Especial – Um ano do final do mangá de Naruto

naruto finalSinto sua falta.

O ano era 2005. Eu havia acabado de me mudar de escola. Nunca tive muita dificuldade de fazer amigos e pra ajudar um dos meus do antigo colégio havia se transferido junto comigo. Mas ainda era estranho. Passar 10 anos no mesmo colégio e ir pra um ambiente novo foi um pouco repentino e eu tive que aprender a entrar naquele grupo. Pois bem. Faz parte, não é?

UmAnoSemNaruto (2)Conheci bons amigos na época e o mais legal: que tinham muitos interesses em comum. Havia acabado de sair de um lugar onde eu trocava mangás pra ler na sala de aula, falava dos últimos episódios de Dragon Ball, InuYasha, Samurai X. Seria estranho se isso não acontecesse em outro lugar.

Eu não tinha internet em casa. Eram períodos de trevas, se vocês um pouco mais novos estão se perguntando. Lia pouco (tínhamos bem menos opções em bancas e Negima era o mais diferente que saia aqui) e conhecia menos ainda. Até que um dia um desses meus amigos falou “Cara, comprei o novo filme de Cavaleiros do Zodíaco legendado! Quer emprestado?”

O filme (Prólogo do Céu) era uma bosta bem bosta, mas dane-se. Fazia muito tempo que eu não comprava nada (saudades, VHS de Escaflowne) e eu queria ver algo diferente.

“Eu também comprei esse aqui. Assiste lá.”

O nome era Naruto. Já tinha lido sobre ele em algumas revistas de anime famosas naqueles anos 90/00, mas eu nem sabia que aquilo já tinha disponível nos sensacionais DVDs de 7 reais da Liberdade. Peguei dois DVDs, com 3 episódios cada. Na mesma tarde resolvi assistir depois do trágico Prólogo do Céu. “Não pode ser pior”.

UmAnoSemNaruto (3)E não foi. Foram 6 episódios que eu assisti durante os 3 dias que os discos de meu amigo estavam comigo, em looping. Já tava cansado de não ver o final da luta com o Zabuza, mas tá valendo. Me apaixonei, me encantei, me diverti. Eu havia acabado de fazer um amigo naquele dia, e era um tal de Kishimoto. Era o autor daquela história, que eu logo tratei de correr atrás do mangá em inglês no finado One Manga nos intervalos do meu curso de inglês, no laboratório de informática. Apresentei pra um outro amigo e logo a gente tava comprando todos os DVDs a medida que iam saindo mais episódios. Lembro de um dia ter visto 26 episódios em sequência, praticamente sem dormir.

Aquele amigo, o Kishimoto, me acompanhou por todo o ano. E no seguinte, quando voltei para meu antigo colégio também. E lá também conheci mais pessoas que o conheciam e sua história. Fiz mais amigos. Naruto foi crescendo comigo e isso é muito engraçado. Lembro quando a Panini anunciou a publicação do mangá no Brasil e lembro mais ainda quando ele apareceu nas bancas. Saí da escola e passei na banca apaixonado pelo primeiro volume que tinha em mãos (acreditam que houve um tempo que mangás custavam R$9,90?? Juro!). Devo ter batido em umas 5 pessoas no caminho, já que abri o plástico na rua mesmo e fui lendo na calçada mesmo, até chegar em casa. Nem almocei enquanto não terminasse aquele mangá, que já devo ter lido umas 50 vezes (umas 40 só na semana que o comprei). E assim seguiu até esse ano, comprando cada volume novo assim que saísse nas bancas.

UmAnoSemNaruto (2)Anos depois, na faculdade, também foi assim. Pessoas que eu jamais pensei assistiam e eu acabei me aproximando delas por causa disso. Chegamos a ler capítulos de Naruto no retroprojetor de um dos laboratórios. E eu não me importava com algumas piadinhas, o que fez com que elas praticamente não existissem. Estudar em um campus de “artes” ajudava, claro. Aliás, o mais engraçado é saber que anos depois, com o fim da faculdade, outras pessoas hoje assistem anime.

