Editora NewPOP anuncia mudanças na distribuição e venda de seus títulos

Notícias - NewPOP HeaderMudanças no mercado editorial brasileiro

Em comunicado enviado pela editora NewPOP ela anuncia que terá mudanças na forma de distribuição e venda de seus títulos, saindo das bancas e indo para livrarias e lojas especializadas.

É uma atitude ousada e diferente, mas que segue a tendência de diversos títulos da mesma, e também de outras editoras, que são lançados nesses canais de venda. Mais do que nunca a mudança exigirá da editora maior empenho no marketing e divulgação de suas obras para que alcance novos leitores.

Confira na íntegra o comunicado da editora.

Hoje o assunto aqui na NewPOP é sério: vamos falar um pouco sobre as mudanças e melhorias na forma de distribuição e venda da editora que já começarão a valer para nossas próximas publicações!

2016 está provando ser um ano de muitos desafios e obstáculos que nos impulsionam a mudar. Resistir a fazer mudanças seria pura teimosia, está na hora de reinventar a NewPOP, de mudar, de ousar!

Como toda a mudança, há aqueles que não gostarão, há aqueles que criticarão, mas mudanças são necessárias. Já faz um tempo que a NewPOP tem se preparado para este momento, mas nunca imaginamos que chegaria tão cedo: o dia que pararíamos de distribuir a maioria dos nossos títulos em bancas.

Mas, calma, não é o fim do mundo, de fato todo mês metade dos nossos lançamentos nem vão às bancas. Nossos livros e light novels, como No Game No Life, Fate/Zero e NO.6, e alguns mangás, como Drug-On e Don Drácula, nunca foram às bancas. Agora, esse será o padrão da editora e bancas a exceção.

Mas por quê? Existem vários motivos que nos forçaram a essa decisão, poderíamos citar como distribuição em bancas está ficando cada vez mais caro, como há muita perda de volumes que são estragados no transporte e exposição, como não temos controle sobre essa distribuição (e já descobrimos que muitas vezes os mangás nem são expostos, voltando em pacotes fechados), como ela é falha e não alcança vários de vocês, como não há espaço na maioria das bancas para tanto mangá. Motivos para mudar, temos muitos!

E sabe o que mais? Tem muitos benefícios também! As lojas especializadas e livrarias permitem compras parceladas, pré-venda, assinaturas. Elas possuem catálogos maiores, com volumes antigos e novos, fica fácil comprar coleções e acompanhar séries em andamento. Lojas trabalham com descontos e promoções que são impossíveis em bancas! Facilidade na troca de volumes com defeitos, possibilidade de encomendas dos volumes que você precisa e uma assistência competente e que sabe do que você está falando e que tem acesso à editora! E muito mais!

As bancas são uma enorme limitação em vários aspectos, é um sistema caro, falho e desvinculado da editora. Pode parecer um choque agora, mas na verdade nenhum dos grandes mercados de mangá no exterior vende suas obras em bancas pelos exatos mesmos motivos! O Brasil começou a lançar em bancas para atrair os leitores de outras revistinhas e gibis na época. Mas mangá não precisa mais disso, isso precisa mudar, isso vai mudar!

A NewPOP convida todos os seus leitores a participar da nossa busca pela inovação, não apenas de gêneros, temas e acabamento de nossas edições, mas da forma de se consumir mangá!

Junto com esta mudança, iniciaremos o NewPOP Club, nossos planos de assinatura para ajudar todos os leitores que não tenham acesso a tais lojas e livrarias. Lembrando que qualquer livraria pode receber nossos materiais, e vocês podem nos ajudar com isso! Aqui um guia de como proceder: http://www.newpop.com.br/?p=669. Além disso, lançaremos um sistema para que vocês possam adquirir os mangás que não irão mais para as bancas sem pagar nada a mais por isso.

Este mês traremos mais informações sobre tudo isto, qual vai ou não sair das bancas, ajustes necessários, etc, e já começaremos a trabalhar no nosso próximo checklist. Pedimos a todos que aguardem pacientemente um pouco mais. 2016 mal começou, mas com certeza vai deixar sua marca!

Asevedo

Designer de formação, atualmente sou Assistente editorial da Panini Mangá. Acumulo mangás e HQ's, que espero conseguir ler um dia. Assisto animes de vez em nunca.

Related Post

  • Não gosto e raramente encontro estes mangás exclusivos de lojas especializadas. Espero que isso não se torne um padrão.

