JBC relançará o mangá seinen Chobits

chobitsheaderMais um título do CLAMP é escolhido para voltar em novo formato.

A JBC confirmou hoje o relançamento de mais um mangá do CLAMP. Dessa vez é Chobits, mangá de 8 volumes lançado na revista seinen Young Magazine em 2000. A série foi publicada no Brasil em meados dos anos 2000 em formato meio tanko, com 16 volumes. Agora a JBC republicará a série no mesmo formato de outros mangás como Love Hina, Rurouni Kenshin, Card Captor Sakura e Rayearth – ou seja, em tanko completo.

A história acompanha o jovem Hideki, um cara como outro qualquer no século 22. Ele só quer um bom trabalho, um bom carro, e um robô-namorada sexy para chamar de seu. Até que ele consiga um emprego, ele nunca vai ser capaz de comprar sua própria ‘Persocom’ – como são chamadas as tais robôs. A sorte de Hideki muda quando ele descobre Chi – uma adorável mas aparentemente burrinha ‘Persocom’ – amarrada em uma pilha de lixo. Seu primeiro robô -companheiro acaba por ser muito mais responsabilidade do que ele esperava, e ela acaba o colocando em muitas situações embaraçosas. É ‘boy-meets-girl’ da era cibernética.

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post

Há 20 comentários

    1. Avatar

      Pra quem não pôde acompanhar na época e não tá afim de pagar os preços abusivos de certas lojas(não necessariamente nesse caso, pq até que dá pra achar Chobbits facilmente), relançamentos são importantes sim.

      Responder
    2. Avatar

      Eu só espero que um dia,a JBC republique Shaman King…sério,ela já republicou várias coisas,mas eu quero muito que esse mangá volte com o final verdadeiro.

      Responder
  1. Avatar

    Já que não tem um post sobre a volta do Marcelo Del Greco vou questionar aqui mesmo rs. Se ele retornou e abandonou a nova Sampa no qual ele era gerente de conteúdo, o que será dos titulos de lá? Sei que ele disse que ira finalizar alguns como Vagabond, mas será que alguns futuros titulos vão ser transferidos para a jbc, como Slam Dunk por exemplo? Ou to viajando e vai continuar tudo a mesma coisa? rs

    Responder
    1. Avatar

      O chefão continuará sendo o Cassius. Ele vai cuidar do selo Ink Comics, que é responsável por outros lançamentos que não envolvem os mangás japoneses, como o Combo Rangers, por exemplo. Agora, se desse pra fazer uma parceria com a JBC seria uma boa. Ou melhor, unificar a Nova Sampa à JBC. Seria uma garantia maior para o andamento dos mangás em publicação.

      Responder
    2. Avatar

      A questão eh:por que o Marcelo voltou?Será que não seria por nesses anos em que ele esteve fora a JBC optou por muitos títulos curtos e pouco conhecidos no Brasil,um exemplo recente eh o After School of the Earth,eu imagino esse manga encalhando nas vendas,pois acho que foi muito pouco divulgado e o preço não era bom para uma obra que praticamente ninguém comenta à respeito

      Responder
  2. Avatar

    Nenhum lançamento relevante. Só um fato: aprendam a botar de forma bimestral, porque de botar tudo mensal tá ficando ridículo, não há bolso que aguente e poderia ser mais compensador para o público. E sim, estes relançamentos tão enchendo o saco, porque mostra que não tão botando fé em lançar mangás novos. Fora que a setorização fase dois é sofrível: já não basta o que passei com “Full Metal Alchemist” e que me fez desistir de colecionar o “Magi”.
    Caso lancem “Full Metal Alchemist” algum dia espero não passar por este problema…

    Responder
    1. Avatar

      Prefiro que a JBC continue com periodicidade mensal, afinal, isto faz com que os títulos terminem suas publicações mais rápido, o que não cria uma grande espera que poderia ser cortada pela metade.
      Quanto ao “não há bolso que aguente”, não vejo muita validez neste argumento. A Panini, embora publique a maior parte de seus títulos bimestralmente, possui a mesma [ou mais] quantidade de títulos a venda mensalmente que a editora JBC, o que poderia “machucar mais o bolso” que esta. E penso que não seria diferente caso a JBC decidisse lançar títulos bimestralmente, a não ser pela maior espera para chegar ao final.
      Novamente, prefiro a JBC publicando títulos de forma que terminem rápido e, caso ela decida expandir seu catálogo de títulos, ótimo. Afinal, se o “bolso não aguentar”, pode-se simplesmente escolher os títulos que mais se interessar sacrificando outros, como deve-se fazer no Japão.

      Responder
      1. Avatar

        A Panini é a que mais machuca o bolso, pois seus primeiros volumes sempre tem tiragens abaixo da procura, o que acaba por “esgotar rapidamente” e dá cabimento para os “colecionadores” encarecerem o produto menos de dois meses em que é lançado na banca.

        À excessão dos Death Note e dos primeiros títulos de HxH, é fácil achar exemplares antigos da JBC. Até o Fairy Tail que já tava virando raridade ganhou fôlego graças a reimpressão.

        Responder
  3. Avatar

    Eu tenho toda a coleção aqui em casa, menos o volume 1, será que eu deveria comprar o volume 1 desses mesmo sabendo que metade dele já é o “volume 2” da antiga edição?

    Responder
  4. Pingback: Editora JBC relançará o mangá Hellsing | ChuNan! - Chuva de Nanquim

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *