Review – I Am a Hero: A visão japonesa de um apocalipse Zumbi

I Am Hero HeaderUm mangaká tentando sobreviver no caos.

A invasão de zumbis é um dos temas mais repetidos nos últimos anos. Eles estão em filmes como Madrugada dos Mortos, em jogos como Resident Evil, em livros como World War Z e até mesmo quadrinhos e seriados com The Walking Dead. E não foram apenas histórias com o gênero de terror que foram criadas. Temos o filme Todo Mundo Quase Morto que é uma comédia muito divertida e até mesmo um romance entre um zumbi e uma garota em Sangue Quente. (É… pasmem.)

I Am a Hero (6)E os nossos amigos japoneses não ficam fora dessa. Muitos já devem ter acompanhado o famoso Highschool of The Dead, mas eu nunca fui muito fã dele por causa da grande quantidade de fanservice da pior qualidade e muitas situações bizarras. Por exemplo: todos os seus amigos de colégio e talvez a sua família podem ter ido pro saco e mesmo assim as garotas tomam banho juntas e medem o tamanho dos seus seios. Mas não é só de fanservice que vive o Japão e isso é mostrado muito bem com o mangá que me foi apresentado pelo Twitter: I Am A Hero.

I Am a Hero (14)A história

Hideo Suzuki é um assistente de mangaká com 35 anos, que sonha em um dia conseguir ter sua própria série em uma editora. Ele demonstra que possui um grande problema mental, em alguns momentos o rapaz alucina com um garoto chamado Yajima e também possui visões atormentadoras, com rostos e mãos aparecendo a sua volta. Em meio a tudo isso ele ainda precisa lidar com o seu namoro, que não está passando por um bom momento graças ao seu ciúme com um ex-namorado de sua garota.

Enquanto todos os problemas de Hideo parecem só aumentar, algo terrível começa em todo o Japão. Pessoas doentes estão entrando em uma espécie de raiva incontrolável, atacam qualquer um que aparecem em sua frente e quem é atacado também acaba ficando infectado. Esses doentes continuam se movendo furiosamente na direção de suas presas, mesmo se estiverem com ferimentos graves. O caos vai começar a se espalhar, mas Hideo demora a perceber que aquilo é algo real e não mais uma alucinação de sua mente.

I Am a Hero (1)Considerações Técnicas

I Am a Hero é um mangá criado por Kengo Hanazawa, atualmente possui 10 volumes lançados e ainda está em andamento desde agosto de 2009 na revista Big Comics Spirits, da revista Shogakukan. A história segue em um ritmo bem lento no começo, que talvez afaste muito dos leitores desavisados e que teria me afastado se eu não soubesse que se trataria de uma história com zumbis. I Am a Hero só realmente mostra a sua cara no fim do primeiro volume, lá no capitulo 11. Após isso é uma loucura e você acaba ficando preso, querendo saber o que acontece, mesmo que o ritmo ainda varie bastante entre cenas rápidas de ação e cenas paradas de reflexão. E também temos algumas cenas bem pesadas e perturbadoras. (Uma cena no volume 10 me deixou até meio mal.)

I Am a Hero (7)O personagem principal talvez seja o meu grande problema com o mangá: eu não consigo gostar dele de maneira nenhuma. O autor consegue fazer com que o Hideo seja uma pessoal real, mas ele é tão estranho (até as vezes maluco) que me faz realmente ficar desconfortável e não me importar tanto com a vida que ele tinha. Os primeiros capítulos foram terríveis pra mim, eu só continuava em frente justamente por saber que em algum momento a “merda ia ser jogada no ventilador”. (Claro esse é um problema desse redator idiota, pode não refletir a realidade) Ele em alguns momentos chegava a me irritar, seja com a música sobre órgãos genitais femininos ou com o fato dele tentar continuar a seguir a lei mesmo com tudo indo pro saco.

Mais a frente conhecemos outros personagens secundários que acabam aparecendo bem pouco. Vale destacar uma que eu gosto bastante que é a Hiromi, apesar dela em muitas vezes acabar tendo reações meio irreais que acabam destoando em tudo que já tínhamos visto e indo um pouco contra o que presenciamos no mangá como um todo.

I Am a Hero (8)Bom, também tenho que destacar também a visão do autor para os zumbis, talvez uma das mais assustadoras que eu já vi. Eles são daquele tipo que correm e que possuem força física acima do comum, capazes de até mesmo arrancar metade do seu rosto com uma dentada. Eles ainda são capazes de falar algumas frases e parecem que ainda mantém os hábitos de quando ainda eram vivos.

Isso nos levanta uma questão interessante: na maioria das vezes, “especialistas” e “críticos” costumam dizer que uma boa história de zumbis não “trata de zumbis” e sim de “humanos”. E realmente é assim na maioria dos casos, tanto que os zumbis na sua maioria não possuem sentimentos, apenas agem instintivamente como animais, deixando toda a trama se desenrolar em cima da pressão psicológica entre os vivos. Porém no caso de I Am a Hero a coisa é diferente. Os personagens humanos da histórias são tão estranhos ou desequilibrados emocionalmente que você não tem mais noção se a história realmente se foca neles ou nos zumbis. A opção do autor por retratar os “seres” com gestos e ações humanas acaba levantando um debate em relação a isso, e só quem lê (ou pretende) conseguirá opinar se isso é uma verdade ou apenas uma teoria.

I Am a Hero (9)Voltando para a parte técnica, a arte é sensacional, temos um visual incrivelmente realista e com o passar do tempo chega a ser perturbadora. Os zumbis de Kengo Hanazawa são assustadores, a aparência com veias aparecendo na pele, olhos esbugalhados e vesgos e até mesmo larvas saindo pelos orifícios chegaram a me incomodar em alguns momentos mais do que alguns filmes clássicos. Fora os momentos que ele usa páginas inteiras parecidas e com leves diferenças para dar uma sensação de movimento inacreditável.  O autor que já havia feito uma história bastante elogiada pelo desenvolvimento dos sentimentos humanos (Boys On The Run) parece colocar tudo em prática em I Am A Hero, agora com uma técnica muito maior. Inclusive alguns acreditam que seu mangá na verdade é uma crítica contra a sociedade japonesa, algo muito comum em algumas obras por lá.

tumblr_m1iyvhG2Jd1rsrahlo1_500

Comentários Gerais

Diferente de Highschool of The Dead que segue mais para um lado “shounenzão” com altos níveis de fanservice , I Am a Hero segue mais uma linha séria e madura. Isso não quer dizer que não tenha ação, a história tem vários momentos que você lê varias páginas em minutos e quer saber logo o que vai acontecer. Você vai acompanhar a sobrevivência de um aspirante à mangaká, sem confiança e com uma sanidade questionável , no meio a um apocalipse zumbi.

I Am a Hero (13)Ele não foi um mangá fácil de ler no começo pra mim. O personagem principal só conseguia me dar raiva por ser tão perdedor e até mesmo insano, mas todo o meu esforço para continuar seguindo a leitura foi recompensado. A história começa a ficar ótima depois do primeiro volume e é uma excelente recomendação para os amantes do gênero zumbis. Com a alta de The Walking Dead e outros, é uma ótima oportunidade de se aventurar em uma leitura alternativa e bastante divertida e bem aproveitada. Fica a recomendação. LEIAM!

I Am a Hero (10)por Luk

Luk

Luk

Eu juro que gosto de animes, apesar de todo o meu haterismo.

Related Post

  • Marcos Raimundo

    F-O-D-A *–*
    Irei ler ^^

  • Erik

    Acho que vou ler. É difícil encontrar uma boa harmonia entre zumbis e mangá.
    I Am a Hero parece que tem uma sincronização excelente entre esses dois termos.

  • TheBombz

    Parece ser bastante interresante,ser tiver tempo vou ver ser começo a ler!!

  • huuum , interessante , valeu cara , vou ler o mangá , mesmo não gostando de zumbis , curto o gênero terror/ação (ja li another , uzumaki , mirai nikki e outros)

  • Pelo q vi no trailer, Sangue Quente ñ é romance e sim uma comédia até meio trash zoando esse tipo de filmes de romance como crepusculo e tbm zoando esse monte de coisas de zumbis q ñ param de sair

  • Yu

    Uou… realmente o traço é impactante! A review está muito boa e até me deixou curiosa para conferir o mangá, porém confesso que não curto muito estórias que falam de zumbis, para mim elas geralmente acabam caindo no clichê.

    O único mangá com zumbis que eu realmente gostei foi “Zombie-Loan”, e isso por que a dupla Peach-Pit soube usar o tema do “pós-vida” de uma maneira que eu nunca tinha visto. Até mesmo os zumbis que apareciam na estória eram completamente diferentes de qualquer outra versão que eu já li ou vi em filmes.

    Aliás, bem que eu gostaria de conferir uma review desse mangá, que infelizmente por ter uma aparência de “shoujo” e ter tido uma versão em anime muito mal feita, não recebeu a atenção que eu acredito que merecia. Já procurei pela net e pelo jeito ninguêm ainda fez uma resenha bacana.

    Bem que vocês aí do Chunan podiam dar uma chance…

  • Melke

    Eu sou do tipo que acha q zumbi nunca é demais. Entao vou torcer pra essa obra cair por essas bandas.

  • yui

    Gif tenso e_e mas enfim vou ler~ :3

  • Jessica

    Adorei esse manga quando li. Faz o sangue ferver.
    Quem quiser algo parecido quando acabar, Apocalypse no Toride eh uma boa pedida.

  • Alessandro

    Já li I am a Hero até onde se encontra em ingles e quase todo Boys on the Run (manga do mesmo autor).

    O autor sabe escrever e desenhar MUITO bem, mas ele realmente tem algo com personagens fracassados, se você acha o Hideo irritante e chato, fique longe, muito longe de Boys on the Run… O protagonista desse é tão zoado, mas tão zoado que me fez dropar o manga.

    Mas I am a hero vale a pena, o manga é muito bom mesmo.

  • Por tentar ser diferente demais, acaba não sendo lá grande coisa. Confuso e com personagens estranhos e zoados (como disse o amigo no post anterior), sei que essa é a intenção real do autor, até tentei ler alguns capítulos e pegar a essência da obra, mas não consegui, não é um tema pra mim, os zumbis fazem parte apenas do cenário, o enredo principal se foca no psicológico dos personagens e a aprofundação dos mesmos, que não me deixou contente. Acho que fui mal acostumado por clichês e mangás mais diretos. l:

    • valter

      Eu achei seu comentário bem expirador e queria saber o porque você acha que o cliche e o mangá mais direto te deixou mais mal acostumado?

  • de novo o mangá que me recomendo é muito bom apesar de lento no começo a arte é linda com zumbis assutadores e um personagens louco da cuca com onepuchman vale apena.

  • Bom não deixa de ser bizarro, mas é bem mais parecido com uma história de Zumbi, gostei do manga, quem sabe dou uma olhada no carnaval… Apesar que aqui em curitiba o Zombie Walk é o evento da vez, então até combina hehe

    Rayovac!

  • Wdeyvison

    Apocalypse no Toride é otimo tbm !

  • fredetona

    Bom, esse mangá me parece muito bom (vou ler para descobrir), entretanto, você não pode comparar I am a hero com High school of the dead, pois cada público alvo é diferente, tal como você mesmo citou “Diferente de Highschool of The Dead que segue mais para um lado “shounenzão” com altos níveis de fanservice , I am a Hero segue mais uma linha séria e madura. “, portanto, não faça analogias com mangás de mesma espécie de assunto, mas com publicos alvo diferentes. E, pelo que percebi em sua opinião, é de que você não gosta de ler mangás ecchi, então, respeite os que apreciam essa categoria. Além disso, não desmerecendo a obra I am a hero, que, provavelmente, deve ter muitos fãs (para ter 10 volumes), mas high of the dead é um clássico dos animes/mangás ecchi, como prova disso, podemos ver a grande repercussão do anúncio da volta do mangá, ainda este ano.

    • Marcelo

      Mesmo assim não deixa de ser ecchi fredetona. Não sou um moralista nem nada mas os mangás ecchi tem como objetivo contar uma estória com o maximo de cenas sexys possiveis. Quem lê não se atenta à estória ou pelo menos não pensa no porque das coisas acontecerem só ficam olhando por alguns momentos mais demorados as cenas sexys. É plenamente possivel fazer uma comparação entre os odis e você só esta com dor de cotovelo por gostar de high school of the dead.

  • Parece ser muito bom é um dos meus temas favoritos adoro Highschool of the dead espero que agora que o manga vai voltar melhore e irei ler este manga ^^

  • Carlos

    mesmo com os primeiro volume chato, é um manga bem legal, da de 10 a 0 em Naruto.

    • KATAYOSE

      olha naruto hater aqui!!!
      estilos diferentes meu caro 🙂

  • Eva-01

    Leio tanto I Am a Hero e TWD, e digo que realmente prefiro I Am a Hero. Muito mais foda.

  • KATAYOSE

    vo ler agora flw!!(imagens pertubadoras :)hhahahhaah)

  • Anon

    Otimo ver que nao sou o unico a ter lido esse masterpiece, foi realmente incrivel, nao tem comparação a outras historias de zumbis, é inacreditavel, como o genero e as açoes conseguem ser cliches, mais ao mesmo tempo totalmente diferente do comum. Fica a dica pra quem nao leu ainda, valeu cada segundo, e se nao me engano ja tem o volume 11 traduzido para o ingles.

