Volta do Toonami no Cartoon Network

E claro que não é no Brasil.

É, o título da manchete é sensacionalista porque um pouco de marketing não faz mal para ninguém. Mas pelo menos não deixa de ser uma verdade. O bloco Toonami, famoso por exibir as séries de animação japonesa no canal pago Cartoon Network, está de volta nos Estados Unidos. Fundada em 1997 e extinta em 2008 (aqui foi criado em 2002 e finalizado em 2007), o bloco teve um apelo muito grande por parte dos fãs para que retornasse, principalmente no último “Dia da Mentira”, quando reviveram-no por um dia com as consagradas séries Dragon Ball Z, Tenchi Muyo, Gundam Wing e outros. Resultado? Eles foram ouvidos e o programa está de volta dentro do Adult Swim a partir do dia 26 de maio, sendo exibido todos os sábados.

Agora vamos para o “line-up” do bloco: Além de séries já consagradas como Bleach e Cowboy Bebop (que como a Mara do Mais de Oito Mil diz, é o Cavaleiros do Zodíaco lá dos americanos), teremos a exibição de Ghost in The Shell Stand Alone Complex e também de Fullmetal Alchemist Brotherhood (que aqui foi pra sabe-se lá onde dentro da programação do Sony Spin, ex Animax). Mas o bacana mesmo são as duas estreias prontas especialmente para o programa: a primeira é o grande sucesso Deadman Wonderland que teve um anime no ano passado, e o segundo é a fantástica série de Casshern Sins – a que possui o mesmo character design de Saint Seiya Ômega.

O legal é que os caras por lá parecem estar preocupados com a identidade do programa e já disseram que tudo será feito da melhor forma para agradar os fãs. O mascote TOM estará de volta na sua espaçonave e tudo receberá uma cara mais “moderna” para se adequar ao retorno. Porém, um dos responsáveis pelo retorno do projeto, Jason DeMarco, já deixou bem claro que o Toonami continuará no ar dependendo da recepção do seu público e, pensando nisso optaram por programas mais BARATOS do que os já consagrados Naruto e Dragon Ball Z (Bleach já estava na programação do canal, então não conta na lista).

Agora fica a dúvida: se ele diz que esses produtos que serão exibidos por lá são mais “baratos” do que os já consagrados, será que essa regra também se aplica ao nosso país? Será que os responsáveis pelas distribuidoras estão trabalhando de forma coerente com as marcas que elas possuem? Porque sinceramente, um Deadman Wonderland de madrugada deve ser muito mais interessante do que as diversas reprises de Naruto durante o dia (apenas dando um exemplo, não estou falando que é isso que acontece). Além disso, é muito legal ver como os empresários americanos foram bem abertos com seu público, soltando tudo através de um release oficial e dizendo as condições para o sucesso no retorno do bloco.

Me fico perguntando se no Brasil é realmente o saudosismo quem ganha com mais um retorno de Dragon Ball e Cavaleiros na Bandeirantes (ou a negociação de One Piece, que já se mostrou um fracasso diversas vezes nas programações das TV’s brasileiras). Não sei se a incompetência dos nossos distribuidores e licenciadores – ou a ausência deles – é o que fala mais alto em relação aos produtos que temos disponíveis por essas bandas.

De qualquer modo, o Toonami no Brasil não tem sinal de que possa retornar (nem o Adult Swim temos mais, quanto mais um bloco de animes) e por isso ficamos apenas secando a programação norte americana mesmo. Enquanto o mercado de stream brasileiro em relação a animes ainda é precário (com exceção de um ou outro no NetFlix da vida), ficamos na falta de um projeto que realmente pareça levar em consideração esse público. Nada bagunçado como o Animax, mas que ao menos mostrasse que teria noção do que estaria fazendo.

Dias melhores virão. Ou não. “Toonami is back, bitches!” (Adorei essa frase.)

por Dih

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post