Osamu Akimoto, autor de Kochikame, lançará 4 mangás em 2017

noticias-osamu-akimoto-headerFaz até parecer que o último mangá dele foi curto.

A 42ª edição deste ano da Shounen Jump, da Shueisha, anunciou que o autor Osamu Akimoto, do recém-concluído Kochikame, publicará quatro novos mangá no próximo ano em quatro revistas diferentes da editora.

Os quatro mangás – que não serão necessariamente séries, sendo referenciados como histórias curtas – tem os títulos provisórios de: Kyoto Jogakuin Monogatari –Finder – , Mr. Clice, Black Tiger e Ii Yu Da Ne!

Kyoto Jogakuin Monogatari -Finder- será publicado na Weekly Young Jump, e terá a história centrada na vida de alunas de um escola feminina nos arredores de Kyoto.

Mr. Clice será lançado na Jump Square, e será uma espécie de renascimento de um mangá similar do autor, publicado na Monthly Shonen Jump e que terminou em 2007. Como no mangá anterior, será uma comédia de ação centrada no agente secreto Jim Clice, que tem corpo de uma mulher, mas a mente de um homem.

Black Tiger será publicado na Grand Jump, e é definido como a luta pela sobrevivência em um local desértico. A violenta história de tiros terá como protagonista uma bela pistoleira viajante.

Ii Yu Da Ne! sairá na Ultra Jump, e será uma sequência de Kochikame. Ele acontece em uma casa de banho ao lado de um posto policial, ambos localizados em Shitamachi, em Tóquio, e contará com uma bela mulher estrangeira.

O autor publicou o capítulo final de Kochikame – depois de quatro décadas de serialização – na edição 42 da revista. O título é o mais longo da história da revista, chegando ao total de 200 volumes publicados e entrando para o livro dos recordes como o mangá com mais volumes publicados na história.

Asevedo

Designer de formação, atualmente sou Assistente editorial da Panini Mangá. Acumulo mangás e HQ's, que espero conseguir ler um dia. Assisto animes de vez em nunca.

Related Post

  • Premissas interessantes e tal (só um pouco), mas permitam-me dizer que esse cara é insano. Workaholic total.

  • Black Tiger conseguiu minha atenção.
    E o o cara ficou 4 anos em uma obra e já partiu pra outras, o cara e um monstro. Bota esses outros magakas no chinelo por fica enrolando.

    • 4 anos não, foram 40.

    • É, mas Kochikame era episódico. A estrutura do roteiro facilitava a produção da história. E era uma comédia. Quando se planeja (nas vezes que isso acontece) uma história mais elaborada, é outros quinhentos.

  • “Faz até parecer que o último mangá dele foi curto.” -> huahuahuahua, eu ri disto…=)
    É, ele não precisava fazer mais nada (ou será que precisava?), mas quando vemos este tipo de coisa, aí pensamos: não é à toa que criticam Miura e Togashi… ‘a toda hora, a todo momento, de dentro pra fora, de fora pra dentro…’