangas nas bancas dos nossos municípios

      • O povo tem de entender uma coisa: Não é que o título deixe o mangá ruim, a história é boa, eu vou comprar. O problema é que neste mundo é religião brigando por religião, e vários fanáticos cristãos querendo processar a JBC.
        Vamos olhar com os olhos das religiões: Há alguns meses, acompanhei um anime chamado “Makai Ouji” que colocava demônios como heróis e anjos como vilões. Beleza, só algo assim iria fazer muitos cristãos arrancarem os cabelos. Mas aos olhos dos japoneses (que em sua grande maioria são budistas ou xitoístas) isso seria uma coisa bem normal, fora que até na ásia há falta de tolerância religiosa.
        O que me preocupa é que com um título desses, quero ver suas mães e/ou avós querendo tacar fogo neste mangá que vc gastou não sei quanto de dinheiro pra comprar. As chances de dar em merda são grandes, e é uma pena que seja justamente com um mangá com uma boa história.

    • Crono

      Sennaffogo, eu acho que vc tá certissimo. A intenção da editora é vender bem e lucrar com o mangá, mas esse título instantaneamente exclui uma quantia considerável do publico.

      Não deveria ser novidade pra ninguém o quanto nosso país é super intolerante e religioso. Acho que a JBC de mole ai também.

      Sobre o mangá, é um dos melhores que já li. Não passa domingo de noite na globo, mas é Fantástico

      • Crono, concordo com você!
        Vejo muitos dizendo que somos haters por estar reclamando, até entendo que aos olhos dos otakus isso é algo normal, mas olhando pelo ponto de vista dos não-otakus e religiosos, isso dái foi um chute errado da JBC, a JC se deixou entregar para o Titã Colossal!

      • Crono… assim como pode excluir certo público, pode tbm atrair outros.
        Não e segredo pra ngm que a época da juventude as pessoas busquem algo mais rebelde, ouçam músicas mais rebeldes, etc e tal.

        Quando foi que o título de algum filme excluiu público; pelo contrário… no lançamento do “Código da Vinci” eu lembro do padre falando que os verdadeiros católicos e cristão que creêm em Deus jamais assistiriam um filme daqueles, que blasfemam contra Jesus Cristo; e na realidade isso apenas serviu como propaganda para o filme…

      • Gabriel

        Sennafogo, realmente n entendo pessoas como ele.O cara faz de tudo pra dar uma imagem de que ele é o ”certo”,se você simplesmente quis dar sua opinião em relação á capa e a escolha do titulo ,beleza,mas tem q ficar forçando a todos a ideia de que a sua opinião é a certa?

        Realmente, assim como vi em algum comentário,títulos como ”Diablo” ou nome de filmes de terror, a mídia não critica muito. Beelzebub pode ser ”confundido” pelo religiosos fanáticos como sendo algo satânico,mas o que importa é se você gosta ou não da leitura.

        O cara se importa muito com a imagem pública, como se a os ”otakus” ou ”nerds” tivessem que mudar para serem aceitos pela sociedade,e não a sociedade se adequar a eles.

        Caso você não fosse influenciado pela sociedade,que acha que Lucifer é algo ” do demônio”, sugiro você pesquisar mais sobre o assunto e ver o quanto da ”verdade” sobre a religião que te disseram é mesmo verdade ou não …

    • Kall Su

      Concordo!!!

    • Hud

      Na verdade, as pessoas “normais” não ligam se você compra um “gibi” com ‘Lúcifer’ em letras garrafais na capa, no máximo você vai ter de esconder o volume da sua avó. De resto, tá de boa.

      • Hud

        Aliás, rolaria mais polêmica se a JBC tomasse partido na guerra “biscoito x bolacha”, isso sim.

      • Sennaffogo

        Valeu aê @Crono pelo apoio. =)

        @Hud, kkkkkkk, eu tive que rir desta. Na verdade eu já não tenho vó, mas de qualquer maneira eu nunca morei com ela, mas enfim, você acha que eu não escondo certas coisas da minha mãe? xD. É, só para evitar confusões e discussões desnecessárias…..=)

    • kelvlin

      Quem lê mangá não vai se importar com isso. O público-alvo desse mangá serão os adultos (como todo seinen que se preze). Ou seja, a maioria deles tem alguma renda própria (por mínima que seja, tipo a minha T_T) e não precisa se preocupar com os papais moralistas dizendo que “não vão comprar um negócio que, além de ser do capeta, tem o nome dele na capa”…

      p.s. Se algum moleque se interessar pelo mangá, e os pais barrarem, eles podem usar o mesmo recurso que usam pra comprar a Playboy escondidos deles.

