Dossiê Conrad – O retorno! Ou não?

Aquela que já foi a maior editora de mangás no Brasil anunciou nessa semana seu retorno ao mercado dos mesmos. Qual será o destino da Conrad daqui pra frente?

No começo da década de 2000, os mangás começaram a ganhar seu espaço nas bancas brasileiras. E a grande pioneira de tal fato foi a Conrad, inegavelmente. Embora a JBC também lançasse títulos como Samurai X e Sakura Card Captor, a Conrad foi a quem “deu a cara a tapa” e colocou em nossas bancas Dragon Ball e Cavaleiros do Zodíaco, seguidos por títulos como Fushigi Yuugi, Evangelion, One Piece, Slam Dunk… Tudo nas mil maravilhas, até que a falência da editora ficou em evidência. Títulos parados, nenhuma novidade, nenhuma informação e apenas boatos. Fato é que a editora perdeu seu lugar, assim como perdeu seu respeito com os fãs de mangás. 

Com a falência em pauta, a Conrad foi vendida para a editora IBEP, responsável por publicações em maioria “voltadas para o governo”, mas que também possui uma das mais modernas gráficas do país. A causa da queda é desconhecida e tudo o que vemos são boatos. Pessoas que conheço ligadas a IBEP disseram que a má administração de bons títulos foi o que causou a destruição da editora. Super tiragens de Cavaleiros e Dragon Ball que ficaram encalhadas devido a falta de planejamento e venda abaixo do esperado. Especulação ou não, fato é que a antiga administração afundou a editora.

A esperança por um momento foi retomada, mas foi tarde demais. A Conrad não retomou com os mangás paralisados e resolveu seguir firme em outro segmento da editora. Publicações de muita qualidade gráfica, técnica e tudo que ela sempre soube fazer com eficiência, como os livros de Neil Gaiman por exemplo. Depois de algum tempo, vieram alguns manhwas (Model, Melodia Infernal, Gui, Banya e o recém finalizado Dangu), mas a confiança dos fãs na editora não acompanharam os lançamentos.

Especulou-se muito sobre os títulos todos cancelados da editora e inclusive o site Anime Pró disse ter entrado em contato com a administração da Conrad e adquirido a informação de alguns títulos que não seriam mais trabalhados pela mesma. Em 2010 então veio aparentemente a tampa do caixão: a JBC publicaria Evangelion de onde a concorrente havia parado. Alí tudo parecia acabado. Mas eis que nessa semana surgiu mais um raio de esperança para os fãs.

Em nota publicada no site CavZodiaco, a editora Conrad anunciou seu retorno ao mercado de mangás com títulos que eram considerados parados ou cancelados, pegando muitos de surpresa. Fez questão de ressaltar a qualidade e a credibilidade da editora, que foi a pioneira nos mangás no Brasil e mais algumas lições de auto-estima. Além da bomba dos títulos retomados, a Conrad surpreendeu e divulgou publicamente sua insatisfação com a editora japonesa Shueisha, apontando de uma vez por todas as relações com a mesma, o que significa o cancelamento de Dragon Ball e One Piece sem maiores rodeios. Aparentemente exigências foram feitas por parte do Nihon, e a Conrad não desejava seguir (apostaria na publicação dos volumes de One Piece em tankobon, mas é só uma teoria).

Fato é que algumas mudanças e dúvidas devem surgir no mercado brasileiro depois desse anúncio. E alguns devem estar perdidos quanto ao que voltou ou não. Segue um guia rapidinho para vocês.

Os títulos retomados confirmados

Segundo o comunicado, ainda no primeiro semestre, a editora retomará uma obra e relançará outra. Como o header da notícia entrega, o mangá que deve voltar as bancas é Cavaleiros do Zodíaco Episódio G que havia parado no volume 10 na época. Segundo o CavZodíaco, os volumes 11, 12 e 13 já estariam prontos, mas entre estar prontos e serem lançados temos pequenas diferenças… A nota da Conrad diz que na época em que era publicado, o mangá era o mais vendido das bancas (o que eu sinceramente não duvido). Naqueles anos, se não me engano o título era lançado alguns meses depois da publicação japonesa, com um acabamento lindo, páginas coloridas e com o valor de R$12.90. Hoje em dia temos Lost Canvas em “Edição de Colecionador” pelos mesmos R$12.90 não é Marcelo? Não foram divulgados preços e nem datas fixas, mas já podemos esperar alguma novidade nos próximos 2 meses.

