Review – Plastic Memories (2015)

plastic memoriesEu não sei o que falar… Só sentir.

Quando anunciado, Plastic Memories dividiu a opinião dos leitores do Chuva de Nanquim. No nosso Guia da Temporada de Abril, a série teve 44% de pessoas que assistiriam, 32% que não e o restante de indecisos. O anime se concluiu com seus 13 episódios nessa semana e agora resta saber se aqueles que optaram por assisti-lo não se arrependeram, ou se os que passaram longe fizeram uma boa decisão.

Plastic Memories Review (2)A HISTÓRIA

Essa história tem lugar em um futuro não tão distante quando androides que parecem exatamente como os humanos começam a espalhar pelo mundo. A corporação de produção do androide, SA Corp., produziu Giftia, um novo tipo de androide que tem maior quantidade de emoções e qualidades humanas do que qualquer outro modelo já visto. No entanto, devido a problemas na tecnologia, os androides possuem uma vida útil e depois de passado esse tempo, eles… Bom, a coisa fica realmente ruim. Por conta disso, SAI Corp. cria um serviço terminal afim de pegar de volta Giftia que tenham passado de seu tempo de vida útil. Um novo empregado no serviço terminal chamado Tsukasa Mizugaki forma um time com a Giftia Isla para resgatar os outros androides, mas…

Plastic Memories Review (6)CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS

Criado por Naotaka Hayashi – uma das mentes por trás de Steins;Gate e Robotic;Notes – e com direção de Yoshiyuki Fujiwara (GJ Club), Plastic Memories teve seu primeiro episódio exibido em 4 de abril de 2015, somando 13 episódios ao todo. A série foi toda conduzida pelo estúdio DogaKobo (Gekkan Shoujo Nozaki-kun) e mantinha certo hype pela proposta e a equipe envolvida, mas…

A primeira metade do anime se concentra em uma história de ficção com uma dosagem de comédia, já a segunda se assume como um romance com uma pitadinha de drama (e aquela comédia de novo). Acredito que já disse isso, mas sou fã de histórias tristes, daquelas que fazem chorar nos últimos episódios/capítulos até não dar mais, e foi justamente isso o que procurei em Plastic Memories. Nesse quesito me decepcionei, pois acreditava que mesmo com a comédia, ela não duraria tanto, ainda mais em seus episódios finais. Uma boa fórmula para um drama é: uma comédia básica no começo e um suffering do caramba na reta final. Por mais que ambas sejam maravilhosas, nessa obra em especial, elas ficam se intercalando, trocando mesmo em momentos que deveriam pertencer a apenas um gênero. Querida história, você quer ser feliz e triste ao mesmo tempo? Porque isso não dá. Esse foi um dos pontos baixos do anime, talvez o que mais tenha me irritado.

Plastic Memories Review (3)Em relação aos personagens, posso dizer que todos são bem cativantes, principalmente os protagonistas. Isla foi a que mais me conquistou pelo simples fato de ter duas personalidades, uma mais sensível e delicada, e a outra mais robótica, como se a mesma evitasse demonstrar seus próprios sentimentos, como se negasse essa existência; diria que é uma personagem “complicada”, mas que não chega a ser irritante. Tsukasa é tanto o ponto de equilíbrio de Isla, quanto o humor da história; ele é o responsável por não deixar que Plastic Memories se torne um drama sem fim, com aquele traço de “garoto perdido” e até desajeitado, mas que ainda sim consegue obter um carinho especial de quem assiste. Quanto ao resto, diria que houve um cuidado para que todos tivessem personalidades diferentes e que também mostrassem umas variedades em relação a suas características, físicas e psicológicas.

Plastic Memories Review (4)A música de abertura me conquistou. “Ring of Fortune”, de Eri Sasaki, não me deixou viciada, mas a combinação que há entre essa e o anime é indiscutível. O encerramento foi bem razoável, nada muito “memorável”, o tipo de coisa que ouço apenas por conveniência, por estar ali, do contrário não faço muita questão. Uma música que gostaria de citar é “Otoninaru”, que também é da Sasaki e está no mesmo álbum de Ring of Fortune, que mesmo não aparecendo no anime é uma dica para quem gostou da voz da cantora.

