Eu Recomendo #11 – Conhecendo Esportes Alternativos

Recomendo Esportes AlternativosSó não tem a São Silvestre.

E chegamos com o primeiro Eu Recomendo do ano (ok, teve a última parte do resumão de 2012, mas ele não vale) com um dos gêneros que vocês mais pedem durantes esses quase 2 anos de blog. E para isso estou de volta depois de ficar afastado desde o Eu Recomendo #08 de Mechas (já disse que o resumão não vale!) e justamente para falar de animes de Esportes, o meu gênero preferido! E muitos já devem ter percebido, porque eu estou sempre comentando de um anime desse tipo por aqui. Tanto que eu tive que mudar um pouco a ideia que os nossos leitores poderiam ter dessa lista.

Os animes de esportes mais mainstream já apareceram nessa coluna. Comentei de Hajime no Ippo no primeiro Eu Recomendo #01 de Shounen de Porrada, Giant Killing apareceu no Eu Recomendo #05 de mangás Seinen. Fora que eu já fiz um Cenas Marcantes só sobre esportes que conta também com One Outs, Major, Slam Dunk e Initial D (que o youtube teve o prazer de tirar quase todos os vídeos e um dos motivos para eu ficar desanimado quanto a essa coluna). Então a lista com esportes mais conhecidos já está pronta, porque eu faria a postagem com todos esses animes e só incluiria Real, que eu já fiz até um review sobre.

Mas não é só de Futebol, Baseball e Corridas são feitos os animes de esportes, também temos aqueles que quase ninguém conhece ou acompanha e deles também são feitas ótimas historias! E é isso que eu resolvi tratar! E vamos deixar de papo furado e partir para as recomendações, não se esqueçam que vocês também podem comentar sobre os animes que faltaram na lista! Não precisam ser só sobre esportes “alternativos”, muitos animes de esportes mainstream ficaram de fora, como o famoso Eyeshield 21.

hikaru no goHikaru no Go

Esporte: Go.
Demografia: Shounen
Anime: Studio Pierrot, 2011, 75 episódios + 1 especial
Mangá: Shounen Jump, 1998, 23 volumes (Completo)

Sinopse: Shindou Hikaru é um garoto de 12 anos que acabou de ter a mesada cortada por ter acertado apenas 8% das questões na prova e vai para o sótão do avô para tentar achar algo para vender. Lá ele encontra um tabuleiro de GO que parecia estar manchado de sangue, só que sua amiga não consegue ver a mancha e o jovem Hikaru ouve uma voz misteriosa enquanto ele tentava limpar o sangue. Essa voz era a de um fantasma que apenas ele pode ver, seu nome é Fujiwara no Sai, um habilidoso jogador de Go do passado que por causa de alguns eventos acabou tirando sua vida. Ainda sem conseguir descansar em paz, ele acabou tendo o espírito preso no tabuleiro de Go e vai precisar de Hikaru para atingir o seu grande objetivo: a Mão de Deus. Só que o garoto não se interessa e não sabe nada sobre o jogo…

Comentários: Hikaru no Go está fácil entre os meus mangás/animes favoritos. Comecei a ler ele apenas por curiosidade depois de saber que o desenhista era o Takeshi Obata, mesmo desenhista do Death Note (o anime da moda na época). Primeiro olhei o número de capítulos e me surpreendi, afinal de contas são mais de 100 para um mangá de GO? Mas a qualidade da história é impressionante, você começa a ler e não para, mesmo sendo sobre um jogo que você não consegue compreender direito. A trama da minha sinopse parece ser simples, mas o mangá nos mostra algumas questões até mesmo profundas em alguns momentos. O desenvolvimento de personagens e a arte são invejáveis, coisa que você não vê em qualquer história. Pra mim Hikaru no Go só perde para Slam Dunk e Real no gênero esporte, porque esses dois realmente são de outro mundo.

chihayafuruChihayafuru

Esporte: Karuta
Demografia: Josei
Anime: Madhouse, 2011, 2 temporadas de 25 episódios
Mangá: Be Love, 2007, 19 volumes (Em andamento)

