Semanada – Bleach #511: Morte em Pé

Kishimoto e Kubo combinaram cenas chocantes na semana?

Yamamoto é melhor que boneca Barbie, ele fica em pé sozinho, mesmo partido ao meio.

Bleach #511

Morte em Pé

Antes de começarmos, um minuto de silêncio por Yamamoto Shikeguni/Genryuusai.

Pois é, o grande chefe da Soul Society, o homem que todos temiam, o capitão da primeira divisão, bateu as botas, ou melhor, as sandálias de palha. De acordo com um breve flashback no início do capítulo, dá-se a entender que era apenas a segunda vez que Yamamoto usava o poder total de sua espada, e que isto significaria a sua morte – como acabou acontecendo.

Partido transversalmente como um tender no Natal, mas sem cair (como diz o título do capítulo da semana), Yamamoto passa dessa para melhor e Shinshui é um dos que percebe que seu mestre havia partido para sempre.

Mas mesmo morto, enquanto Juhabach dá meia volta o chamando de um ser digno de pena, Yamamoto é capaz de segurar a barra da capa do líder dos quincy. E Juha nem se importa em decepar o braço que o tentava impedir de ir embora.

O chefe quincy explica que ele nunca considerou Yamamoto uma das cinco potências para a guerra e acusou o líder da SS de não querer depender de humanos, o que teria causado a sua derrota. Não pediu a ajuda de Orihime para curar seu braço esquerdo e mesmo sabendo do potencial de Ichigo, não queria envolvê-lo na luta contra Aizen, mantendo tudo sobre seus ombros.

Juhabach explica ainda que quando as divisões da Soul Society foram criadas, eram um grupo de assassinos sanguinários e temidos, capitaneados por Yamamoto, que de acordo com Juha, era a encarnação do demônio. Yama fazia de tudo para derrotar seus inimigos, sem o mínimo de preocupação com seus subordinados.

Porém, Juha diz que, com o extermínio dos quincies, Yamamoto teria mudado de atitude, e seus subordinados enfraqueceram, passando a defender valores como justiça e honra. Sendo assim, mesmo que a Soul Society seja destruída agora, a Gotei 13 (ou melhor, seu propósito inicial) teria morrido há mil anos atrás, juntamente com os quincies.

Se entendi bem, Juhabach provoca explosões usando as bankais roubadas e manda reunirem todos os Stern Ritters para iniciar a destruição da Soul Society. Os soldados começam a surgir em vários lugares, matando ainda mais shinigamis pelo caminho. Juha então diz que com as 13 divisões aniquiladas, eles devem recuar e esperar pela chegada da Divisão 0… porém, uma explosão no céu, chama a sua atenção, denunciando que aquilo não estava nos seus planos!

Ok, dessa vez vocês podem tirar as roupas de luto do armário e encomendar as coroas de flores, porque a morte do Yamamoto foi realmente confirmada. Desnecessário, dirão uns, proposital pro Ichigo brilhar, dirão outros… mas na minha opinião, foi épico. Uma luta espetacular nos capítulos anteriores – mesmo que tenha sido contra um fake – e uma derrota de pé mesmo sido cortado ao meio. Pra um personagem que demorou a mostrar qual o seu verdadeiro poder, ele o fez muito bem. E com o perdão da palavra, Yamamoto era f*da.

E Juhabach já estava todo felizinho, fazendo planos para o churrasco de comemoração da derrocada da Soul Society… quando uma explosão o faz cair na realidade dos vilões de mangás, que mais cedo ou mais tarde terão a chance de dizer “im-impossível!”.

E tem início o Bolão da Explosão! A apostas começam em 5 reais, os interessados se manifestem para eu passar o número da minha conta pra vocês. Pra você, quem irá aparecer naquela fenda (?) no céu? Ichigo? Urahara? Ishida? Grimmjow? Aizen? Isshin? Chapolin Colorado?

Muita gente tem apostado no Ichigo, afinal seria a hora do herói… mas eu coloco minhas fichas no Ishida, briga entre quincies! E eu quero muito o Ishida tomando partido nessa guerra, ele é quincy, tá sumido, é a vez de aparecer e ser o homem da história! (não é piada, tá? :P)

Até a próxima!

Asevedo

Formado em design editorial e assistente editorial da Panini Mangás. Leio mangás e história em quadrinhos de diversos países. Assisto animes de forma esporádica. Sempre estou no Twitter.

Related Post