Review – Plastic Memories (2015)

plastic memoriesEu não sei o que falar… Só sentir.

Quando anunciado, Plastic Memories dividiu a opinião dos leitores do Chuva de Nanquim. No nosso Guia da Temporada de Abril, a série teve 44% de pessoas que assistiriam, 32% que não e o restante de indecisos. O anime se concluiu com seus 13 episódios nessa semana e agora resta saber se aqueles que optaram por assisti-lo não se arrependeram, ou se os que passaram longe fizeram uma boa decisão.

Plastic Memories Review (2)A HISTÓRIA

Essa história tem lugar em um futuro não tão distante quando androides que parecem exatamente como os humanos começam a espalhar pelo mundo. A corporação de produção do androide, SA Corp., produziu Giftia, um novo tipo de androide que tem maior quantidade de emoções e qualidades humanas do que qualquer outro modelo já visto. No entanto, devido a problemas na tecnologia, os androides possuem uma vida útil e depois de passado esse tempo, eles… Bom, a coisa fica realmente ruim. Por conta disso, SAI Corp. cria um serviço terminal afim de pegar de volta Giftia que tenham passado de seu tempo de vida útil. Um novo empregado no serviço terminal chamado Tsukasa Mizugaki forma um time com a Giftia Isla para resgatar os outros androides, mas…

Plastic Memories Review (6)CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS

Criado por Naotaka Hayashi – uma das mentes por trás de Steins;Gate e Robotic;Notes – e com direção de Yoshiyuki Fujiwara (GJ Club), Plastic Memories teve seu primeiro episódio exibido em 4 de abril de 2015, somando 13 episódios ao todo. A série foi toda conduzida pelo estúdio DogaKobo (Gekkan Shoujo Nozaki-kun) e mantinha certo hype pela proposta e a equipe envolvida, mas…

A primeira metade do anime se concentra em uma história de ficção com uma dosagem de comédia, já a segunda se assume como um romance com uma pitadinha de drama (e aquela comédia de novo). Acredito que já disse isso, mas sou fã de histórias tristes, daquelas que fazem chorar nos últimos episódios/capítulos até não dar mais, e foi justamente isso o que procurei em Plastic Memories. Nesse quesito me decepcionei, pois acreditava que mesmo com a comédia, ela não duraria tanto, ainda mais em seus episódios finais. Uma boa fórmula para um drama é: uma comédia básica no começo e um suffering do caramba na reta final. Por mais que ambas sejam maravilhosas, nessa obra em especial, elas ficam se intercalando, trocando mesmo em momentos que deveriam pertencer a apenas um gênero. Querida história, você quer ser feliz e triste ao mesmo tempo? Porque isso não dá. Esse foi um dos pontos baixos do anime, talvez o que mais tenha me irritado.

Plastic Memories Review (3)Em relação aos personagens, posso dizer que todos são bem cativantes, principalmente os protagonistas. Isla foi a que mais me conquistou pelo simples fato de ter duas personalidades, uma mais sensível e delicada, e a outra mais robótica, como se a mesma evitasse demonstrar seus próprios sentimentos, como se negasse essa existência; diria que é uma personagem “complicada”, mas que não chega a ser irritante. Tsukasa é tanto o ponto de equilíbrio de Isla, quanto o humor da história; ele é o responsável por não deixar que Plastic Memories se torne um drama sem fim, com aquele traço de “garoto perdido” e até desajeitado, mas que ainda sim consegue obter um carinho especial de quem assiste. Quanto ao resto, diria que houve um cuidado para que todos tivessem personalidades diferentes e que também mostrassem umas variedades em relação a suas características, físicas e psicológicas.

Plastic Memories Review (4)A música de abertura me conquistou. “Ring of Fortune”, de Eri Sasaki, não me deixou viciada, mas a combinação que há entre essa e o anime é indiscutível. O encerramento foi bem razoável, nada muito “memorável”, o tipo de coisa que ouço apenas por conveniência, por estar ali, do contrário não faço muita questão. Uma música que gostaria de citar é “Otoninaru”, que também é da Sasaki e está no mesmo álbum de Ring of Fortune, que mesmo não aparecendo no anime é uma dica para quem gostou da voz da cantora.

Plastic Memories Review (1)COMENTÁRIOS FINAIS

Eu recomendaria Plastic Memories para alguém? Só para os inimigos. O anime tinha um potencial que poderia ter sido explorado graças ao seu plot poderia ter feito pessoas chorarem, poderia ser um novo Angel Beats (citando esse porque ambos são ficção), mas isso aconteceu? Não. No final, foi apenas um pseudo-drama que se entregou para uma comédia meia boca com um final tão ruim que eu poderia ter feito melhor. Aliás, da próxima me chamem para fazer um roteiro; vou fazer aquele cara maromba de dois metros de altura, que come batata doce e frango, chorar feito uma garotinha que foi rejeitada pelo senpai. Plastic Memories pode até ter tentado ser um anime diferente, um anime “original”, mas a única coisa que foi para mim é perda de tempo.

Nota Final: ★★

Plastic Memories Review (5)

Miyuki

Tão normal, nem parece otaku. A louca das webcomics. Segue o mantra de ler e assistir de tudo um pouco (menos o que for terror, por favor). Tem um vício novo a cada mês e surta horrores na conta pessoal no Twitter.

Related Post