Eu Recomendo #02 – Filmes clássicos!

eu recomendo filmesHora de listar alguns clássicos e obrigatórios filmes animados japoneses…

Hoje estamos trazendo mais 5 recomendações, agora de filmes clássicos. Sabemos que menos de 2 horas para contar uma historia é realmente complicado, mas em alguns casos o resultado acaba sendo muito bom, acima do esperado.Você realmente gosta de animes e nunca viu os listados abaixo? Sério, pare tudo oque está fazendo e vai baixar todos os filmes que estão aqui! Não to brincando, otaku que é otaku tem que ter visto pelo menos um desses!

Hotaru No Haka – Túmulo dos Vagalumes

Diretor: Isao Takahata
Ano de produção: 1988

Studio Ghibli
Duração: 88 minutos
Nível de obrigação para assistir: 9

Hotaru no Haka conta a história do adolescente Seita e da irmãzinha Setsuko que vivem no Japão em guerra contra os Aliados na Segunda Guerra Mundial. Tudo começa a desmoronar quando o pai deles é convocado para defender o país, a mãe é morta durante um bombardeiro de aviões dos EUA e esse ataque também acaba destruindo a casa onde moravam. Sozinhos eles precisam se mudar para a casa de uma tia, mas são tempos difíceis e ela não é uma pessoa sensível com a dificuldade dos dois irmãos.

Certo, preciso fazer uma pergunta antes de tudo: você está com depressão? Você respondeu sim? Então é melhor nem assistir, estou falando sério. Mesmo a pessoa mais feliz do mundo vai chorar até soluçar depois que acabar. O Túmulo dos Vagalumes é o filme mais triste que eu já assisti. É incrível como o Isao Takahata consegue fazer com que nos importemos tanto com os personagens em menos de uma hora e meia de filme. Você pode pensar que não vai gostar porque é antigo mas a animação do Studio Ghibli é incrível para a época. Também possui um filme em live action mas esse eu não assisti.


Mononoke HimeMononoke Hime

Diretor: Hayao Miyazaki
Ano de Produção: 1997
Studio Ghibli
Duração: 130 minutos
Nível de obrigação para assistir: 9,5

Japão, Era Muromachi. Um demônio que possuiu o corpo do Deus-Javali vai em direção ao vilarejo dos Emishi e o príncipe Ashita é o encarregado de para-lo antes que ele destrua seu povo. A batalha segue, ele consegue derrotar o monstro, que em um ultimo esforço consegue ferir Ashita e morre logo depois. Depois ele acaba descobrindo que esse ferimento era uma maldição terrível e que iria acabar morrendo se não encontrasse uma cura. O príncipe decide deixar seu povo e seguir para oeste para tentar se salvar. Só que ele não sabia que lá estava acontecendo uma grande batalha entre os mineradores e os deuses-animais e que no meio disso tudo ele vai encontrar e se apaixonar por San, uma garota que foi criada por lobos e que é conhecida por Princesa Mononoke.

Eu não sei se eu falo mais do filme em si, do mestre Hayao Miyazaki ou do Studio Ghibli. Eu sou apaixonado por quase todas as obras do mestre Hayao (eu ainda preciso ver meu vizinho Totoro) e Princesa Mononoke é um daqueles animes que fazem você se lembrar porque gosta tanto de animes. Princesa Mononoke é o meu filme preferido do mestre, com Chihiro e o Castelo animado seguindo de perto. Fico meio triste porque não consegui fazer uma sinopse decente para o filme, da forma como falo parece um anime simples do bem versus o mal. Claro que nem preciso falar muito sobre a parte técnica da animação, o Studio Ghibli é um dos melhores nesse quesito. Aproveitando que eu estou aqui, recomendo o podcast sobre Hayao Miyazaki do Rapaduracast, ficou excelente, eles comentam sobre todos os filmes que ele produziu, é só clicar AQUI nesse link.


Ghost in the ShellGhost in the Shell

Diretor: Mamoru Oshii
Ano de produção: 1995
Production I.G.
Duração: 83 minutos
Nível de obrigação para assistir: 9

Ghost in the Shell é uma adaptação do mangá criado por Masamune Shirow. Se passa depois 2029, um mundo onde a tecnologia avançou muito e agora é possível fundir seu cérebro à computação, quase tornando os usuários em máquinas. A história é sobre a Major Motoko, a líder de um serviço secreto chamado Esquadrão Shell, que foi tão modificada geneticamente que quase não tem mais humanidade. Esse esquadrão está perseguindo um hacker, chamado Mestre das Marionetes, que é capaz de controlar a vontade das outras pessoas, mas eles acabam se metendo em uma trama de conspirações que envolve até grandes autoridades do Ministério.