  • Mark

    é de Zumbi eu leio já achei um site para ler online e vou ler ele no trabalho /vadio. e agradeço e muito pela indicação parece ser bom e se demora a aparecer zumbi talvez dignifique que vão trabalhar a historia no pré apocalipse.

  • Mike

    Realmente, o modo dele agir seguindo a lei com um apocalipse acontecendo da um pouco de raiva, mas no geral ele é um personagem bem interessante.

  • Man El

    Eu também que achei que Highschool of the Dead foi ótimo, peitos são bem-vindos, mas porra, exageraram na dose.
    Lerei este, parece ser interessante.

    • Man El

      Okay, eu ja li até o volume 5.
      O que eu achei ridículo: As pessoas visivelmente estranhas, e quando os outros só falam:”AAAaaaai”,”Isso dói!”,”Me larga!”. Porra, se viesse com isso pra cima de mim, eu descia a porrada e se eu visse que era zumbi, arranjaria algo para destruir a cabeça deles. Na boa, QUEM consegue ser TÃO estúpido assim??? Será que uma pessoa pálida como leite, com as veias e artérias sobressalentes, sangrando por todos os orifícios, com 50% da cara comida por algo, que magicamente ainda anda literalmente de ponta a cabeça e comendo os outros não é o bastante pra indicar que tem alguma coisa errada??

      ——->>>>>>SPOILER<<<<<——–

      Por exemplo, quando se reuniram no templo do monte Fuji, o bebê TODO fodido, mordendo as canelas de geral, e a babaca mandando chamar ambulância e brigando com o protagonista por estar "praticando vioLência infantil". Sem contar que eles esperaram metade da multidão ser mordida e se converter pra só então decidirem correr.
      E nas cidades vizinhas a Tóquio, as pessoas de lá parecem ser tão burras quanto.
      Em resumo, a história é boa, mas a paspalhice da população é surpreendente.

  • Xandy

    vcs não acham que o enredo lembra bastante o filme “Eu sou a Lenda” com o Will Smith

  • Marcolino

    Haha, eu confesso que já cai na cilada desse mangá. Comecei a ler, e parei no segundo ou terceiro cap, por achar mo sem nexo.
    Talvez agora eu venha a dar uma segunda chance pra ele 😛

  • Você sentir raiva do personagem protagonista quer dizer que o autor conseguiu acertar o ponto dele! o objetivo de qualquer trabalho autoral é estimular emoções em quem entra em contato com a obra, raiva não deixa de ser uma emoção… se você ficar com isso na cabeça e estiver disposto a entrar na “viagem” proposta pelo autor vc vai acabar encarando de um outro jeito :D~~

  • Rodolfo

    Eu gostei bastante do Hideo, não acho ele irritante,
    ele só tem as particularidades dele e isto o torna interessante.
    Hideo é o retrato do jovem perdedor da sociedade japonesa, talvez o próprio autor se identifique com a condição do seu personagem. eaueueuaeaeuaeuueauea

  • Vinttres

    Ah, que sinistro. *—–*
    Vou ler, parece realmente ser diferente daquela porcaria de HOTD DDD: .. As imgs com certeza fazem a expectativa aumentar. haha.
    Mt bom.

  • Rayn

    Nossa cara, parabéns, eu por algum motivo sinto mais satisfação lendo reviews do que o próprio mangá, no seu caso ficou muita boa mesma, comecei ler o mangá sem entender merda nem uma por isso eu parei, mas agora vou continuar, novamente obrigado.

  • Pingback: Review – Homunculus, de Hideo Yamamoto | ChuNan! - Chuva de Nanquim()

  • Guiguinet04

    Nuuuu, muito bom o seu review, cara comecei a ler agora, e meu sentimento no inicio do manga e o mesmo que o seu, tava muito chato, muito mesmo, mais uma hora eu sabia que ia começar merda toda, rs, e quero ver este manezão vai arrumar.

  • Pingback: SS-CLUBE #31 – EU SOU UM… | SS - Clube()

  • André Lucas

    Acompanho essa serie e não me arrependo, é muito boa!

  • Daniel Lima

    Mangá mais adulto, com personagens mais adultos com dramas e dilemas mais pesados e complexos. Chega daquela coisinha colegial etc. Além da arte ser foda também! Bom, Panini!