    • lucassm16

      Olha, na Internet tem milhares de lojas que vendem mangás. E ainda vai ter opção de assinatura com desconto e frete grátis. Alternativas não vão lhe faltar. Pra uma sditora menor, seguir esse padrão deveria ter sido assim desde o começo. Isso vai ajudá-los a crescer (e talvez até mesmo voltar às bancas caso isso aconteça), impedirá a falta de estoque (já que exclusivo de loja online = reimpressões constantes), ajudará a melhor controlar as vendas, diminuirá os custos de distribuição e prejuízo de poucas vendae em banca (poucos compram mangás da NewPOP, em banca então é ainda menos gente). Só vejo vantagens. Se funcionou com os livros/light novels, não vejo como pode dar errado com quadrinhos.

  • Marcos Correia

    Bom, eu compro muita coisa de impulso quando vejo na banca. Desse jeito, a New Pop pode acabar saindo do meu radar.

    • lucassm16

      Então basta você acompanhar a página deles pra ficar sabendo das novidades daqui em diante, ora. Simples 🙂

      • Marcos Correia

        Bom, se você realmente acha que é a mesma coisa, você não entendeu o que eu disse.
        Eu passo na banca todos os dias. Quando que eu visito o site da New Pop? Nunca.
        Entende a diferença? Ir ao site da New Pop ou a uma loja virtual é um exercício da vontade.
        Passar na banca e dar uma olhada no que está lá é simplesmente minha rotina diária de ir ao trabalho.
        Compra por impulso nunca acontece numa visita ao site da editora.

      • @lucassm16, agora acho que deve ter entendido… você está tentando simplificar demais a coisa quando não é e bem assim que a coisa funciona para todo mundo.

        @Marcos, eu entendo completamente você, mesmo não fazendo o que faz. Tinha entendido desde o começo. Acho que para muitas pessoas, o mesmo vai acontecer…
        JBC e especialmente a Panini, que são editoras maiores, ainda têm como manter seus mangás em banca, mas a NewPOP realmente só tem a ganhar distribuindo mangás através de lojas ditas especializadas, mas mais do que isto é importante que a própria loja da NewPOP funcione e tenhas sempre os mangás, para também não acabar jogando mais combustível no “mercado negro” oficial que a Comix e outras lojas criaram…u_u… mercado este que as grandes editoras ajudaram a criar, novamente com destaque para a Panini…¬¬

  • Zatch

    O problema é que comprando em banca vc não paga frete de 20 reais em um produto seja lá qual for. De qualquer forma não faz diferença pra mim já que nada da newpop me interessa

    • lucassm16

      Pô. Como assim nada? Nem os light mivels? Fate/Zero, Helter Skelter, Log Horizon, No Game No Life, nada pow?

      E outra: eles disseram que terão um sistema de assinatura com desconto e frete grátis. Ou seja: vai ter uma opção pra qum não quiser pagar frete. Isso sem falar das diversas lojas que fazem promoção com desconto e frete grátis. Opção não vai faltar.

  • Já devia ter sido assim a muito tempo.

  • milenart

    Hmmm, isso vai ser bem ruim pra mim já compro mangas deles frequentemente e tbm prq não há livrarias na minha cidade e sempre q vou numa em alguma cidade vizinha em raras ocasiões, nunca tem mangá… . E compro mangá pela Internet muito raramente já q dependendo da conta bancária dos meus pais nesse caso XP Tanto q praticamente nem compro mangá lançado só em livraria ou lançado d distribuição setorial…mas em tudo dá-se um jeito… Só vou demorar mais pra comprar os mangás do mês e provavelmente só quando tiver em certa quantidade já lançada.

  • Vinicius

    50% do preço da capa vai para a distribuidora e para o ponto de venda (a maior parte provavelmente para a distribuidora). É por isso que sites e assinaturas possuem desconto e bancas não. Mangá ainda é produto de nicho, ainda mais os da NewPop. Priorizar venda em banca é suicídio. Acredito que a escolha não é entre comprar em banca ou em loja, mas sim entre comprar em loja ou a editora quebrar e não lançar mais nada. O custo logístico no Brasil é altíssimo: infraestrutura capenga, combustível mais caro do mundo, leis trabalhistas anacrônicas, distâncias continentais, roubos de veículos/cargas, licenças e impostos. Não é questão de opinião, mas sim a triste realidade. Fico contente que ainda existam gestores de empresas com visão de futuro e coragem para tomar decisões que a curto prazo são impopulares, mas necessárias para manter a empresa de pé. Na França praticamente não se vê mangás em bancas, apenas em livrarias e lojas especializadas, e com uma periodicidade bem espaçada (praticamente nada mensal). Não sei se nos Estados Unidos é assim também, mas acredito não ser muito diferente. Entre em qualquer FNAC em Paris e procure a seção de mangás e animes: cheias de volumes, inclusive antigos, com milhares de pessoas sentadas no chão lendo! Dá até para “fazer uma social” e conhecer gente nova, com os mesmo hobby que a gente. A NewPop é a editora brasileira que mais emula este modelo, já utilizado a muito tempo com comics, mesmo no Brasil. Se deu certo para comics, porque não com os mangás?