Sinopse: Chihaya Ayase é uma garota que sempre fala a primeira coisa que vem a cabeça e que possui uma grande admiração pela irmã, tanto que o seu sonho seria vê-la se tornar uma top model do Japão. Um dia somos apresentados ao mais novo aluno transferido da sua classe, Arata Wataya, que é um alvo de gozação de toda a classe e mesmo assim ela resolve se aproximar dele. É com essa amizade que Chihaya tem o primeiro contato com Karuta, que para ela era apenas um jogo no começo e que no fim vai se tornar o seu grande objetivo e interesse com o passar dos anos. Taichi Mashima, que era um dos responsáveis pelas brincadeiras com Arata, acaba também se interessando mais pelo jogo, por teimosia e para mostrar que era muito melhor que o garoto. Logo após entrar no colegial, Chihaya resolve fundar um clube para jogar campeonatos e cumprir uma promessa feita anos atrás com os dois garotos, mas o grande problema é que o esporte não é popular e isso acabaria atrapalhando seus planos.

Comentários: Chihayafuru trouxe novamente aquele ânimo de todo anime com um esporte novo. Afinal de contas quem já tinha ouvido falar de Karuta? Tudo o que nos é mostrado sobre aquele mundo é novidade e acabamos presos na gostosa história que começamos a acompanhar. Os personagens são bem trabalhados e carismáticos, a animação é linda e o tom entre o sério e a comédia vem na medida certa. Tinham saído alguns boatos sobre o fracasso que tinha sido as vendas dos DVDs/BluRay e isso tinha até me desanimado já que a primeira temporada terminou totalmente em aberto.Só que agora em janeiro está começando a segunda temporada do anime, esperamos que continue firme e forte! Além disso, o mangá é constantemente elogiado e continua também sendo um sucesso no Japão.

bamboo bladeBamboo Blade

Esporte: Kendo
Demografia: Seinen
Anime: AIC A.S.T.A, 2007, 26 episódios
Mangá: Young GanGan, 2005, 14 volumes (Completo)

Sinopse: Toraji Ishida é o treinador do clube de Kendo da escola Muroe, que atualmente só tem duas garotas inscritas, sendo que só uma treina realmente. Ele acaba aceitando uma aposta em um encontro com o seu amigo que também é um treinador de um clube de Kendo, ela envolvia uma luta entre as duas escolas, se Ichida ganhar ele ganharia refeições de graça por um ano inteiro. O problema é que ele precisaria de 5 garotas para essa competição e conseguir mais 3 garotas não seria a garantia de vitória. Ishida encontra uma caloura extremamente talentosa faltando um mês para a partida, seu nome é Tamaki Kawazoe. A partir daí… bem, só o tempo responderá.

Comentários: Bamboo Blade é muito mais puxado para a comédia do que para o esporte em si, diferente dos animes aqui citados e isso não quer dizer que ele é ruim. Divertido demais, a história em si não é espetacular, mas os seus personagens conseguem ser a atração principal. Todos são divertidos, cada um com uma personalidade diferente do outro e que todos conseguem cativar do seu jeito. E as partes que são voltadas para as lutas de Kendo são muito bem feitas e até mesmo emocionantes, já que na maioria das vezes são lutas em equipes e você fica nervoso para saber se eles vão conseguir passar por aquela fase. A grande pena do anime é que ele não é finalizado, mas após o fim você pode procurar pelo mangá, que está traduzido em português (só procurar no tio Google que vocês acham).

overdriveOver Drive

Esporte: Ciclismo
Demografia: Shounen
Anime: Xebec, 2007, 26 episódios
Mangá: Shounen Magazine, 2005, 17 volumes (Completo)

Sinopse: Shinozaki Mikoto vive em uma grande rotina, sua vida basicamente é ir até o colégio e depois voltar para casa e isso parecia que nunca iria mudar até que ele conhece Fukazawa Yuki e se apaixona pela garota. Um dia Yuki pergunta se ele não gostaria de se juntar ao clube de ciclismo do colégio e ele aceita mesmo sem nunca ter praticado nenhum esporte. O problema é que ele aprendeu a andar de bicicleta faz pouco tempo, mas o garoto tem uma dedicação imensa e um grande potencial para se tornar um grande esportista.