Mas enfim. O Naruto. Passamos momentos divertidos, apreensivos, chatos, de risadas e de muita tristeza. Até hoje lembro de cenas do anime e de quadro do mangás de muito tempo atrás. A luta de Naruto e Sasuke antes de Shippuuden continua muito recente na minha cabeça, bem como o arco dos 5 selados, da luta de Gaara e Lee… Nossa, quanta coisa. Suei pelos olhos com o Jiraya, senti pena e aprendi a admirar o Itachi, achar o Naruto um protagonista muito bom e também ficar com raiva do tal Kishimoto quando enrolava demais no arco da guerra ninja. E como enrolou, putz!

UmAnoSemNaruto (5)Em 2014, uma notícia forte. Naruto ia acabar. Eu não sabia se estava pronto pra isso, embora eu quisesse que tudo chegasse a um fim e eu não ficasse com raiva do Kishi. Foram 3 semanas agonizantes, acordando cedo todas as quintas pra ler os capítulos recém lançados. No último eu desabei. Acabou. Nem um capítulo colorido serviu pra consolar o fim daquela amizade. Foram 10 anos, lado a lado, crescendo e aprendendo juntos. Meu amigo não estaria ali na semana seguinte.

Mas a coisa não acabava por aí. No final do ano comecei a trabalhar no emprego dos meus sonhos. Em uma editora de mangá. E pra minha felicidade, Naruto ainda faltava dois volumes para seu final oficial no Brasil. Tive o prazer de fazer as letras de um desses volumes. Foi um gostinho mais que especial! E foi aí que eu percebi: a amizade não tinha que acabar. Eu ainda teria muitas lembranças pela frente, muitas conversas, discussões e teorias sobre aquela história.

UmAnoSemNaruto (1)Naruto me acompanhou em diversas fases da minha vida ao longo desses 10 anos. Me possibilitou conhecer muitas outras séries também. Mangás, animes, sites, pessoas, lugares, sentimentos. Uma sensação bem parecida com o que eu tenho com Harry Potter, mas com um diferencial: eu sentia aquela companhia todas as semanas, e ele sempre esteve lá.

Hoje, completamos 1 ano sem a série original. E não me venha falar de spinoff, Gaiden e não sei o que. A história acabou de verdade a 1 ano atrás e até hoje me dá saudades e me faz acordar pensando “será que já saiu capítulo novo?”. Infelizmente vejo muitos que curtiram o mangá ou o anime um dia simplesmente ignorando-o (ok, tá no seu direito) ou zombando pra parecer “legal” perto de quem detesta a série por algum motivo que não é do meu bico saber. Sinto pena. Mas cada um é cada um. Eu acho muito doido olhar pra isso e ser como se minha adolescência estivesse alí, vivinha. Não nego que gosto e se alguém não gostou, paciência.

UmAnoSemNaruto (4)Kishimoto, te considero um amigo. Naruto, obrigado por tudo. Obrigado por se tornar uma das séries que mais tenho carinho no mundo. Jamais vou me esquecer disso tudo, desta história. Valeu por tudo entre 2005 e 2014, de tantas oportunidades que você sempre esteve lá me fazendo companhia, de certa forma. Você foi demais, cara. Talvez com alguns escorregões feios no caminho, mas que amizade não acontece esse tipo de coisa, não é?

UmAnoSemNaruto (1)Ah, e não, isso não é uma resenha, claro. Até porque quero fazer algo a altura. Mas até esse dia chegar, fico feliz em ter escrito isso.

Quem sabe um dia eu não conte um pouquinho como eu conheci um capitão com chapéu de palha muito doido? Espero que esse dia ainda demore muito, por sinal.

Dih

Dih

Paulistano, 27 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Hoje é editor assistente da Panini Mangás e colecionador compulsivo de quadrinhos em geral.

Related Post

  • Minha história com Naruto começou em 2004, com muitos altos e baixos de quem está no ensino médio, quase para prestar vestibular. Naruto e os seus personagens fizeram parte da minha vida desde então. Conheci muitas pessoas e fiz muitos amigos por causa desse mangá. Por isso eu não tenho agradecimentos o suficiente para o Kishimoto. Naruto deixou saudades, mas como tudo na vida, ele tinha de acabar e acabou muito bem, obrigada – meus ships são canon, então né…;)

  • seiya

    “O filme (Prólogo do Céu) era uma bosta bem bosta, mas dane-se.” Ah cara, prólogo do céu foi bom, e merecia uma continuação.

