Hall da Fama #03: All Hail Lelouch!

“Se o rei não se mover, seus subordinados não irão seguí-lo.” Hall da Fama 03 com Lelouch vi Britannia, de Code Geass!

Antes de tudo, gostaria de deixar algumas palavrinhas aos leitores. Agradeço às criticas para a seleção de personagens, e já estou atenta às sugestões, sempre dá para incluir algo novo na minha programação. Leitores críticos e interessados são a melhor coisa que eu poderia ter aqui ^.^. Agora, comecemos o terceiro Hall da Fama, voltando alguns aninhos desta vez.

Lelouch Lamperouge, cujo nome verdadeiro é Lelouch vi Britannia, é o protagonista de Code Geass, anime premiado lançado de outubro de 2006 a julho de 2007 e com uma segunda temporada transmitida de abril a setembro de 2008. A série, que agradou a um público variado com sua trama envolvendo um mundo dominado pelo alternativo Império da Britannia e ação mecha, contou com uma série de conflitos morais e um desenvolvimento de personagens elevado, sendo seu protagonista um dos personagens mais aclamados dos últimos anos por seu status de anti-herói e seus dramas internos tão cheios de dualidades.

Lelouch é o filho bastardo do Imperador da Britannia, rejeitado após o assassinato de sua mãe, que deixou também sua irmã Nunnally cega e incapaz de mover as pernas. Após confrontar-se com seu pai, é exilado para o Japão, a Area 11 – dominada pelo Império e com seu povo marginalizado – onde conhece o filho do primeiro ministro japonês, Suzaku Kururugi. Testemunhando os horrores da guerra no Japão, Lelouch jura a Suzaku destruir o império da Britannia; e sete anos depois, após envolver-se em um conflito entre rebeldes japoneses e militares, acaba encontrando a misteriosa C.C. e dela ganha o Geass, poder que lhe permitirá dar uma ordem irrevogável a qualquer pessoa. A partir daí, começa sua revolução a procura de criar um mundo mais justo para sua irmã Nunnally viver.

Em primeiro lugar, Lelouch é um personagem extremamente inteligente, um estrategista nato. A questão é que ele sempre cultivou essa inteligência sem um poder para utilizá-la, e quando a chance veio, ele aproveitou-a sem hesitar ou demonstrar piedade; seu primeiro uso do Geass é para levar um esquadrão militar a suicidar. A partir daí, abre-se a ele a possibilidade de unir-se aos rebeldes e até mesmo liderá-los na libertação do Japão sob a identidade do mascarado Zero – mesmo que isso signifique usar de mentiras e manipulações, que tiveram consequências sérias no futuro.

Essas atitudes questionáveis e até radicais entram em conflito com um lado mais humano de Lelouch, que ainda não é capaz de aceitar o sacrifício de suas pessoas mais próximas, além de, em momentos críticos, deixar as emoções sobrepujarem as decisões racionais; é um protagonista marcado pela tragédia e pelo desejo de vingança, em um equilíbrio frágil de sanidade. E conforme as consequências mais sérias vão surgindo uma após a outra (por exemplo as mortes de pessoas queridas como Euphemia e Shirley) e as reviravoltas em seus planos se aproximam, esse equilíbrio vai tornando-se cada vez mais frágil.

Por fim, e com grande destaque, há o conflito ideológico entre ele e Suzaku – que havia tornado-se um soldado Britannian honorário e piloto do Knightmare experimental Lancelot, intrometendo-se contra o grupo de Lelouch (os Cavaleiros Negros) nos momentos mais críticos dos conflitos. Lelouch acredita em começar a revolução a partir da força, enquanto Suzaku acredita em manter-se sincronizado com o sistema vigente para mudá-lo por dentro, aos poucos. E aí o anime questiona a viabilidade das duas ideologias: a de Lelouch é egoísta por enganar as pessoas a seu redor e sacrificar vidas, enquanto a de Suzaku é colocada como ingênua por ser incapaz de evitar o conflito para provocar a mudança desejada – se essa mudança for possível.

Ao final da segunda temporada, ao desmantelar o esquema do imperador da Britannia – que rende em um debate questionável (em termos de exagero e ritmo muito rápido) sobre as verdades e mentiras nas atitudes das pessoas – , a alternativa encontrada por Lelouch e Suzaku é colocar Lelouch como um ditador do Império e concentrar todo o ódio do mundo contra ele; assim, com sua morte seria possível trazer um período de paz. Um final com toque de punição e epicidade que, apesar de ter sido um pouco rápido, conseguiu marcar de maneira eficiente.

Por fim, Code Geass, apesar de suas falhas (especialmente na segunda temporada), é notavelmente um marco na indústria de animes e Lelouch é o protagonista que tornou possível esse tremendo sucesso. Seu perfil é constantemente comparado ao de Light Yagami de Death Note, embora eu veja o príncipe banido da Britannia como um personagem mais complexo emocionalmente e que leva mais adiante debates morais e políticos do que Light. E quer saber? Protagonistas como esses dois fazem falta, numa época tão cheias de personagens que parecem um tremendo vazio.

E por aqui fica o Hall da Fama da semana, até a próxima!

por Mary

Asevedo

Formado em design editorial e assistente editorial da Panini Mangás. Leio mangás e história em quadrinhos de diversos países. Assisto animes de forma esporádica. Sempre estou no Twitter.

Related Post