O outro título anunciado trata-se de Gen – Pés descalços, mangá publicado no Brasil pela editora no final da década de 1990 em sua versão “adaptada” vinda dos Estados Unidos. Agora a editora diz que relançará a obra na integra, ou seja, a versão japonesa do mangá com 10 volumes! Agradável surpresa para esse título maravilhoso. Nesse caso, já foi divulgado que o primeiro volume terá 280 páginas e custará R$24,90.

Para o segundo semestre, a Conrad também já tem seus planos, e neles está incluído o mangá de Battle Royale, que não foi concluído por aqui por questão de 3 volumes (13 ao 15). A editora já se pronunciou que o mangá será retomado daonde parou, por isso não esperem uma reimpressão tão cedo. Se é que sai. Ainda dá tempo de correr nos sebos e tentar encontrar o título.

Os cancelados

Segundo a nota já citada antes do site Anime Pró e a nota recém lançada, a Conrad não possui mais os direitos das seguintes obras que ainda não haviam sido finalizadas: Delivery Service of Corpse, Megaman, Monster, Neon Genesis Evangelion, Sanctuary, One Piece e Dragon Ball.

Tirando Evangelion, que já foi retomado pela JBC a partir do volume 21, e Megaman que havia sido cancelado no número 5 antes mesmo de todos os problemas da editora, o restante acaba sendo uma grande perda para o mercado. Também podemos supor a conclusão que se a Conrad teve dificuldades em voltar com One Piece em meio tanko, se alguma outra editora retomar o título ele deve vir no formato tankobon. O problema é se viria desde o número 1 ou a partir do volume 36 (respectivo ao volume 71 da Conrad e o que deveria ter saído).

Delivery Service of Corpse é uma perda dramática. O mangá que já tinha vida útil “contada” desde o seu lançamento, já que a Conrad considerava ele um mangá “sem conexão de volumes”, acabou sendo cancelado no volume 3, antes dos 5 volumes previstos pela editora. E o mais triste foi ela ter chegado a liberar a capa do volume 4. Uma pena e um aperto pro colecionador.

Monster, obra do grande mestre Naoki Urasawa, foi lançado apenas até o seu 10º volume, faltando 8 para sua conclusão. Sanctuary, outro ótimo mangá da editora que envolvia conspirações, política e tudo mais que um bom seinen merece, acabou sendo cancelado no volume 6, faltando mais 6 volumes para o fechamento.

Lembrando que mesmo entre os títulos já lançados completos, alguns deles a Conrad não possui mais os direitos de publicação como dito no ano passado. É o caso de Evangelion Iron Maiden, Fushigi Yuugi, Preto e Branco, Ring, Uzumaki e Zettai Kareshi, além de Cavaleiros do Zodíaco, Slam Dunk,  e outros da Shueisha. Como havia dito no post de checklist da JBC, não duvidaria do fanatismo do senhor Marcelo Del Greco em Cavaleiros do Zodíaco para republicar o mangá por aqui em tanko ou em Edição Definitiva pelo selo Graphic Novel. Assim como aconteceu com Evangelion, a possibilidade de outra editora pegar a obra é real, e todos esperamos por isso.

Os títulos que podem voltar

Antes de começar a escrever esse parágrafo, quero lembrar a vocês que as informações contidas a partir daqui são baseadas em especulações ou “exclusão”. Não existe nota oficial da editora com excessão de um deles: Nausicaa! A Conrad vem postando em seu twitter desde o ano passado que o retorno do mangá era certo, e que ainda em 2011 os volumes 6 e 7 seriam lançados. O ano não acabou, mas as esperanças de alguns parecem estar. Justamente pelo fato do mangá não ter sido citado na nota as dúvidas sobre o título são ainda maiores. Lembrando que Nausicaa é o material mais bem feito que temos no Brasil em relação a mangás, considerado a versão mais bela do título mundo afora. Cruzemos os dedos e torçamos.