    “(acreditam que houve um tempo que mangás custavam R$9,90?? Juro!)” Acredito, inclusive vocês acreditam que houve uma época em que um volume de samurai x, custava R$2,90? Inclusive comecei a comprar nessa época.

    Bem, compreendo essa “amizade” que você sente com a série, eu sinto o mesmo com cavaleiros do zodíaco,
    Mas tem que aceitar que naruto era razoavelmente bom, até a fase da guerra, depois desandou e ficou horrível, o mangá poderia ter terminado épico, mas o Kishimoto decidiu fazer a guerra e enrolar tanto que peguei raiva de naruto.

    Enfim, conheci naruto mais ou menos nesses anos de 2005 ou até antes, e foi sim legal, e me marcou de uma certa forma, não tão intensamente, mas marcou.

    • willian sousa

      Eu discordo, pois acho a Guerra muito necessaria, pois se tivesse acabado na saga do Pain ficaria muitas pontas soltas. Pra mim, a Guerra foi muito necessaria.

      • Cherubim

        Todos falam da guerra enrolativa, estou no número 65 e toda edição releva alguma coisa, só se for a partir de agora, mas mesmo enrolando eh animal as batalhas e as idéias do autor, ainda não acabei, ainda tenho 7 meses para ficar na Saudade kkkk

  • Kingfrog

    Muîto bom o testo,até rolou um suar masculino aqui

  • Guilherme

    Cara, que daora! Sua experiência com Naruto é sensacional, fora doa limites. Digo que tenho uma experiência “amistosa” com Naruto também, pois não fazia amigos com facilidade (nem um pouco rs), e vendo o que os personagens passaram, como o Naruto se superou e superou todos que o maltratavam, simplesmente sendo ele mesmo; Nagato tendo toda sua família morta na guerra; e tantos outros testemunhos. A forma como Naruto tinha amigos, me dava ânimo e esperança, de um dia poder também ter amigos como ele tinha. Acompanhei Naruto por 7 anos, os 7 que me marcaram com esta bela história, que tem como cerne, que a pessoa que menos esperamos (muitas vezes, nós mesmos), é a que mais vai nos surpreender, com feitos excepcionais. Diante daquilo que sofri na escola, Naruto estava ali, me ajudando a encontrar sentido nas minhas escolhas, e me ajudar a acreditar mais em mim mesmo. Chorei que nem um bebê no Road to Ninja, quando Jiraya morreu, quando passou o flashback do Itachi tendo que matar sua própria família (por honradez, por um futuro melhor para a vila que amava), e ainda tendo que tomar conta de seu irmão mais novo, que não conseguiu matar. Também dei muitas risadas, com tantas palhaçadas do Naruto kk. Enfim, Kishimoto me mostrou que eu posso ser mais, buscando ser eu mesmo, e amando as pessoas que me amam como eu sou. Ainda sinto falta também de ler e assistir, mas sei que o tempo que ganhei acompanhando esta história, foi muito produtivo na minha vida, pois mais aprendia, do que lia e assistia! Gostei muito de seu texto! Abraços 😀

  • willian sousa

    E pensar q esse Mangá realmente acabou me deixa realmente triste. Apesar do Kishimoto ter dado umas enroladas na Guerra, teve um bom desenvolvimento de Personagens durante a Guerra. Na minha opinião.

  • Cara incrível … serio! Você expressou tudo aquilo que eu sinto por Naruto, da mesma forma, pois também o considerou um amigo, tanto o Kishimoto quanto o Naruto. Sinto saudades da mesma forma também. A forma como conheci Naruto foi diferente, mas ele se tornou tão especial quanto ele é pra você. Muito legal saber que exitem pessoas assim também. Muito linda sua homenagem!

  • Diorgenes

    Bah mano, com essas palavras não tem como não se emocionar, ainda bem que temos o gold para relembrar. Abração.

