Jogos de Yokai Watch venderam 10 milhões de cópias no mundo todo

Notícias - Yokai Watch 10m HeaderO sucesso dos monstrinhos do relógio

A produtora Level-5 anunciou na última quarta-feira (2/12) que sua série de jogos de Yokai Watch já vendeu mais de 10 milhões de cópias em todo o mundo.

Os números foram reforçados este ano com o lançamento dos jogos spinoff da franquia, Yokai Busters Akanekodan e Yokai Busters Shiroinutai, em julho passado, e o lançamento do jogo original Yokai Watch na América do Norte e na Coréia . Yokai Busters já vendeu mais de 2 milhões de cópias, incluindo downloads.

A Nintendo também planeja publicar o jogo na América Latina, Europa, Austrália e Nova Zelândia.

A história de Yokai Watch gira em torno de Keita Amano (ou Fumika Kodama, caso seu personagem seja uma garota) que encontrauma máquina de brinquedos de cápsulas (os famosos gashapons) bizarra  que lhe diz para inserir dinheiro e ele acaba por obedecer. Mas depois de abrir a cápsula que saiu, uma criatura fantasmagórica chamada Whisper se materializa. Whisper , que foi selado no interior da cápsula, premia seu libertador Keita  lhe dando um Yokai Watch.  Quem usa o relógio ganha a habilidade de ver criaturas sobrenaturais chamadas Yokai, cada tipo possui diferentes tipos de habilidades mágicas, e que são normalmente invisíveis aos seres humanos. O Yokai Watch também permite que o portador de convocar qualquer Yokai que tenha “capturado”, permitindo ao usuário fazer uso dos poderes do Yokai. Ao usá-lo, Keita e Whisper encontram muitos Yokais travessos pela cidade, resolvendo o problema que está causando e fazendo amizade com muitos ao mesmo tempo. Yokai Watch conta com um anime em exibição no Japão desde janeiro de 2014 e uma série em mangá que conta no momento com 6 volumes e que vem vendendo muito bem também. De longe, uma franquia com muito potencial.

Asevedo

Designer de formação, atualmente sou Assistente editorial da Panini Mangá. Acumulo mangás e HQ's, que espero conseguir ler um dia. Assisto animes de vez em nunca.

Related Post

  • O Honesto

    Talvez um dos únicos países que não vingue será o Brasil