Ranking Oricon de Vendas de Mangás: de 4 a 10 de Janeiro

oricon blueMais uma semana de dominação da Shueisha.

E mais uma vez os mangás da Shueisha dominam o Top 10 do ranking da Oricon dessa semana, com exceção de um único título. Também é cada vez mais bonito ver a tabela toda recheada de amarelinho, com tantos mangás da lista saindo no Brasil.

Os mangás grifados em amarelo são os comercializados no Brasil. A fileira “Vendas Total” contabiliza a soma das semanas que o mangá já se encontra no ranking.

janeiro4a10

Fico sempre muito feliz quando vejo Blue Exorcist na lista – e ainda mais na primeira colocação. Com seus mais de 350 mil o mangá conseguiu manter seu número de vendas em alta mesmo com o péssimo final de seu anime e de não ter nenhum sinal para uma segunda temporada. Blue Exorcist é um mangá bem gostoso de se acompanhar e não entendo tanto o hate sobre a série que vejo por aí. É só uma coisa… leve. Mas enfim, faz parte. Gosto é gosto. Assim como é mais do que gosto dos orientais One Piece já chegar quase em 2 milhões e 500 mil unidades vendidas em apenas 3 semanas. Foram só 320 mil nesta. Só.

E a lista continua com o domínio amplo da Shueisha: Shokugeki no Soma – prestes a ter sua segunda temporada – ultrapassa as 300 mil unidades na primeira semana, mostrando todo o seu vigor após a adaptação. Gintama vem em seguida, perdendo um pouco o fôlego das vendas mas ainda sendo um sucesso – são mais de 220 mil unidades. Nisekoi fecha o top 5 e continua se mantendo como o mangá de romance de maior sucesso da Shonen Jump. Acredito que ao lado de Soma sejam os dois mangás da revista que devam chegar por aqui neste ano (e quiçá Boku no Hero Academia).

To Love-Ru Darkness, continuação do mangá que vem sendo lançado por aqui pela editora JBC, aparece aqui com seu volume 15 vendendo cerca de 175 mil unidades. Um número de respeito para uma série tão longa se contarmos o seu prequel. Em seguida, outra continuação de mangá da JBC. Kekkai Sensen Back 2 Black e seu primeiro volume. Pra quem não tá entendendo muito bem, Kekkai Sensen mudou de revista recentemente e desde então “resetou” seu número. Digamos que é como Tokyo Ghoul: uma continuação direta que apenas mudou de nome. O que importa é que o volume 1 vendeu logo de cara 150 mil unidades e percebemos como o anime de Kekkai Sensen foi importante para o sucesso do mesmo no Japão.

Assassination Classroom aparece em oitavo, em sua terceira semana de vendas e já somando mais de 700 mil unidades vendidas. O volume 17 tem uma das capas que mais mostram o “tá acabando” da série.

Fechando o top 10 temos dois shoujos: Akagami no Shirayuki-hime é a grande surpresa com seus 113 mil unidades e provando que a segunda temporada do anime não foi um erro. Realmente pode existir um público fiel à obra. Kimi ni Todoke é o último dos primeiros colocados, somando quase 600 mil unidades em seu volume 25 (Tá bom, Karuho. Termina isso, mulher!)

Agora comentários sobre determinadas séries.

  • O último volume de Tegami Bachi (20) aparece na lista com quase 90 mil unidades. É um mangá muito bom. Quem sabe com sua finalização ele tenha a chance de aparecer por aqui.
  • Ataque dos Titãs já está em seu volume 18 e parece não perder fôlego. O volume já passa das 1 milhão e 600 mil cópias e subindo. Vamos ver se a segunda temporada torna esses números ainda mais assustadores.
  • Twin Star Exorcists é um nome para ficar de olho. Também conhecido como Sousei no Onmyouji, é um mangá da Jump Square que ganhará adaptação neste ano e promete vingar. Seu volume 7 estreia no ranking com 50 mil unidades. Veremos os números nas próximas edições.
  • Mais uma vez Orange com todos os volumes na lista. Quando será que o mangá alcança o primeiro milhão? Na verdade, se somarmos todas as edições lançadas também pela Betsuma, o volume 1 já deve ter alcançado tal marca.
  • Ultraman, o mangá publicado aqui pela JBC, também vem conseguindo bons resultados no Japão. Seu volume 7 vendeu quase 70 mil unidades em 2 semanas. Bons números para uma editora “menor” por lá.
  • O volume 19 de Haikyuu passa das 800 mil cópias antes de sair do ranking. É o vôlei nas alturas. Acordem, editoras brasileiras!
  • Apesar de Nijiiro Days e Dagashi Kashi aparecem na lista, ainda não sabemos como foi o boost dos animes nas obras. Os dados ainda não batem com as estreias dos mesmos. Vamos aguardar.
Dih

Dih

Paulistano, 27 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Hoje é editor assistente da Panini Mangás e colecionador compulsivo de quadrinhos em geral.

Related Post

  • thijonaso

    Nossa, Orange é tão bom assim? o.O

    • Eu falei que vendia igual a shonen, um shoujo muito bom, mas acho que palavras de nada servem, melhor tu ir conferir pessoalmente e depois dar sua opiniaõ

  • triste ver Btooom assim, tinha muita fé em uma segunda temporada T.T

  • Midoriya Izuku

    Resposta do troll que só fala de Orange, Orange, Orange, Orange, Orange em 4, 3, 2, 1…

  • Acho estranho Nisekoi não ter chegado aqui. Principalmente com duas temporadas. Talvez seja o público alvo. É comédia romântica voltada para meninos, mas sem ecchi. Talvez seja por isso que as editoras não queiram apostar. Mas Soma e Hero devem chegar. Me arrisco a dizer que Hero vira pela panini e Soma pela jbc.

    Uma pergunta. Shirayukihime teve uma edição limitada com uma ova. Esse do rank tá contando as duas edições?

  • Sagitarius

    Capa de Assassination Classroom realmente dá cara de “tá acabando”. O mangá está bem na reta final mesmo, mas suponho que ainda dure ao menos até o meio do ano. No anime, deve se encerrar em uma terceira temporada.

    Orange é fantástico e mais do que merecido estar aí.

    Gosto bastante de Blue Exorcist, apesar de ser um mangá de temática sombria, a autora consegue deixar ele com um tom leve que é bem legal. Ótima leitura pra quem quer relaxar.

    E também gosto muito de Akagami no Shirayuki-hime. É um shoujo bem levinho e que é gostoso de assistir. É bem diferente dos shoujos que acompanho, então estou achando bem legal a experiência de diferenciar o estilo que assisto.

    • David

      Pois é, é um tema sombrio que a autora consegue deixar mais iluminado.
      O que na minha opinião se comparado com o começo que é o mais sombrio da série até o momento, dá um pouco de saudades desse tom mais real, mais sujo e sombrio, que passa uma sensação ruim sabe XD

      Mas é bom do msm jeito, mas ainda espero ver algo num tom mais dark na obra.

  • Nem sabia que Btooom! era tão fracassado assim no Japão, adoro o mangá, merecia ter mais destaque.