Especial – As Teorias Finais de Orange

orange especialComo esse mangá vai acabar no final das contas?

Orange está a um passo de seu término, e nesses três anos a série da autora Takano Ichigo já passou por diversas situações – algumas dignas de uma novela mexicana – mas o que os leitores da obra realmente querem saber é como o desfecho do mangá será e como a rainha do drama explicará o surgimento das cartas do futuro para os jovens do ensino médio. Enquanto o capítulo final não sai, por que não bolar algumas teorias que só os fãs (ou pessoas doidas, que é quase a mesma coisa) poderiam pensar? Dê sua opinião também, incremente um dos tópicos ou crie o seu próprio. Só não vale levar o post (muito) a sério e pedir a demissão dessa estagiária.

TEORIA DAS CAPAS

A primeira teoria desse post brisado, no qual prevejo comentários ainda mais brisados de pessoas que tem mais imaginação do que essa redatora que parou minutos importantes da sua vida para analisar… Capas. E contra-capas. Here we go!

As capas de Orange impressas pela Betsuma não são as mesas da Gekkan Action. A primeira chegou a ter apenas dois volumes impressos com ambas capas bonitinhas, fofinhas e coloridinhas, nada muito sério. A segunda tem quatro volumes encadernados até o momento, com cenários que realmente existem (muito bonitas por sinal, sem exceções), mas que também são um tanto quanto… Questionáveis. Se você fosse a Takano Ichigo, tivesse sofrido de depressão e depois conseguisse mais uma chance para fazer capinhas da séria que publica, o que faria? A resposta é óbvia, não? Isso mesmo! Bolar easter eggs sinistros! Yay!

Talvez os fãs da obra nem tenham se importado em analisar as capas da série, até porque, o que realmente importa é o (suffering) desenvolvimento da história, mas a vida sempre dá oportunidades! A Miyuki aqui te dá oportunidades, então… Vamos logo com isso!

Orange Volume 1Volume 1
 
Esse volume é o menos suspeito e o mais feliz, por assim dizer. Na capa temos Naho, Kakeru e Suwa em um banco, sentados juntos e vivendo como se não houvesse com o que se preocupar, como se ninguém fosse morrer, porque isso deveria ser um shoujo lindo e feliz (entendeu querida autora? Isso deveria ser uma história feliz! Brincadeira, bota mais drama que eu adoro). Na contra-capa temos Chino, Azusa e Hagita sentados no outro banco, também despreocupados. Repare que na primeira imagem, Kakeru e Suwa estão bem próximos, apesar dos três estarem juntos, e o Suwa está quase abraçando o Kakeru. Guarde isso na sua mente, irei voltar nesse ponto depois.
 
Orange Volume 2Volume 2
 
O volume 2 é quando a coisa começa a ficar séria. Ao contrário do dia lindo de sol e das árvores cheias de folhinhas verdes e arbustos bem cuidados, no segundo volume temos o mesmo cenário, mas um clima totalmente diferente e… Sem Kakeru. Até aí nada de mais, porém, repare bem na carinha de todos os personagens: Todos estão sérios, todos estão olhando para frente com expressões de espanto e surpresa. O que eles viram?
Orange Volume 3Volume 3
 
O volume 3 é fofo, mas preocupante também. Na capa temos novamente Suwa e Kakeru (agarrados) e uma Naho atrás, de vela. Voltem para o volume 1. O que temos ali? Exatamente! Suwa agarrando Kakeru. Sabe aquela shipper que vive falando que o mangá vai acabar Naho x Kakeru ou aquela outra que acredito, que nem religião, em Naho x Suwa? Não dê atenção a ela! Tanto no primeiro quanto no terceiro volume a autora está dando indícios de que quem manda nessa porra é Kaeru x Suwa! E viva o yaoi! (Quem é o passivo? Hummm.)
Não, não é só isso. Chegamos a parte “preocupante” da análise: a contra-capa. Nela temos Suwa, Naho e seu filho, obviamente se trata de anos mais a frente, o futuro sem o Kakeru. Os dois apenas observam seus antigos “eu”, como se realmente pudessem enxergar o passado e o que eles já tiveram. A dúvida que fica é: por que?