  • Suelcbj

    seu post ficou muito bom , quase um testemunho, conheci naruto num periodo conturbado, e ele foi meu cano de escape quando muitas vezes precisei esquecer meus problemas, podem não acreditar, mas nunca li o mangá do naruto so acompanho pelo anime apesar das toneladas de spoilers q ja recebi, então tecnicamente não acabou pra mim, mas bate uma tristeza saber q o fim ta proximo.

  • king, grizzly’s sin, o pecado da preguiça

    Cara eu me lembro até hoje eu tinha comprado o cd de naruto tive a sore de pegar a 2 batalha dos chunin e depois fui atrás do mangá peguei o 9 do pocket ainda era o único que tinha quando eu levei pra casa e comecei a colecionar lembro de comprar fairy tail até hoje e tenho um carinho até hoje de ter conhecido o mundo dos mangás muito bom

  • king

    Kishimoto gênio

  • biazacha

    “Naruto me acompanhou em diversas fases da minha vida ao longo desses 10 anos. Me possibilitou conhecer muitas outras séries também. Mangás, animes, sites, pessoas, lugares, sentimentos. Uma sensação bem parecida com o que eu tenho com Harry Potter, mas com um diferencial: eu sentia aquela companhia todas as semanas, e ele sempre esteve lá.”

    Estava aguentando bem até esse parágrafo, aí desabei em lágrimas poque ele é basicamente eu, todinho. Mangás a menos de 10 conto, OneManga, animes no SBT, DVDs com nem meia dúzia de eps na Liba…. fui lendo e vendo partes da minha própria vida, algumas das melhores dela. Nem tenho palavras pra agradecer por isso, você não tem noção da maravilha que foi ler esse post.

    Confesso que quando anunciaram o fim, minha primeira reação foi “aleluia”. Estava cansada, entediada… não tanto como com Bleach, mas perto – enquanto geral ficava triste eu dizia “para gente, finalmente vai acabar” com um ar convencido. Mas aí os meses foram passando, foram anunciando filme, spin-off, novels… e aí, uns dois meses antes do fim, eu cheguei a conclusão de que não estava pronta e de que na verdade não queria que acabasse.

    Virei maníaca por informações, li e reli entrevistas buscando cada mísera pista, reatei algumas antigas amizades que estavam meio de canto pra discutir fervorosamente as teorias como se eu tivessem 14, 15 anos de novo – os efeitos que se esperam de algo como Naruto, Harry Potter, Star Wars… quando a obra deixa de ser obra e vira fenômeno.

    Chorei tantos nos capítulos finais, mais pela separação iminente do que pelo fim e o último é claro, acabou comigo. Hoje sou muito grata ao Kishimoto, aos momentos, as amizades, por ser o principal motivador para eu deixar de só ver animes na TV e ir atrás dos mangás e de outros animes para assistir. Pode ter acabado, mas nunca vai terminar de fato… enquanto existir gente que celebre Naruto, a história continua.

    Parabéns pelo ótimo texto!!!

  • Minha história com Naruto começou em 2007 mesmo, no tão odiado e amado SBT. Naquela época, eu estava num momento de recém-descoberta do mundo otaku, onde animes da minha infância como Dragon Ball e Pokémon deixaram de ser simples “desenhos” e se uniram a um novo universo do qual hoje me orgulho de fazer parte. Naruto foi um dos que me fez virar otaku de vez, e devo muito isso a ele.
    Aliás, eu fiquei curioso de como o Dih conheceu certo capitão do chapéu d epalha, e pode parecer pedir demais, mas: Como conheceu certo shinigami de 15 anos com cabelos laranjas? E certo alquimista de cabelos dourados e membros mecânicos?

  • Lyw Hunter

    Texto maravilhoso, em muitos momentos me senti assim com Naruto.

  • 09751

    Passou rápido mesmo! Há um ano lia -e relia- o último capítulo. Como eu sou daquela turma que já está chegando aos 30, tive a mesma sensação com Shurato, Cavaleiros do Zodíaco (na fase clássica) Yu Yu Hakusho, Samurai X, Dragon Ball e Fullmetal Alquimist: missão cumprida, apesar de tudo.
    Comento pouco, mas eu gosto bastante dos comentários do DIH e esse foi mais um que eu gostei. Realmente a série fez parte de muita gente, principalmente para aqueles que entraram no mundo dos anime/mangas devido a essa série.
    Sobre o cara de chapéu de palha, esquece; é a história sem fim em versão manga.