    • Kamuiih

      Cara na boa, preconceito sempre vai ter, nem precisa d um nome desse, eu tenho religião e msm sendo mais indiferente a essas coisas ainda tem um tabu, mas eu nem preciso chegar com um manga assim em casa pra minha mãe falar “Jah ta com esses gibi do capeta” então pra mim e pra mtos outros tanto faz qnt tanto fez. As traduções da JBC sempre dxa todo mnd fulo – AMAAN e KISSIN, q merda eh isso – mas fazer o q, pelo menos esse manga chegou, n sei pq mas tah valendo, ainda espero por Sakamichi No Apollon..

      • Esse mangá também é traduzido pelo koba, ele faz uma adaptação não uma transliteração, eu pessoalmente acho a tradução de soul eater uma das melhores dos mangas BR

    • carlinhos ateu satanico

      ainda bem eu sou satanista e por isso gosto mais assim

    • The lucifer and biscuit hammer
      Lúcifer e o Martelo

      Uma tradução honesta para o título original, e acrescento ainda, a JBC ou qualquer editora de mangás não tem culpa se pessoas ignorantes, neste caso, que desconhecem o real sentido da palavra ou não tem conhecimento sobre determinado assunto (mangá/animes/filmes/series), por muitas vezes criem boatos ou falsas crenças meramente por simbologismos ou termos que imaginam saber o que significam, pessoas quem veêm o mal aonde a sombras, o que faz o mal para as pessoas Sennaffogo?, uma cultura de quadrinhos, mangás ou pensamentos totalmente distorcidos e fanáticos sobre assuntos que a pessoa nem sequer se deu ao trabalho de ler e pesquisar. Só digo uma coisa, não podemos ser o que as pessoas ao nosso redor querem que sejamos.

      Então para não haver problema: Estrela da Manhã e o Martelo
      hahaha, tem o mesmo significado, =)

      “Lúcifer: Significa “estrela da manhã”, “filho da alva” ou “o que brilha”, “o que traz luz”.

      Tradicionalmente é um dos nomes atribuídos ao diabo, também conhecido na Bíblia como Satanás.

      A palavra lucifer foi usada na versão em Latim da Bíblia, a Vulgata, para traduzir a palavra hebraica heylel. Era o nome dado ao planeta Vênus, e na passagem de Isaías 14:12, de onde é retirado, está se referindo a um rei babilônio.

      Apenas mais tarde os cristãos começaram a associar o nome Lúcifer ao diabo, aplicando a passagem em Isaías como descrevendo o que aconteceu a Satanás quando caiu do céu.”

      Fonte:http://www.dicionariodenomesproprios.com.br/lucifer/

      • Sennaffogo

        @Lorde, “não podemos ser o que as pessoas ao nosso redor querem que sejamos.” -> concordo plenamente, temos que ser o que desejamos ser, o que queremos ser. De fato.
        É como eu venho dizendo, mesmo que implicitamente, o problema não somos nós, e sim os seres (des)humanos, desprovidos de inteligência, discernimento e bom senso, que caminham ao nosso redor. Todos os dias temos exemplos práticos de coisas que acontecem a muita gente, que poderiam acontecer conosco, por algo totalmente banal…
        O buraco da situação é um pouco mais embaixo meu caro. E mesmo que o significado seja outro, a associação atual do ‘capeta’ ao nome ‘Lúcifer’ é que vigora hoje em dia, e não o significado que você nos mostrou.

        • Kamuiih

          Sennaffogo se manca cara, q diferença teria em deixar inglês, esconder o nome dos menos fluentes? O sentido é o mesmo nós so estaríamos nos escondendo, para de ser menina, todo otaku já sofreu preconceito – dsd a época de Naruto – reclama com o autor de ter colocado um nome q seja adaptado dessa forma. N vejo problema algum em colocarem Lúcifer (e sou cristão protestante), conheço um certo caso q o nome simplesmente era SATÃ, e antes q vc fale q n tem nada a ver uma coisa com a outra, o Japão por si só é uma nação pagã, seria estupidez tentarmos ao menos abafar isso..

      • Sennaffogo

        @Kamuiih, não vou dar muita trela pra você porque se não eu me rebaixaria também, mas me diga onde foi que EU disse sobre deixar o título em inglês?? O_o
        Então, faça-me um favor: aprenda a ler, depois disto a gente começa a conversar…

        • Kamuiih

          Sennaffogo querido, se vc n quer me dar trela simplesmente significa q vc n tem argumentos pois se a questão fosse se rebaixar vc n teria dado trela pra 1/3 dos comentários q respondeu.. Sobre deixar o titulo em inglês eu simplesmente dei a minha opinião quanto aos demais comentários q falaram sobre isso pois eh fato q a língua inglesa se aproxima mto do nosso idioma, e se o sinhozinho soubesse interpretar – n tem fundamento fala q eu n sei ler, cresce bb – veria q o problema n eh a jbc sendo q lah fora tbm adaptaram pra LUCIFER e a maioria das editoras brasileiras de mangas qnd n sabem como adaptar o titulo tomam como base as editoras estrangeiras

    • iury

      O título é esse , se o povo brasileiro é imbecilizado…não é culpa da JBC

    • biazacha

      Vai ter o efeito contrário cara. Até pra quem é religioso, os compradores de mangá ou já estão tão acostumados com julgamentos que apertaram o botão do foda-se ou são zueros – tipo gente que lê certos títulos no metrô pra qualquer um ver…. então vai chamar a atenção e aposto que muita gente vai comprar o 1 pelo nome inusitado e ver se compensa investir.

    • Nix

      Na moral, foda-se se tem gente que vai gostar ou não, preconceito sempre vai existir, se for assim as pessoas que possuem gosto e estilo diferentes vão fazer o que? Enfiar a cara na terra e se esconder?
      Se você gosta foda-se o resto.

  • Capa muito bonita !

  • René

    é bom?

  • Mamâe passa na banca e compra Lucifer e o Martelo pra min?
    Mamâe engasgando -> hgurrht cof cof, o que meu filhooooo??
    uauahuahauhuahuua!

    Se bem que eu não vejo problema nenhuma no titulo… se fosse O Politico e o Martelo, ae sim, eu ficaria preocupado..

    😉

    • Sennaffogo

      Huahuahuahua, boa @Lourival. Mas no caso, eu não ficaria preocupado, eu JÁ ESTOU preocupado. xD

  • Mt barulho por causa do título. Não vi nada d+ e olha q sou católico, trabalho numa igreja e formado em teologia…. No mais gostei do traço, mas ñ do preço e fiquei tentando entender d onde vem o Lúcifer do título e qual a desculpa da JBC pra títulos traduzidos como Nura e outros conservados como Rurouni Kenshin

    começo a temer pela tradução revisada de Yuyu Hakusho

    • milenart

      Para oq q eles iam adaptar Yu yu hakusho? Acho q ñ tem mt coisa pra dar errado, e td mundo conhece como yu yu hakusho desde pivete mesmo.

    • Não há segredo nas traduções. Há casos e casos. Rurouni Kenshin, por exemplo, foi imposição dos japoneses, sabe-se lá o porquê. Já Nura é um caso de tradução normal: o título original foi traduzido para outros países e a JBC fez o mesmo, apenas isso.

    • Douglas Armando “Não vi nada d+ e olha q sou católico, trabalho numa igreja e formado em teologia…. ”
      Se você tem tolerância com os mangás, então tudo bem. Para nós, não é nada demais, mais para os extremistas.
      Muito legal vc entender que isso não é do demo como vi muitos religiosos NÃO fazerem, meus parabéns. Queria que todos os religiosos entendessem que é só um mangá e não um livro Iluminati satânico.
      “começo a temer pela tradução revisada de Yuyu Hakusho” Provavelmente a JBC vá deixar como no original, pois até mesmo no Brasil seu anime ficou com esse título.

      • Filipe

        Também não entendi o pq da gritaria por causa do nome, sou evangélico/nome e nem por isso acho que por causa de um nome eu não deva dar uma olhada para ver se é bom….fiquei curioso também por causa do nome.

      • Sennaffogo

        @Douglas, eu também sou católico e como disse anteriormente já tive minhas próprias experiências para fundamentar o que estou falando. Na igreja que eu frequento tem vários outros fanáticos…..

        É verdade. Para o quê eles iriam adaptar YuYu Hakusho?? O.o Não faria NENHUM sentido tentar traduzir ou adaptar tal título… E como eu sempre digo, os títulos originais são sempre os melhores.

        @Mi Ka DXD, “Queria que todos os religiosos entendessem que é só um mangá e não um livro Iluminati satânico.” -> pois é Mi Ka, eu também… eu também…

      • Opa! Quanto ao YUYU HAKUSHO o meu temor não fica pelo título, mas pela tradução dos diálogos. Yusuke é famoso especialmente pela linguagem aki no Brasil, com termos, gírias e adaptações certeiras. Quando a JBC falou em tradução revisada, fiquei preocupado que essa revisão leve um pouco dessa magia a ponto de trocar por gírias e diálogos mais atuais, tirando clássicos como trapizomba, ou “você é grande, mas não é dois e eu sou pequeno, mas não sou metade”.

