Veja como ficou a Edição Especial de Card Captor Sakura da JBC

Confira como ficou a nova edição da JBC do mangá mais popular do CLAMP no mundo.

Demorou, mas chegou. A JBC finalmente colocou “no ar” a nova versão do mangá de Sakura. E as primeiras impressões são ótimas! Resolvemos postar rapidinho para vocês algumas imagens do título e o review sairá durante a próxima semana. Não se aflijam, até porque estou doente no momento e sem muitas condições de me dedicar a um post de bom nível. Fiquem por enquanto só com o aperitivo.

Capa, contra-capa e lombada

Como podem ver, não há muito para falar sobre o material nesse quesito. Como já foi falado, o logotipo foi uma imposição do próprio CLAMP e de resto não há nada realmente de especial. Diferente do logotipo de “Edição Especial” de Evangelion, no caso de Sakura ele conseguiu ficar em maior harmônia com a ilustração. Vale dizer que a capa é de um papel cartonado mais grosso do que o material convencional dos outros mangás. E brilhoso.

Páginas coloridas

Essa era a parte mais aguardada pelos fãs: as páginas coloridas. Todas as 16 páginas se encontram logo no começo da publicação (no original, elas são espalhadas pelos volumes). No mais, papel couché brilhoso e a impressão muito bem feita, sem borrões ou nada do tipo. Também vale falar que apesar do material licenciado ser a Refurbshiment Version, de 2004, a JBC trata a edição somente como a “Edição Especial”. Portanto, não possuem os brindes que acompanham o material original (cartas Clow e outras coisinhas que acompanham a versão japonesa).

Páginas internas

Papel branquinho! Sim, foi utilizado papel offset (a.k.a. sulfite) e tudo está bem do jeito que nós leitores gostamos. Dá até pra lembrar dos tempos de Conrad e seus Dragon Ball e Cavaleiros nesse papel. Sem borrões na impressão e nem páginas descolando, não se preocupem.

Posso dizer de cara: vale muito a pena essa versão de R$14,90 da JBC. O resultado final ficou muito agradável e bonito para qualquer colecionador ou mesmo para um leitor casual. Uma pena que a JBC não tenha ainda se adaptado ao formato de publicação bimestral. Em meu caso, por exemplo, serei obrigado a deixar Sakura em uma prioridade menor, mas essa primeira edição é obrigatória para evitar futuros aborrecimentos.

Como disse antes, em breve teremos o review do volume por aqui, comparando com a versão original e mostrando um pouco mais sobre a caçadora de cartas mais adorável do mundo. Bem vindos ao mundo de Sakura, mais uma vez.

por Dih

Dih

Dih

Criador do Chuva de Nanquim. Paulista, 30 anos, editor de mangás da Panini Planet/Manga, designer gráfico e apaixonado por futebol e NBA.

Related Post