Ghost in the Shell tem um conteúdo para mais de 2 horas de filmes mas é surpreendente durante seus 83 minutos. Você realmente vai precisar assistir mais de uma vez para pegar algumas coisas. Um dos melhores filmes cyberpunk já feitos, que influenciou em muito a estética da animação depois dele e também outras mídias, Matrix, por exemplo, foi um filme que possuiu muitas referências a Ghost in the Shell. Ele possui mais dois filmes e duas séries de tv, então é um prato cheio pra quem gosta desse estilo.


Perfect BluePerfect Blue

Diretor: Satoshi Kon
Ano de produção: 1998
Madhouse Studios
Duração: 80 minutos
Nível de obrigação para assistir: 10

Perfect Blue conta a história de Mima Kirigoe, uma idol do grupo pop chamado CHAM, que resolveu abandonar sua confortável carreira de cantora para tentar se tornar uma atriz. Claro que no começo ela não consegue muita coisa, apenas papéis secundários, fora que seus antigos fãs protestam contra esse novo rumo que sua vida tomou. O grande problema é que ela descobre um site chamado “O Quarto de Mima” e percebe que alguém está contando detalhadamente seu dia a dia e é claro que isso a assusta. A trama vai se aprofundando, a sua vida vai entrando em uma espiral violenta, ela precisa fazer cenas cada vez mais pesadas e enquanto isso alguns assassinatos acontecem com pessoas relacionadas a Mima.

Perfect Blue é o meu filme preferido! É aquele anime que você vai mostrar para aquela pessoa idiota que diz que anime é coisa de criança: a trama é pesada, tem cenas de nudez – mas que não é aquele fan service chulo que você vê hoje – em dia e muita violência. Fora que muitos estão falando que Cisne Negro tem muita coisa de Perfect Blue, e só não confirmo isso porque eu ainda não assisti o filme. Para quem quer um texto mais detalhado (e eu poderia falar por horas sobre isso) podem dar uma passada no excelente post da Roberta, do blog Elfen Lied Brasil, sobre Perfect Blue clicando AQUI.


AkiraAkira

Diretor: Katsuhiro Otomo
Ano de produção: 1988
Tokyo Movie Shinsha
Duração: 124 minutos
Nível de obrigação para assistir: IT’S OVER NINE THOUSAAAAAAAAAND!

Akira é uma adaptação do mangá de Katsuhiro Otomo. A historia é contada na cidade de Neo-Tokyo, uma Tokyo reconstruída e ainda abalada pela Terceira Guerra Mundial. O ano é 2019 e a cidade é povoada por gangues de motoqueiros e o líder de uma dessas gangues é chamado de Kaneda. Em uma noite um grupo rival invade seu território e durante a perseguição, Tetsuo, o membro mais novo do grupo de Kaneda, acaba sofrendo um acidente com uma criança estranha.Tetsuo é levado pelos responsáveis por um programa governamental, que investigava sobre poderes psíquicos. Esse programa realiza uma série de testes que acaba despertando os poderes latentes do garoto e isso acaba tendo conseqüências desastrosas, colocando a cidade mais uma vez em perigo.

Akira é o filme mais respeitado da animação japonesa. Katsuhiro Otomo criou a obra prima da animação japonesa, que até hoje parece não envelhecer. É o típico filme que você vai precisar ver de novo e de novo para entender. O diretor precisou espremer 2000 páginas do mangá em apenas 2 horas de filme e fez de forma excelente, embora tenha acabado perdendo alguns detalhes importantes. Mas o grande diferencial de Akira é a arte, já se passaram mais de 20 anos e ela não envelheceu. O nível de detalhamento dos animadores é inacreditável, sua computação gráfica com níveis de 24 frames por segundo, cria uma animação fluida e admirável. Preciso dizer aqui que os últimos 20 minutos são incríveis! Mais uma recomendação é vocês ouvirem o Rapaduracast sobre Akira, clicando no link AQUI.

Por Luk.

Luk

Luk

Eu juro que gosto de animes, apesar de todo o meu haterismo.

Related Post