      • Sennaffogo

        Ahhhhh tá!! @Douglas, sendo este o caso, realmente é para se ficar preocupado…
        Poutz….. se a JBC fizer uma troca de termos no YuYu, vai ser tenso para quem já conhece a obra e pretende comprá-la (ou comprá-la novamente). Talvez uma das piores cagadas da história dos mangás por aqui.
        O mangá não será o mesmo, com certeza, pois são estas frases que dão uma ‘comicidade’ maior ainda ao título. Sem estas frases de ‘impacto’, acredito que YuYu nunca seria tão idolatrado por aqui…..=)

  • milenart

    Essa coisinha d cara fofa é um seinen? Wooo ‘.’
    Vou dar uma pesquisada mas provavelmente vou passar por razões monetárias…mas se eu gostar mesmo sempre há um jeito.

  • Marina

    Uuuuuurgh…
    Eu realmente não gosto quando fazem as traduções de títulos….
    O título em inglês ou “HOSHI NO SAMIDARE” estaria ótimo, e o preço de tudo cada vez fica mais caro, saudades de quando podia comprar um mangá com o dinheiro de três dias de lanche da escola.

  • Com um título desses, prevejo muitos religiosos querendo processar a JBC.
    Depois ficam falando que mangá é coisa do demo, olha um incentivo!

    • Isso aqui ainda é publicado no Brasil e ninguém fala nada^^: http://megaarquivo.files.wordpress.com/2011/11/brasinha-03-01.jpg

      • Puxa, então ainda há uma esperança de termos uma tolerância religiosa no pais algum dia?

      • Sennaffogo

        Huahuahuahuahuahua, eu ri do capetinha ‘foguento’. xD
        Bem humorado você, @jptozetti, esta aí foi ótima, parabéns, tirou lá do fundo do baú. MWAHUAHUAHUAHUA.

        @Mi Ka, você acreditou mesmo que isto ainda é comercializado? Kkkkk, foi zoeira total dele. Porque isto aí não vende mais em banca nem ferrando, talvez, eu disse TALVEZ, só e somente só, em sebos. Cara, este quadrinho é de quando nós nem éramos nascidos. Pow, o negócio é da época do Cruzeiro Novo…. década de 60….! LOL

      • Porra, é verdade! Não é de verdade!
        Droga, acabou-se minhas esperanças!

  • E os babacas do politicamente correto chegaram ao mundo dos mangás.
    Parabéns pela hipocrisia e preconceito com um título. Qualquer título existem pessoas que condenam, xingam, abominam por N motivos, vai de cada um optar por comprar ou não. Em nenhum momento colocaram uma arma na tua cara e te obrigaram a gastar o seu dinheiro com ele.
    Se você tem essa visão antiquada e de se importar nesse ponto quanto ao que você lê está na hora de rever seus conceitos, ou você acha realmente que o titulo em outra língua vai ser mais “correto”? O que te falta é coragem para largar o seu medo de mostrar do que gosta e se vierem com intolerância para cima tenha a dignidade de não se submeter a tais pensamentos retrógrados.
    No mais, é um título que não me despertou tanto interesse para adquirir de forma mensal, como a coleção está completa vai ser interessante comprar os 10 quando encerrar a publicação. para quem pretende comprar eu falaria para assinar, geralmente o desconto da JBC é bom.

    • Sennaffogo

      @Asevedo, quanto ao ‘babaca’, a recíproca também é verdadeira. =)
      Você é mais um que não entendeu absolutamente nada, e parece vir querer pagar uma de que “fod*-se o mundo que eu não me chamo Raimundo”…..¬¬
      1º: “Em nenhum momento colocaram uma arma na tua cara e te obrigaram a gastar o seu dinheiro com ele.” -> e desde quando eu disse que isto aconteceu??
      2º : “você acha realmente que o titulo em outra língua vai ser mais “correto”?” -> depende da língua meu caro colega, se for a língua original, sim, É SIM o título mais “correto”. Como eu disse, sou sempre a favor de deixarem o título original.
      3º: “O que te falta é coragem para largar o seu medo de mostrar do que gosta e se vierem com intolerância para cima tenha a dignidade de não se submeter a tais pensamentos retrógrados.” -> Nossa! Que balela….. você interpretou erroneamente a situação, então isto que tu disseste nem vou levar como julgamento alheio. Mano, eu não tenho este medo não, mas experimenta abrir um mangá como Love Junkies/Sade ou abrir uma revista Playboy/Sexy/G Magazine num ônibus/trem/metrô para ver os olhares esquisitos que irão em sua direção….. experimenta. A premissa vale para este mangá também.
      Como eu disse, eu temo é pela segurança das pessoas que lerão o mangá. A intolerância e a agressividade das pessoas aumentou absurdamente, e olha que eu praticamente não assisto mais TV, mas sei de vários casos que por si só dizem tudo a respeito.
      No mais, se a JBC tivesse um pouco mais de tato/bom senso, não teria feito esta besteira, mas enfim… como nada vai mudar tal fato, espero e rezo pela segurança dos otakus que comprarão o título.