Outros títulos que poderiam ser retomados pela editora são:

– Vagabond: A edição definitiva brasileira é a única do mundo inteiro e elogiada em todos os lugares. Isso mesmo, só o Brasil lançou uma edição definitiva desse mangá, e de acordo com a editora na época, a publicação havia sido uma decisão em um acordo com o autor. Essa parou na edição 14. A versão meio-tanko havia sido cancelada na edição 44 (que seria equivalente a 22 edições definitivas).

– Blade of the Immortal: Cancelado na edição 38 brasileira (19 original). A Conrad seguia Blade “fielmente” com os japoneses mas não efetuou o lançamento dos volumes 39 e 40 na época. O mangá está no volume 25 no Japão, o que daria a nossa edição 50.

– Bambi: Um dos mangás mais undergrounds da editora. A Conrad lançou 4 volumes dos 6 existentes da série da garota de cabelo rosa com sua pistola cor-de-rosa. Eu particularmente acho a arte desse mangá sensacional.

– Ooru: Se Bambi é underground, encare Ooru como algo acima do underground. Seinen admirado por poucos, adorado pelos que compravam e “maltratado” pelo seu apelo visual por aqueles que não simpatizavam com o título. A Conrad lançou 3 dos 5 volumes do mangá, e assim como Delivery Service of Corpse, chegou a ter a capa de seu volume 4 divulgada. Mas não passou disso.

– Strain: do mesmo autor de Hokuto no Ken. O título nem chegou a ser anunciado oficialmente pela editora, embora já soubessem dos direitos da Conrad sobre o mangá. Possui cinco volumes mas ninguém sabe se ainda consta em poder da editora.

Chances? Bem, acredito que desses, o que mais condiz com a “realidade” da Conrad atualmente seja Bambi ou talvez Vagabond pelos formatos “livraria” em que são publicados. Strain também seria uma boa alternativa por se tratar de apenas 5 volumes fechados. Ooru por faltarem só 2 volumes, quem sabe. Mas Blade… como grande fã da série tenho minhas dúvidas e receios. Não acho que a Conrad investiria novamente em uma série mensal com essa quantidade de volumes atrasados com o risco de um cancelamento definitivo. Ainda mais se tratando de um mangá ainda em andamento no Japão. Uma pena, já que Blade foi umdos melhores títulos já publicados pela editora. Espero que alguém possa dar continuidade no título em último caso.

O que esperar da Conrad daqui pra frente?

Aqui entramos numa questão delicada, mas é preciso se focar em algumas questões: Qual seu nível de confiança na Conrad? Quantos títulos paralisados da mesma você possui? Você conhece a linha alternativa de quadrinhos da editora?

Pois bem, fato é que confiança a Conrad não possui mais. Diversos títulos parados, cancelamentos, falta de transparência da editora com os mangás. Todos esses fatores contribuem para o chamado “pé atrás” dos clientes.  A Conrad não faz por merecer que invistamos em seus novos lançamentos, embora a estratégia de retomar aquilo que já se tem parado é interessantíssima, uma vez que isso garante ao menos o público que ainda possui sua coleção guardada. Tirando que a qualidade dos mangás “caprichados” da editora nunca fizeram feio, e embora alguns não gostassem do papel ofício nas páginas dos mangás meio-tanko e de algumas escorregadas na adaptação de One Piece, tenho certeza que a maioria sente falta do acabamento do próprio CDZ G e das páginas coloridas em Evangelion, por exemplo.

Claro que também podemos analisar o conjunto Conrad e ter uma perspectiva melhor. Não há o que reclamar de material lançado, desde Mr. Punch até álbuns de Calvin até os recém lançados Deuses Americanos e Bórgia volume 4. A editora em si não faz feio, lança títulos importantes para o mercado editorial brasileiro. Não podemos confundir o “selo” mangás com todo o trabalho dela.

Dificilmente, ou praticamente impossível ela tomar o lugar da Panini, por exemplo. Ou mesmo tomar o lugar da JBC. A Conrad vem para ser mais uma. Vem não, volta. E eu particularmente fico feliz com isso. É bom ver que o mercado brasileiro ainda tem chances de respirar em outras direções, trazendo novidades, fidelizando leitores ou consolidando e agradando os do passado. É bom que a Conrad volte com Cavaleiros G, assim como é ótimo ver a NewPop trazendo Gate 7 em simultâneo com o Japão.

