Checklist – Deu a louca (dinovo) na Panini em Junho / Julho

E olha a Panini aprontando das suas novamente. Só pra variar e contradizer o redator…

Há alguns meses atrás, quando a Panini havia retomado alguns títulos parados eu havia comentado aqui que a editora parecia estar colocando seu checklist em dia. Salvo engano. Dois checklists depois eu percebo que a falta de organização e o descaso da editora continuam em alta. Sinceramente eu não sei o que se trata o problema: falta de funcionários ou simplesmente a despreocupação por ser a líder do mercado nacional. Acho difícil ser a primeira opção (ou eu mesmo vou me oferecer para dar um jeito nisso). Fato é que esse mês temos uma desorganização total no checklist da editora liberado hoje pelo Jbox e que pode ser conferido clicando AQUI.

Como a maioria sabe, a Panini costuma “dividir” seus checklist em parte A e B, rusticamente falando. Com isso, os títulos bimestrais se intercalam dando assim a possibilidade dos leitores adquirem mais mangás. E eu sou totalmente de acordo com esse método. Aliás, sou a favor de um sistema trimestral no Brasil à muito tempo, mas isso fica para outra ocasião.

Acontece que nesse mês temos a presença de dois mangás que já estavam no checklist do mês passado e que teóricamente seriam bimestrais, que são os casos de Bem Vindo à NHK, Kimi ni Todoke e Darker Than Black. Além de dar um “repeteco” em lançamentos como Basilisk e 07-Ghost. Esses dois eu já fiz questão de cortá-los do checklist para não causar maiores confusões.

Também sentimos a falta de um dos poucos títulos mensais da editora, Morango 100%, que até então era um dos poucos que não constavam problemas. Nada de Brave 10 também (provavelmente em renovação de contrato?) e muito menos das estréias de Air Gear e Zone 00, mas esses dois eu já contava com o atraso devido ao cuidado da editora principalmente com o primeiro. Como lembrado pelo leitor Panina Manina, nada de Astral Project também! E esse já fazem mais de 3 meses desde o lançamento…

Fora isso, nenhuma novidade: volta dos medalhões Naruto, Claymore, Bleach e D.Gray Man. Mais volumes também dos shoujos da galera. Confiram agora o checklist da Panini em Junho / Julho!

Naruto 49 de Masashi Kishimoto

Periodicidade: Bimestral – Em andamento no Japão com 56 volumes (Distribuição setorizada)

Formato: 13,7 x 20 cm, 192 páginas

Preço: R$ 9,90

Mais de quatro anos de publicação no Brasil e Naruto continua firme e forte, e com certeza será assim até seu término. Dificilmente existe um mangá que venda tanto no país quanto ele (Não estou contando com Turma da Mônica Jovem). A partir dessa fase do mangá, Naruto começa a ser extremamente regular e ótimo para quem curte a série. Aliás, eu particularmente sempre achei Naruto um bom título, mas os famosos haters sempre acharão algo para criticar, assim como One Piece e qualquer outro sucesso. É o preço que tem à se pagar. No Japão se encontra no volume 56.

Claymore 14 de Norihiro Yagi

Periodicidade: Bimestral – Em andamento no Japão com 20 volumes (Distribuição setorizada)

Formato: 13,7 x 20 cm, 192 páginas

Preço: R$ 9,90

Para muitos, Claymore é o melhor mangá da Panini atualmente. Ele tem o incrível poder de prender mais e mais seus leitores a cada volume que passa e tem seus méritos para isso. Recentemente ganhou seu 20º volume no Japão e no Brasil ainda devemos ter no mínimo mais 1 ano de publicação até alcançarmos o original. Enquanto isso, quem lê os spoilers, CONTENHAM-SE!

Kekkaishi 12 de Yellow Tanabe

Periodicidade: Mensal – Concluído no Japão com 35 volumes (Distribuição setorizada)

Formato:13,7 x 20 cm, 192 páginas

Preço: R$ 9,90

Pode criar uma postagem padrão para Kekkaishi dizendo que ele é o melhor mangá da Panini na minha humilde opinião? Principalmente depois dos acontecimentos no volume 10, o mangá parece só melhorar. Não sei quanto à vocês, mas parece que eu já vou ficando triste imaginando como serão os dias sem Kekkaishi nas bancas. Tudo bem, falta tempo, mas eu gosto de me planejar.

Naruto Pocket 13 de Masashi Kishimoto

Periodicidade: Mensal – Em andamento no Japão com 56 volumes (Distribuição setorizada)

Formato:11,4 x 17,7 cm, 184 páginas

Preço: R$ 8,50

Eu percebo que a cada dia que passa eu vejo mais pessoas que aderiram ao formato pocket de Naruto, na sua maioria pessoas que perderam as edições do mangá “normal”. Também ouvi algumas pessoas em dúvida das diferenças dessa edição para a outra, e posso afirmar que o valor é válido, uma vez que a versão pocket possui revisão de erros, um acabamento caprichado e o mesmo número de páginas do original. De quebra com um preço menor do que os já pockets da editora.