Comentários: O grande problema dessa série é o começo bem lento, você vai até estranhar, mas aos poucos eles vão se soltando e o ritmo começa a ficar cada vez mais forte. Over Drive me ensinou algumas coisas sobre ciclismo, como os vários tipos de corredores, a diferença que faz você estar nos pelotões e como uma subida pode ser complicada. O anime possui apenas uma corrida, ele não cobre todo o mangá, mas mesmo assim ele é muito competente. Devo ter visto os episódios da competição em apenas 2 dias. É emocionante e eu nunca pensei que iria dizer isso de uma competição de ciclismo. Over Drive é aquele caso que mostra o quanto os japoneses conseguem tornar qualquer coisa emocionante. O mangá foi publicado na Shounen Magazine onde conseguiu uma boa reputação. O lado bom é que os scans da vida estão retomando a tradução da série, então é um bom momento para você pensar na possibilidade de lê-la.

shion no ouShion no Ou

Esporte: Shogi
Demografia: Seinen
Anime: Studio Deen, 2007, 22 episódios
Mangá: Afternoon, 2004, 8 volumes (Completo)

Sinopse: Shion Yasuoka é uma garota apaixonada pelo shogi, um dos jogos de tabuleiro mais tradicionais do Japão. Porém sua paixão te uma única motivação: a morte de seus pais. Quando pequena, Shion viu seus pais serem assassinados em sua frente, e por causa do choque ela acabou se tornando uma garota incapaz de falar. A única lembrança foi uma peça de shogi largada em cima do corpo do seu pai, que teria ligação com o assassino e com o futuro da garota. Agora ela deve se tornar uma mestre no esporte e resolver muitos mistérios para chegar até as pessoas que causaram o maior trauma de sua vida.

Comentários: Shion no Ou foi adaptado pelo estúdio Deen e é um dos casos que a série cobre praticamente toda a versão em quadrinhos. Mesmo sendo feito pelo contestado estúdio Deen, a série consegue te prender dentro do clima de mistério imposto por um jogo e um plot de suspense que ajuda muito no desenvolver da mesma. Ao contrário de Hikaru no Go, por exemplo, Shion no Ou acaba tendo um foco muito maior na personalidade dos personagens e na resolução do caso envolvendo Shion. Nem por isso o esporte é deixado de lado, sendo usado até o fim para o entendimento da história, afinal a peça que começa tudo é realmente a que termina. Infelizmente o mangá é bem difícil de se encontrar completo, mas o anime deve saciar a sua sede.

kokou no hitoKokou no Hito

Esporte: Alpinismo
Demografia: Seinen
Mangá: Young Jump, 2007, 17 volumes (Completo)

Sinopse: Mori Buntarou prefere ser deixado em paz em seu primeiro dia em um novo colégio, mesmo assim um colega de classe continua o enchendo e deixando ele cada vez mais irritado. Esse colega de classe o provoca, dizendo que nunca mais iria irritá-lo se Mori conseguisse escalar o prédio da escola. Mori aceita o desafio, mesmo sabendo que um erro poderia significar a sua morte e durante todo esse trajeto ele acaba sentindo uma série de emoções que vão marcá-lo desde esse primeiro contato até a vida adulta com o alpinismo.

Comentários: O único “apenas mangá” dessa lista, Kokou no Hito está aqui porque não merece ser deixado de fora. Um mangá maravilhoso que me foi indicado pelo nosso parceiro Judeu Ateu do blog Mangás Undergrounds. Como ele mesmo disse, o mangá parece começar clichê, mas aos poucos ele vai mostrando a sua verdadeira cara e te prende de uma maneira que você só vai se sentir bem quando finalmente terminar de ler o último capitulo. Não fiquem desanimados com a primeira fase do mangá, ele cresce muito depois. Você vai ver que tem algo a mais ali só olhando para a qualidade da arte do autor Shinichi Sakamoto. Ele consegue nos passar a beleza do pico de montanhas ou até mesmo o quanto opressor pode ser a altura assustadora ou os perigos que a natureza traz para os alpinistas em vários momentos.

Luk

Luk

Eu juro que gosto de animes, apesar de todo o meu haterismo.

Related Post