Em suma, não podemos dizer o que será da editora com a publicação dos mangás de hoje em diante. Não acredito que as coisas se estabilizem por lá de uma hora para outra, mas também não acredito que a mesma faria um anúncio assim sem no mínimo ter tomado um cuidado para se seguir sem cometer os mesmos erros do passado. A administração da Conrad mudou, utilizou muito tempo para se reestruturar (as dívidas da editora não eram poucas) e vai tentando se posicionar novamente no mercado. Não é a primeira editora do mundo a sofrer algo assim, e muito menos a primeira a ter títulos transferidos para outras. No próprio Brasil já tivemos diversas reviravoltas de quadrinhos que se vão e se vão novamente para outras editoras durante esses tantos anos de mercado. A americana VIZ, por exemplo, relançará a série Tenjho Tenge, anteriormente publicada pela falecida DMX com cortes. A mesma VIZ cancelou Gintama e muito provavelmente Reborn, o queridinho pedido pelo pessoal daqui. NÃO É NADA DE OUTRO MUNDO!

Ficar bravo com a editora, revoltado por ter seu título cancelado e achar ela a pior do mundo são atitudes normais e válidas, afinal, você é consumidor e está se sentindo lesado por isso. Só não ache que isso é exclusividade nossa, que ninguém mais passa por isso! Estamos aprendendo a lidar com essas reviravoltas mercadológicas somente agora, somos um bebê até mesmo perto de nossos hermanos argentinos. É preciso encarar que o mundo vive de cancelamentos, de escolhas e principalmente de dinheiro. Se ele não entra, não há editora que aguente. Não há título que se auto-sustente por meia dúzia de fãs que compram.

E assim, seguimos nossa expectativa pelos próximos meses. Vamos com calma nas expectativas, mas vamos confiantes. Que tudo dê certo e que antes da Conrad pensar em novos títulos, possa se estabilizar com os que já tem, provando que pode recuperar a confiança de seus clientes. Ou jogar tudo por água abaixo e essa postagem ser a minha cova…

by Dih

Dih

Dih

Paulistano, 27 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Hoje é editor assistente da Panini Mangás e colecionador compulsivo de quadrinhos em geral.

Related Post

  • É uma lástima, mas infelizmente os Kanzenbans de Dragon Ball e One Piece tiveram que sofrer no processo…. mas a boa notícia é que Hadashi no Gen e Battle Royale estão de volta!! (sendo que o primeiro me desperta um enorme interesse)

    Seria muito bom se a Conrad pudesse voltar com Monster e Sanctuary, apesar de eles terem sido anunciados em uma lista de cancelamentos (que se eu não me engano, Battle Royale também estava incluído). Eu sempre quis saber quais foram os motivos para o cancelamento dessas duas obras.
    Apesar de estar feliz com o retorno da Conrad, ainda fico com o pé atrás quanto à isso.

    E quando a Conrad finalizar Nausicaa, pretendo comprá-lo também (junto com Slam Dunk, que estou pra comprar há tempos).

  • Eu acredito na volta da Conrad.

    Pra quem lê Maximum Cosmo, tem um artigo lá sobre quadrinhos de livraria (isso aqui http://pqp.vc/3yqs ). A Conrad já faz isso com outros títulos, sem ser mangá. Nada impede de seguir essa linha. Nausicaa tá aí pra isso. (apesar do Diogo estar certo: não misturemos os mangás deles com o resto)
    E sinceramente, mangá de luxo só a Conrad sabe fazer. Aquele selo Graphic Novel da JBC é uma vergonha. Ótimos títulos, mas não vale o preço.

    E a gente fala de confiança pra lá, confiança pra cá, mas, cara, se a Conrad pusesse na banca de novo Vagabond, quem não compraria?

    • Denys Fantasma Almeida

      Eu não compraria. Não que Vagabond não seja bom, mas tem o que? Uns oito anos que eu decidi parar de comprar Vagabond (na época o R$5,20 dele era caro demais… imagine).

      O grande problema da Conrad é o pensamento de muita gente; “Quando terminar de lançar eu compro”. O mesmo tipo de pensamento (junto dos descontos agressivos que ela mesmo fazia na sua loja) que a levou a ter baixas vendas com seus mangas.

      Gyabbo!

