Eu Recomendo #14 – Mangás nacionais

mangásnacionaisrecomendoPorque no Brasil tem muita gente de talento também.

Hoje, 30 de Janeiro de 2014 é comemorado o Dia do Quadrinho Nacional – data criada a partir da primeira história em quadrinho brasileira, de Angelo Agostini em 1869. Em 1984 o dia foi acrescentado oficialmente ao calendário nacional e desde então aproveitamos o mesmo para lembrar e apresentar obras que marcaram e que ainda marcam o tão rico repertório de HQs nacionais.

Como todos sabem (ou ao menos eu espero que todos saibam), da mesma forma que todo anime é desenho animado, todo mangá é uma história em quadrinho. E no Brasil diversos autores se utilizam da estética da HQ japonesa para criarem obras que se tornaram ou que ainda buscam o seu devido reconhecimento no mercado nacional. Hoje diversos grupos de desenhistas se mobilizam e criam diversas publicações digitais – como a Conexão Nanquim ou a Mangá Pride – procurando mostrar seus trabalhos para os leitores. Outros possuem o apoio de editoras nacionais como a Jambô ou a JBC (e tantas outras que já tiveram sua parcela de participação) e conseguem ainda mais notoriedade, mesmo que enfrente muito a barreira do preconceito (tanto dos leitores do estilo “americano” quanto dos que admiram apenas os mangás “originais do Japão”).

Por isso, para comemorar a data realizamos essa pequena postagem apontando algumas obras que merecem sua atenção. Seja pela sua história, pelo seu potencial ou pelos dois quesitos juntos. Porque no Brasil também existe mangá de qualidade. Basta dar a sua devida chance para os mesmos.

holy avengerHOLY AVENGER
de Marcelo Cassaro e Érica Awano

O maior ladrão de Arton, Leon Galtran, tem uma enorme recompensa  por sua captura por ter acabado com o tesouro de Sckhar, o Rei dos Dragões Vermelhos. O pior acaba acontecendo e Leon acaba tendo sua esposa assassinada, mas consegue salvar seu filho Sandro, que cresce admirando as atividades de seu pai, que se aposentou por causa de sua perda. Mesmo assim, Sandro parte pelo mundo para ser um ladrão, mas é um atrapalhado de mão cheia, não chegando perto de seu pai. Porém Sandro acaba conhecendo Lisandra, uma druida (uma espécie de meio yokai) da ilha de Galrasia, e a partir desse momento suas vidas vão mudar radicalmente.

Impossível falar de mangás nacionais e não falar de Holy Avenger, título mais conhecido em nosso país se tratando de uma publicação do gênero. Lançado em 1998, usou cenários do RPG Tormenta como background e se tornou um sucesso durante seus anos de publicação, contando com 42 edições, diversos spinoffs, artbooks e reedições. Com roteiros de Marcelo Cassaro e uma arte incrível de Érica Awano – mais aguçada a cada edição – Holy Avenger é definitivamente uma das HQs mais importantes já lançadas no Brasil. Em 2012 a editora Jambô anunciou que publicaria uma edição especial da HQ. Mas bota especial nisso. Com capa dura e tratamento de primeira, a “Edição Definitiva” da obra segue atualmente em seu segundo volume. Para os que não tiveram a oportunidade de acompanhar as aventuras de Lisandra e Paladino, eis a sua chance.

leddLEDD
de J.M.Trevisan e Lobo Borges

A história gira em torno do jovem Ledd, um garoto preso que precisa partir em busca de respostas para seu passado e de várias dúvidas que surgem em sua cabeça em seus constantes pensamentos. A história toma tons de dramaticidade em alguns pontos, misturado com cenas de ação e até pitadas de humor causadas na maior parte das vezes pelo amigo Ripp – que por sinal é um mago que faz seus poderes surgirem através de cabelos. Ao lado da bela Drikka e do ogro Horlogh, Ledd procura a verdade sobre sua misteriosa tatuagem em sua mão direita e todos os poderes que a cercam. Em seu caminho encontrará um obstáculo: o temido Coronel Barba Branca.

Ledd é atualmente um dos melhores quadrinhos nacionais que temos disponíveis no mercado. E não é nenhum exagero. Utilizando os mesmos conceitos de Tormenta que Holy Avenger utilizou, Ledd carrega os roteiros do experiente Trevisan e o traço cada vez mais espetacular do desenhista Lobo Borges. Ledd não perde em nada para grandes publicações do Japão. Uma história que prende o leitor e personagens realmente cativantes são os ingredientes certos para convencerem a acompanhar todo o mangá. A editora Jambô apostou na publicação e hoje Ledd já está em seu terceiro volume encadernado, sendo um sucesso entre os fãs – sejam eles de Tormenta ou apenas do mangá. Ledd ainda apresenta um grande atrativo: pode ser lido gratuitamente no site oficial. Ou seja, não existe desculpas para não conferir o trabalho dessa dupla que merece o reconhecimento.

comborangersCOMBO RANGERS
de Fábio Yabu e Michel Borges

Fox, Ken, Kiko, Lisa e Tati são os protagonistas de Combo Rangers. Cinco crianças selecionadas pelo Poderoso Combo e que necessitam restaurar um pensamento na mente das pessoas: que super heróis existem. Situada em Cidade Nova, super poderes se tornam cada vez mais comuns. Simples atividades como sair ou limpar a casa são feitas com o auxílio de forças especiais que dominam o DNA da população. Com isso, os heróis se tornam esquecidos e dispensáveis, até o maligno Satan Boss decidir invadir a Terra com o Império Domao. Restará aos Combo Rangers se unirem a população para lembrar que os super heróis ainda existem, podendo assim salvar Cidade Nova.

