Ranking Oricon de vendas de mangás: 23 a 29 de Abril

Quem disse que japonês não gosta de futebol?

E estamos mais uma semana com o ranking da Oricon. Hoje meio atrasadinhos por culpa de alguns imprevistos da semana, mas ao menos ele está aqui. Nada de muito significativo nesse ranking – nenhum mangá conseguiu vender números exorbitantes na primeira semana. Mesmo assim, 4  títulos da semana seguinte se mantém e outros antigos vão conseguindo marcas bem altas no decorrer dessas semanas. Enfim, chega de papo e vamos ao ranking.

E o líder dessa semana vai para um mangá nada mais e nada menos que de futebol! Estamos falando do volume 23 do sensacional Giant Killing, que chega vendendo mais de 200 mil unidades na primeira semana. Para quem não sabe, Giant Killing teve um anime em 2010, no que resultou um grande salto nas vendas do título por lá. O mangá é sensacional, e com certeza um dos melhores do gênero esportivo atualmente em publicação – principalmente para os amantes de futebol que preferem uma boa dose de realidade ao invés de chutes fantasiosos no meio do título. Acho difícil um mangá assim parar no Brasil, mas mesmo assim corram atrás da maneira que puderem. Vale muito a pena.

Na segunda posição, Arakawa conseguindo rindo do seu inevitável sucesso com Gin no Saji. O volume 3 de Silver Spoon passou das 100 mil cópias nessa semana, totalizando quase 400 mil no total – que somados aos volumes da edição limitada, ultrapassam os 450 mil volumes. Isso sem falar que os volumes 1 e 2 continuam aparecendo na lista dos 30 mais vendidos, o que mostra que a procura pelo mangá está em alta na terra do sol nascente. Se esse mangá chegar aos seus 10 volumes, não quero nem imaginar como serão as vendas até lá. Arakawa provando que não precisa provar mais nada pra ninguém.

Fairy Tail também consegue se manter muito bem na lista, com números bem semelhantes aos de Silver Spoon. O volume 32 do mangá publicado no Brasil pela JBC, chegou aos 97 mil vendidos nessa semana e um total de quase 400 mil também. A diferença é que nessa semana o título foi, de fato, ultrapassado por Gin no Saji e acredito que dificilmente estará na lista da semana que vem – mas posso estar enganado, claro. No Brasil encaminhamos para o volume 18 do título, passando da metade das publicações no Japão. Com a onda de encerramentos de títulos da Shounen Magazine, parece que Fairy Tail não fará parte desse pacote de finalizações, não se preocupem.

Outro título que se mantém é o renomado Jojolion e sua segunda edição. O mangá mostra que está vendendo muito bem! Mais de 82 mil cópias na segunda semana, totalizando quase 290 mil em sua totalidade! É realmente gratificante ver a franquia continuar a vender tão bem assim. Acho que na próxima semana ele não marcará presença no ranking, mas isso não tira o desmérito do título. Além do mais, ressalto que estamos falando de um título com apenas 2 volumes e pertencente a uma franquia com mais de 100 – portanto são números realmente incríveis e que superam o de mangás como Hajime no Ippo, por exemplo.

Fechando as 5 primeiras colocações, temos mais um mangá que ganhou adaptação animada. Estamos falando de Boku wa Tomodachi ga Sukunai, popularmente conhecido como Haganai e que ganhou anime no ano passado. O título chega ao seu volume 5 e vende uma ótima quantia: mais de 76 mil unidades em sua primeira semana! Apesar de ser um título com uma carga de ecchi, as pessoas que o acompanham dizem ser um mangá bem agradável de ser ler. Não o confirmo pois não acompanho regularmente, mas ao menos dá pra perceber que nas ilustrações o mangá provavelmente está bem servido. Capa linda!