Plastic Memories Review (1)COMENTÁRIOS FINAIS

Eu recomendaria Plastic Memories para alguém? Só para os inimigos. O anime tinha um potencial que poderia ter sido explorado graças ao seu plot poderia ter feito pessoas chorarem, poderia ser um novo Angel Beats (citando esse porque ambos são ficção), mas isso aconteceu? Não. No final, foi apenas um pseudo-drama que se entregou para uma comédia meia boca com um final tão ruim que eu poderia ter feito melhor. Aliás, da próxima me chamem para fazer um roteiro; vou fazer aquele cara maromba de dois metros de altura, que come batata doce e frango, chorar feito uma garotinha que foi rejeitada pelo senpai. Plastic Memories pode até ter tentado ser um anime diferente, um anime “original”, mas a única coisa que foi para mim é perda de tempo.

Nota Final: ★★

Plastic Memories Review (5)

Miyuki

Tão normal, nem parece otaku. A louca das webcomics. Segue o mantra de ler e assistir de tudo um pouco (menos o que for terror, por favor). Tem um vício novo a cada mês e surta horrores na conta pessoal no Twitter.

Related Post

  • pyramid

    ai discordo totalmente dessa opinião ai,pra min o anime foi até que legal mas no final o tsukasa não podia fazer muita coisa a não ser se divertir mesmo,sei la eu achei bom o anime

  • Koyuki

    Concordo totalmente com sua review. O último episódio até foi legalzinho, mas realmente faltou o animê aprofundar no drama de a Isla ter um tempo de vida limitado, além é claro da comédia bem meia boca. Realmente, só consegui ver até o ultimo episódio apenas na esperança do ultimo episódio ser emocionante. Mas, apesar de ter achado bem dramático, não me comoveu como eu queria…

  • Micael Okamura

    Nossa, pareceu comigo quando fiz análise de Strike the Blood, Soul Eater NOT e Tokyo Ghoul Root A.
    Na minha opinião (reforçando: MINHA OPINIÃO), Plastic Memories foi um anime legal, eu gostei dos momentos de comédia, mas realmente, o final ficou meio estranho. Era para teoricamente chorar, mas não chorei, e esse anime falhou ao mostrar a personagem Olivia, pois ela é a prova que os robôs perdem apenas a memória, ou seja, não é como uma morte de verdade. E [SPOILER DO FINAL] Quando o Tsukasa estende a mão para a nova parceira dele, que não tem o rosto revelado, dá a entender que ela é a Isla. E, pegando o que comentei acima, a Isla “morreu” e perdeu as memórias, voltou da empresa novinha em folha, só que com amnésia, e voltou a ser parceira do cara. Ou seja, é como um “Como se fosse a Primeira Vez” ou Isshuukan Friends, onde a mina que o cara gosta perde as memórias, mas no caso aqui, é a cada 9 anos. Tsukasa pode namorar Isla, mas a cada 9 anos deve tentar reconquistá-la de novo. [FIM DE SPOILER]
    Gostei da abertura do anime, acho que realmente combinou com o mesmo.
    No geral, eu apenas digo que foi um bom anime, NA MINHA OPINIÃO, e que assiste quem quiser ver um anime que não é tão triste e possue comédia.

    • Jackson

      Concordo com você, mas o que me intriga é a feição dele ao recebê-la no momento do “primeiro” dia dela(considerando que a nova parceira seja ainda a Isla). Se considerarmos que ele não vê a Isla por nove meses como o anime mostrou no final do episódio, era para ele ter no mínimo um susto. Parecia que o cara já sabia quem era, mesmo que fosse a Isla. Cara, ele se apaixonou, foi correspondido, namorou, ficou os últimos momentos da parceira dele com ela e a viu “morrer”. Era para ele ter um mimi-enfarto ao reencontrá-la. Fiquei muito intrigado com a feição dele (e sabemos que é a Isla, acredito que pelo fato de o anime não mostrar quem era).

      • Micael Okamura

        Vai ver ele foi avisado que reencontraria a Isla, e como foi mostrado com a Olivia, a Isla não saberia quem é ele, e ele provavelmente preferiu optar por fingir que é a primeira vez que a vê para que assim recomecem tudo de novo.