Bleach 41 de Tite Kubo

Periodicidade: Bimestral – Em andamento no Japão com 50 volumes (Distribuição setorizada)

Formato: 13,7 x 20 cm, 192 páginas

Preço: R$ 9,90

Além de contar com uma das capas mais feias da história de Bleach, o mangá continua em queda quanto à qualidade. Eu ainda dou uma chance para Bleach nos volumes encadernados já que a história parece fluir melhor do que ler os capítulos semanalmente. De qualquer maneira, a queda na qualidade do título é notável não só aqui, uma vez que no último volume japonês (o 50) as vendas também foram bem abaixo da média. Sinto um deja-vú de Eyeshield 21 à caminho…

Bem-vindo à NHK! 4 de Tatsuhiko Takimoto e Keji Oiwa

Periodicidade: Bimestral – Concluído no Japão com 8 volumes (Distribuição setorizada)

Formato:13 x 18 cm, 192 páginas

Preço: R$ 9,90

Outro que dispensa muitos comentários. Parece ter sido bem recebido e aprovado por 99% dos seus leitores, caindo na graça dos otakus. Chegamos exatamente à metade do mangá e até o final do ano devemos ter sue término aqui no Brasil. Espero que os primeiros volumes ainda não estejam difíceis de serem encontrados…

Kimi ni todoke: Que chegue a você 3 de Karuho Shiina

Periodicidade: Bimestral – Em andamento no Japão com 13 volumes (Distribuição setorizada)

Formato: 13,7 x 20 cm, 192 páginas

Preço: R$ 9,90

Esse mangá parece não ter paz no Brasil. Quando não é a Panini que divulga o volume errado no checklist, é a distribuição falha que acaba deixando ele na mão. Eu particularmente duvido que esse volume saia em Julho, e olhe lá em Agosto. Uma pena, tendo em vista que as pessoas parecem ter se encantado com o mangá. Tá, mas quem não se encanta?

D.Gray-Man 17 de Katsura Hoshino

Periodicidade: Bimestral – Em andamento no Japão com 22 volumes (Distribuição setorizada)

Formato: 13,7 x 20 cm, 192 páginas

Preço: R$ 9,90

Questionado por uns, adorado por outros ou simplesmente comprado por outros (eu me encaixo nesse grupo). D.Gray Man chega à mais um volume e simplesmente não podemos dizer se está próximo do final ou não, porque a autora consegue nos surpreender mais a cada capítulo que passa (seja esse comentário negativamente ou não).

Darker Than Black 2 – FINAL – de Nokiya, Bones e Tensai Okamura

Periodicidade: Bimestral – Concluído no Japão com 2 volumes (Distribuição setorizada)

Formato: 13,7 x 20 cm, 192 páginas

Preço: R$ 9,90

Eu ainda não sei que tipo de comentários faço desse mangá, por isso estou aguardando essa edição final para poder dizer algo sobre ele. Claro que comprei com a plena consciência de que seria mais fraco que o anime, mas ainda tenho dúvidas se o mangá é mais fraco ou se é simplesmente ruim. Única finalização da Panini no mês com apenas 2 volumes.

Tokyo Mew Mew 5 de Mia Ikumi e Reiko Yoshida

Periodicidade: Bimestral – Concluído no Japão com 7 volumes (Distribuição setorizada)

Formato:13,7 x 20 cm, 192 páginas

Preço: R$ 9,90

Só mais 2! As super gatinhas (me desculpem fãs do nome original, eu não resisto) estão firmes e fortes nas bancas e eu ainda torço para que seu substituto seja Shugo Chara! O público parece ter aprovado o gênero mahou shoujo e a Panini deveria começar a pensar em um investimento de títulos maiores.

Rockin Heaven 6 de Mayu Sakai

Periodicidade: Bimestral – Concluído no Japão com 8 volumes (Distribuição setorizada)

Formato:13,7 x 20 cm, 192 páginas

Preço: R$ 9,90

Já falei aqui que Rockin Heaven foi uma das maiores surpresas para mim. Um mangá leve, que sabe levantar temas complicados da juventude mas que ao mesmo tempo não perde a inocência e o carisma. Simplesmente impossível um fã de shoujos não se apaixonar pelo título, que embora fosse desconhecido acabou me abraçando por completo. Esperamos mais surpresas em breve já que só mais 2 volumes e teremos o mangá completo.

Antes de finalizar o checklist, vale aqui um desabafo pessoal e uma crítica para a Panini: Como Kimi ni Todoke 2 não está nas bancas convencionais? Como assim só podemos comprar o título no site da Comix ou indo ao bairro da Liberdade onde somente uma loja possui o mangá em um estoque que é “limitado”? O que está acontecendo Panini? Não existe o menor cuidado para com o atendimento ao leitor? Porque uma editora com a melhor qualidade gráfica do Brasil consegue ter tantas falhas assim em sua distribuição mesmo com uma tradição tão grande do mercado? O mesmo vale para Basilisk, que ainda não está disponível em todas as bancas nem ao menos de São Paulo ou Rio de Janeiro. É tão difícil entender que nem todos tem acesso à Comic Shops nesse país?

Quando é que nós leitores seremos realmente ouvidos? Pelo visto essa situação no Brasil só será mudada no dia em que realmente tivermos que apelar para nossos direitos legais como consumidores lesados. É uma vergonha, lamentavelmente, que nós colecionadores ou simplesmente fãs casuais tenhamos que passar por uma situação constrangedora assim. Eu que sempre elogio as editoras quando é necessário, também sei criticar, e nesse quesito a Panini está em baixa comigo e com muitos outros leitores, tenho certeza. Uma pena.

por Dih

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post