Novos mangás de Hiroya Oku e Kengo Hanazawa, autores de ‘Inuyashiki’ e ‘I Am a Hero’

Ambos os autores começam séries na Shogakukan.

Menos de uma semana depois da Panini anunciar a publicação no Brasil de I Am a Hero, temos novidades envolvendo o autor. O número 23 da tradicional Big Comic Superior, da editora Shogakukan, indica que dois autores bem conhecidos começam novas séries na casa.

Hiroya Oku, autor de Gantz Inuyashiki, começará uma nova série no dia 8 de dezembro, na edição 1 de 2018 da revista. O título será Gigant, e trará a história de um garoto e uma garota. Sem mais detalhes por enquanto. O segundo autor é o próprio Kengo Hanazawa, que começará sua história somente em 2018, o título ainda não está decidido, mas focará em uma mulher que ainda não conhece os “homens”. Assim como a anterior, novos detalhes devem ser divulgados em breve.

No Brasil, Inuyashiki é publicado pela Panini e atualmente se encontra em seu volume 3. A editora também já publicou Gantz, do mesmo autor. Já I Am a Hero foi anunciado na última semana e deve começar sua publicação em 2018.

Dih

Dih

Paulistano, 27 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Hoje é editor assistente da Panini Mangás e colecionador compulsivo de quadrinhos em geral.

Related Post

  • Se esse “conhece”, for o que estou pensando, passo longe.
    Uma coisa que eu aprendi é não ler/assistir nada onde a protagonista é mulher, o enredo envolve sexo e o Autor da obra é um homem, essa três coisas juntas nunca trazem coisa boa.

    • Willian Picorelli

      E onde diz que o enredo envolve sexo!?

      Ah sim, pelo autor ser HOMEM e fazer um mangá com uma protagonista mulher, ele vai ser um machista, fascista e vai colocar sexo e putaria. Nunca vi um comentário mais ignorante aqui, não sei se você é homem ou mulher, mas não julgue antes de ler.

      • O problema, não é o machismo ou qualquer coisa de cunho social, é o manga ser ruim mesmo, pois tem como prova muito mangá Josei com mote de “conhecer homens”, que são ridículos.
        A parte do meu problema de um autor homem usar uma protagonista feminina é a grande quantidade mangás, onde o autor não consegue passar a sensação de que seu personagem realmente é uma mulher, além disso, isso já foi uma ampla parte das reclamações de fãs de Shoujo e josei antigamente e também isso já foi tema de discussão em muitos forums pela internet.
        Alias sexo e putaria não tem nada haver com machismo ou fascismo, até porque tudo mundo faz sexo e pensa nisso, fora que o fator que me levou a pensar em sexo, foi aquela aspas em homens.