Ranking Oricon de vendas de mangás: 07 a 13 de Maio

Kimi ni Todoke desbancando os piratas da primeira colocação do ranking.

Já é nosso sétimo post aqui no Chuva de Nanquim sobre o ranking da Oricon! Como o tempo passa rápido! E no ranking dessa semana, algumas coisas interessante para serem comentadas, inclusive títulos que alguns de vocês podem não conhecer mas que possuem um bom sucesso na terra do sol nascente. Então vamos ao ranking!

E vamos começar o ranking com o nosso primeiro destaque, e novamente um dos meus mangás favoritos. Kimi ni Todoke já chega chutando tudo na primeira colocação, vendendo quase 475 mil unidades do volume 16 na primeira semana. Desbancou One Piece, que teria chance tranquilamente de assumir a posição novamente. E eu fico extremamente feliz com isso! Kimi ni Todoke ao lado de Aoharaido e Black Bird faz parte do meu trio de shoujos favoritos atualmente. É um mangá super tranquilo de se ler, que flui muito fácil e tem personagens incrivelmente carismáticos. Isso sem falar que recentemente o título passou da marca dos 20 milhões de mangás vendidos no total. Ainda está longe de alcançar os números de Nana, mas já é um resultado extremamente expressivo.

Como eu disse anteriormente, na segunda colocação temos um mangá que tem toda a pinta de primeiro colocado. Com mais 414 mil unidades, somando quase 2 milhões e 690 mil nas duas semanas de vendas, o volume 66 de One Piece é dono dessa posição com números invejáveis pra quase todos os mangás que poderiam estar aqui. No ranking da semana passada, ao fazer o post eu não tinha ainda uma informação que servirá ainda mais para o gostinho dos fãs da série: One Piece chegou ao recorde de 100 milhões de mangás somente entre os anos de 2008 e atualmente. Já é o mangá mais vendido da história e que não cansa de bater recordes e mais recordes. Como será a reação do mundo inteiro quando esse título chegar ao “The End”?

Em terceiro lugar, um daqueles mangás que alguns gostam de dizer que é do tipo “de macho”. Estamos falando de Worst, mangá de Hiroshi Takahashi que chega ao seu volume 29 vendendo quase 167 mil unidades. O título é um shonen publicado na revista Shounen Champion desde 2002 e que chegou a ter 3 volumes publicados nos Estados Unidos, mas cancelado em seguida. O mangá mistura elementos de gangues e de muita porrada, com um toque de comédia bem típico de mangás do gênero. Worst é um dos títulos que dificilmente fará algum sucesso no Brasil ou em qualquer outro lugar do ocidente. Não pela sua história, mas pela sua longevidade que não é mais nenhuma barreira fácil de se quebrar. De qualquer modo, é um título que merece as vendas que tem.

Chegando na quarta colocação, um mangá bem conhecido do público brasileiro. Publicado no país pela editora Panini (e em uma pausa que sabe-se lá quando acaba) estamos falando de Gantz, mangá seinen que chega ao seu volume 34 vendedo mais de 150 mil unidades na primeira semana. O mangá de Gantz já está se encaminhando para seu final – pelo menos segundo o autor – mas ainda não se sabe ou se tem uma previsão para que número isso vá acontecer. Quanto a capa… bem, todos sabemos que o que importa mesmo em Gantz são as capas “de trás”, mas como não tinha nada, coloquei essa daí mesmo. Bora agilizar a produção disso por aí, dona Panini! A gente quer encostar nos japoneses novamente!

O último integrante do top 5 fica por conta do vide colocado da semana passada, o nosso amado ninja galego Naruto. O volume 60 vendeu mais 145 mil unidades e por menos de 8 mil não chegou na marca de 1 milhão total na segunda semana. Mesmo assim, o mangá consegue uma marca muito boa de vendagens e na próxima semana já deve ultrapassar a linha do milhão, se bobear – dependendo dos títulos lançados – pode continuar no Top 10 ao lado de One Piece (que provavelmente marcará presença de novo). Lembrando que Naruto é o segundo mangá mais vendido da Jump atualmente, então embora os números de One Piece sejam extremamente superiores, Naruto ainda tem números maravilhosos na sua conta.