  • Bom, eu torço muito pela votla da Conrad. Eu não sou da época da edita, mas entendo o sentimento de muita gente a respeito da mesma, gente que viveu essa época e até hoje está com os títulos que colecionavam incompletos. Mas ela está demonstrando boa vontade, tomara que de tudo certo e ela possa ganhar novamente o respeito e a confiança de todos. A edição da Conrad é caprichosa e cheia de mimos. O Ero-Guro que comprei por ela ´ta uma maravilha na estante, lindo lindo. Sem falar que ela aposta sempre em mangás que as outras editoras geralmente não arriscam, isso é bem interessante em termos de mercado. E tomara que ela volte com Nausicaa, eu compraria se ela anunciasse a volta.

    • E excelente artigo, parabéns pelo trabalho duro Dih ^_^

  • Muito bom o post! Concordo com praticamente tudo e tbm espero pela volta (triunfal?) da Conrad.

    Infelizmente, acredito que Monster realmente deve ter ido pro limbo. Mesmo não sendo diretamente da Shueisha, a editora Shogakukan junto com a Shueisha e a Hakusensha formam um dos maiores grupos editoriais do Japão. E, muito provavelmente, seguem a mesma política quanto aos contratos.

    Mas ainda tem uma pontinha de esperança. A nota da Conrad foi bem específica em relação a qual editora não haverá mais lançamentos. Talvez isso seja um (bom) sinal! xD

    Por fim, uma propagandazinha! xD
    http://yon-koma.blogspot.com/2011/05/otakus-o-que-vem-por-ai-mangas.html

  • Lestion

    Eu não sou de comprar mangás, mas não por que não quero, eu fiquei interessado em começar a colecionar mangás, ja coleciono animes, mas antes de talvez querer colecionar mangás séra que alguem poderia me dizer um pouco de como é a historia do mangá Cavaleiros do Zodíaco Episódio G ??

    Acho que se a Conrad ainda tiver muito de seus leitores, pessoas que compram seus mangás sempre, a confiança não vai demorar a voltar. Ja que pelo que eu li em comentarios acima, parece que Conrad possui uma vasta qualidade em seus mangás.

    Post muito bom. Valeu.

  • MFRS

    Meus títulos cancelados da Conrad: Dr. Slump, One Piece, CDZ G, Vagabond, Blade e EVA (que graças a Deus passou pra JBC). Dos 5 que comprava só vai voltar o CDZ. Ou seja, ainda estou chateado com essa editora. Só vou comprar pensando na minha coleção e esperando que com as vendas possam investir nos outros títulos parados. Pq pelo amor, Gui, Banya, Dangu… aff… (me perdoem os que são fãs dessas obras) só investindo em cancelados msm, pq os mais recentes são fracos… Espero que One Piece possa ir para a JBC ou Panini o mais rápido possível.

    Kra, gosto muito do seu blog, to sempre dando uma olhada… continue assim…!

  • Anny-chan

    Otimo post, eu estou torcendo pela Conrad. Fiquei muito feliz ao anunciarem a volta de Battle Royale, (Que por sinal tenho que correr para comprar os volumes que faltam) e agora só esperar se vai voltar a publicar outros titulos (Principalmente Bambi, que comprei recentimente) ou não.

  • Trunqs

    Gostei muito do texto!!
    Eu nunca liguei muito pra Conrad, não parava pra ficar vendo os títulos dela pq a maioria não me interessava.
    O único título dela que comecei a comprar de verdade foi Monster quando já estava nos seus volumes atuais, daí logo depois ela faliu…
    BR eu tenho dois volumes que comprei por 1 real cada randomicamente, e gostaria de continuar, vou fazer um esforço pra comprar os que faltam quando BR voltar às bancas…
    Quanto a Monster, vou ficar mais um tempinho com a esperança de que volte também, é um título incrível, seria triste demais ficar incompleto por aqui.

    Novamente, parabéns pelo post Dirdes. /o/

  • Bem, você teve algumas confusões com números nos posts. Strain tem dois volumes ou cinco? Delivery Service of Corpse foi anunciado com cinco volumes. Gen possui 10 volumes, segundo o comunicado da editora, que você deveria linkar no post.