TEORIA DO BEBÊ 

Orange volume 4Essa teoria também faz parte da teoria das capas, mas acredito que essa hipótese mereça um espaço só para ela, tanto é que nem comentei sobre como a capa do volume 4 é um tanto quanto… Sinistra. Suwa, Naho e seu filho estão juntos, mas só o bebê parece estar prestando atenção em algo: Kakeru. Kakeru é quem está no foco de visão do menininho, e, aparentemente, só ele pode vê-lo; assim como o bebê parece estar tentando chamar a atenção de Kakeru, esse ainda corresponde (na contra-capa) com um “tchauzinho”, porém, ainda há um detalhe: ele está vestindo roupas do colegial. Esse não seria um sinal de que, ao contrário dos outros, ele não cresceu? Não está “parado” no tempo? Não é um sinal de que Naho não conseguiu salvá-lo no final das contas?

Tudo bem, tudo bem. Pode parecer apenas uma “coincidência”, mas a autora não começou isso aí. Há ainda mais uma imagem que comprove a habilidade do filhinho da Naho. A imagem a seguir é de quando Takano Ichigo ainda estava na Betsuma – tal fato pode ser comprovado com a imagem do antigo volume 2 no canto superior esquerdo – e nessa figura temos, mais uma vez, Naho e seu bebê, além de Naho e Kakeru (jovens) do outro lado.

colorpageorange Preste atenção na imagem, todos estão dentro de algum lugar (uma casa talvez?) e o único que está do lado de fora é Kakeru que está… Dando uma flor para o filho de Naho. E o que essa está fazendo? Ela apenas olha para cima, sem perceber que sua cria está sorrindo para o vidro da janela. Migos e migas, isso não é paranóia, Takano Ichigo tem Deus na história (aka Hagita), assim como também tem um personagem que nem sabe falar, mas consegue ver “coisas”. Se eu sou louca, a autora também é. (Mas faz um suffering maravilhoso, yep.)

TEORIA DE DEUS

Se houvesse uma ordem de importância dos personagens, como ela seria? Kakeru, Suwa, Naho (tô colocando a protagonista em terceiro mesmo rum), Chino, Azusa e… Hagita. Ah, Hagita. Você é tão importante na série que tive que consultar o Google-senpai para lembrar do seu nome. O Hagita aparece pouco, raramente fala algo que presta e não tem tanto destaque. Um personagem inútil? Nã na ni na não! A Takano Ichigo foi esperta; chegou com ele de mansinho para no final revelar que ele é… Deus! Exato!

ahajitaPara quem acompanha o trabalho da autora, provavelmente deve saber que a mesma faz outra série chamada ReCollection e nesse mangá há um personagem extremamente parecido com o… Hagita! A única explicação para as cartas da Naho e dos outros pararem nas mãos do grupinho do ensino médio é que: Hagita na verdade é Deus e ficou chateado porque todos estavam muito distantes após a morte de Kakeru, então mexeu uns pauzinhos aqui, ali e… Bang! Deu mais uma oportunidade para que o grupinho tentasse salvar Kakeru. É a explicação mais plausível. Só não vê quem não quer.

A PARTE “SÉRIA”
 
Orange é o um dos meus xodós. É a única série atual que tive o (des)prazer de acompanhar todo o trajeto até chegar aonde está. Desde o primeiro capítulo foi puro suffering e mesmo fora dos quadrinhos a obra conseguiu me deixar triste – lembrando que durante esses anos o mangá teve aquele cancelamento na Betsuma e o sumiço da autora – poucos capítulos, mas com grandes significados. Tenho um carinho enorme pela série, ainda mais pela autora conseguir transmitir tão bem seus sentimentos para os leitores. Espero que a mesma tenha um grande sucesso pela frente mesmo quando o mangá se encerrar. Sobre o término, admito que não estou esperando um final feliz, aliás, me conformaria com uma tragédia no final, porque acredito que talvez a Takano Ichigo queira mais do que desenhar uma história com um drama (do caramba) e sim, passar uma lição para os que lêem.

Miyuki

Tão normal, nem parece otaku. A louca das webcomics. Segue o mantra de ler e assistir de tudo um pouco (menos o que for terror, por favor). Tem um vício novo a cada mês e surta horrores na conta pessoal no Twitter.

Related Post