      • Lofredo

        Cara, desde que o mundo é mundo, você deve ter o mínimo de consciência em saber que a maioria das obras de origem estrangeira sempre irão sofrer alterações, principalmente na questão do título.
        Exemplos? Tenho milhões para citar. Os filmes costumam ser os que mais sofrem com isso. Por isso não vejo muito uma lógica na sua crítica em questão.
        Segundo: O motivo da escolha do título é simplesmente e puramente por questões comerciais. Marketing meu filho, já ouviu falar dele? É por isso que você não vê quase nenhum mangá traduzido na forma romaji. Se alguém fosse olhar para um mangá escrito “Hoshi no Samidare”, o que a pessoa iria pensar? Pela lógica é mais fácil pressupor que o título esteja em português para facilitar no entendimento, correto?
        Terceiro: Pelo que estou reparando, o título na versão em inglês é o mesmo: “The Lucifer and Biscuit Hammer”, o que na lógica se fosse traduzido literalmente para o português, teria o mesmo significado.
        Quarto: O mangá é seinen. Então obviamente só adultos irão consumir esse tipo de conteúdo. Então não vejo uma lógica quando criticam que isso irá afastar um público predominantemente jovem.
        Quinto: Quando você critica sobre a questão da intolerância religiosa, vejo isso como uma birra sua. Pelos seus comentários, percebo que você se preocupa mais com o que as outras pessoas pensam de você do que consigo mesmo. O que a sua mamãe tem a ver com o conteúdo do post em questão? Se você é adulto o suficiente para consumir esse tipo de conteúdo, então devo pressupor que isso não deveria afetá-lo, certo?
        Sexto: A JBC não é burra de lançar um mangá com o tal título “demonizado” sem antes averiguar se a obra em questão não irá vender. Se eles estão lançando, é porque tem gente irá consumir. E se têm gente que irá consumir, é óbvio que eles já estão cientes das alterações que poderão acontecer; e que isso nada irá afetar no conteúdo do mangá, que sempre foi o foco. Pelo menos pessoas como eu já estamos cientes disso. Você pelo jeito, não.

    • tsc tsc Pelo seu discurso, me pareceu mais que quis dar uma de gostosão.
      Eu tô é preocupado com a JBC, tomara que ninguém faça uma ameaça contra ela só por causa desse mangá! Não agora que vão trazer Magi!

  • Kyeron

    Vou comprar óbvio. Sobre o título, posso opinar na polêmica também?
    O título do mangá nunca fez muito sentido à primeira vista,tanto o original quanto o inglês, mas assim como o mangá, e isso na minha visão, ele vai ganhando mais sentido conforme a coisa avança, deixando espaço para diversas interpretações, o que acho genial.
    O título em português creio ter sido um acerto da JBC, ele causa a polêmica e o estranhamento q acho essenciais para a obra. Além disso consegue deixar mais infantil ainda a primeira interação com o mangá, q são importantes, já que para alcançar o significado q ele me tem é necessário você esperar algo de cunho não muito maduro dele, logo de inicio.
    Enfim, acho Lúcifer e o Martelo uma obra fantástica e gosto dele tanto q talvez isso tenha afetado minha análise do título, mas não deixo de recomendá-lo para qualquer um e agora q até o Brasil está recebendo uma versão, só me resta sonhar com um anime.

    • Sennaffogo

      @Kyeron, sim, tens todo o direito de opinar, pois ao que me consta este é um espaço um tanto quanto democrático. =)
      Já que entraste na polêmica, nos diga então uma coisa que ninguém até agora ninguém disse: afinal, qual de fato é o significado do título original?

      • Lúcifer tem algo a ver com a luz, e o título original coloca “Hoshi” no meio, que é estrela… Acho que seria algo como “A Estrela Brilhante e o Martelo” no original.
        Ainda acho que foi um erro da JBC, mas veremos se foi intencional, pra causar polêmica.

      • Haz

        Hoshi no Samidare normalmente se traduz em “O planeta (ou estrela) de Samidare”. Samidare também pode significar “chuva de Maio”, logo “Chuva de estrelas de Maio”.
        Lucifer é como a própria Samidare se apresenta, já que ela não é uma princesa que deseja salvar o mundo, mas sim um demônio que deseja destruí-lo.
        Biscuit Hammer, como se sabe é o nome do martelo que irá partir o planeta ao meio. É também o nome de uma das músicas da banda “The Pillows” da qual o autor é um fã, tanto que outras músicas aparecerão no futuro (“Blue Drives Monster” e “Babylon Tenshi no Uta”).