Falar de Combo Rangers é o chamado “chover no molhado”. Muitos cresceram acompanhando a história de Fábio Yabu, seja em sua fase de publicações como webcomic, em suas revistas na JBC ou nas da Panini. Combo Rangers acabou se tornando muito querido por representar de uma forma divertida e leve cinco crianças com super poderes que protegem sua cidade. Com diversas referências a tokusatsus e outros animes antigos, a série ganhou uma nova versão no último ano pela editora JBC através de um projeto viabilizado pelos próprios fãs. “Somos Heróis” marcou a estreia de um Fábio Yabu mais amadurecido e com bagagem de roteirista, e Michel Borges dando uma nova vitalidade para os traços dos Combo. Sejam os antigos quadrinhos ou essa nova versão, Combo Rangers é daquelas leituras que qualquer um, em qualquer idade consegue aproveitar e lembrar da chamada “criança interior”, que está sempre lá escondidinha.

tolls chalengeTOOLS CHALLENGE
de Max Andrade

A história se passa em um mundo como o nosso só que com uma grande peculiaridade: cada pessoa nasce com uma ferramenta. Algumas pessoas nascem com ferramentas especiais, chamadas “série ouro” e não podem viver mais de 15 anos longe delas. Raion é um garoto que nasceu com este tipo de ferramenta especial, mas teve ela roubada quando nasceu, prestes a completar 15 anos terá que lutar para recuperar sua ferramenta se quiser viver.

Max Andrade conseguiu realizar um sonho com Tools Challenge: ser o primeiro mangá nacional totalmente bancado com a ajuda de seus fãs. E isso é um marco que posteriormente acarretou se tornando inspiração para diversos outros autores. Tools Challenge é um mangá de criação do mineiro que se mostra um verdadeiro fã de battle shounen estampado em suas páginas – e que já mostrou seu potencial sendo o ganhador do concurso de one-shot da falecida Ação Magazine. Com um plot bem original e que melhora constantemente a cada capítulo, Tools é atualmente um dos integrantes do projeto Conexão Nanquim, mas que também possui sua “fanbase própria”. Atualmente com 6 capítulos e ainda em andamento, o mangá ainda tem muito chão pela frente. Aguardamos ansiosamente por um lançamento do segundo volume também, e que nosso autor consiga cada vez mais reconhecimento com sua obra. Enquanto isso, também é possível conferir seu trabalho gratuitamente no site oficial.

piratesPIRATES!
de Yuri Landim

A Capitã Marina Justice não é necessariamente um exemplo de capitã para sua tripulação pirata no dia-a-dia. Mas com suas aventuras e seu jeito cômico gira a história de Pirates. Qual será a aventura que nossa Capitã preparará para os novos navegantes?

Criado em 2008 por Yuri Landim, diria que Pirates! é uma das webcomics mais injustiçadas pela chamada “imprensa especializada” de quadrinhos em geral. Contando atualmente com 266 páginas e uma atualização semanal, Pirates! é uma das séries mais divertidas que encontramos hoje no “mercado” nacional. Seguindo uma estética que lembra muito os quadrinhos japoneses e coreanos, a história segue sendo dividida em arcos, com elencos específicos para os mesmos e uma situação de local e tempo para cada um. Tudo muito bem elaborado e que em nenhum momento perde o feeling de aventura cômica sugerido pelo autor. Yuri por sinal é um artista de talento, basta ver seu DeviantArt para ter ainda mais certeza do calibre do garoto. Pirates! também pode ser conferido de graça em seu site oficial.

menor que um terçoMENOR QUE UM TERÇO
de Iuri Kroth

Giórgio é um jovem de 14 anos que sofre de uma rara doença que só acontece a cada 30 anos e só afeta 5 pessoas no mundo: ele não possui um coração. É uma criatura morta andando no mundo dos vivos. Com cabelos brancos e sem a vitalidade de um ser humano, Giórgio é constantemente excluído por sua diferença. Para ele o mundo não tem sentido. Pelo menos não até ele conhecer uma jovem chamada Luana, que diferente de todos tenta se aproximar do garoto e acaba gerando nele um sentimento totalmente diferente. Tudo muda mais ainda no dia que Luana é atacada por uma estranha criatura e Giórgio libera um poder que nem ele sabe que existe: o do verdadeiro Coração.

A última recomendação do dia fica por conta de mais um projeto da revista Conexão Nanquim. Menor Que Um Terço (-</3) foi uma das histórias mais criativas que li nos últimos tempos se tratando de criações nacionais. Com um traço muito peculiar e que segue uma linha bem alternativa, a história de um coração que toma forma é empolgante! Seja na carga de dramaticidade, de ação e até mesmo do clima de romance, o autor cria uma história extremamente agradável e atraente ao leitor – tanto pelo roteiro como pela arte. A série também pode ser lida on-line no site da revista e com certeza você se surpreenderá. Aguardo ansiosamente por mais capítulos da série que com certeza já ganhou um fã de carteirinha.

Dih

Dih

Paulistano, 28 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Atualmente é editor na Panini/Planet Mangá e cuida de títulos como One-Punch Man, MOB Psycho e Jojo's Bizarre Adventure.

Related Post