  • Sadness

    É bicho, nem parece que faz um ano após o término… Confesso que sua história me deixou um pouco sentimental. Eu também desenvolvi um carinho enorme por essa obra, foi graças a ela que entrei pra esse mundo de otaquisses. Tinha 11 anos quando tudo começou, na verdade eram menos, mas gosto de dizer que o início foi desse ponto, porque foi aí que comecei a ver desenhos legendados. Eu não tinha internet e morava no interior, não havia o que fazer para acompanhar a série(sabendo que haviam mais episódios do que os exibidos na tv). Eis que uma amiga diz que assistia naruto shippuuden, me falava sobre como estavam os personagens e sobre o site em que ela baixava : Naruto Project. No mesmo dia, fui até a lan house acessar o site, lembro perfeitamente do episódio lançado, era o 55 – Vento. Pedi a ela que gravasse em alguns dvds para mim e depois disso foi só alegria. Foram 8 anos em que as quintas-feiras – essa era a data de lançamento dos eps, certo? – eram reservadas a esse ninja gari. Mesmo com altos e baixos, pra mim é uma série incrível. Obrigado Narutão, por ser a porta de entrada para outros animês e por me entreter sempre.

  • O Honesto

    Não vou mentir, no período em que Naruto começou a passar na Tv, foi quando a quantidade de animes passando na Tv diminuiu e só foi menos sentida por um tempo, por causa do saudoso Animax, apesar de alguns cartoons que tinha de qualidade fizeram falta.

    Meu período de otaku, na verdade começou com o anime Ranma 1/2 que passava de madrugada no CN, hehe, lembro que na época não o tinha legendado, então eu vi todos os episódios que passaram na CN pelo computador, e depois eu continuei vendo em inglês mesmo, hehe, lembro que via na casa do meu avô, por meio do Youtube e levei alguns primos a assistir animes também. Naruto para mim eu curtia mais por causa dos jogos mesmo, afinal, diferente de muitos, nos meus primeiros anos de otaku, eu escolhia os animes de acordo com os jogos que eu ganhava e com Naruto não foi diferente, e o conheci pelo videogame com um jogo que meu primo me deu.

    Sei que tem muita gente que curte Naruto aqui, mas a história, assim como One Piece, perdeu a graça para mim quando começaram a prolongar e enrolar demais, e desisti. Enfim, com o tempo começamos a ficar mais seletivos mesmo, e sabe que eu ainda não sei porque apesar de eu não curtir mais animes com muito cliché, eu gosto de To Aru Majutsu no Index e derivados por causa da história ? Todos nós temos aquele anime que apesar dos excessos gostamos por causa da história.

    Mas o que posso falar ? A maioria dos animes que vejo hoje são em filmes, ovas e animes antigos em maioria, com pouquíssimos novos e acredito que acabei de descobrir que não gosto de 720p ou 1080p em animes e acaba achando as cores muito gritantes ao ponto de diminuir a luminosidade do computador ( e olhe que eu não tenho problema de visão, é porque não gosto de ver assim mesmo). Animes são feitos para agradar diferentes tipos de pessoas, e se o Naruto o ajudou em momentos de dificuldade e o ajudou a evoluir, então concerteza foi muito valioso. Para mim a valiosidade nos animes foi o Evangelion que me fez refletir duramente sobre os meus gostos e fez com que eu ficasse mais seletivo e critico sobre os animes, junto com sua complexidade e reflexão que poucos percebem, e ao To Aru Majutsu, que verdadeiramente me encantou, e eu ignorando os clichés do anime e do mangá, me mostrou como uma história pode ser bem contada e envolvente, mesmo com seus defeitos, pois se Evangelion me fez ver o mau rumo que a minha vida andava tendo, To Aru Majutsu me fez rebuscar os laços e amizades que há tanto tempo, negligenciei.

