Comentando – Death Parade #1

Death Parade Episode 1 HeaderQue tal um jogo apostando sua vida?

Acredito que Death Parade será um dos melhores animes dessa temporada e quem anda acompanhando, ou pelos menos assistiu um episódio de cada série, sabe: as animações estão fracas. Temos histórias com muitos clichês, nada inovadoras e uma porrada de enredo nonsense, sem contar a quantidade de ecchi – que, para quem gosta, é um prato cheio. Mas acredito que Death Parade seja um destaque em meio a tanta coisa ruim.

Falo dos animes da temporada só como um exemplo, não esperem que haja comentários de cada episódio e de cada anime que está em exibição. Me ofereci a escrever, porque gostei do que vi e pretendo continuar a falar do mesmo, mas só esse. Então, por favor, não insistam que os outros redatores, ou mesmo eu, comentem o anime X ou Y. Obrigada.

O Comentando são opiniões pessoais sobre determinado episódio e de tal anime, por isso sintam-se livres para dar opiniões sobre o mesmo. É mais fácil abranger os horizontes assim, certo? Vamos conversar um pouco sobre esse anime fora do normal!

Esse post contém spoilers e recomendo que o leiam só depois de ver o episódio. Do contrário, será por conta e risco.

Death Parade 3Death Parade #1

“Death Seven Darts”

Para quem escolheu Death Parade de forma aleatória, sem mesmo ter assistido o OVA, deve ter se surpreendido com ele do começo ao fim, especialmente em seu primeiro episódio. Logo no início somos apresentados a um casal, Machiko e Takashi, que saem de elevadores diferentes; eles não sabem onde estão e não lembram do que aconteceu, e a única informação que recebemos é o fato de serem récem casados. Em seguida, descobrem que estão em um bar chamado Queen Decim e são “convidados” por Decim – uma espécie de barman sem expressão (?) – a jogar um jogo apostando suas vidas. Eles recusam e tentam encontrar uma saída mas, sem outra opção, acabam optando por jogar.

O jogo é decidido na roleta – que nem parece uma, na verdade. Parece mais aqueles azulejos de parede – que muda com o passar dos episódios. Nesse, o casal precisa atirar dardos em turnos e o ganhador seria aquele que tivesse menos pontos. Simples, mas com um detalhe: cada local acertado, causaria dor em determinado órgão do parceiro. Aí é que a coisa começa a ficar boa!

Death Parade 10O ponto alto, provavelmente, foi o momento em que eles começaram a se recordar do passado e fizeram de tudo para ganhar a partida, mesmo que tivessem de trapacear. A verdadeira face e natureza humana dos personagens aparece nesse momento, em que ambos esquecem do bom senso e são dominados pelo medo da morte, pelo ódio dos acontecimentos anteriores aquele lugar e são afetados mentalmente por toda a situação. A MadHouse, assim como tantos outros trabalhos, soube caprichar nesse clima de suspense que foi apresentado logo no início da série.

Mas se tem algo que realmente me pegou de surpresa foi o famoso… PLOT TWIST! O ouro do episódio está nesse elemento que mudou não só a visão dos jogadores, mas como a minha também. Eis que quase no fim da partida, algo é revelado: o casal já está morto. O jogo é, na verdade, uma forma de poder julgá-los para serem mandados para o “vazio” e a “reencarnação” – para quem não sabe, é o ato de nascer de novo com outro corpo e etc. O Decim era o juiz que iria avaliá-los e, no fim, voltariam para o elevador sinistro e seriam mandados para seus respectivos lugares de destino.

Death Parade 9O final estava repleto de flashbacks por conta das memórias dos dois personagens, que estavam alterados em todos os sentidos. Acreditava que ambos estavam errados e que deveriam ir para o vazio, ainda mais quando as ações um contra o outro pareciam tão errôneas – a expressão “lavar roupa suja” se encaixa bem na situação. Mas para onde cada um foi? Machiko acabou indo para o vazio e seu marido, Takashi, foi para a reencarnação. Isso é contado por Decim quando duas outras personagens aparecem no fim do episódio.

O grande atrativo de Death Parade é sua temática. Disputar um jogo apostando uma vida é bem interessante, mas algo que me chamou a atenção foi o fato de terem feito isso de uma forma “leve”; sem optar pelo horror ou as cenas mais macabras, eles escolheram algo mais psicológico ao invés do assustador. Algo que também vale destacar é o modo como tratam a morte, a questão do vazio, da reencarnação e como seria (estranho) se houvesse um juiz que decidisse o futuro que quem já partiu dessa – não necessariamente para melhor.

Death Parade 6Quanto a parte técnica, Death Parade conta com uma animação digna do estúdio responsável, mantendo o nível de Hunter x Hunter – Chimera Ants, e do pouco assistido Hanayamata. Apesar do tema ser mais tenso, sua música de abertura é bem animada e dançante, com certeza quebra aquele clima mórbido, mesmo combinando tanto com o anime. Na verdade, a trilha sonora no geral combina muito com a série. O único porém seria o encerramento que não é tão “chamativo”; é mais fácil passar ele e ver se tem algum “extra” no final do que escutá-lo inteiro.

Death Parade 2Para finalizar, Death Parade merece atenção. O anime se mostrou original (comparado a quantidade de obras genéricas que temos nessa temporada) e irei continuar acompanhando com o maior prazer – aliás, é a primeira vez que acompanho um anime semanalmente e não sei como vocês conseguem conter a ansiedade por um novo mísero episódio. Aguarde por mais Comentando desse anime no Chuva de Nanquim e até o próximo post!

Death Parade 8

Death Parade 7

Death Parade 5

Death Parade 4

Death Parade 1

Miyuki

Tão normal, nem parece otaku. A louca das webcomics. Segue o mantra de ler e assistir de tudo um pouco (menos o que for terror, por favor). Tem um vício novo a cada mês e surta horrores na conta pessoal no Twitter.

Related Post