Review – Um sucesso chamado 'Kyou, Koi wo Hajimemasu'

kyouheaderDuas pessoas com um nome em comum e personalidades completamente opostas. Um casal assim daria certo?

Sabemos que um anime em muitos casos é determinante para o sucesso de determinadas obras. Mas nem todas podem ser enquadradas assim. Muitos grandes sucessos não saem das páginas das revistas para as telas e mesmo assim fazem enormes sucessos e vendem quantidade exorbitantes de volumes totais. No caso de shoujos, muitos viram doramas ou filmes, outros nem isso. Esse mangá é um dos casos que provam que nem sempre a adaptação é necessária para o sucesso.

5Kyou, Koi wo Hajimemasu é um mangá shoujo de sucesso no Japão, contando com 15 volumes encadernados no total, finalizado no final do ano de 2011. Em 2010 foram lançados dois OVAs produzido pelo estúdio J.C. Staff, também responsável por animes como Honey & Clover, Special A, Uragiri wa Boku no Namae o Shitteiru e Bakuman, mas nada mais. Apesar da vontade dos fãs em ver uma série animada ela nunca saiu do papel e o J.C. Staff não parece ter algum interesse no mesmo. Em 2012, após o término do mangá, um filme live action foi lançado e alavancou ainda mais a popularidade do título que já era alta. O último volume “sentiu” muito bem a reação do público.

Apesar de não ser lançado nos Estados Unidos, o mangá foi licenciado em diversos países como Alemanha (TokyoPOP), Espanha (Ivrea) e França (Panini). O mangá se tornou um enorme sucesso independente da mídia adaptada e mesmo finalizado continua vendendo muito em seu país de origem.

10A história

Hibino Tsubaki é uma garota que está iniciando o seu primeiro ano do ensino médio e é viciada em uma coisa: arrumar cabelos. Apesar dela não ter confiança para fazer penteados em si mesma e usar roupas bonitas para que fique “na moda”, ela gosta de fazer penteados fofos na sua irmã mais nova. Em sua nova escola, é um costume o aluno com as melhores notas fazer o discurso de abertura. Enfim, em seu primeiro dia de aula ela senta ao lado de um garoto chamado Kyouta Tsubaki que tem um cabelo muito grande para um menino.

Apesar dele ser o mais inteligente, ele é o garoto mais rude que ela já conheceu e infelizmente está sentando ao seu lado durante as aulas. Logo de cara, ele fala mal do penteado dela. Durante a briga, Tsubaki acaba cortando um pedaço do cabelo dele. Ele exige que ela pague por isso, seja com 50,000 ienes, ou com o seu corpo. Ocorre um mal-entendido e ela acaba fazendo algo totalmente diferente do que ele esperava. Ela se desculpa e decide corrigir o cabelo de Kyouta que acaba ficando melhor do que antes, na opinião dela. O garoto acaba ficando bravo, e diz que como pagamento pelo que fez, ele irá tirar dela todas as suas primeiras experiências e a beija.

3Considerações Técnicas

Lançado em 2008 na revista Sho-Comi da Shogakukan, ‘Kyou, Koi wo Hajimemasu’ (que significa algo como ‘Hoje, começa o nosso amor’) é de autoria de Minami Kanan, famosa por diversas obras com o gênero ‘smut’, que envolva uma temática mais adulta e na maior parte das vezes envolvendo cenas de teor sexual. KKWH – como é conhecido entre os fãs – acabou se tornando sua obra mais famosa e com 15 volumes já vendeu mais de 11 milhões de unidades no Japão. Posso afirmar que já li todas as obras dessa autora, e de longe essa é a melhor de todas. Todos os mangás anteriores, como dito, são caracterizados por cenas “quentes” muito exageradas, protagonistas fracas e, às vezes, até algum estupro. Eu particularmente não gosto muito disso em um mangá. Mesmo com cenas “fortes”, em KKWH esse tipo de fanservice é muito melhor utilizado.

8Ela se superou em Kyou, Koi wo Hajimemasu. Como todo shoujo, uma hora os dois irão se apaixonar, mas a autora soube colocar alguns obstáculos bem interessantes no relacionamento deles: problemas com a mãe, melhor amiga, uma promessa com um amigo de infância, a vontade de permanecer virgem por parte da garota. Acho tudo isso bem próximo da realidade, deve ser por isso que o mangá fez tanto sucesso no Japão, fazendo com que o público alvo fosse bem “atingido” por causa das temáticas da série.

Nem tudo são maravilhas. Os outros personagens do mangá são muito interessantes também, mas infelizmente Kyou, Koi wo Hajimemasu apenas foca-se no casal principal. É uma pena, pois a autora sabe criar ótimos personagens. A irmã da Tsubaki deveria ser mais trabalhada. Ela é uma garota forte, engraçada e sempre marca presença em suas aparições ajudando, dando conselhos, dando bronca na irmã.

6Minha parte favorita do mangá é quando aparece um amigo de infância do Kyouta, o Haru. Eles tiveram uma briga há muitos anos por causa de uma garota, que é a verdadeira culpada, e o inocente Haru prometeu que, quando o Kyouta achasse uma garota que realmente amasse, ele destruiria o relacionamento dos dois. Claro que acabou sobrando para a Tsubaki. Por causa de toda essa briga, os dois acabaram terminando o namoro. São nesses momentos que a irmã dela aparece e diz coisas que abrem a cabeça da garota. Tsubaki vai em busca da causadora da briga dos amigos de infância e descobre toda a verdade, mas ainda assim quer fazer com que os dois garotos voltem a ser amigos, então acaba virando uma confusão danada. É de fato a melhor parte do mangá. Os personagens terciários foram bem trabalhados e apareceram muitas vezes. É aqui que a autora aplica de forma muito firme toda a sua qualidade.

4Kyou, Koi wo Hajimemasu trabalha com o leitor com mensagens como “O que serei no futuro? Meu sonho ou a vontade dos meus pais?”. Como foi dito, o romance principal não é algo fácil como em séries como Kimi ni Todoke ou Sukitte Ii Na Yo. Aqui temos fatos como um acidente que acaba separando o casal por um tempo, o amadurecimento da garota em relação ao seu amor e a aparição de um homem que pode abalar o coração dela.

Além disso, outra coisa para se destacar no mangá de Minami Kanan é seu o traço, realmente é um dos mais bonitos que já vi dentro do g~enero, além de que os quadros são bem colocados, dando uma visão muito agradável ao leitor alvo da série.

1Comentários Gerais

O mangá é sobre o dia-a-dia de um casal e poucos mangás que seguem essa linha acabam nos prendendo. É engraçado, mostra de uma forma muito bem explicada e sem enrolação os problemas que o casal enfrenta e é maduro na medida certa. A leitura é super rápida, cada capítulo não passa de 25 páginas pelo fato de ser serializado em uma revista quinzenal. 

Eu devo ter lido os primeiros 8 volumes em dois dias. Sei que logo de cara pode parecer clichê, mas esse mangá é realmente bom e merece uma chance de todas as pessoas que gostam de um bom shoujo. Apesar de possuí-los, a autora sabe como trabalhar tais clichês, o que torna a leitura mais gostosa e agradável para quem gosta do gênero – lembrando que a série possui no começo, de certo modo, uma linguagem mais adulta e com cenas mais fortes no sentido sexual. Eis uma boa chance para conhecer mais um em seu repertório.

7

por Ariela

Asevedo

Formado em design editorial e assistente editorial da Panini Mangás. Leio mangás e história em quadrinhos de diversos países. Assisto animes de forma esporádica. Sempre estou no Twitter.

Related Post