Abrindo a “segunda metade”, temos um mangá bem desconhecido do público. Adamas chega com seu volume 7 vendendo mais de 75 mil cópias. Aparentemente o mangá conta a história de uma garota que luta contra criminosos utilizando espíritos que saem de dentro de… jóias. O mangá é publicado desde 2008 na revista seinen Evening, da Kodansha, e é de autoria de Minagawa Ryoji, o mesmo de Peace Maker e Spriggan (que ganhou uma adaptação para os cinemas com direção de Katsuhiro Otomo, de Akira). É muito difícil encontrar qualquer material na internet dessa obra, mas a sua posição no ranking demonstram a influência do nome do autor.

Na sétima colocação, um mangá bem conhecido pelo mundo (e de vários nomes também). Ah! Megami-sama, ou Oh! My Goddess ou qualquer coisa que queiram, chega com seu volume 44 vendendo mais de 72 mil cópias. O mangá é publicado desde 1988 (!!) e também passa por muita instabilidade de produção do autor. Houveram diversas adaptações animadas, entre séries, OVA’s e filmes, e a franquia tem um sucesso bem seguro no Japão. O mangá chegou a ser publicado nos Estados Unidos pela Dark Horse, mas a editora lá não andava muito bem das pernas, então já sabem. Detalhe: Esse é um dos mangás que mais evoluíram no traço durante os anos. Demais.

Em oitavo, um shoujo para dar um toque mais bonito no ranking. Usotsuki Lily chega ao seu sétimo volume vendendo mais de 54 mil cópias. O mangá é da editora Shueisha e publicado na revista Margaret desde 2009. O título é o maior sucesso até agora da autora Komura Ayumi. O título por sinal é muito divertido, contando a história de um garoto que gosta de se vestir de mulher para “combater o mal”, vulgarmente falando. É possível dar muitas risadas com esse mangá, principalmente pelo fato do garoto não ser homossexual ou nada do tipo, pelo contrário, ele acaba se apaixonando pela garota que descobre seu segredo. Procurem mais sobre ele e se divirtam nesse bom mangá.

Em nono lugar, a alegria do público fujoshi e fudanshi. Junjou Romantica aparece com mais de 50 mil cópias vendidas em seu 15º volume. O mangá é indiscutivelmente um sucesso ao lado do outro título da autora, Sekaiichi Hatsukoi, e tantos animes e adaptações provam isso. De longe, é o título com maior renome do público BL no mundo. Pena que para os fãs, esse tipo de mangá ainda não tenha “engrenado” no Brasil. Muito difícil por hora um mangá de tantos volumes ser publicado por alguma editora nacional, embora eu seja um dos “do-contra” que apostaria em um título assim. Acredito que já temos uma fanbase bem consistente nesse gênero. Pena a NewPop nunca ter divulgado números da vendagem de um Blood Honey, por exemplo.

Para fechar o Top 10, pela terceira semana consecutiva temos o sucesso de Shingeki no Kyojin. Seu volume 7 acaba de vender mais 45 mil unidades e passa dos 525 mil no total. Número fantástico para a obra, como já dissemos anteriormente. Realmente acredito ser questão de tempo para um mangá assim chegar ao Brasil pela Panini, que já começou a publicar o mangá na Itália, por sinal. Seria um ótimo título para substituir um Claymore, não acham? Sangue, ação e uma história que te prende muito são os ingredientes que fazem desse mangá o sucesso formado. Vamos aguardar pra conferir.

Vale citar também o mangá de Hunter x Hunter estando mais uma semana na lista – e chegando quase nas 900 mil unidades vendidas. Além de mangás como Gunm Last Order e Fate/Stay Night, que conseguem números bem razoáveis. E assim fechamos mais um ranking semanal. Na próxima semana: os medalhões! One Piece com certeza na liderança novamente e batendo mais records, além da estreia de Naruto, o primeiro volume de Nisekoi e outros. Todo mundo na expectativa? Até a semana que vem!

por Dih

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post