  • Caramba, um ano já? Parece que foi ontem! Bom texto! Saudosista ao extremo, mas cumpriu com seu papel de despertar a nostalgia que é Naruto! Felizmente ele acabou, infelizmente de forma péssima. Mas Naruto é realmente especial, dizer que a obra é boa são outros quinhentos, já que, de fato, ela não o é. Todavia sabemos que ela é um marco, e esse mérito ninguém pode tirar.

  • Rafael

    Parece que Naruto acabou ontem.
    Naruto foi um dos primeiros mangás que comecei a ler(Ele ou Bleach, não lembro).
    Pena ter acabado de forma PÉSSIMA.
    Naruto é muito especial pra mim, embora eu não recomendaria a ninguém.

    • willian sousa

      discordo. Achei um final satisfatório.

  • Bacana!

    O mesmo contato que você teve com Naruto eu tive com One Piece. Acompanho desde 2006 e toda vez que releio alguma parte eu me lembro da época da escola ou da faculdade quando o capitulo havia saído.

    Realmente é uma relação muito boa que a gente passa a ter com a Obra.

    Com relação a Naruto, eu achei o começo do mangá legalzinho, ai na fase shippuden eu comecei a achar bem ruim, depois melhorou com o arco do Pain.

    Quanto ao final, eu acho que a TARA do Kishimoto pelo nº 7 estragou muito o final da história. Ele encerrou tudo muito as pressas só pra finalizar no capitulo 700.

    Suigetsu, Karin, Jugo e Orochimaru praticamente chutados pra escanteio e sem nenhuma menção a mais do Jiraya.

    O mangá deixa saudades, mas o final poderia ter sido muito melhor

  • Também acompanhei Naruto durante 10 anos. Comecei durante o técnico e terminei durante a faculdade. Comecei em 2005 com o anime, lembro que peguei os primeiros 25 capítulos e assisti em 2 dias, adorei! A luta contra o Zabuza, Chuunin Shiken, era demais!
    Acabei agora em 2015 pelo mangá, da Panini. Confesso que também sinto falta, quando peguei a última edição na banca, tive uma sensação estranha, de um lado eu queria ler o fim, mas de outro, eu não queria que terminasse, personagens tão bacanas, um universo tão rico!
    Mas acabou e hoje, eu acompanho pouco animes por pura e simples falta de tempo.
    Vejo os posts de animes da temporada e penso, se eu tivesse tempo, assistiria metade deles! Mas acabo vendo 1 ou 2, ou as vezes nenhum…

  • samurandre

    tambem comprei os mangas de naruto,mas nunca fui fã. Na verdade eu gostava mesmo de mangá em si, da coleção, tenho varias delas terminadas desde a epoca da finada conrad e o inicio com a jbc. Devo ter umas 30 coleçoes mais ou menos, e o problema atualmente é espaço pra guarda-las.

    Mas voltando a naruto, eu comprei e li regularmente ate o volume 40, mais ou menos. Depois entrei na facul e parei de ler, mas comprava regularmente e ate hoje e muitas ediçoes ainda estao naquele saquinho meia boca, mas muito bem pensado, que vinha nas ediçoes da panini (e tambem nao li mangá nenhum desde 2012, ate meus kiojin, toriko, h x h, vinland e outros estao guardados)

    Por isso nao posso dizer que sinto falta de naruto ou que eu cresci com ele e que a obra fez parte na minha vida, mas entendo totalmente seus sentimentos O unico mangá que talvez eu tenha passado por algo parecido foi quando comprava dragon ball da conrad. Quando acabou foi triste demais, e quando leio a despedida na ultima pagina da equipe da conrad para seus leitores volta a dar um aperto no coraçao

  • Gabriela Bassi

    Realmente, deixar de acompanhar semanalmente me fez sentir que faltava fazer alguma coisa na semana… foi um costume gostoso de ter, mas que agora só nos resta o anime mesmo pra companhar. Daí quando esse também acabar, é morte certa pro fandom todo :c

    • willian sousa

      só q ta dificil acompanhar o Anime com aqueles Fillers. Pra mim, Naruto é foda no Mangá.