Blood Lad é mais um lançamento da Panini!

Mais vampiros chegam às bancas em breve pela Panini…

Tudo bem que pelo desenho, o cara tá mais pra zumbi do que pra um vampiro. Mas enfim meus amigos, essa moda de vampiros parece não cessar tão cedo por essas bandas (ou no mundo inteiro).

A Panini acaba de confirmar isso através de seu novo lançamento: Blood Lad, que se encontra disponível na Liga HQ para reservas (lugar que já parece ter se tornado comum para “anunciar” títulos da editora) e também já havia sido comentado no blog da Fênix Comic Shop (dica do meu amigo @Ikari387 do nosso blog parceiro Yon-Koma). Poucos devem conhecer esse título (na verdade eu também pouco conheço), mas a editora parece que pretende se aproveitar do lançamento de um anime da série na próxima temporada (se é que isso foi proposital). O mangá é publicado na revista seinen Young Ace com autoria de Yuuki Kodama. Atualmente o título possui 4 volumes encadernados e ainda está em publicação desde o ano de 2009. Porém o grande barato desse título não é o fato de se tratar de um vampiro… O mangá trata-se de mais uma comédia mista de boas doses de ação ao estilo Kore Wa Zombie Desu Ka (que já é mais conhecido entre nós pelo anime recebido na temporada anterior): totalmente non-sense.

A história nos traz o protagonista Staz, um vampiro chefe de uma seção reservada para essas criaturas no mundo inferior. Mas, como vem se tornando moda entre os vampirescos atuais, Staz não é chegado em um sangue humano (ao menos ele não brilha). Seu grande hobbie é outro: a cultura japonesa. Staz é praticamente um otaku. E o Japão estava prestes a entrar mais na vida do garoto (para mim ele é um garoto): um dia, o vampiro acaba percebendo que uma jovem entrara acidentalmente no território proibido para os humanos, uma cidade de demônios. Staz tenta alertar a garota, mas é tarde demais. Ela acaba sendo morta por um monstro e acaba tendo sua alma vagando pelo submundo. Agora, Staz terá que ajudar a jovem japonesa Yanagi Fuyumi a recuperar seu corpo e trazê-la de volta para o mundo dos vivos em segurança… Mas nada será tão fácil como parece.

Apesar de parecer e ter tudo para ser, Blood Lad não é um mangá apelativo. O tema ecchi não é o grande foco do título mesmo com o visual da peituda Fuyumi e algumas cenas isoladas. Os destaques ficam para as lutas com os outros demônios que Staz e seu amigo Wolf enfrentarão no caminho. O autor tem um bom traço, nada excepcional, mas é um traço agradável de se ver, sabendo conduzir bem as tomadas de ação e enfase nas cenas. Quanto à outras características, posso garantir que ao menos quanto aos personagens muitas pessoas devem gostar: não são irritantes (a garota não é uma menina chata e mimada como outras garotas à serem salvas encontradas por aí) e todos tem marcas próprias presentes em seus traços. Não vai ser difícil decorar nomes e visuais quanto à isso.

No mais, Blood Lad é um mangá “legal”. Não é nenhuma maravilha de outro mundo, e como já disse, tem Kore Wa Zombie como seu “concorrente”. Porém o título tem de forma bem equilibrada os momentos de ação, comédia, suspense e as pitadas ecchis que passam longe de ser um Highschool of the Dead da vida. A história pode não parecer muito atraente logo de cara: o primeiro capítulo é fraco, mas melhora gradativamente. O único porém é se a história cairá no mesmismo com o tempo, tendo em vista que explorar os desafios e lutas de Staz parecem ser os pontos fortes do título. Esperar pra ver. Por aqui o título deve sair nos próximos meses com o valor de R$9,90.

Eu particularmente não sei se irei comprar tal mangá. Não é o gênero de minha prioridade e terei que começar a ser mais seletivo nas compras. Mas tenho certeza que compradores não faltarão, ainda mais com o anime em exibição em breve. Além disso, a Panini começa a preparar o terreno para seus futuros lançamentos que prometem agradar muito seus leitores. Para os que não comprarão apenas por ser um título “desconhecido”, vale lembrar que se lançam só “modinhas” reclamam, se investem em títulos “alternativos”, reclamam… Pessoal, tá na hora de se decidirem não é? Na hora de reclamar eu sou o primeiro a apoiar e estar ao lado de vocês. Mas vamos saber como e porque fazer isso pra não virar bagunça…

por Dih

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post