    Abraços

    • Outra coisa wu em tira do sério é o ódio dos otakus a Conrad. “Queroq ue essa editora exploda e todos de lá morram!” etc. Poxa,a Conrad é uma ótima editora, publica ótimos livros, tem um trabalho gráfico fenomenal. Publia obras importantíssimas pro mundo dos quadrinhos, além de ter diversas obras [HQ ou lit.] do Neil Gaiman, um dos autores mais importantes do mundo, e de ter coragem de publicar obras que ninguém mais tem. Eu simpatizo muito com a política editorial da editora que tem O Capital pra download em seu site e acho muito raso esse tipo de comentário. Nunca vi otaku nenhum dizendo que odeia a Shueisha porque cancelou To Love-ru e que nunca mais lerá um mangá da editora. Cancelamentos são naturias em todos os mercados.

      Enfim, torço para que a Conrad se reerga.

    • Dih

      Valeu pelas observações Arthur! Realmente foi falha minha na correria para postar. Estou corrigindo a postagem. E quanto ao comunicado da editora, também esqueci de linkar na correria.
      De qualquer maneira, obrigado!
      Abração!

    • MFRS

      A carapuça me serviu! To brincando… não confio na Conrad no setor de mangás… não quer dizer que a desaprovo de modo geral, afinal, graças a ela temos a coleção Discworld… em ritmo de “tartaruga navegando pelo espaço”, mas temos…

  • gabriel pereira pinto

    Bem, por onde começar esse gigante poste ?
    Creio que li todos os artigos que chegaram a me chamar a atenção, e acredite foram quase todos xD

    bem devo parabeniza-lo (digo para o dih pela inciativa e pelo Luk que acompanhou depois mais já mostrou seu bom trabalho )

    gostei de muitas coisas que encontrei aqui e pode acreditar que serei um comentarista frequente.

    e devo concordar com vocês em muitos pontos (principalmente depois desse artigo)

    •Conrad esta voltando com um dos sonhos que já quase se encontrava extindo para mim que é o Ep.G, sou um grande fã de CDZ e o Ep.G é o meu favorito entre todos, mas eu AMO ter um manga em mãos então não li pela internet na expectativa dele voltar.

    •Panini cada vez mais com novos titulos de peso e sempre mantendo uma qualidade tanto na tradução quando na impressão (apesar de as vezes achar coisas como “sempai” em elfne lied / creio que saiba que o certo é seNpai mas n custa falar)

    • Só compro ainda alguns titulos como Ga-rei (que conheci recentemente e acabei amando pelo meu “fraco” com historias de demonios e exorcistas [sim sou fã de D.gray-man]) e Fairy Tail, já que sou um fã do Hiro.
    Mangas como Code Geas acabei desistindo porque vi que o manga não alcança toda a “epicidade” do anime.
    mas assim como vocês comentam JBC tem uma tradução extremamente porca (como o “cê” do Natsu que me irrita E MUITO) fora que sempre se encontram aquele monte de rugas nas folhas, ISSO QUANDO NÃO ME VEM COM CORTE ERRADO

    enfim creio que a Conrad venha voltando aos poucos, mas que agora a panini se mantenha em primeiro e a JBC decaindo(ou talvez esse Marcelo tome vergonha de uma vez e melhore essa qualidade de impressão e de tradução)

    bem desculpe pelo LONGO poste mas é que fiz uma junção de tudo que li ao artigo mais recente.

    espero que continuem o bom trabalho.

    • Trunqs

      Sobre o “sempai”, a Panini falou em um dos mangás dela (não lembro qual, faz um tempo) que iria passar a utilizar “sempai” ao invés de “senpai”, por causa de regra do P e B. Algumas editoras americanas usam com “M” também.. Eu particularmente prefiro “senpai”, acho feio com “M”…

      • gabriel pereira pinto

        pois é dessa eu n sabia

  • A propósito, a LigaHQ entrou em contato com a Conrad a fim de um maior detalhamento sobre os títulos que estariam cancelados, e Monster, Sanctuary, Megaman, One Piece e Dragon Ball foram confirmados. Além disso, ainda está sendo discutida a questão da edição definitiva de Vagabond.

    Infelizmente, são perdas gritantes. Quem sabe, e essa é minha esperança, a Panini possa pegar os seinens (e OP), seja para continuar ou republicar.

    http://yon-koma.blogspot.com/2011/05/otakus-o-que-vem-por-ai-mangas.html

    • Ah… e isso pode significar que os demais mangás da seção “ainda podem voltar” estariam “certos” para o retorno a um determinado período de tempo.