  • Satella

    Olá, na minha opinião, o anime foi bem legal. Deixou a desejar no final. Também pensei que iria chorar muito, mas meus olhos nem lacrimejaram. Mas, de certa forma, a história dos dois foi interessante e os personagens são bem cativantes. Recomendaria para meus amigos!

  • Gostei bastante do anime, o que não me agradou foi não ter mostrado a nova Parceira do Tsukasa.

  • Jackson

    Respeito a opinião de todos, já que possuímos gostos antagônicos. A verdade é que queremos um final que nos satisfaça, e sempre queremos mudar pelo menos uma coisa, no caso, do anime. Na minha opinião, foi dramático e inesperado de um modo geral. Mas o que eu gostaria mesmo é que tivessem mais alguns episódios onde ele reencontrasse a Isla com outro S.O., mas que, com o decorrer dos episódios, conseguisse fazer ela se lembrar dele. Ficaria um ar de milagre do amor. Bateria de frente com o tema proposto pelo anime, mas acho que ficaria interessante.

    • Micael Okamura

      Olha, vendo o final, acho que [SPOILER DO FINAL] Quando o Tsukasa estende a mão para a nova parceira dele, que não tem o rosto revelado, dá a entender que ela é a Isla. [FIM DE SPOILER]. E, se levarmos em conta que teve uma tal de Olivia no anime, que a loira peituda que esqueci o nome era amiga mas a robô não lembrava dela, sua teoria pode estar certa, dela voltar com outra S.O. Eu acho que o Tsukasa foi avisado que ela voltaria, mas sem as memórias, e ele já havia presenciado o reencontro entre Olivia e a loira peituda lá, ou seja, a Isla não o reconheceria, então minha teoria é: Tsukasa deve de ter decidido que não iria tentar abraçá-la ou agir como se a conhecesse antes, decidiu fingir que era a primeira vez que se viam, para depois tentar reconquistá-la. Baseando-se no Tsukasa, que tentava esconder sua tristeza com um sorriso, não duvido que ele possa tentar enganar a si próprio em prol da pequena Isla.

      • Micael Okamura

        [CONTINUANDO O COMENTÁRIO DE CIMA] Aliás, na minha versão, eu tentaria dar mais marge não só ao fato que a Isla vai morrer, mas de que os robôs podem estar realmente substituindo as pessoas como no Chobits, e literalmente, pois porra, diferente em Chobits, eles comiam e bebiam. Me pergunto se cagavam também. Espera, em Chobits tinha gente que tentava transar com os persocons. E como os Giftias? Um giftia pode engravidar? Nossa, pensando bem, tem tantas perguntas que o anime podia responder, mas esqueceu-se disso. Eu realmente acho que isso foi um erro no anime.

  • lan

    Foi bem decepcionante pra mim, final foi fraquíssimo. a historia tinha potencial, mas foi completamente desperdiçado.

  • Bauser

    Foi bem decepcionante pra mim, final foi fraquíssimo. a historia tinha potencial, mas foi completamente desperdiçado. (2)

    O grande erro em Plastic Memories foi que eu não me importei com ninguém. Pensei que seria um Chobits 2, explorando todas as consequências de um robô substituir completamente um humano em relação a TUDO e eles passaram bem LONGE disso.

    Vi até o final com a esperança da Isla ficar descontrolada e matar todo mundo naquele escritório (os quais eu tb não consegui me importar tb) e ser um BAD END, mas não ocorreu…

  • A

    Show! Vi 5 min e dropei, pelo jeito foi uma boa decisão

  • Essa temporada eu não estava com muita cabeça pra animes, mas mesmo assim tentei assistir o primeiro episódio, mas não me prendeu e eu dropei. Sei lá, me pareceu outro “mais do mesmo” que surgem em pencas a cada temporada.

    Visitem meu blog sobre os mangás publicados no Brasil:
    https://itadakimasuanimes.wordpress.com

  • Olá!
    Opa eu ia começar a ver este, este fim de semana, e por isso fiquei curiosa com esta opinião!
    Mas agora eu não sei, não!
    Obrigada por ela! 🙂

    • Antonio

      Assiste sim, é um bom anime com foco nas memórias felizes que podemos criar enquanto estamos vivos e não no adeus definitivo.

