Semanada #31 – Naruto #576 e One Piece #658

Semanada com Shinigamis substitutos da Cassi, mas sem Bleach só pra deixar vocês na revolta.

É isso aí gente. Essa semana a Cassi não pôde escrever o Semanada pra gente por motivos particulares, mas… sempre damos aquele jeitinho. A Mari May, amiga da Cassi comentando sobre Naruto e o Dih dando seus pitacos sobre One Piece. Sobre Bleach… bem, fica pra próxima.

Naruto #576 – O Guia da Reunião!

Oi, gente! Sou a Mari May e, essa semana, vim falar sobre o capítulo de Naruto a pedido da Cassi, pois ela não pôde escrever sobre o mesmo.

Bom, o capítulo anterior terminou com Sasuke avistando Itachi. E o de agora já começa mostrando o desenrolar desse reencontro, que ocupou a maioria das páginas, sendo o destaque do capítulo.

Após confirmar que aquele era mesmo seu irmão mais velho, Sasuke faz as perguntas que muitos leitores com certeza já fizeram também, e Itachi, infelizmente, está apressado e oscila entre respostas vagas e respostas interessantes. Vemos, por exemplo, que ele reconhece que não bastaria tentar indicar o caminho certo para o Sasuke se não houvesse amigos que pudessem ajudá-lo a trilhar esse caminho. E é claro que a primeira pessoa que lhe vem à mente é Naruto, aquele que esteve com seu irmão mais novo e pôde ser, numa convivência agradável e sem mentiras, o irmão que ele não pôde ser. Havia, sim, aquela rivalidade típica, mas acima de tudo os dois eram amigos. E, sem amigos, Sasuke provavelmente seria um caso perdido hoje em dia, sem ninguém que se preocupasse com ele e tentasse tirá-lo da escuridão.

Outro ponto interessante foi o fato de ambos os irmãos Uchiha reconhecerem que, se não fosse por Itachi, Sasuke não teria trilhado esse caminho de ódio. Havia, sim, todo um plano mirabolante por trás para Sasuke matá-lo e ser reconhecido como herói de Konoha, mas… O Uchiha mais velho era um gênio, não um vidente, e no fim seus planos não deram tão certo, até porque Sasuke valoriza mais o clã do que a vila e, como sempre disse desde o início do mangá, quer honrá-lo. Portanto, se foi gente de Konoha que fez com que seu clã fosse sacrificado e que ele e Itachi vivessem uma vida tão dolorosa, é de lá que ele deve se vingar.

Claro que Sasuke está errado por querer descontar seu ódio em inocentes, mas no momento é o que ele pensa ser justo fazer. Porém, esse capítulo mostrou o quanto Sasuke está confuso e carente, pois ele parece dividido entre a gratidão de ter tido a vida poupada por Itachi e a culpa por ter sido “privilegiado” no lugar dos pais, e ele quer entender, implora por respostas, quer uma confirmação de que está prestes a fazer a coisa certa. Contudo, Itachi dá a entender que há muitos podres no clã que Sasuke, até então, considera imaculado. Podemos deduzir, então, que há coisas que Itachi pretendia esconder de Sasuke a todo custo para que este não se decepcionasse com os Uchiha. Porém, como o vingador questionou, seria mesmo certo ele viver uma vida de mentiras, sem saber o que realmente está por trás do sobrenome que carrega? Está na hora, então, dos irmãos terem uma conversa franca e esclarecedora, livres de todas as mentiras e omissões que viveram desde o massacre dos Uchiha.

No fim do capítulo, voltamos para a luta dos kages, onde Madara humilha Tsunade até pelo fato dela ser mulher, e onde mostra toda sua devoção, digo, obsessão, digo, reconhecimento por Hashirama, seu grande rival mas no fundo seu grande ídolo (haha). E Tsunade, surpreendentemente, mantém a calma, preparando-se para enfrentar o Uchiha ressuscitado e certamente fazê-lo engolir tudo o que disse. Mas será que, sozinha, ela conseguirá derrotá-lo? Acho mais provável os outros kages ajudarem, sendo que o destaque será para a Tsunade mesmo.

Para semana que vem ficam abertas as possibilidades de: voltar para Itachi e Sasuke (será que já chegarão ao Kabuto?); mostrar Tsunade x Madara; voltar para a luta dos bijuus (e mostrar alguns amigos do Naruto chegando ao local); mostrar o paradeiro de Karin, Suigetsu e Juugo (o que acho menos provável).

Ponto alto: o reencontro dos irmãos Uchiha

Ponto baixo: a falta de respostas mais claras do Itachi

One Piece #658 – Sala dos Biscoitos

Bem, aqui é o Dih fazendo uma ponta pra comentar One Piece também. Cassi contratando o time reserva dela pra situação. Mas vamos deixar de papo e vamos para um capítulo muito bom do mangá! Não sou tão bom assim quanto ela pra comentar, mas vamos tentar.

As aventuras em Punk Hazard continuam. Depois de estarem separados dentro da ilha, dessa vez a galera encontrou… crianças gigantes? Sério, só o Oda pra inventar uma coisa dessas. Ao entrar na “Sala dos Biscoitos” – como o próprio nome do capítulo diz – Nami, Sanji, Chopper, Franky e o tiozinho xenofóbico chato são surpreendidos pela presença das crianças de 3 metros de altura e algumas menores também.

Mas o legal mesmo acontece quando a tal “guarda da ilha” aparece e tenta bater de frente com o pessoal da tripulação. Somos surpreendidos por um pedido de socorro das crianças, dizendo que todas querem ver seus pais. Nami é a primeira a bater no peito e dizer que não vai sair do local sem poder ajudá-los. O que será que as crianças quiseram dizer com “não estamos mais doentes”? Que elas são todas reféns já ficou bem claro, agora é esperar pra ver o que vai acontecer daqui adiante. E pra quem gosta do Sanji, parece que essa luta vai ter muita participação do personagem.

Enquanto isso, no outro lado da ilha, o resto da tripulação continua em busca de respostas para o que está acontecendo no lugar e encontram uma construção gigante no caminho. Mas o grande X daqui são os animais-centauros estranhos que começam a atacá-los – e até que foi algo bem rápido, nem deu pra se divertir com a cena. Ao que parecem, os centauros fazem parte de alguma organização ou algo do tipo. Será que tem alguma coisa a ver com o mistério das crianças? Bem, apostamos com certeza que sim. Tudo nesse mundo parece ter uma dose de “magia” e “aberrações”. É como uma ilha dos horrores e de experiências por causa do tal gás venenoso. E como será que o Luffy vai se dar com as suas “4 patas”? Eu acho muito engraçado a “interação” dele com elas. XD

Mas enfim, o grande destaque do capítulo fica aqui por conta dele. O querido. O grande. O mestre. SMOKER! Ele está chegando para saber o que está acontecendo na ilha que foi o palco da FUCKING luta entre Aokiji e Akainu. É o prelúdio para uma grande saga? Tudo aponta que sim. Esse definitivamente foi um dos melhores capítulos de One Piece, bem desenvolvido e armando espaço para algo maior ainda. Vamos ver o que nos aguarda daqui por diante.

Ponto alto: Smoker! Sempre Smoker.

Ponto baixo: Foi bem estranho a Nami aceitar “do nada” o pedido de ajuda das crianças. Não que necessariamente seja um ponto fraco do capítulo, mas digamos que não era da Nami quem nós esperávamos esse tipo de atitude. Passado dela batendo na cabeça?

por Mari May e Dih

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post