Logo depois do ninja de roupa laranja, temos o volume 18 de Bakuman novamente marcando presença e sendo o último dos 10 primeiros que conseguiu se manter em relação a semana passada. Dessa vez a criança conseguiu vender mais de 90 mil unidades de seu antepenúltimo volume, totalizando quase 425 mil vendidos. Muito provavelmente nas próximas 2 semanas o título passa a marca do meio milhão de mangás vendidos, abrindo espaço para os próximos lançamentos de seus volumes finais. Apesar de Bakuman não ter sido nunca considerado parte da “tríade” da Jump, é inegável que o título foi extremamente regular no quesito vendas, sempre com uma boa marca desde sua estreia. A dupla Ohba e Obata até hoje ainda deve colher os frutos de seu hit Death Note, e isso com certeza os impulsionarão a uma nova obra em um futuro que não deve ser tão longe assim. Estão ansiosos para algo assim? Qual será o foco da dupla agora?

Na sétima colocação, um daqueles mangás de nome estranho que você agradecerá muito por existir uma versão americana pra não se enrolar na hora de falar. Otoyomegatari – ou simplesmente A Bride’s Story – chega ao ranking com seu volume 4 vendendo quase 90 mil unidades na primeira semana. Para quem nunca ouviu falar no mangá, deveria. A história gira em torno de Amir, uma jovem que sai de sua vila natal para se casar com Karluk, o outro protagonista do mangá. O título é um seinen já sendo publicado nos Estados Unidos pela Yen Press e que é extremamente aclamado pela crítica de livros em geral. Chegou a ser nomeado entre os Grandes Graphic Novels para Jovens desse ano e ganhou o Manga Taishou de 2011, vencendo outro aclamado mangá 3 Gatsu no Lion de Chica Umino. A obra de Kaoru Mori é uma leitura super recomendada para os fãs de drama, títulos com conteúdo “histórico” e romance na dosagem certa.

Trazendo o oitavo lugar do ranking, uma obra ainda mais desconhecida. Trata-se de Ane no Kekkon, mangá shoujo publicado na revista mensal Flowers da editora Shogakukan. O mangá de autoria de Nishi Keiko é publicado desde 2010 e é uma das grandes apostas para o gênero nos últimos anos. O volume 3 acaba de vender quase 75 mil volumes na primeira semana do ranking e se mantém muito bem para um “novato”. Apesar de desconhecido, é um mangá que poderia receber uma atenção maior, mas com certeza vai ficar somente nas palavras. Por ser da Shogakukan, pode existir uma grande chance do título ser publicado no Brasil se a popularidade continuar em alta no Japão. Para quem estiver interessado e não souber japonês, só esperando.

Na nona colocação, um título muito conhecido também por nós brasileiros. Estamos falando de Yoh Asakura e companhia em Shaman King. Mas calma, que esse não é o Shaman King que você conhece. Esse é na verdade o mangá Shaman King Zero, que conta em cada capítulo o “passado” de um dos personagens de Shaman King e que vendeu mais de 70 mil unidades na primeira semana. O título foi publicado na Jump Kai, mas foi concluído atualmente e dará lugar para Shaman King Flowers, continuação da história original. Se não me engano, ainda teremos mais um volume de Shaman King Zero para a alegria dos importadores. Recentemente, foi anunciado que nos próximos dias um anúncio importante envolvendo o autor Hiroyuki Takei deve acontecer. Será Shaman King Flowers nas páginas da Square Jump? Ninguém sabe ao certo ainda. Resta ficar no aguardo de notícias.

Pra fechar os comentários de hoje, temos mais um mangá ao estilo de Worst, mas dessa vez com uma temática um pouco diferente. Hanma Baki é o terceiro mangá da série Grappler Baki, mangá que conta a história de Baki (!!) tentando se tornar o homem mais forte do mundo, encarando qualquer um que seja necessário. O mangá original teve 42 volumes e foi publicado na década de 90, e o segundo teve seu final em 2005 com mais 31 volumes. Hanma Baki chega agora ao seu volume 34 e vendendo quase 65 mil unidades na primeira semana. É um daqueles títulos em que o que conta é muito sangue, ação e porrada sem nada pra perder ou ganhar. É um mangá “bruto”, literalmente. É outro que dificilmente chegará no Brasil um dia – e sinceramente não acho que esteja fazendo algum tipo de falta. O título é lançado na revista semanal Shounen Champion desde 2005.

E então, gostaram dos comentários dessa semana? Bastante títulos diferentes para vocês conhecerem, não é? Sobre as outras posições, vale destacar positivamente a presença de Uchuu Kyoudai e Thermae Romae vendendo muito bem seus primeiros volumes, ambos impulsionados pela estreia de seus filmes live action nos cinemas japoneses. Também vale destacar – mas negativamente – a colocação de Vampire Knight 16 que vendeu realmente muito pouco para  o sucesso que um dia o título já alcançou. Acabou, né tia Matsuri Hino?

Até a semana que vem com mais títulos novos e provavelmente algumas carinhas bem conhecidas do público brasileiro.

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post