      Mas aí tbm são suposições… rs

  • Pingback: Fica a Dica: Chuva de Nanquim « Anime4to()

  • Juliana pulcinelli

    Eu nunca fui de colecionar mangá até o dia q um amigo me deu o primeiro vol de Blade. Achei sensacional e passei a comprar a reediçào que saía na época. O cancelamento foi uma decepção sem tamanho!!!!! O único que eu comprava! Já falei que vou deixar no testamento pros meus netos terminarem por mim a coleção.

  • Rick

    torço muito para que a panini lance OP direito.
    espero terminar episódio G.
    mas dessa editora não compro mais nada que tenha mais de 3 volumes. e só se for material muito bom.

  • gabriel pereira pinto

    Bem venho reviver aqui mas okay

    ontem eu fui arrastado pro shopping com a família quando olho na prateleira da livraria la estava o lindo volume 11

    bem posso dizer essas coisas pelo manga :
    o manga do EP.G exige MUITA TINTA, e em algumas poucas paginas ficava meio ralo a impressão como se estivesse acabando a tinta na hora daquela pagina ou então algumas com aquelas manchas ralas, parece que passaram um pouco de tinta respingada n sei (isso foram so em duas paginas e só no final da pagina) mas da pra enchergar bem mesmo assim(só atrapalhou u pouco em uma fala)

    a capa não apresenta mais aquele “marca pagina” porem esta mt linda

    o manga apesar de ter poucas paginas com tinta um pouco faltando como disse tem outras que estão com uma qualidade tão linda (mais os grandes detalhes do Ep.G vc quase vê colorido xD )

    bem o que dizer
    a Conrad ainda não esta 100% como antes, porém ja deu uma boa lavada na JBC e esta quase no mesmo patamar que a panini

    acho que a conrad voltou pra ficar

  • Faz um bom tempo que eu não acessava o site e gostaria de parabenizar pelo trabalho que é muito bom.

    Referente a Conrad ela perdeu o principal de um cliente: A Confiança.

    Fiquei feliz com a volta de CDZ G mas não consigo empregar um centavo em um lançamento que eles fizerem daqui pra frente. Só fecho a minha coleção por que é necessário para meu ego.

  • alberto akel

    quando vagabond voltar (na edição definitiva logico).
    o que é r$ 6 pra um mangá? ida e volta de ônibus aqui em são paulo..
    é só deixar de lanchar um ou dois dias que qq um compra um mangá…cultura é pra poucos nesse país..e tem que gostar.

  • nick_oliveri_guitar

    Tô até hoje esperando os dois volumes finais de Nausicaa. Eu poderia simplesmente comprar o resto pela Viz, americana. Mas gostei tanto dessa edição da Conrad, a qualidade da publicação é tão soberba, que ainda mando emails pro pessoal da editora na fé de que esses malditos terminem o que eles começaram.

  • eu vi uma luz no fim do túnel com Blade, ele é lançado pela Panini na Itália, não custa sonhar

  • SequilhoSan

    Vamos lá, notícia velha mas a luta diária ainda perdura. Mando mensagens constantemente para o Contato Conrad, acerca de Nausicaä, a resposta é sempre a mesma, de que os direitos autorais dos dois últimos volumes ainda precisam ser acertados, e que não há previsão de que isso aconteça, por enquanto (24/06/12) mais um Manga descontinuado no mercado…

    Email resposta: “O contrato dos direitos autorais de Nausicaä venceu em 2008 e não foi renovado. Por isso não foi dado a sequência nos volumes.
    Estamos em negociação, devido a isto não temos uma previsão concreta.
    Obrigado pelo contato.
    Att.”

  • Sanou

    Eu quero Ooru de volta, não aguento mais. Fico relendo Ooru o tempo todo, não existe mangá melhor, aliás, odeio mangás, Ooru é único e está fazendo muita falta! Além de ter poucos volumes a Conrad ainda faz isso :d

  • Siinto falta, queria de volta Zettai Kareshi.. Na época eu lia de uma amiga, então neim me interessei em comprar… Mas agora nem em lojas on-line eu axo!! =[

  • chisu

    para quem nao sabe cdz G e todo colorido por isso a mudança na tonalidade da xerox