        Em minha opinião, o título está bom, traduzido para o português, porém não gostei que “Biscuit Hammer” tenha sido traduzido simplesmente como “Martelo”.

      • Sennaffogo

        Nossa! Chuva de Maio?? O.o
        Valeu pela explicação mais detalhada @Haz. Tendo somente sua explicação em mente, se eu fosse apoiar o título em português, ainda assim diria que não está tão bom… mas beleza.
        Agora, interessante esta história acerca do nome da arma, das músicas e do The Pillows. Será que alguém sabia disto? Faz um tempo que não escuto nada do The Pillows, que são muito conhecidos pela trilha de Furi Kuri. Inclusive @Haz, ‘Blues Drive Monster’ é de Furi Kuri. Vão mesmo colocar esta música em outro anime?? E, esta ‘Babylon Tenshi no Uta’, não seria ‘Babylon Tenshi no Shi’??

  • Neolítico

    Até entendo a preocupação com o uso do “Lúcifer” no título. Mas recuar no seu uso por causa de pseudorreligiosos/religiosos extremistas é sucumbir à censura.

    Imagina se esses religiosos declararem um dia que “ler de trás para frente é coisa do diabo”? Por causa disso as editoras vão ter que espelhar tudo para “não comprar briga” com eles? Isso não faz sentido.

    Usar “Lúcifer” em letras garrafais pode ser uma aposta arriscada? Talvez. Mas ceder para uma censura absurda é dar ainda mais força para que os pseudomoralistas imponham cada vez mais a sua visão estreita e limitada.

    E o título em português ficou razoável. Deixar o título em japonês não faz sentido no Brasil, porque ninguém vai entender e portanto ninguém vai comprar (tanto que depois de 50 ou mais comentários, ninguém disse o significado correto do título em japonês).

    Além disso, o título “Lucifer and the Biscuit Hammer” é também o título oficial e adaptar esse título para o português é algo que faz bastante sentido. Deixar o título em inglês significa que, além dessa polêmica do Lucifer ser mantida, ainda introduz uma dificuldade adicional, que é o baixo número de pessoas que sabem inglês.

    De qualquer forma, a história do Lúcifer e o Martelo (Hoshi no Samidare) é excelente e recomendo fortemente a sua leitura para qualquer pessoa que goste de uma boa história. Não é e nem foi um blockbuster, mas fico feliz que a JBC tenha trazido esse título para o Brasil.

    • Kamuiih

      Neolítico é isso q eu estava tentando dizer mas existem pessoas q são limitadas e q so sabem criticar, esse preconceito já existe dsd o começo, mas n eh por causa dele q vamos deixar de ler um manga, minha mãe já fica loca so de eu chegar com um mangá em casa abafar um titulo n vai ajudar em nada vão falar do msm jeito, as pessoas tem liberdade de expressão da msm forma q aqui eh assim la na Ásia tbm tem intolerância aos cristãos isso nunca vai acabar, somente diminuir (ou n) deveríamos olhar atrás e ver q era mto pior..

    • Sennaffogo

      @Neolítico, até entendo a sua posição, mas o meu argumento não tem nada a ver com esta de censura, não se trata de ceder à censura, e sim de tato. Para tudo tem um limite, e é claro que se esta galera fanática viesse criticar o modo de leitura dos mangás, isto seria… digamos, cômico até.
      Discordo de ti num ponto onde tu dizes que ceder para uma censura absurda, é dar ainda mais força para os pesudomoralistas. Bem, isto pode, ou é mesmo, até ser verdade, mas o inverso também é perfeitamente plausível. Como disse o @Mi Ka DXD, isto pode também ser um incentivo…..

      Na verdade, eu vejo é que não faria diferença alguma em termos de conhecimento da obra deixar o título em japa ou em pt-br, tanto que a maioria aqui já conhecia o título de antemão. Hoje em dia, com a internet, conhecer obras diversas se tornou muito mais fácil, rápido e prático, por isto também que não vejo necessidade de tradução dos títulos. Portanto, ao contrário de ti, vejo até como desnecessária a tradução do título. A maioria esmagadora dos compradores de mangás, já sabem das histórias, já conhecem os títulos, já esperam por eles, portanto….
      E se era para colocar algo em pt-br, porque não colocaram pequeno, assim como o título em inglês aparece em capas japas, como na foto abaixo??
      http://a.mpcdn.net/manga/p/2402/75265/1.jpg
      Como eu disse em vários comentários, na minha opinião era uma questão muito simples de ser resolvida, faltou bom senso. No caso, era fazer o contrário do que foi feito, colocar em ‘romaji’ o nome original e o título em pt-br pequeno. Era simples até demais.
      Olhando por outro prisma, creio que fizeram isto por causa de uma padronização já adotada, mas como diz um diretor da empresa onde trabalho: casos especiais serão tratados especialmente. Assim como Kenshin, este é um título que deveria ter sido tratado especialmente.

