Recomendações Semanais de Leitura #4

Que fome.

Sexta-feira é dia de muitas coisas e pra vários gostos. Mas aqui no ChuNan é dia de recomendação de mangás! Pela quarta semana consecutiva apresentamos dicas para vocês se manterem ocupados no fim de semana ou pra organizar a read list da próxima. Vocês escolhem.

Hoje trazemos duas obras de slice of life que fazem um sucesso danado no Nipão. Pra quem tem certo preconceito com esse estilo de obra, hora de rever seus conceitos depois de conhecer os maravilhosos Otoyomegatari e Dungeon Meshi.


OTOYOMEGATARI
A Bride’s Story
Autor: Kaoru Mori
Ano: 2008
Status: Em andamento com 9 volumes
Gênero: Drama, Histórico, Romance, Comédia
Compre (em inglês):
Amazon Brasil / Book Depository

Situado na Ásia Central em uma cidade rural perto do mar Cáspio durante o século XIX, a história gira em torno de uma jovem mulher, Amir, que chega de uma aldeia distante através das montanhas para se casar com Karluk, um menino oito anos mais novo que ela. A história se passa entre os detalhes da vida cotidiana da família e da comunidade. No entanto, a atmosfera pacífica é perturbada quando a família de Amir exige levá-la de volta à sua aldeia.

Existem obras que te fazem repensar todos os outros títulos que você já leu na sua vida e se eles mereceram as notas que você já deu um dia. Porque você pensa “Como eu posso ter dado 10 pra esse mangá se esse outro é muito mais genial?”. São decisões difíceis que um dia passarão pela sua cabeça. Mas se ainda não aconteceu, não se preocupe. Vai acontecer.

Otoyomegatari é desses que lhe faz pensar por qual motivo, causa, razão ou circunstância o Japão não produz mais coisas desse nível. A história de Amir é uma obra-prima de Kaoru Mori. A autora cria com maestria um clima de calmaria, tensão e romance nos momentos certos. Todo o assunto étnico, cultural e político que o mangá insere ao lado de situações cotidianas são de fazer refletir e desfrutar. Somados, claro, ao traço que se aperfeiçoa a cada página, nas riquezas de cenário e expressões que são usadas. De encher os olhos.

A edição americana do mangá apresenta até mesmo uma capa dura e sobrecapa. O cuidado da YenPress com esse título só reforça ainda mais meus comentários. Leiam.

DUNGEON MESHI
Delicious in Dungeon
Autor: Ryoko Kui
Ano: 2014
Status: Em andamento com 4 volumes
Gênero: Aventura, Comédia, Fantasia
Compre (em inglês):
Amazon Brasil / Book Depository

Depois de ter sua irmã devorada por um dragão e perder todos os seus suprimentos em uma incursão de masmorra fracassada, Lyos e sua party estão determinados a salvar sua irmã antes que ela seja digerida. Completamente quebrados e tendo que recorrer a comer monstros como alimento, eles encontram um anão que irá apresentá-los para o mundo de dungeon meshi – deliciosas comidas feitas a partir de ingredientes como a carne de morcegos gigantes, cogumelo pé, ou mesmo mandrakes gritantes.

Eu amo esse estilo que envolve elementos de RPGs. Acho muito legal o ângulo que os autores encontram  para representar certas passagens que podem ser interpretadas de diversas formas e de diferentes pontos de vista. Em um dos rankings da Oricon acabei descobrindo um título que me deixou muito curioso ao ver que vendia quase 500 mil unidades sem nem fazer parte de alguma das editoras gigantes do Japão.

Foi assim que conheci Dungeon Meshi – ou Delicious in Dungeon, como é conhecido internacionalmente. Imagine um mundo de RPG onde os personagens precisam sobreviver sem dinheiro e sem conforto. Pois bem. Agora pense que todos os alimentos possuem gostos e paladares diferentes. É praticamente um Shokugeki no Soma, mas no meio do nada. Nossos personagens precisam realizar suas missões, mas você percebe que não tá nem aí pra isso. Você quer é saber qual será a próxima comida doida que vão preparar! E é realmente muito legal, já que o mangá possui capítulos curtinhos mas que conseguem representar perfeitamente esses momentos de cozinhar. Incrível.

Delicious in Dungeon será lançado nos EUA nos próximos meses. Você pode garantir o seu na pré-venda que indicamos acima.

Dih

Dih

Paulistano, 27 anos, corintiano e fissurado em cultura asiática e pop. Formado em Design Gráfico na FMU. Hoje é editor assistente da Panini Mangás e colecionador compulsivo de quadrinhos em geral.

Related Post

  • OTOYOMEGATARI realmente parece uma delícia de encher os olhos.

    Já DUNGEON MESHI, fiquei com uma pulga atrás da orelha, porque se o foco é desviado para estes tipos diferentes de comidas, onde fica a irmã de Lyos, que foi devorada pelo dragão? Depois de 4 volumes não me parece que ela realmente não tenha sido digerida, e assim sendo, penso duas coisas: ou um pouco mais para frente a história nos mostrará que ela está viva e como ela escapou (que até penso ser o mais óbvio), ou ela vai simplesmente ter morrido (o que penso, seria um tiro no pé por causa dos gêneros do mangá). Sendo assim, não vejo muita continuidade na história e seria interessante que ela não se alongasse muito além dos 5 volumes. Vamos ver como fica futuramente…

  • Dungeon Meshi parece ser uma boa, vou conferir depois.
    Agora Otoyomegatari é muito bom, já vejo esse mangá faz um certo tempo, embora ele tenha caído um pouco de qualidade com aquele arco da mulher magra e da peituda eu ainda gosto desse mangá. Para mim o arco das gêmeas é a melhor parte de Otoyomegatari. A forma que a autora detelha a cultura dos personagens lembra muito aqueles documentários que você vê na tv sobre os povos da Ásia Central e de outros lugares distantes.

  • willian

    acho muito legal e interessante essa nova coluna de vocês, na internet encontramos muitas dicas sobre animes, mas sobre mangas tem muito pouco material espero que continue por muito tempo essa coluna.

  • Cris R.

    Essa semana os dois me interessaram bastante! Otoyomegatari eu já planejava ler e seu comentário apenas reforçou essa vontade. O outro parece extremamente divertido, irei conferir. Ele me soou parecido com Grimgar of Fantasy and Ash, mas voltado especialmente para a comida e substituindo a atmosfera dramática por uma mais bem humorada.

  • Miguel

    Vlw pelas dicas!!

  • Otoyomegatari é maravilhoso mesmo!!!!!!

  • Pingback: Caçando Sucessos – ‘Dungeon Meshi’, um fenômeno de fantasia gastronômica – Chuva de Nanquim()