  • biazacha

    “…vou fazer aquele cara maromba de dois metros de altura, que come batata doce e frango, chorar feito uma garotinha que foi rejeitada pelo senpai.” Ri muito disso. Assim que vi as imagens de PM já achei melhor não assistir… alguma coisa no Character Design e nos PVs me dava a impressão de que seria uma história superficial.

  • Antonio

    Opinião cade tem a sua, mas achei esse review meio nada ver. Eu acho que o foco do anime não foi sobre a dor de um adeus para a pessoa que amamos, mas sim nos momentos felizes que podemos guardar até o nosso último suspiro, por isto o episódio final ( spoiler) foi uma mistura dentre tristeza e felicidade, a tristeza do adeus e a felicidade dos momentos e das memórias criadas.

  • Então fiz bem em deixar passar. Só de bater o olho nesse anime, deduzi que seria exatamente como você descreveu na resenha. Mas resolvi ver o primeiro episódio, e foi aquela coisa arrastada e torturosa como havia imaginado. Uma pena, até que tinha um plot legalzinho.

  • Paulo_M

    Eu acho tão engraçado como opiniões se diferem tanto, a primeira vez que ouvi falar do anime ele ja tinha saído a um tempo e o cara fez o seguinte comentário ” Ou você ama esse anime, ou você o odeia”, e que ele gerava opiniões bem diversas, ai resolvi assisti.. Tirando Ef: Tale of memories esse foi o anime que mais chorei, até mais que Angel Beats, e me perguntei ” Como uma pessoa consegue não gostar desse anime ” e depois de ler algumas reviews como essa eu vi que realmente ele gera opiniões bem distintas, mas respeito sua opinião e ponto de vista, mas pra mim foi um anime simplesmente fantástico, me deixou com dor de cabeça de tanto chorar rs.

  • Kaká Colz

    Uma crítica sem nenhuma citação ao fato dos personagens serem do Neon Genesis Evangelion? Sim quem conhece Evangelion sabe do que estou falando, 90% dos personagens são mais do que inspirados em NGE e muitos vão alem de inspiração chegando a uma cópia. Estranho uma crítica sem citar q os personagens não são nem um pouco originais

    • Dih

      Falar que esse anime sequer lembra Evangelion é uma ofensa.

      • Kaká Colz

        O anime não! Jamais! Mas os personagens são uma cópia “happy” são sim! Até cena nitidamente copiadas (vide episódio 3 onde os dois protagonistas caem um rm cima do outro lembrando rei e shinji…mas nao vi como um anime original e sim uma homenagem aos personagens do NGE…foi feito por um fã que queria ver uma rei feliz rsrs

  • O final não era para ser assim , porém o anime é muito bom .Espero a segunda temporada com novas ideias do autor .

  • nossa! eu literalmente amei esse anime.. normalmente sou do tipo que gosta de anis de ação e ficção cientifica e lutas MUITAS LUTAS.. não achei perda de tempo… achei emocionante o enredo e na minha opinião oque mais me decepcionou foi não poder ter visto nem o rosto da nova parceira do Tsukasa (protagonista).. pesquisei muito mais ainda assim não achei.. bom, cada um tem sua opinião, e eu não me arrependi!! mais no final eu não acharia que a Isla (protagonista) iria morrer.. sabendo da real situação dela eu achei que iriam achar um metodo para as gifitias viverem mais tempo e tals…

  • Diogo Pessoa

    mano o anime é bom sim, eu sei que ele tem um probleminha de misturar comedia e drama mais não é tudo isso que vc falou e sobre o final, ele é bem previsível eu sei mais ainda sim é bom e tenho certeza de que fez algumas das pessoas que assistiram chorarem.

    • fabricio

      eu cherei mt

  • Renan Sena

    O anime é bom sim. O que você disse foi bastante exagerado sobre indicar o anime para o seu pior inimigo. O anime exibe uma boa trama e tem uma certa comédia no meio que ainda assim faz o leitor se divertir. Poderia realmente ser um anime muito melhor, que tinha um potencial para ser um novo Angel Beats, mas não significa que o anime foi muito ruim e que não merece ser assistido. Aprendi muito com o anime e como o tempo que passamos com a pessoa amada é precioso. Sua análise foi muito desfavorável ao que realmente o anime é, então na minha opinião, vale a pena sim ser assistido