      Deixar em inglês se ele não é o original, seria apenas mais uma cópia dentre as várias que fazemos todos os dias, como somos especialistas em fazer. Isto sim não faria nenhum sentido.
      Copiamos tudo de fora, certos estrangeirismos são até razoáveis, mas outros são ridiculamente copiados/imitados sem a mínima necessidade.

      De fato, este título usado, na minha opinião ridículo(como um todo), não desmerecerá em nada a história em si. Espero que venda bastante até.

      Enfim, não achei que meu descontentamento com o título fosse gerar bastante opiniões com entendimentos e interpretações errôneas…

    • Eu te entendo, Neolítico, mas eu fico preocupado se algum grupo religioso vai ameaçar a JBC.

  • Bruna

    tem que ser muito maluco pra se encomodar com o nome Lucifer, sou evangélica, minha familia toda é, quando comprei Ao no Exorcist expliquei a minha mãe a história e ela não liga, ela gosta do filme Hellboy ‘-‘. é só um nome (mas achei nada a ver com o original).

  • Resumindo essa discussão:
    “Quero título original, logo vou falar que a editora é ridícula.”
    A JBC já disse que do público alvo dos mangás dela, as pessoas que acessam esses sites como nós é minoria, falaram isso quando lançaram Super Onze eu acho. Por isso é costume a tradução de títulos deles.

    Deixo aqui escrito também, que não adianta escrever uma resposta de 100 linhas pra esse comentário pq não lerei e muito menos responderei. Se reclama tanto não compre, arruma um emprego em alguma editora e mude os títulos de acordo com sua vontade. Continua rezando pros otaquinhos vai por favor.

    • MCoelho

      E só pra complementar, quem escolheu Lúcifer e o Martelo como título foi o autor da obra.

      • Kamuiih

        Pois é. Essa discussão começou com um erro de uma pessoa desinformada q nem sequer sabe o significado do titulo da obra, eh fogo, deve tah treinando pro ENEM

    • Melhor resumo dos comentários não há.

  • daniel

    Eu venho de uma família cristã, tenho 3 tios pastores e claro sou religioso. E posso afirmar com toda certeza que, NINGUÉM LIGA PARA O NOME QUE USAM EM UM MANGA, todo mundo da minha casa ja mi viu lendo Beelzebub e nem por isso me colocaram numa cruz ou me expulsaram de casa.
    Sobre o manga ele é ótimo, um dos meus títulos favoritos já li 3 vezes.
    Recomendo a compra e durmam tranquilos que ninguém vai persegui vocês por lerem um quadrinho com nome Beel,lucifer,satã,capiroto,etc..

    • Sennaffogo

      “NINGUÉM LIGA PARA O NOME QUE USAM EM UM MANGA”… ok @daniel, até entendo que no seu caso ninguém de sua família liga, mas não podes generalizar tal frase de maneira nenhuma….
      Menos meu camarada, bem menos. Mas, fico feliz que você possa ler qualquer mangá sem nenhuma problema na sua casa, que bom pra ti. E como eu já disse lá em cima, reforçado pelo @Mi Ka DXD, Beel não conta como um exemplo idêntico a Hoshi no Samidare…

  • Não parei pra ler as altas tretas que rolou aí nos comentários mas não posso deixar de comentar que foi uma aposta arriscadíssima da JBC de utilizar o nome Lúcifer e de forma tão gritante na capa do mangá.

    Isso vai me impedir de comprar? Provavelmente não – Isso porque eu li em alguma notícia aqui, acho que foi no anúncio do lançamento desse mangá que ele tinha uns plot twists bem interessantes e tudo e é curtinho –

    O logotipo de Kobato em Português foi um vetor feito bem apressado (achei feio, podia ter sido mais “redondinho”); o logotipo da versão especial de Sakura foi um HORROR, ficou achatado e poluiu as capa tão lindas; a capa da versão especial de Guerreiras Mágicas nem pra ganhar um “tchan” em relação à versão meio-tanko (Podiam pelo menos ter mudado a fonte do título, já que a versão especial está custando bem mais caro); e devem ter mais exemplos que não lembro agora. Sendo estudante de Design essas coisas me incomodam SIM, mas faço um esforço violento pra ler e apreciar o conteúdo interno sem parar 1000 vezes pra ficar criticando as capas…

    Agora, é engraçado que ou a JBC faz capas LINDÍSSIMAS ou capas cagadas*, num tem um meio termo nisso ._. Mas no geral aprecio DEMAIS essa “era” Cassius Medauar, o cara é super carismático e tá deixando o processo de criação da JBC mais transparente pros leitores, quantas editoras fazem isso no Brasil? E dessas, quantas editoras trabalham com mangá?

    *SIM, eu sei que tem todo aquele negócio da aprovação de capa pelos nihonjins, mas , meu… Tem umas capas que doem no pâncreas…. Sério mermo

    • EUHEUhUEhUEhUE vdd, a capa de sakura foi realmente uma exigencia da autora(não lembro onde li isso)
      Agr a pior mesmo é a Abril com as lombadas de KH

  • Ali

    Ha, essa discussão. Os Djinns de Magi tem os nomes dos 72 demônios do baixo clero do inferno de Salomão do texto Ars Goetia: Amon, Leraje, Zepar, Valefor, Agares, Vinea, Zagan…

  • Maldita JBC! Com esse título minha mamãe não vai me deixar comprar esse mango. AFF ='(

  • ezequiel

    ė nessas horas que sinto saudades da mara.essas discussoes dariam uma otima pauta pra gorda…
    no mais tambem achei isso uma burrada da jbc e acho q isso pode afastar muitos compradores.eu sou catolico e nao vi nada de mais no titulo,ate compraria se minha mae nao fosse chiar tanto e eu tivesse dinheiro sobrando.

  • Wilson Oton

    Pelo o que eu li aqui por cima tem um pessoal que não gostou de colocarem “Lúcifer” no título do mangá por conta dos religiosos e etc. Isso é tudo besteira afinal você tem que se preocupar com você mesmo e não com o que os outros pensam sobre. Se alguém me parar na rua e dizer que eu vou ser arrastado para o inferno ou qualquer outra coisa do tipo porque estou lendo um mangá que tem Lúcifer no nome, eu simples ignoro e continuo o que eu estava fazendo. Sei la o pessoal tem que começar a se preocupar mais com si mesmo do que com o que os outros pensam. Mas sobre a capa eu não tenho do que reclamar não, afinal poderia ser pior igual as capas dos Cavaleiros do Zodiaco. >.<

  • Chega de Mimimi. o Título está ruim, e se for para uma adaptação melhor, que seja “Pedreiro e o martelo de bolacha”

  • Selene

    Sabe a discussão sobre a tradução parece aquela mentalidade besta de se culpar a vítima… Do mesmo modo acho besteira vc manter que o problema é a tradução, que é melhor evitá-lá por causa dos extremistas, pq meu caro se vc vai apenas por esse caminho não há como ter mudanças. Se vc só elitar e não enfrentar um modelo cultural e religioso ultrapassado, e tentar mostrar suas falhas, me diga como as coisas vão progredir? Talvez precisemos passar pela uma dose de preconceito inicial, agora ou nunca, para que com o tempo haja aceitação. Se quem diz que entende a diferença fica fugindo, não dá pra esperar muita coisa de quem não entende.

    • Sennaffogo

      Assim como vários outros, interessante o seu argumento @Selene. É um ponto a se pensar, deveras, mas engana-se se pensas que não já cheguei a pensar e MUITO a respeito, só que para mim ainda não é o momento de se “enfrentar” isto, ou pelo menos não desta maneira. Eu poderia inclusive incluir a política no meio para falar mais a respeito e aprofundar um pouco mais minha opinião, mas poderia acabar sendo um pouco prolixo e poucos realmente entenderiam (ou leriam) os argumentos. Diferente de você e de alguns outros, muitos vieram com 7 pedras na mão, me ofenderam e me atiraram-nas como se eu fosse uma mulher afegã que tivesse saído em público não usando a burca…..¬¬
      Uma vez eu ouvi o Carlírio Neto, do blog Netoin!, dizer que tem medo dos comentários do ChuNan!….. já à época eu entendi o porquê, mas este tópico me aprofundou mais acerca do medo que ele tem e que agora eu tenho também…..xD

  • Gente, eu não achei o título do mangá ruim. Afinal, que mal tem em ter o nome “Lúcifer” na capa?

    A tiazinha religiosa vai te bater? Algum crente vai te condenar? Será visto com preconceito? Aqui sim eu posso usar o termo: “sabem de nada, inocentes”.

    O nome “Lúcifer” significa “anjo de luz”, e qualquer pessoa que estuda teologia pode comprovar isso. Eu mesmo sou cristão e achei interessante a história desse mangá. Pretendo ver um pouco mais sobre ele pra saber se vou colecionar, hehe.

  • doranbolt

    Bom pelo menos um volume eles venderam pelo nome: pesquisei e comprei so pra discutir com os religiosos fanaticos q me criticarem