    • STX

      No brasil, “certo” não é uma palavra exatamente para Todo o brasil. mesmo Comics q são mais populares e rentaveis q mangas não estão em todas as cidades do pais porque a realidade do pais como um todo é que as lojas q vendem quadrinhos se restringem a cidades com estrutura mediana, o contrario da maioria das cidades do pais q não tem isso, mas ao menos tem uma banca. Em outros paises esses modelos funcionam porque boa parte de suas cidades são bem mais desenvolvidas economicamente para terem lojas q vendem quadrinhos. Fãs de mangas da NewPop dessas localidades serão os mais prejudicados e não, lojas online são soluções q não atendem a maioria dos consumidores, já que internet em sí não é uma realidade para a maioria da população e dos que tem, menos ainda são os que podem fazer compras online.

      • Vinicius

        É esperado que nem todas as pessoas do país tenham acesso a todas as coisas, ainda mais em um país gigante que nem o Brasil. Mas isso não muda o fato que o custo de distribuição é irreal. A distribuição em banca é um monopólio dominado pela Dinap, do Grupo Abril, ou seja, faz o que quer e cobra o que quer, com casos inclusive de lotes retornando sem sequer serem abertos, ou seja, nem foram entregues ao ponto de venda. Quem é pequeno não tem força para negociar termos com quem é grande. Quase sempre sai perdendo. Novamente, a opção não é entre ter acesso ao produto na banca ou não, mas sim entre ter acesso ao produto de alguma forma ou não, pois a distribuição em bancas levará as pequenas editoras como a NewPop e a JBC à falência. Os fãs de outras localidades infelizmente terão que “se virar” ou optar por não comprar os produtos. E convenhamos: quem compra mangá de nicho como os da NewPOP com certeza tem Internet. Seus mangás são direcionados para um público mais jovem/adulto, então a maior parte do público possui cartão de crédito. Mesmo que eles percam 20~30% dos clientes, só o que eles vão economizar com a distribuição vai dar um resultado mais positivo no final do mês. E, no final das contas, é isso que importa: ninguém trabalha de graça! Acontecerá uma pequena instabilidade no mercado à curto prazo, mas no futuro podemos esperar descontos devido ao aumento de concorrência nas lojas físicas e online (como já acontece), incluindo frete grátis, assinaturas, aumento de concorrência, fim da abominável distribuição setorizada, facilidade de encontrar volumes antigos (que permitirá que as vendas de volumes futuros de uma série aumentem, já que dificilmente as pessoas começam a série pela metade, o que por sua vez diminuirão as chances de uma série ser cancelada) e a tendência é que os preços não aumentem tanto quanto poderiam.

        P.S.: eu, que moro no “meio do mato”, não tenho acesso a mangás por bancas. Nem os da Panini chegam direito nas maiores bancas da cidade. As séries estão com 3 à 4 volumes atrasados, isso quando chegam (pouco mais da metade nem dá as caras por aqui). NewPop é raridade ver na banca. Esta é a minha situação: eu moro à 80 km da cidade de São Paulo. Só posso imaginar como deve ser o sofrimento de uma pessoa que mora no interior do Maranhão, por exemplo. Eis que pergunto: porque tanto pessimismo com a decisão da editora? Afinal, a distribuição em banca já não é uma m****? Com a popularização da Internet, banca é um negócio em extinção.

      • STX

        E eu moro “mais no mato” ainda, quase divisa entre SP e Mato Grosso do sul e com uma unica banca q nem sempre tras tudo de todas as bancas. A realidade do povo daqui não é de poder ir a cidades vizinhas maiores pra poder comprar manga (e a livraria que trás é o dobro de distancia da cidade vizinha maior mais proxima). Talvez eu seja dos poucos q podem fazer isso e comprar online. Dos mangas q vejo venderem, os da NewPop sempre sobravam nas prateleiras e eu mesmo compro pouquissimo deles, mas é exatamente por causa de se tornarem uma editora de nicho-de-nicho, o contrario dos mangas de outras editoras q vendem. A verdade é q a NewPop conseguiu sobreviver a grandes hiatos de bancas por causa de lojas fisicas e onlines, ela sempre teve um perfil de editora de livraria e não de banca, então pra eles essa mudança é compreensivel. Mas a realidade de mangas das outras editoras é outra. Ambos tem como seu maior mercado consumidor nas bancas porque são em sua maioria mangas q interessam aos consumidores gerais e casuais. Não dá para esperar q esse tipo de negocio e abandono de bancas funcione para todas as editoras. SE ocorrer, o nicho de leitores de mangas vai diminuir mais e stagnar para os atuais leitores com o minimo de novos leitores. A JBC é a que mais tem cara de que possa tomar esse rumo no futuro, apesar do cassius afirmar q seu maior consumidor ainda são as bancas e se ela também saisse, a Panini q tem dinheiro poderia muito bem continuar em bancas, mas colocando o preço q quiser ja sem concorrencia, pois os consumidores de bancas ainda são maioria. Pode ser vantajoso para a NewPop essa iniciativa, mas para os fãs de seus mangas, vai ter muita gente perdendo.

  • alô alô correios

    Pra mim segue na mesma, na minha cidade só chega madoka da newpop. Não pude nem trocar o meu no.6 . Espero que isso ajude a newpop a crescer, tem muito futuro como editora ^-^

  • Marcos Correia

    Entendo as motivações financeiras da editora, mas é inegável que o alcance de público da editora tende a diminuir com essa estratégia.
    Vejo muita gente que acha que a sua realidade é igual a de todo mundo no país. Não é. E muita gente vai ficar sem acesso ao manga por conta disso.
    Mas uma vez que tiragem e saúde financeira das editoras parecem ser as informações mais secretas do país, qualquer previsão é mera especulação.
    Teremos que esperar os próximos meses (talvez o ano todo) para saber se a estratégia vai fazer bem ou mal para a editora.

  • Eu moro a 580 km de SP e se dependesse de bancas, não saberia nem que a New Pop existe… Embora eu não consuma muitas obras da editora, achei a manobra inteligente (apesar de não haver lojas especializadas e só me restar comprar pela internet). Claro que não é uma manobra que funcione para todas as editoras, mas no caso dela, que tem um nicho bem específico, eu creio que funcione.

  • Lukinhas

    Marcos Correia, vdd falou tudo, pra muitos é uma rotina passar na banca logo de manha para ver oq saiu, e quando vc se depara com algum manga novo ou algo de despertou o interesse, “sem querer vc leva”, e nesse sem querer pode acabar gostando e acompanhando, mas nessa de ir no site vai precisar de muito marketing mesmo pra poder ganhar novos leitores.

  • “está na hora de reinventar a NewPOP, de mudar, de ousar!” -> concordo e apoio a mudança da editora. Diante dos fatos, acho que a mudança virá para o bem da editora. A discussão que está rolando nos comentários é bastante interessante com pontos de vista diferentes à mudança, mas esta frase da editora deveria ser mais honesta. A editora não está ousando na minha opinião, está simplesmente mudando para de repente não ir à falência. Como uma editora pequena, distribuir em banca talvez já tenha dado o retorno que teria que dar sobre conhecimento da editora por parte e de vários de seus títulos por parte dos COLECIONADORES. Agora é hora de restringir sua distribuição para não perder muita força no mercado.

  • Norna Tamie

    Eu sou contra essa estratégia, pois se não fosse pelas bancas de revistas, os mangás não seriam tão conhecidos como hoje, quando entro em uma livraria,nunca vou procurar mangás…agora, quando vejo uma banca, fico livre para verificar os lançamentos de todas as editoras…nunca procurei comprar mangás pelos sites nem assinaturas…a partir do momento que não mais achar os mangas nas bancas, deixarei de comprá-las… e já vou fazer campanha divulgando essa informação da New Pop, pois usaram e abusaram das bancas e agora vão ignorá-las ….não acho justo com os leitores…

    • “usaram e abusaram das bancas e agora vão ignorá-las” -> COMASSIIIMMMMM??? O_o

      @Norna, você está sendo um pouco egoísta ao não olhar e analisar os pontos que a NewPOP explanou para ir por este caminho, e achar que a situação é toda muito simples. Outra coisa é que se a NewPOP não for por este caminho, a tendência é que as coisas fiquem cada vez mais difíceis para ela no mercado de mangás, logo, este é um caminho natural diante do cenário atual.

  • Pingback: Checklist – NewPOP: Março de 2016 | ChuNan! - Chuva de Nanquim()